Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "infanto-juvenil"

Hoje tem 'A Ilha do Tesouro' na Confraria Reinações

17 de setembro de 2013 0
Reprodução

Reprodução

Hoje, a partir das 19h30min, a Do Arco da Velha Livraria e Café (Rua Os 18 do Forte, 1.690), em Caxias do Sul, sedia o 50º encontro da Confraria Reinações Caxias, grupo que se reúne mensalmente — sempre na terceira terça-feira do mês — para discutir literatura infanto-juvenil.

Desta vez, a obra a ser debatida é A Ilha do Tesouro, do escritor escocês Robert Louis Stevenson, autor também de O Médico e o Monstro. O clássico foi escrito em 1883 e narra as aventuras do garoto Jim Hawkins em meio a piratas e tesouros escondidos.

O bate-papo sobre o livro será conduzido por Rogério Becker. A entrada é franca, e mesmo quem ainda não leu o livro pode participar.

***

Em tempo: agora a Confraria tem fanpage no Facebook, onde podem ser acompanhadas as novidades do grupo: fb.com/confrariareinacoescaxias

Noite para lembrar 'O Pequeno Príncipe'

15 de julho de 2013 0

reprodução

Passados 70 anos do seu lançamento, o livro infantil O Pequeno Príncipe continua a frequentar as listas de mais vendidos — atualmente, está em 6º entre os infantojuvenis no ranking do site especializado Publishnews — e a cativar crianças e adultos, que se encantam com sua linguagem simples e ao mesmo tempo filosófica. De olho nessa longevidade, o Órbita Literária desta segunda-feira vai debater esse que é o mais conhecido livro do escritor e aviador francês Antoine de Saint-Exupéry.


Para falar sobre o tema O Pequeno Envelheceu? Os 70 Anos do Pequeno Príncipe que Todo Mundo Leu!, o convidado da noite será o jovem escritor Pedro Guerra. Ele será o responsável por conduzir os participantes entre os encantos e os desencantos na viagem a um planeta repleto de surpresas: o ser humano.

Com organização do Grupo Literário Independente NósSemHora, o Órbita ocorre na Do Arco da Velha Livraria e Café (Rua Os 18 do Forte, 1.690), em Caxias do Sul, e tem entrada franca. Ah: o bate-papo literário começa às 20h.

Hoje é Dia Internacional do Livro Infantojuvenil

02 de abril de 2013 1

Livros de Monteiro Lobato são ótima opção de leitura para crianças (reproduções)

Hoje é Dia Internacional do Livro Infantojuvenil. Num país em que a leitura ainda não é prioridade para a maioria das pessoas, datas como essa podem servir para lembrar que livros são, sim, básicos – muito mais do que o último modelo de celular, por exemplo, que costuma ser objeto de desejo entre a gurizada. Por que quando se trata de livro ele é sempre julgado caro ou supérfluo?

Mas há esperança. Segundo matéria da Agência Brasil, uma pesquisa feita no ano passado  durante a 22ª Bienal do Livro, em São Paulo, para o Instituto Pró-Livro mostrou que a média de livros lidos por crianças e adolescentes é superior à dos adultos. Enquanto a média geral anual de leitura em 2011 foi quatro livros por brasileiro, os que têm de cinco a 10 anos leram 5,4 livros; os de 11 a 13 anos, 6,9 livros, e os que têm de 14 a 17 anos, 5,9 livros.

Ainda acho pouco – é menos de um livro ao mês, no geral apenas um a cada dois meses! -, porém há esperança de que, no futuro, os que agora são crianças e jovens ao menos mantenham a sua média de leitura atual, e não caiam para o volume ainda mais baixo dos adultos atuais. Ok, adulto tem menos tempo, mas uma horinha de leitura por dia se consegue: basta sair um pouco de frente da TV ou da tela do computador. Questão, mesmo, de prioridades.

