Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "confraria reinações"

Hoje tem 'A Ilha do Tesouro' na Confraria Reinações

17 de setembro de 2013 0
Reprodução

Reprodução

Hoje, a partir das 19h30min, a Do Arco da Velha Livraria e Café (Rua Os 18 do Forte, 1.690), em Caxias do Sul, sedia o 50º encontro da Confraria Reinações Caxias, grupo que se reúne mensalmente — sempre na terceira terça-feira do mês — para discutir literatura infanto-juvenil.

Desta vez, a obra a ser debatida é A Ilha do Tesouro, do escritor escocês Robert Louis Stevenson, autor também de O Médico e o Monstro. O clássico foi escrito em 1883 e narra as aventuras do garoto Jim Hawkins em meio a piratas e tesouros escondidos.

O bate-papo sobre o livro será conduzido por Rogério Becker. A entrada é franca, e mesmo quem ainda não leu o livro pode participar.

***

Em tempo: agora a Confraria tem fanpage no Facebook, onde podem ser acompanhadas as novidades do grupo: fb.com/confrariareinacoescaxias

Noite de festa na Confraria Reinações Caxias

23 de julho de 2013 0

 

Reprodução

O encontro desta noite da Confraria Reinações Caxias será muito especial. Para comemorar os quatro anos de atividades do grupo que se reúne mensalmente para debater literatura infantil e infantojuvenil, a programação inclui muita música e poesia.



Com a coordenação da escritora e confreira Helô Bacichette, o encontro começará às 19h — meia hora mais cedo do que o usual — e incluirá leitura de poemas do livro A Arca de Noé, de Vinícius de Moraes.

Mas as atrações da noite não param aí: haverá ainda três apresentações musicais distintas, do Coral Municipal de Caxias, do Coral La Felicità e de Samuel Sodré. 

O melhor de tudo é que o encontro, na Do Arco da Velha Livraria e Café (Rua Os 18 do Forte, 1.690, no centro de Caxias do Sul), é aberto ao público e tem entrada franca.

Fábulas de Esopo pautam encontro da Confraria

18 de junho de 2013 0

Reprodução da capa do CD infantil 'A Cigarra e a Formiga'

Você certamente já ouviu histórias como A Raposa e as Uvas, A Cigarra e a Formiga, A Tartaruga e a Lebre ou O Lobo e o Cordeiro… Pois essas e outras fábulas que atravessaram os séculos, creditadas a Esopo — um escravo que viveu na Grécia Antiga de 620 a 560 antes de Cristo — e depois recontadas por La Fontaine e outros, serão tema do encontro que a Confraria Reinações Caxias promove hoje, a partir das 19h30min.


A coordenação do encontro, que ocorre na Do Arco da Velha Livraria e Café (Rua Os 18 do Forte, 1.690), em Caxias do Sul, estará a cargo de Rogério Becker. Ele abordará essas histórias que têm, entre suas características, animais personificados e lições de moral.

O encontro é aberto a todos os interessados, e a entrada é franca.

Hoje é noite de Confraria

21 de maio de 2013 0

Reprodução

A programação para quem curte literatura está de vento em popa em Caxias do Sul. Depois do ótimo Órbita Literária, realizado ontem, hoje à noite ocorre o encontro mensal da Confraria Reinações Caxias, também na Do Arco da Velha Livraria e Café (Rua Os 18 do Forte, 1.690).


O tema de hoje da Confraria — grupo que se reúne mensalmente para debater literatura infantojuvenil e que está prestes a completar quatro anos — é o livro O Homem de Areia, de E.T.A. Hoffmann. A coordenação dos debates estará a cargo de Germano Weirich.

O encontro começa às 19h30min e vai até as 21h, com entrada franca. Mesmo pessoas que ainda não integram a Confraria (ou que não leram o livro) podem participar.

Noite de debate (e polêmica) na Confraria Reinações

19 de março de 2013 0

Reprodução

Não, o título do livro a ser debatido hoje à noite, a partir das 19h30min, no encontro mensal da Confraria Reinações Caxias, não está errado no cartaz ao lado. A obra é mesmo a novela Max e Os Felinos, do escritor gaúcho Moacyr Scliar. Mas aposto que muita gente, ao olhar para a imagem do rapaz e do felino num bote, pensa logo em A Vida de Pi, livro do canadense Yann Martel transformado no filme As Aventuras de Pi, que concorreu no último Oscar.


Embora esse não seja o foco do debate não seja esse, com certeza a polêmica da semelhança entre as duas obras não poderá ficar de fora. Inclusive a edição mais recente de Max e os Felinos pela coleção Pocket da L&PM traz uma introdução do autor comentando o assunto. Nela, Scliar conta que ficou sabendo do livro de Martel em 2002, quando uma jornalista lhe telefonou para que se posicionasse sobre o assunto, após A Vida de Pi vencer um prêmio na Europa.

