Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "cinquenta tons de cinza"

100 milhões de tons

28 de fevereiro de 2014 0
Reprodução

Reprodução

Não, a onda da literatura erótica não acabou, apenas está um pouco menos ruidosa. Os lançamentos seguem aparecendo _ vide o novo livro de Sylvia Day, Enfeitiçados pelo Desejo, que chega agora em março no Brasil pela editora Leya, com tiragem inicial de 20 mil exemplares.

E a trilogia que deu início à febre dois anos atrás, Cinquenta Tons, da inglesa E.L. James, segue firme e forte. Segundo nota no site Publishnews, os três livros da série — Cinquenta Tons de Cinza, Cinquenta Tons Mais Escuros e Cinquenta Tons de Liberdade — já venderam 100 milhões de exemplares no mundo todo.

No Brasil, as vendas passaram de 1 milhão. Isso que o filme com Christian Grey ainda nem foi lançado…

Parcial dos mais vendidos de 2013

13 de dezembro de 2013 0
Livro de Dan Brown lidera (reprodução)

Livro de Dan Brown lidera (reprodução)

Ainda faltam quase 20 dias para o ano se encerrar, mas já dá para ter uma ideia de quais foram os livros mais vendidos de 2013. 

Segundo a parcial do site especializado Publishnews, na categoria ficção o campeão, até agora, é Inferno (Arqueiro), de Dan Brown, que somava 267.238 exemplares vendidos nas livrarias brasileiras pesquisadas até a última contagem. Logo a seguir vem A Culpa é das Estrelas (Intrínseca), de John Green, com 223.465, e em terceiro está Cinquenta Tons de Cinza (Intrínseca), de E.L. James, com 168.378.

Os cinco primeiros lugares se completam com Cinquenta Tons de Liberdade (Intrínseca), também de E.L. James, com 122.991, e O Silêncio das Montanhas (Globo Livros), de Khaled Hosseini, que vendeu até agora 120.231.

Nos próximos dias, comento por aqui sobre os outros livros que aparecem na lista, e também sobre as listagens dos outros gêneros.

O rosto (e o corpo) de Christian Grey

02 de setembro de 2013 0

 

Charlie Hunnam interpretará personagem criado por E.L. James (Warner, divulgação)

Charlie Hunnam interpretará personagem criado por E.L. James (Warner, divulgação)

Se você leu Cinquenta Tons de Cinza, best-seller erótico que estourou no mercado literário no último ano, certamente criou a sua imagem mental de Christian Grey, o personagem que virou sinônimo de símbolo sexual masculino com o sucesso da trilogia escrita pela inglesa E.L. James.

Agora, essas imagens imaginárias ganharão um rosto, e um corpo, reais: os do ator Charlie Hunnam. A própria E.L. James fez hoje o anúncio, via Twitter, de que o ator inglês de 33 anos encarnará o personagem na adaptação cinematográfica. Hunnam protagonizou, entre outros, os filmes Círculo de Fogo (2013), Cold Mountain (2003) e Hooligans (2005).

Para viver Anastasia Steele, a estudante que se envolve com o rico e belo (e amante do sexo sadomasoquista) Christian Grey, a escolhida foi a atriz Dakota Johnson.

Cinquenta Tons de Cinza e suas sequências — Cinquenta Tons Mais Escuros e Cinquenta Tons de Liberdade — já venderam mais de 70 milhões de cópias planeta afora, e figuraram por meses no topo dos mais vendidos. Os direitos da trilogia para o cinema foram vendidos ainda no ano passado para a Universal Pictures e a Focus Features.

A previsão é de que o filme, sob direção de Sam Taylor-Johnson, estreie daqui a 11 meses, em 1º de agosto de 2014.

Mudança na lista

06 de maio de 2013 0

Livro de Padre Marcelo Rossi lidera ranking, seguido de obra de negócios e de romance (reproduções)

Listas são sempre um recorte, mas, mesmo assim, valem como mostra de uma tendência. E a mais recente listagem de mais vendidos do site especializado Publishnews mostra uma mudança no cenário literário, com o retorno do padre-bestseller Marcelo Rossi ao topo do ranking.


O mais novo livro do religioso, Kairós (editora Principium), classificado como de autoajuda, que sequer aparecia entre os 10 mais na semana anterior, lidera a pesquisa divulgada na última sexta-feira pelo site, tendo vendido 8.230 exemplares em uma semana nas livrarias pesquisadas.

O segundo lugar fica com Sonho Grande (Primeira Pessoa), de Cristiane Correa, classificado na esfera de negócios e que vendeu 5.117 exemplares no período — o que significa que, mesmo perdendo a posição no ranking, segue atraindo atenção do público leitor, uma vez que na semana anterior, em que liderou, foram 4.197 exemplares.

