Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "vampiros"

Os vampiros de André Vianco estão de volta

12 de março de 2013 0

Reprodução

Atenção, fãs das histórias de vampiros: o escritor brasileiro André Vianco está voltando ao gênero depois de dois anos, com o lançamento de A Noite Maldita (editora Novo Século, 664 páginas, R$ 64,90), da saga As Crônicas do Fim do Mundo, previsto para a segunda quinzena de abril.

A história é ambientada 30 anos antes dos acontecimentos relatados na saga Vampiro Rei (Bento, Cantarzo e Bruxa Tereza) e conta como tudo começou, desde a epidemia que adormecia as pessoas e as transformava em vampiros até as primeiras mobilizações de resistências. A trama inclui grandes cidades brasileiras destruídas, bombeiros apagando incêndios em massa, panes nas centrais de sistema elétrico e o caos dominando o que antes fora cotidiano.

O livro conta a história de Graziano, um sargento da polícia militar que em meio à busca de sua irmã e seus sobrinhos, tenta cumprir seu papel, agora cada vez mais difícil, de proteger a sociedade. Sob sua liderança, após uma fuga inigualável, um grupo de pessoas encontrará refúgio em um hospital do interior.

Confira um trecho do livro:

“Graziano viu os olhos daquela criatura brilharem vermelhos e não perdeu um segundo, desenhando então um arco horizontal, tendo a lâmina do sabre encravada nos ossos do pescoço do monstro. Puxou a espada, deixando aqueles dois feridos se debatendo no chão.

— Como vocês podem feder tanto? — berrou Graziano.

Então, três daquelas criaturas pularam em cima dele, enquanto outras três ganhavam a rua e, como bestas descerebradas, corriam em direção ao alvoroço em torno da infantaria e dos parentes de doentes que tinham ido para o meio da rua. Os agressivos pareciam atraídos pelo cheiro ferruginoso do sangue que vertia dos feridos.”



O Drácula real e o literário

15 de fevereiro de 2013 0

Reprodução

Tendo ou não lido o famoso livro de Bram Stocker, publicado em 1901, todo mundo sabe quem é Drácula: o “pai” de todos os vampiros contemporâneos, o personagem da ficção que deu origem a centenas de outras histórias de sugadores de sangue na literatura e no cinema.


O que muitos não sabem, talvez, é que existiu um “Drácula” real, um homem cruel e sanguinário que inspirou Bram Stocker e outros a escreverem sobre ele, transformando-o em vampiro. Era Vlad Tepes, também conhecido como Vlad, o Empalador, um soberano medieval do Leste Europeu que costumava empalar seus inimigos.

É a ligação entre esses dois Dráculas, o “real” e o fictício, o tema de As Origens de Drácula — O Homem, O Vampiro e O Mito (152 páginas, R$ 24,90), de Arturo Branco, lançamento da Madras Editora. O livro procura desvendar como se deu a transição entre a figura histórica e o personagem literário, explorando as origens do mito dos vampiros e dos mortos-vivos.

5 livros de Stephen King que viraram filmes

08 de janeiro de 2013 3

Nova versão de 'Carrie' estreia em outubro (Sony Pictures, divulgação)

Já que os fãs de Stephen King estão na expectativa da nova versão cinematográfica de Carrie, a Estranha — que inicialmente chegaria em março, mas acabou ficando para outubro —, resolvi listar por aqui alguns dos livros do mestre do terror e do suspense que já ganharam as telas. A começar, claro, pelo próprio Carrie:

Carrie: primeiro romance de Stephen King, foi publicado em 1974 e conta a história de Carieta White, ou simplesmente Carrie, uma adolescente reprimida pela mãe e que possui poderes telecinéticos (pode mover objetos com a força da mente). Na escola, ela é vítima de zombarias por parte de seus colegas, como na ocasião em que fica menstruada e se apavora por não ter ideia do que isso seja, enquanto as outras meninas começam a atirar absorventes nela. Quando, durante uma festa do colégio, ela é vítima de mais uma brincadeira cruel, seus poderes fogem do controle… A história foi adaptada para o cinema em 1976, por Brian de Palma, e estrelada por Sissy Spacek. Em 1999 , veio a sequência do primeiro filme, The Rage: Carrie 2 . O novo Carrie tem direção de Kimberly Peirce.