Para finalizar, deixo aqui uma declaração do presidente da Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil (Aeilij), Hermes Bernardi Jr., retirada da mesma matéria da Agência Brasil:

- A primeira relação que se estabelece com o livro, se ela for mediada com sensibilidade, [pode fazer] a criança estabelecer uma relação muito forte com o livro. Se houver uma boa e bem realizada mediação pela família, em primeiro lugar, e depois na escola e nas relações de amizade, o livro passa a ser um companheiro inseparável na vida de qualquer sujeito.

Caio Riter volta ao universo adolescente em novo livro

28 de março de 2013 0

Reprodução

Pouco mais de dois meses depois de lançar o livro infantil Sete Patinhos na Lagoa, o escritor gaúcho Caio Riter prepara um novo lançamento: no próximo dia 6, autografa, em Porto Alegre, o livro Vicente em Palavras.  Dessa vez, o livro, voltado ao público adolescente, aborda uma temática forte: a morte de alguém querido.


A trama conta a história sofrida de Henrique, um garoto que vive a dor da perda do irmão. O texto é polifônico, com vários personagens — o irmão, a namorada, o melhor amigo, a ficante, a mãe, o pai, a avó — recordando Vicente, expondo suas diferentes visões sobre o garoto sedutor que morreu num acidente. Nesse caleidoscópio narrativo, o leitor terá de construir sua própria imagem do menino falecido.

Vicente em Palavras sai pela editora Lê, de Belo Horizonte, e o lançamento será no dia 6, às 17h, na Palavraria Livros (Rua Vasco da Gama, 165), em Porto Alegre.

Resenha dupla: 'O Motivo' + 'A Missão'

10 de março de 2013 0

 

Reproduções

Nos últimos anos, surgiram inúmeras trilogias e séries, em especial voltadas ao público juvenil. Algumas ótimas, outras nem tanto. A série Mundo em Caos, do norte-americano Patrick Ness, pertence sem dúvida à primeira categoria (como provam, aliás, os vários prêmios que já recebeu).

No livro que abre a trilogia, O Motivo (editora Pandorga, 447 páginas, R$ 39,90), o leitor trava conhecimento com Todd Hewitt, um garoto prestes a completar 13 anos, idade em que se tornará oficialmente um homem. Ele vive em Prentissburgo, no Novo Mundo, e é o último menino da cidade.

 Lá também não existem mulheres – todas morreram quando ele ainda era um bebê, supostamente vítimas de um misterioso vírus, durante uma guerra que exterminou todas as outras colônias do planeta. Nos homens, o vírus não foi fatal, mas deixou-os com uma estranha capacidade (ou maldição): todos podem ouvir os pensamentos dos outros. Assim, vivem em um constante ruído, e sem nenhuma privacidade. Sem nenhum segredo. Ao menos, é o que parece.

Nos momentos de folga do trabalho na fazenda em que foi criado, Todd caminha pela cidade e pelos arredores com seu cãozinho Manche, entreouvindo pensamentos e lembranças por vezes perturbadores dos 146 homens que ali moram. Faltando um mês para seu aniversário, durante um passeio pelo bosque, ele escuta algo incomum. Ou melhor, não escuta: há um buraco no ruído, um ponto de completo silêncio.

Isso, entretanto, é impossível: desde que nasceu, Todd sempre viveu imerso em ruído. Não existe mais o silêncio, foi o que lhe ensinaram. Repentinamente, ele descobre que existem, sim, segredos que nunca lhe foram revelados. Apesar do ruído, os homens de Prentissbugo estão mentindo para ele. E para salvar sua vida, ele terá de correr.

Nas mais de 400 páginas do livro, acompanhamos essa fuga – e essa busca pela verdade – empreendida por Todd, acompanhado de Viola, a primeira menina que ele conheceu na vida. Aos poucos, Todd e o leitor vão descobrindo que nada – nem ninguém – é o que parece. No caminho, muitos perigos, como um pregador enlouquecido, um exército implacável e os misteriosos Spackles.