O romance A Culpa é das Estrelas (Intrínseca), de John Green, subiu da quinta para a terceira colocação e somou 3.327 exemplares vendidos. Foi o melhor desempenho da ficção na semana, logo a frente de O Lado Bom da Vida (Intrínseca), de Matthew Quick, que ficou em quarto, com 3.212.

Casagrande e Seus Demônios (Globo Livros), de Casagrande e Gilvan Ribeiro, livro de não ficção que era o segundo colocado na lista anterior, agora é o quinto (3.119 exemplares).

O romance erótico Cinquenta Tons de Cinza (Intrínseca, 2.774 exemplares), de E.L. James, que por muito tempo liderou o ranking, agora responde pela 6ª colocação. Os também eróticos Cinquenta Tons de Liberdade, da mesma autora e editora, e Irresistível (Hamelin), de Sylvia Day, ficaram respectivamente com o 9º e o 10º lugares, vendendo 2.279 e 2.101 exemplares.

Completam os 10 primeiros as obras de autoajuda Metas que Desafiam (Clio), de Mark Murphy, em 7º (2.528), e Eu Não Consigo Emagrecer (BestSeller), de Pierre Dukan, em 8º (2.414).

Na esteira de 'Cinquenta Tons de Cinza'

24 de março de 2013 1

Reproduções

Que o sucesso mundial do best-seller erótico Cinquenta Tons de Cinza fez escola e deu origem a uma infinidade de outros títulos um tanto quanto, digamos, apimentados, é um fato. Os lançamentos do gênero se multiplicaram nos últimos meses, e quase já cansei de receber dezenas de relises sobre o assunto. Alguns deles, entretanto, chamam a atenção pela similaridade (proposital, claro) de título e capa que mantêm com o livro “original”.


É o caso, por exemplo, de 50 Noites em Tons de Cinza (editora Planeta, 112 páginas, R$ 19,90), da norte-americana Laura Elias. No enredo, claro, muito sexo apimentado: dois personagens não identificados fazem o que é descrito como “uma excitante jornada de 50 inesquecíveis noites”. Tudo começa quando uma mulher decide aprender tudo sobre o sexo, e entra numa relação recheada de fetiches, acessórios, fantasias, jogos, ménage à trois, strip-tease e posições que ela antes nunca havia sequer imaginado. Isso tudo em lugares que incluem até mesmo o cinema e o escritório.

Indo numa linha um pouco diferente, mas mantendo o apelo da similaridade capa-título, a editora Novo Século lançou a “paródia erótica” Cinquenta Vergonhas de Cinza (256 páginas, R$ 24,90), da também norte-americana Fanny Merkin. No livro, a autora usa pitadas de surrealismo para zombar dos pequenos elementos do “parente” best-seller. O documento que estabelece as regras de dominação e submissão entre os personagens, por exemplo, é transformado em um quiz sobre sexo de uma revista feminina e a deusa interior da protagonista se torna uma “periguete”.

Ficam as dicas para quem ainda aguenta ler “novos” romances eróticos…

Ficção retoma a dianteira

22 de março de 2013 0

A ficção, capitaneada pelo best-seller erótico Cinquenta Tons de Cinza, retomou a dianteira na lista geral de livros mais vendidos do site especializado Publishnews, divulgada nesta sexta-feira — na semana passada, eram as obras de autoajuda que lideravam.

Na atual listagem, a ficção ocupa os quatro primeiros lugares (curiosamente, todos livros da editora Intrínseca): depois do líder Cinquenta Tons de Cinza, de E.L. James, que vendeu 5.179 exemplares em uma semana nas livrarias pesquisadas, vêm O Lado Bom da Vida, de Matthew Quick, com 4.638 exemplares; Cinquenta Tons de Liberdade, com 4.088; e Cinquenta Tons Mais Escuros, com 3.922.

No quinto lugar, aparece a obra de autoajuda Casamento Blindado, de Cristiane e Renato Cardoso (editora Thomas Nelson Brasil, 3.710 exemplares). O sexto é novamente ficção, Garota Exemplar, de Gillian Flynn (Intrínseca, 2.794), e o sétimo, outra autoajuda, Mentes Brilhantes, de Alberto Dell’Isolla (Universo dos Livros, 2.406). Em oitavo está Uma Curva na Estrada (Arqueiro, 2.341), de Nicholas Sparks — escritor que, no ano passado, chegou a emplacar quatro títulos de uma só vez entre os 10 primeiros.

Completam os 10 mais vendidos da semana outros dois livros de autoajuda, Eu Não Consigo Emagrecer, de Pierre Dukan (Bestseller, 2.309) e Só o Amor Consegue, de Zibia Gasparetto (Vida e Consciência, 2.242).