A Hora do Vampiro: segundo romance do escritor norte-americano Stephen King, de 1975, virou filme em 1979 pelas mãos de Tobe Hooper, ganhando o nome de Salem’s Lot (Os Vampiros de Salém, na versão em português). O nome do longa remete à cidade em que se passa o enredo, Jerusalém’s Lot. Na trama, fatos estranhos começam a acontecer quando três estranhos _— o escritor Ben Mears (protagonista da história), o senhor Barlow e o senhor Straker —  chegam à cidade. Ben, o menino Mark e o padre Callahan terão de agir para salvar a cidade dos vampiros, que aumentam a cada dia.

O Iluminado: o livro de 1977, um dos mais assustadores de King, chegou às telas em 1980, com direção de Stanley Kubrick  e estrelado magnificamente por Jack Nicholson. Na história, um escritor, Jack Torrance (Nicholson), se isola com a família num hotel que fica vazio durante o inverno, para tentar escrever um romance. Aos poucos, no entanto, ele parece ir enlouquecendo, enquanto seu filho Danny (Danny Lloyd, no filme), que tem o dom da iluminação, tem visões de acontecimentos igualmente assustadores.

O Cemitério: neste romance de 1983, que chegou ao cinema em 1989 com o nome de Cemitério Maldito, o médico Louis, sua mulher e seus dois filhos pequenos se mudam para uma nova casa. Quando o gato da família é atropelado, um vizinho orienta Louis a enterrá-lo num antigo cemitério indígena nas proximidades, e, horas depois, o gato retorna, vivo — embora bem mais agressivo. Quando, meses depois, seu menininho também morre atingido por um caminhão, o médico não resiste à tentação de também enterrá-lo no cemitério maldito…

A Coisa: datado de 1986, o livro conta a história de sete crianças que enfrentam uma criatura terrível, que aparece como um palhaço maligno e se alimenta do medo (e de criancinhas). Trinta anos depois da ocasião em que pensam tê-lo derrotado, a “coisa” volta, e as crianças de outrora, agora adultos, precisam voltar à cidadezinha de Derry para tentar combatê-la outra vez, numa batalha que pode custar suas vidas. A trama ganhou adaptação para a TV e para o cinema em 1990, com direção de Tommy Lee Wallace.

Ainda hoje, falarei aqui de outros cinco livros de Stephen King que ganharam adaptações cinematográficas. Por enquanto, deixe seu comentário: de qual desses livros (e dos filmes baseados nos livros) você mais gostou?

 

Jack Nicholson em cena antológica de 'O Iluminado' (Warner, divulgação)

Outros livros de vampiros

15 de novembro de 2012 0

Reproduções

Ainda na onda do último filme da saga Crepúsculo, que acaba de estrear nos cinemas, trago aqui algumas dicas de outros livros focados em vampiros.


Para começar, o clássico dos clássicos nessa área: Drácula.Publicado pela primeira vez em 1897, o livro começou a ser escrito sete anos antes. Seu autor, o irlandês Bram Stoker, pesquisou intensamente o folclore e os mitos sobre vampirismo para escrever sua obra-prima. Com o texto em forma de cartas, o livro conta a história de um advogado que chega a um castelo na Transilvânia e é recebido por seu proprietário, o enigmático conde Drácula. Enquanto ele acaba prisioneiro no castelo, guardado por três figuras femininas que sugam sangue humano, na Inglaterra a jovem Lucy, amiga de sua noiva, começa a ficar debilitada, apresentando estranhos orifícios no pescoço. A moça morre, mas retorna, ela também, como um monstro.