O segundo livro da trilogia é A Missão (editora Pandorga, 486 páginas, R$ 39,90), cuja história eu não vou detalhar muito aqui para não dar “spoilers” do que ocorreu no primeiro. Basta dizer que a história segue densa, ou se torna ainda mais densa que o primeira. Perturbadora, por vezes, e que nos faz refletir na frase de um dos personagens: “somos as escolhas que fazemos”. Mesmo que elas nem sempre sejam fáceis.

Durante todo o livro, Todd e Viola vão enfrentar novos obstáculos e inimigos. Mais certezas caem por terra, e novas dúvidas surgem, pois as situações – e até algumas pessoas – mudam. Novamente, nem tudo é o que parece ser, inclusive as opções que se apresentam podem não ser as únicas.

E quando tudo parece se encaminhar para um desfecho, seja ele bom ou ruim, novos fatos surgem. E o livro acaba, dando a deixa para A Guerra, terceiro volume da trilogia. Ainda não encontrei esse desfecho da série nas livrarias, nem no site da editora, por isso acredito ainda não ter sido lançado  no Brasil. Como O Motivo foi lançado em 2011 e A Missão em 2012, é provável que A Guerra saia ainda este ano. Assim que sair, já está na minha lista.

Enquanto isso, recomendo: vale ir degustando os dois primeiros livros da saga de Todd Hewitt, o último garoto de Prentissburgo.

Confraria Reinações debate hoje 'A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça'

19 de fevereiro de 2013 1

Reprodução

Uma história sobrenatural escrita há quase 200 anos pelo norte-americano Washington Irving e transformada em filme por Tim Burton em 1999, com Johnny Depp no papel central, será o tema do encontro de hoje da Confraria Reinações Caxias.

O grupo, que se reúne a partir das 19h30min na Do Arco da Velha Livraria e Café (Rua Os 18 do Forte, 1.690), em Caxias do Sul, vai discutir o livro infanto-juvenil A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça, cuja primeira edição data de 1820.

Na trama, Ichabod Crane (que, na versão cinematográfica, ganhou as feições de Depp) é um supersticioso mestre-escola que, ao sair de uma festa na casa do rico fazendeiro Baltus Van Tassel, é perseguido pelo Cavaleiro Sem Cabeça, suposto fantasma de um soldado que teve a cabeça arrancada por uma bala de canhão durante uma batalha e que, segundo a lenda, cavalga em busca de sua cabeça.

Ichabold resolve investigar uma série de assassinatos supostamente cometidos pelo Cavaleiro, enquanto compete com o valentão Brom Bones pela mão da jovem filha do fazendeiro, Katrina (no filme, Christina Ricci), por quem é apaixonado.

O livro tem várias edições no Brasil. A que ilustra este post foi lançada em 2011 pela editora Leya, tem 72 páginas e preço de R$ 15,90.

O encontro da Confraria, que tem participação gratuita e aberta a todos os interessados (tenham ou não lido o livro), será coordenado por Dangelo Muller.

Um best-seller na tela do Ordovás

07 de fevereiro de 2013 0

Reprodução

Ainda não li o livro nem vi o filme, mas o que ouvi falar de ambos é que são muito bons. O fato é que As Vantagens de Ser Invisível, de Stephen Chbotsky — que escreveu o livro e dirige o filme —, está em alta. O romance liderou o último ranking de mais vendidos do site especializado Publishnews na categoria infanto-juvenis, e o filme estreia hoje na Sala de Cinema Ulysses Geremia, no Centro de Cultura Ordovás, em Caxias do Sul.

O  livro, que ilustra este post, traz na capa o trio de protagonistas do filme, Charlie (Logan Lerman, de Percy Jackson e o Ladrão de Raios) e seus meio-irmãos Patrick (Ezra Miller, de Precisamos Falar sobre o Kevin) e Sam (Emma Watson, de Harry Potter). A edição em português é da Rocco, e o livro (223 páginas, R$ 29,50) é escrito em primeira pessoa, com o personagem principal rememorando sua adolescência e seu processo de amadurecimento enquanto frequenta o ensino médio.

Segundo quem já teve contato com a história, ela foge dos clichês comuns ao gênero, mostrando com sensibilidade os problemas dessa fase da vida.