A hora da autoajuda

16 de março de 2013 2

Reproduções

Nas últimas semanas, venho observando uma tendência, que se confirma na listagem geral de mais vendidos divulgada ontem pelo site especializado Publishnews: os livros de autoajuda estão, mais uma vez, na crista da onda.


As obras desse gênero ocupam nada menos do que quatro dos 10 primeiros lugares da lista geral, a começar pelo cobiçado topo, com A Mulher V, de Cristiane Cardoso, que vendeu 27.864 exemplares em uma semana nas livrarias pesquisadas. Na obra, a autora – filha mais velha do bispo Edir Macedo, fundador da Igreja Universal - afirma que a mulher moderna já era, e defende uma volta ao modelo de antigo de feminilidade.

Outro livro de Cristiane, Casamento Blindado, este escrito em parceria com o marido, Renato Cardoso, também está entre os “mais mais”, em sétimo, com 2.921 exemplares no período. Ambos os livros saíram pela editora Thomas Nelson Brasil. Neste segundo, também de autoajuda, são defendidas teses como a de que a mulher nunca deve dizer não, nem “tagarelar quando o marido estiver cansado”. Ah, e deve sempre submeter-se ao homem e enaltecê-lo. Sinceramente, prefiro não comentar.

Voltando à lista, o segundo lugar é uma obra de não ficção, curiosamente escrita pelo pai de Cristiane, Edir Macedo: Nada a Perder, editado pela Planeta do Brasil, com 16.679 exemplares.

Os dois lugares seguintes, terceiro e quarto, são dos romances eróticos Cinquenta Tons de Cinza e Cinquenta Tons de Liberdade, ambos da inglesa E.L. James e publicados pela Intrínseca, respectivamente com 6.153 e 5.001 exemplares vendidos. O outro livro da triologia, Cinquenta Tons mais Escuros, é o sexto, com 4.622.

O romance O Lado Bom da Vida, de Matthew Quick, também da Intrínseca e com a capa do filme de mesmo nome, foi o quinto livro mais vendido, com 4.690 exemplares.

O oitavo lugar ficou com Mentes Brilhantes, autoajuda de Alberto Dell’Isolla (Universo dos Livros, 2790 exemplares), e o nono, com Eu Não Consigo Emagrecer, autoajuda de Pierre Dukan (BestSeller, 2.594 exemplares).

Para fechar os 10 best-sellers da semana, o erótico Toda Sua, de Sylvia Day (Paralela), que vendeu 2. 066.

Elas dominam entre os mais vendidos

08 de março de 2013 0

E.L. James ocupa os três primeiros lugares no ranking de ficção (foto divulgação)

Neste Dia Internacional da Mulher, todos comentam sobre as conquistas femininas nas mais diversas áreas. Pois pode-se dizer que, quando o assunto é literatura, somos nós que dominamos: segundo a lista de mais vendidos do site especializado Publishnews divulgada hoje, seis das 10 obras de ficção mais vendidas foram escritas por mulheres.


Os três primeiros lugares do ranking seguem dominados pela inglesa E.L. James, com sua trilogia erótica Cinquenta Tons de Cinza. O quarto lugar é masculino, com o livro O Lado Bom da Vida, de Matthew Quick (impulsionado pelo filme homônimo), e depois vêm outra duas escritoras mulheres, Silvia Day (com o quinto e o sétimo lugares, respectivamente por Toda Sua e Profundamente Sua) e J.K. Rowling, esta com Morte Súbita, em sexto. 

Do oitavo ao décimo, voltamos a livros de escritores homens: A Travessia, de William P. Young; As Aventuras de Pi, de Yann Martel (outro que levou um empurrãozinho do cinema) e O Príncipe da Névoa, de Carlos Ruiz Záfon.

'O Hobbit' e 'As Aventuras de Pi' entre os mais vendidos

11 de janeiro de 2013 0

Fox, divulgação

As primeiras semanas do ano reservaram poucas surpresas nas listas de livros mais vendidos, que continuam bem semelhante àquelas com que o ano foi encerrado. No entanto, vale aplaudir a inclusão, no ranking de ficção do site especializado Publishnews divulgado hoje, de As Aventuras de Pi, de Yann Martel, que aparece em 9º, e a manutenção, em 8º, de O Hobbit, de J.R.R. Tolkien.

Fora essas duas obras, obviamente impulsionadas por suas versões cinematográficas (fotos acima, de As Aventuras de Pi, e abaixo, de O Hobbit) , ainda em cartaz, o restante da lista segue praticamente como vem sendo há meses, com os três primeiros lugares ocupados com folga pela trilogia erótica Cinquenta Tons de Cinza, da inglesa E.L. James. Em quarto, Morte Súbita, da também britânica J.K. Rowling.