Com centenas de páginas, que variam dependendo da edição (e são muitas), a história culmina com a sangrenta caçada ao conde vampiro, capitaneada pelo médico e cientista Abraham Van Helsing. Uma das edições brasileiras da história é essa cuja capa aparece acima, uma versão de bolso da L&PM, com preço de R$ 26.

Outra opção para os leitores é Entrevista com o Vampiro, de Anne Rice, que deu origem ao filme de mesmo nome e é o primeiro de uma série de livros que integram as chamadas Crônicas Vampirescas. Os vampiros principais da trama, Louis e Lestat, são bem mais modernos que Drácula – Lestat é um ídolo do rock e vive em Nova Orleans -, mas são tão ou mais sedutores que ele. Essa obra surgiu nos anos 1970, e, nos 1990,  com o filme estrelado por Brad Pitt e Tom Cruise, ganhou ainda mais fama. No Brasil, tem edição da Rocco, com 312 páginas e preço de R$ 42.

Ainda da mesma série, vale ler O Vampiro Lestat, A História do Ladrão de Corpos e A Rainha dos Condenados, todos dando sequência à saga dos sedutores vampiros (há ainda diversos outros títulos nas Crônicas Vampirescas).

Mas não é só de autores estrangeiros que vive o mundo da literatura de vampiros. O Brasil também tem um representante de peso na área: o escritor paulista André Vianco, que estreou em 1999 com o livro Os Sete. O sucesso foi imediato, e, desde então, ele publicou diversos outros títulos na área, incluindo Sétimo, Bento, O Vampiro-Rei (em dois volumes) e a saga O Turno da Noite (em três volumes). Em Os Sete, uma caravela portuguesa de cinco séculos é resgatada de um naufrágio no litoral brasileiro, e dentro dela é encontrada uma caixa de prata com sete cadáveres. Não é nem preciso dizer que eles, é claro, voltam à vida como seres vampirescos… Com edição da Novo Século, o livro tem 421 páginas e preço de R$ 39,90.

Terror sueco em 'Deixa Ela Entrar'

20 de setembro de 2012 0

Reprodução

Exibido pela primeira vez no Brasil na 33ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, em 2009, o filme sueco Deixa Ela Entrar virou fenômeno cult. Conquistou prêmios em mais de 40 festivais pelo mundo e foi refilmado por Hollywood (Deixe-me entrar é a versão americana, de 2010). Concebida por John Ajvide Lindqvist, a história que deu origem ao filme foi publicada em 2004 na Suécia, onde se tornou best-seller instantâneo, lançada em mais de 30 países, e agora chega ao Brasil pela Globo Livros.


A trama é anunciada como uma das mais perturbadoras ficções de terror dos últimos tempos, com destaque para a originalidade com que Lindqvist aborda o vampirismo. Vários elementos dessa literatura estão presentes — a começar pelo título, que faz referência à crendice de que vampiros só podem entrar em lugares para os quais são convidados —, porém ambientados no realismo.

No enredo, Oskar, um garoto de 12 anos, vive com a mãe no subúrbio de Estocolmo, na década de 1980. Solitário e alvo de bullying na escola, passa o tempo lendo e colecionando notícias sobre serial killers e planejando se vingar de seus perseguidores. No entanto sua rotina é alterada quando uma garota também de 12 anos, Eli, se muda para o apartamento ao lado. Uma profunda identificação aproxima o menino a Eli, ao mesmo tempo em que a vizinhança passa a ser assolada por uma onda de mortes misteriosas.

Mesclando os gêneros terror e policial, o livro Deixa Ela Entrar tem 504 páginas e preço de R$ 49,90.