Vale conferir, seja nas livrarias, seja no cinema.

Planos para 2013 - XII

15 de janeiro de 2013 0

Caio Riter deve lançar três livros este ano (foto Adriana Franciosi, banco de dados)

Depois de alguns dias, volto a falar por aqui dos planos dos escritores gaúchos para este (ainda) novo ano. Hoje é a vez de Caio Riter, conhecido principalmente por suas obras infanto-juvenis e fundador da Confraria Reinações, que se reúne mensalmente, em Porto Alegre, para discutir literatura infantil e juvenil (e que tem um grupo também em Caxias do Sul).


 Vamos, então, aos planos de Riter para 2013, ano que, segundo ele, apresenta-se com boas perspectivas:

— Está certa a publicação de três títulos: dois infantis e um juvenil. Todos serão editados pela editora Gaivota. Maria e seu Sorriso na Janela (infantil) trata do amor de um garoto por uma menina que sempre o acolhe, quando ele passa de skate em frente à sua janela, com o mais belo sorriso que Marcelo já viu. Até que um dia, a janela não se abre. Sete Patinhos na Lagoa (infantil) retoma o gênero da fábula, de forma renovada e usando a estrutura da narrativa de repetição e acúmulo. Sete patinhos irmãos aventuram-se a nadar na lagoa em que vive o temível jacaré Barnabé. Duas Vezes na Floresta Escura (juvenil) narra a história de Susana, uma jovem que se vê obrigada a sair de sua escola, de sua casa, de sua cidade para viver numa pequena e aparente pacata cidadezinha interiorana. Lá, ela ficará isolada de tudo e de todos os que ama, com exceção do pai. No fundo da rua, a floresta escura suscita convites — enumera o escritor.

Quem quer conhecer um pouco mais das obras de Caio Riter, que já venceu o Prêmio Barco a Vapor e atualmente preside a Associação Gaúcha de Escritores (Ages), pode visitar seu site, www.caioriter.com, ou seu blog, caioriter.blogspot.com.

Planos para 2013 - XI

06 de janeiro de 2013 1

Luis Dill tem sete novos títulos previstos (foto Leonardo Brasiliense, divulgação)

Passando dos escritores regionais para aqueles de outras partes do Estado e do país, o blog Palavra Escrita traz hoje os planos do porto-alegrense Luis Dill.


Autor de mais de quarenta livros, na maioria infanto-juvenis — embora ele próprio não goste muito dessas classificações —, Dill tem sete novas obras que podem sair este ano, por várias editoras, embora as datas ainda não esteja confirmadas.

Desses, dois são infantis: Longe, tão Perto, pela editora ZIT; e Meu Amigo Fabuloso, pela editora Larrouse.

Os outros cinco são voltados ao público juvenil: Labirinto no Escuro, pela editora Positivo; Na Companhia de Ágata, pela Artes e Ofícios; Vida e Morte em Sunset Hill, da edições Jogo de Amarelinha; Destino Sombrio, pela Companhia das Letras; e Os Assassinatos da Rua Morgue e Gritos na Noite, que sai dentro da série Cara e Coroa da editora Mundo Mirim.

Este último não é o primeiro trabalho do escritor a partir de textos conhecidos (no caso, lembra o conto de Edgar Allan Poe): Dill que já participou de uma coletânea que recontou histórias de Machado de Assis e, em 2010, fez uma adaptação de Um Capitão de 15 Anos, clássico de Júlio Verne.

Vale lembrar ainda que, entre os numerosos títulos do escritor, incluem-se desde histórias de mistério juvenis, como A Noite das Esmeraldas, até obras em que ganham destaque questões sociais da atualidade, caso de Todos contra Dante, de 2008, em que o jovem Dante é vítima de bullying.

Dê livros neste Natal

20 de dezembro de 2012 1

Já comprou todos os presentes para o Natal que se aproxima? Não esqueça de colocar livros na lista! Essa dica vale tanto para quando o presenteado em questão é adulto quanto para quando é uma criança. As livrarias estão repletas de boas opções para todos os gostos, dos mais intelectuais àqueles que não costumam ler muito, porém sempre podem ser seduzidos por uma boa história.