Segundo o relato de Scliar, ele não se incomodou com o uso da ideia em si — um rapaz náufrago em um bote, após um naufrágio, tendo como única companhia um felino feroz —, mas sim o fato de não haver sido comunicado que ela seria reutilizada, além de seu livro não ter sido citado na outra obra (houve apenas um “agradecimento a Moacyr Scliar”). Martel ainda teria dito que estava fazendo bom uso de uma ideia mal aproveitada por um “escritor menor”.

Mesmo assim, e apesar de seu livro ser bem anterior — foi lançado em 1981 e saiu nos Estados Unidos em 1990, de onde provavelmente Martel ouviu falar dele —, o gaúcho não quis dar sequência à polêmica. O que importa, avaliou, é o livro em si, e, apesar de terem o mesmo ponto de partida, as histórias tomam rumos diferentes.

No caso de Max e Os Felinos, o protagonista é o Max do título, um jovem alemão que está fugindo do nazismo e embarca para o Brasil. O velho cargueiro no qual viaja leva também animais de um zoológico (outro ponto de ‘coincidência’ entre esse livro e A Vida de Pi, só que neste último o zoo é do pai do protagonista), e, depois de um naufrágio, Max se salva em um escaler, tendo por única companhia um jaguar (no livro do canadense, é um tigre).

“O texto de Martel é diferente do texto de Max e os Felinos. Mas o leitmotiv é, sim, o mesmo”, escreve Scliar na introdução.

Enfim, o debate desta noite promete. Para quem quiser conferir, o encontro da Confraria ocorre na Do Arco da Velha Livraria e Café (Rua Os 18 do Forte, 1.690), no centro de Caxias do Sul. A entrada é franca, e mesmo quem não leu o livro pode participar.

Confraria Reinações debate hoje 'A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça'

19 de fevereiro de 2013 1

Reprodução

Uma história sobrenatural escrita há quase 200 anos pelo norte-americano Washington Irving e transformada em filme por Tim Burton em 1999, com Johnny Depp no papel central, será o tema do encontro de hoje da Confraria Reinações Caxias.

O grupo, que se reúne a partir das 19h30min na Do Arco da Velha Livraria e Café (Rua Os 18 do Forte, 1.690), em Caxias do Sul, vai discutir o livro infanto-juvenil A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça, cuja primeira edição data de 1820.

Na trama, Ichabod Crane (que, na versão cinematográfica, ganhou as feições de Depp) é um supersticioso mestre-escola que, ao sair de uma festa na casa do rico fazendeiro Baltus Van Tassel, é perseguido pelo Cavaleiro Sem Cabeça, suposto fantasma de um soldado que teve a cabeça arrancada por uma bala de canhão durante uma batalha e que, segundo a lenda, cavalga em busca de sua cabeça.

Ichabold resolve investigar uma série de assassinatos supostamente cometidos pelo Cavaleiro, enquanto compete com o valentão Brom Bones pela mão da jovem filha do fazendeiro, Katrina (no filme, Christina Ricci), por quem é apaixonado.

O livro tem várias edições no Brasil. A que ilustra este post foi lançada em 2011 pela editora Leya, tem 72 páginas e preço de R$ 15,90.

O encontro da Confraria, que tem participação gratuita e aberta a todos os interessados (tenham ou não lido o livro), será coordenado por Dangelo Muller.

Hoje é dia de Reinações

11 de dezembro de 2012 0

Reprodução

Literatura infanto-juvenil não tem de ser, necessariamente, algo alegre ou fácil de ler: muitos escritores usam esse contato com o público adolescente para passar, por meio de uma boa história, mensagens mais densas e profundas. É o caso do livro A Mala de Hana (Melhoramentos, 112 páginas, R$ 35), de Karen Levine, que será debatido hoje à noite no encontro mensal da Confraria Reinações Caxias, em Caxias do Sul.


O livro aborda o duro tema do holocausto de milhões de judeus durante a Segunda Guerra Mundial por meio de duas histórias paralelas: a da menina judia Hana, levada, com seu irmão, a um campo de concentração nazista, e a de uma professora japonesa, que está ensinando sobre o assunto para seus alunos e, após receber de um museu uma réplica da mala que Hana levou para o campo, resolve investigar a trajetória da pequena heroína.

O mais emocionante é que a história contada não é ficção: Hana realmente existiu, morava na antiga Tchecoslováquia, e sofreu os horrores ali descritos. Mas o texto não mostra só o sofrimento, reconstroi um pouco de sua vida anterior, da menina alegre e feliz que era até aqueles acontecimentos, e da força que ela tinha.

Impossível não lembrar de outra menina real que viveu uma história assim, Anne Frank, embora A Mala de Hana não seja seu diário e sim uma reconstrução a partir de muita pesquisa e vários depoimentos. O livro traz ainda fotos, tanto de Hana e sua família quanto da professora japonesa e seus alunos.