Há 100 anos, morria criador de 'Drácula'

20 de abril de 2012 0

Reprodução

Os vampiros que hoje povoam a literatura e o cinema não são mais tão assustadores quanto antigamente, isso é fato. Mesmo assim, pode-se dizer que os autores dessas histórias devem muito ao irlandês Bram Stoker, o responsável por fazer o personagem, que povoava os mitos de alguns povos europeus, entrar de vez para o universo literário.


Stoker, que morreu a exatos 100 anos – 15 depois de publicar sua obra-prima, Drácula -, criou um vampiro inesquecível e assustador, que até hoje inspira escritores e roteiristas. Em 2009, por exemplo, o livro foi relançado, na edição reproduzida ao lado. Também ganhou, ainda mais recentemente, uma edição em conjunto com outros dois grandes clássicos do horror, Frankenstein, de Mary Shelley, e O Médico e o Monstro, de Robert Louis Stevenson. Será que algum dos livros do gênero que hoje fazem sucesso terá um fôlego tão longo?

Além da história em si – uma ficção inspirada pela figura real de Vlad, o Empalador -, a permanência da obra de Stoker se deve ao seu texto primoroso e à profundidade dos personagens. Antes de escrever o livro, aliás, o escritor mergulhou em pesquisas sobre o folclore em torno da figura do vampiro, o que contribuiu para deixar o seu Conde Drácula ainda mais assustador.

Há 100 anos, o mundo perdeu um grande escritor.

Literatura, vampiros e muita diversão (dica do dia)

14 de outubro de 2011 0

Reprodução


Imaginem a cena: uma autora famosa e reconhecida, vivendo incógnita numa cidadezinha do interior dos Estados Unidos, como dona de uma pequena  livraria. Além de não receber os direitos autorais de suas obras, que seguem vendendo bem mesmo após duzentos anos, ela vê os originais de seu novo romance sendo recusados por editora após editora, e não pode revelar quem é ralmente. 

Não, o “duzentos anos” do parágrafo acima não foi erro de digitação. É que a escritora em questão é nada menos do que Jane Austen, que não morreu como se pensava, mas sim foi transformada em vampira por seu grande amor, Lorde Byron, que depiis a abandonou. Ao menos, no livro Jane Austen, A Vampira, de Michael Thomas Ford (editora Lua de Papel, 304 páginas, R$ 39,90).

Já falei rapidamente dele por aqui, quando foi lançado, cerca de um ano atrás. Na época, como disse no post, ainda não havia lido o livro, e tinha minhas desconfianças de que fosse apenas mais um lançamento de olho na onda vampiresca que rondava (e ainda ronda, mas já parece ter diminuído o ritmo) a literatura mundial. No entanto, a curiosidade foi mais forte, e, quando vi o livro na livraria, comprei.

O que posso dizer é que a leitura valeu a pena. Diferentemente de outros livros do gênero – tentei ler algumas adaptações de grandes clássicos mesclados com sobrenatural, e achei horríveis -, o livro é divertido, bem escrito e com uma trama envolvente. Não é uma paródia mal feita, é uma história criativa e gostosa de ler.


Quanto à heroína-vampira, ela pode até se alimentar de sangue, mas é bem humana em seus dramas – a frustração por não reconhecerem o valor de sua escrita, a indignação por ver as mais absurdas adaptações de sua obra e da sua biografia (boa sacada dentro de um livro que não deixa de ser uma reescrita da vida de Austen), as dúvidas no amor, a alegria quando finalmente elogiam seu novo livro sem saber que “Jane Fairfax” é na verdade uma das maiores escritoras de todos os tempo


E um aviso aos fãs das histórias vampirescas: o livro até tem mordidas, mas é possível dizer que elas são acessórias, e não centrais na história.

 Fica a sugestão de leitura. Quem aceitar dificilmente vai se arrepender.

Anne Rice, de 'Entrevista com o Vampiro', estará na Bienal do Rio

31 de março de 2011 0

 


Reprodução do Facebook da autora


A escritora norte-americana Anne Rice, conhecida principalmente por seus livros da série Crônicas Vampirescas — como o sucesso Entrevista com o Vampiro, que virou filme com Tom Cruise e Brad Pitt —, virá ao Brasil em setembro, para a Bienal do Livro do Rio de Janeiro.