Como preferências — literárias, inclusive — são algo muito pessoal, fica difícil dar dicas, mas mesmo assim vou listar aqui algumas sugestões. Você também pode pesquisar outros post do blog sobre os mais variados gêneros, basta clicar nos link da lista “Categorias”, no canto inferior direito, onde tem, por exemplo, “autores brasileiros”, “clássicos”, “fantasia”, “infanto-juvenil”, “lançamento”, “literatura erótica”, “policial”, “suspense”, etc.

Vamos, então, às dicas prometidas. Aproveite e deixe também a sua sugestão de livro para presentear, ou qual você gostaria de ganhar neste Natal.

Reproduções

* Morte Súbita: o esperado primeiro romance adulto da autora de Harry Potter, J.K. Rowling, chegou em novembro às livrarias brasileiras, e já

falei dele por aqui. Pode ser um bom presente para fãs crescidos da escritora. Editora Nova Fronteira, 512 páginas, R$ 49,90 – mas já mais caro e mais barato, dependendo da livraria).

* Cinquenta Tons de Cinza: com centenas de milhares de exemplares vendidos só no Brasil, o romance erótico (ou “pornô para mamães”) de E.L. James é o sucesso do momento. Não faz muito o meu gênero, mas tem feito muita gente que nunca tinha aberto um livro começar a ler. Intrínseca, 480 páginas, R$ 39,90.

* Festa no Covil: o romance de estreia do mexicano Juan Pablo Villalobos é curtinho, tem menos de 100 páginas, mas é cativante. A história é contada pelo ponto de vista do menino Tochtli, filho de um poderoso traficante, que vive em uma fortaleza nas montanhas e passa seus dias colecionando palavras difíceis, chapéus e animais exóticos, encarando a violência como algo corriqueiro em um mundo que ele não compreende muito bem. Companhia das Letras, 96 páginas, R$ 29,50.

* O Prisioneiro do Ceú: a dica é dar esse livro para quem já leu os dois livros anteriores do espanhol Carlos Ruiz Zafón, A Sombra do Vento e O Jogo do Anjo. Isso porque nesse romance (um pouco mais curtinho que os outros dois) as tramas das obras precedentes se encontram e, de certa forma, se esclarecem em muitos pontos. Suma de Letras, 248 páginas, R$ 39,90.

* Pilares da Terra: o cultuado livro de Ken Follett ganhou recentemente reedição em volume único.  Na trama, a construção minuciosa de uma catedral gótica serve como motivo para um mergulho na Inglaterra do século 12 e em suas intrigas. Rocco, 944 páginas, R$ 69,50.

* O Enigma do Morango: o segundo volume da série de “suspense culinário” criada por Joanna Fluke é uma divertida história que mistura assassinatos, receitas de bolo e um texto leve e engraçado, sem deixar o mistério de lado. Lua de Papel, 240 páginas, R$ 29,90.

* O Motivo: o premiado romance infanto-juvenil de Patrick Ness conta a história de Todd, um garoto prestes a completar 13 anos (idade em que se tornará oficialmente um homem) que vive em Prentissburgo, uma cidade formada só por homens onde todos podem ouvir os pensamentos uns dos outros. Mas um dia o menino encontra alguém que ele não consegue ouvir, e descobre que muitos segredos foram escondidos dele. Para sobreviver, ele terá de fugir. Vale a leitura também por adultos. Pandorga, 447 páginas, R$ 39,90.

* Um Mundo Chamado Timidez: outro livro classificado como infanto-juvenil mas que pode tranquilamente ser lido pelos mais crescidos, esse romance de Leanne Hall se passa também num lugar estranho, Timidez, onde é sempre noite. Num bar, uma garota que prefere ser chamada de Menina Selvagem e que vem do lado “claro” da cidade conhece o misterioso Menino Lobo, um nativo que a leva para se aventurar pelos sombrios subúrbios de Timidez. Leya, 224 páginas, R$ 39,90.