O encontro da Confraria Reinações começa às 19h30min e vai até as 21h, na Do Arco da Velha Livraria e Café (Rua Os 18 do Forte, 1.690, no centro de Caxias do Sul). A entrada é franca, e mesmo quem não leu o livro pode participar. A coordenação do encontro de hoje é desta blogueira.

'Píppi Meialonga' na Confraria Reinações

20 de novembro de 2012 0

Reproduções

O encontro mensal da Confraria Reinações Caxias, hoje à noite, tem tudo para ser muito divertido. É que o livro em pauta será Píppi Meialonga, da sueca Astrid Lindgren. Para quem ainda não conhece esse livro, publicado pela primeira vez em 1945 e reeditado até hoje, fica a dica de leitura: a personagem que dá título ao livro é, simplesmente, impagável.


Píppi — que já chegou a ser comparada à boneca Emília, criada por Monteiro Lobato para as histórias do Sítio do Picapau Amarelo — é uma menina de nove anos, rosto sardento, tranças espetadas e muito espevitada. Ela mora sozinha, sem pai nem mãe, mas nem por isso deixa de levar uma vida agitada e alegre. Para começar, ela é muito forte. Forte mesmo, capaz de dar uma surra em cinco garotos brigões e enfrentar um touro à unha. E essas são só algumas das aventuras que ela vive…

Aliás, ela não vive totalmente só: tem a companhia de um macaquinho e de um cavalo. Ela mesma faz suas roupas, que são bem esquisitas, e sua comida, composta basicamente de biscoitos, panquecas e sanduíches. Nada convencional, apronta na escola, no circo, na casa dos vizinhos, em viagens… Também engana os policiais que querem levá-la para um orfanato e põe ladrões para correr, entre outras estripulias.

Píppi Meialonga foi escrito por Astrid Lindgren como um presente de aniversário para sua filha, quando ela completou 10 anos, e venceu o Prêmio Hans Christian Andersen de 1958. A história encantou tanto que teve continuações. Em Píppi a Bordo, a garota recebe a visita de seu pai, um ex-pirata, que quer levá-la para uma ilha distante onde ele se tornou o rei dos canibais. Já em Píppi nos Mares do Sul, ela parte num barco a vela em direção a essa ilha, vivendo novas e divertidas aventuras.

Mesmo escritos há mais de 60 anos, os livros seguem encantando, e com certeza valem a leitura — seja por crianças, seja por aqueles mais crescidinhos que também gostam de histórias curiosas e divertidas. As capinhas que ilustram este post são de edições recentes da Companhia das Letrinhas; os livros têm entre 144 e 160 páginas e preço de R$ 34 cada.

Ah: o encontro da Confraria Reinações começa às 19h30min e vai até as 21h, na Do Arco da Velha Livraria e Café (Rua Os 18 do Forte, 1.690, no centro de Caxias do Sul). A entrada é franca, e mesmo quem não leu os livros pode participar. A coordenação será de Teresinha Tregansin.

'Peter Pan' na Confraria Reinações

14 de agosto de 2012 0

Reprodução

Um  menino que não queria crescer, uma fada, piratas e um mundo encantado… Esses ingredientes, que fizeram com que o livro Peter Pan seduzisse várias gerações de leitores, também vão temperar o encontro desta terça-feira da Confraria Reinações Caxias, que vai debater a história, escrita há mais de 100 anos por James Barrie.


A coordenação dos debates será do confrade Rogério Becker, que ficará responsável por relembrar as aventuras de Peter, Wendy, Sininho, Capitão Gancho e outros personagens.

Aberto a todos os interessados em literatura infanto-juvenil, o encontro da Confraria começa às 19h30min, na Livraria Do Arco da Velha.

Neste sábado, tem seminário da Confraria Reinações, em Caxias do Sul

21 de julho de 2012 0

 

Adriana Sirena, divulgação

Programa para a manhã deste sábado, das 10h ao meio-dia: o 2º Seminário da Confraria Reinações Caxias, na Do Arco da Velha Livraria e Café, em Caxias do Sul, com entrada franca.


Programação que integra as comemorações dos três anos da Confraria na cidade, o seminário terá como ministrantes os confrades Dângelo Müller e Rogério Becker. O primeiro falará sobre o tema Histórias Sem Fim: O Mito na Literatura Infanto-Juvenil, e o segundo, sobre A Jornada do Herói: de Harry Potter a Percy Jackson.

Ah: a foto acima é do encontro de terça-feira, que reuniu cerca de 30 participantes para abordar a obra de Monteiro Lobato (reparem só na Emília e no Visconde sobre a mesa…).

O seminário é aberto a todos que gostam de literatura infantil e juvenil. Participe!