A lista segue com Toda Sua e Profundamente Sua, ambos de Silvia Day, e A Travessia, de William P. Young, respectivamente em quinto, sexto e sétimo lugares. Em décimo está o box de Cinquenta Tons de Cinza.

 

Warner, divulgação

Os 'mais mais' de 2012

28 de dezembro de 2012 0

 

 


Reproduções

Reproduções

Ano chegando no fim, não daria para deixar esse post de fora: os livros mais vendidos de 2012 em terras brasileiras. Embora ainda não esteja com a listagem fechada – os dados vão até o dia 16 de dezembro -, o site especializado Publisnews já dá uma pista do que bombou neste ano que termina.


O “mais mais”, claro, foi o primeiro volume da trilogia erótica Cinquenta Tons de Cinza, da inglesa E.L. James, que vendeu 539.333 exemplares. Vale ressaltar que o livro só chegou ao país em agosto, e que os números só se referem às livrarias pesquisadas (Argumento, Cultura, Curitiba, Fnac, Laselva, Leitura, Martins Fontes SP, Nobel, Saraiva, Super News, Travessa e Vila), deixando de fora, portanto, centenas (ou mesmo milhares) de pequenas livrarias por todo o país, e que também venderam muito bem esse que foi o fenômeno do ano.


Se considerarmos apenas ficção adulta, a lista segue com os outros dois títulos da trilogia, Cinquenta Tons Mais Escuros (273.235 exemplares) e Cinquenta Tons de Liberdade (202.433) ocupando, respectivamente, o segundo e o terceiro lugares. Lembre-se que o terceiro volume da série foi publicado apenas em novembro. A soma da trilogia chega a 1 milhão de exemplares (mais 15.001…), o que, num país em que poucos leem mais de dois livros por ano, representa um sucesso impressionante.


Na sequência, vêm A Guerra dos Tronos (4º, 81.636), de George R.R. Martin, que praticamente liderou no primeiro semestre; A Escolha (5º, 67.361), de Nicholas Sparks; Um Dia (6º, 53.724), de David Nicholls; O Festim dos Corvos (7º, 52.601), de George R.R. Martin; O Melhor de Mim (8º, 50.827), também de Nicholas Sparks; Para Sempre (9º, 49.570), de Kim Carpenter/ Krickitt Carpenter; e Toda Sua (10º, 48.718), de Sylvia Day.


Lugar para os brasileiros

Do 11º ao 20º, os americanos Nicholas Sparks e George R.R. Martin seguem marcando presença, mas também há lugar para o italiano Umberto Eco e até para brasileiros. Nessas posições estão, respectivamente, estão O Cemitério de Praga (44.741), de Umberto Eco; Um Homem de Sorte (41.619), de Nicholas Sparks; A Cabana (40.305), de William P. Young; Assassin’s Creed – Renascença (35.646), de Oliver Bowden; A Dança dos Dragões (34.737), de George R. R. Martin; As Esganadas (31.311), de Jô Soares; Um Porto Seguro (29.775), de Nicholas Sparks; O Casamento (26.584), de Nicholas Sparks; Presentes da Vida (25.419), de Emily Griffin; e Diálogos Impossíveis (21.431), de Luis Fernando Verissimo.

Diversidade na lista geral


Considerando-se a listagem geral (ficção, não ficção, autoajuda, negócios e infanto-juvenis incluídos), outros títulos também ganham destaque: o 2º lugar vai para Nada a Perder, de Edir Macedo, com 280.104 exemplares, e Agapinho, do Padre Marcelo Rossi, fica em 5º, com 138.474. O X da Questão, do empresário (e milionário) Eike Batista, fica com o 6º lugar geral, alcançando 109.213 exemplares. Jogos Vorazes, de Suzanne Collins — que apesar de ser ficção não aparece na lista acima por ser cotada como infanto-juvenil — foi outra febre do ano, vendendo 69.325 exemplares no Brasil e alcançando a 8ª colocação geral. O autoajuda Nietzsche para Estressados, de Allan Percy, ficou em 9º, com 69.221, e É Tudo tão Simples, de Danuza Leão, está em 10º, com 67.732.


Destaque ainda para o infanto-juvenil Diário de um Banana – Casa dos Horrores, de Jeff Kinney (65.182, 12º na lista geral); O Monge e o Executivo, de James Hunter (60.025, 13º); o clássico O Pequeno Príncipe, de Antoine Saint-Exupéry (56.727, 14º); Diário de um Banana, de Jeff Kinney (56.571, 15º); Steve Jobs, de Walter Isaacson (56.203, 16º); O Filho de Netuno, de Rick Riordan (51.863, 19º), e Ágape, do Padre Marcelo (51.445, 20º).

Ah: sempre vale lembrar que alguns títulos podem entrar e outros cair da lista quando forem computadas as últimas vendas do ano.