Na Bienal, ela vira a convite da Rocco, que desde 2009 vem reeditando a obra completa da autora. A editora também prepara, para o segundo semestre, o lançamento de De amor e Maldade, continuação do recém-lançado Tempo dos Anjos.


A autora veterana já vendeu mais de 75 milhões de livros vendidos em três décadas de carreira, especialmente no segmento de literatura gótica.



Um presidente contra os vampiros

04 de março de 2011 0

 

Reprodução

Juntar personagens reais com ficção é algo que tem sido feito em várias épocas e por vários autores, mas é preciso admitir que a onda agora está mais forte do que nunca — especialmente se essa mistura tiver um quê de sobrenatural.

 

Meses atrás, comentei por aqui sobre o livro Jane Austen, A Vampira, que traz a famosa escritora inglesa no presente, morando incógnita no interior dos Estados Unidos após séculos como vampira. Confesso que, apesar do meu ceticismo inicial, achei o livro ótimo, divertido, criativo e bem escrito. Agora, outro romance do gênero chamou minha atenção na última vez em que fui na livraria: Abraham Lincoln, Caçador de Vampiros, de Seth Grahame-Smith (editora Intrínseca, 330 páginas, preço médio de R$ 39,90).

Na trama, o ex-presidente americano é apresentado como um implacável caçador desses seres, que, quando ele era criança, teriam matado sua mãe. Quando descobre o motivo de ter ficado órfão, parte para a vingança — e nessa luta, a ascensão à Casa Branca seria apenas mais um passo. Grahame-Smith, que já havia escrito Orgulho e Preconceito e Zumbis (uma adaptação da obra de Jane Austen), mescla a biografia real de Lincoln e a Guerra de Secessão com a trama fictícia, para dar um ar mais “real” à história.

Com a ressalva de que nem todos os livros que fazem essa mescla funcionam (já tentei ler algumas adaptações de clássicos que soaram muito artificiais e até mesmo  mal-feitas), essa “versão” do Lincoln anti-vampiros está me deixando curiosa. Ainda não li, mas assim que tiver um tempinho, quero fazer isso. Depois podem me cobrar uma opinião mais abalizada.




Vampiros de laboratório

13 de agosto de 2010 0

ReproduçãoQue os vampiros estão outra vez na crista da onda, ninguém duvida – basta relancear os olhos nas prateleiras das livrarias. Em muitos dos livros atuais, no entanto, eles não são nem de perto assustadores como seu antecessor Conde Drácula, do Drácula de Bram Stoker. A editora Sextante, no entanto, está com um lançamento que promete resgatar o temor que os vampiros “antigos” inspiravam nos leitores: A Passagem, de Justin Cronin (816 páginas, R$ 49,90).

Na obra, um grupo de condenados à morte usados em um experimento militar norte-americano consegue escapar de seu confinamento. Eles estão infectados com um vírus modificado em laboratório, que os torna sensíveis à luz, com sede de sangue e com força incrível. A cada noite a partir de então, eles atacam, deixando em pouco tempo um número reduzido de sobreviventes. A história mescla esses “vampiros de laboratório” a um clima apocalíptico, em que não há mais governo nem comunicação com outros locais.

Não é uma história de vampiros tradicional, mas pelo que li a respeito parece interessante, lembrando um pouco Celular, de Stephen King.

***

Aproveitando: na Bienal do Livro de São Paulo, estava prevista a presença, hoje, do canadense Dacre Stoker, sobrinho-neto de Bram Stoker e que está lançando Drácula – O morto-vivo, mas sua presença foi cancelada. Ele ainda deve vir ao Brasil durante a Bienal, mas a nova data ainda não foi agendada.5