Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "intrínseca"

'The Leftovers' estreia hoje no HBO

29 de junho de 2014 0
No Brasil, livro ganhou duas opções de capas (Reproduções)

No Brasil, livro ganhou duas opções de capas (Reproduções)

Imagine que você está jantando com sua família e, de um segundo para outro, eles não estão mais ali. Só sobrou você — seu marido, seus filhos, todos eles desapareceram, como que evaporados no ar. E não foram só eles que sumiram: em toda a cidade, em todo o planeta, pessoas desapareceram sem mais nem menos, enquanto executavam tarefas básicas do dia a dia.

Essa é a premissa da qual parte The Leftovers, série que estreia hoje, às 23h, no canal pago HBO. A trama é baseada no livro homônimo de Tom Perrotta, que, no Brasil, ganhou edição da Intríseca, com o nome de Os Deixados para Trás. Tanto no original quanto na versão televisiva, o desenrolar da história centra-se na fictícia cidadezinha de Mapleton, três anos após o  14 de Outubro, data dos desaparecimentos.

Ninguém nunca soube explicar o que ocorreu nesse dia, que ficou conhecido como A Partida, mas muitos aventam a hipótese de que teria sido o arrebatamento bíblico, aquele da frase “dois homens estarão num campo; um será levado, outro será deixado”, que prenunciaria o fim dos tempos.

A série com certeza fará adaptações em relação ao texto do livro, mas pelo que li até agoar a essência continua. Uma mudança é que Kevin Garvey (papel de Justin Theroux), que no original era o prefeito da cidadezinha, na TV será o chefe de polícia. Quanto ao restante, ainda não sei, portanto perdoem-me se algo que eu disser aqui, pensando no livro, for diferente na versão televisiva.

The Leftovers / Os Deixados para Trás, na verdade, não é a história dos que partiram, mas sim, como o próprio nome sugere, dos que ficaram. Tanto que a família Garvey, ao redor da qual se conduz a história, não teve nenhum desaparecido — o que não significa que não tenha sido afetada.

Enquanto Kev tenta levar a vida adiante da forma mais normal possível e ajudar os outros moradores a sarar suas feridas, sua família vai se desfazendo. A mulher, Laurie, até então uma total descrente, abandona a casa para se juntar à seita Remanescentes Culpados, um grupo que se veste de branco, fuma o tempo todo e faz voto de silêncio. Os RCs também se tornam conhecidos (e odiados por muitos) por perseguirem pessoas na rua, acompanhando-as silenciosamente onde quer que ela vão.

Tom, o filho, deixou a faculdade e se juntou a outro grupo, o do Abraço que Cura, fundado por um homem que inicialmente só quer ajudar as pessoas a amenizarem sua dor, mas que, com o tempo, acabou sendo elevado à condição de “santo” (embora, logo se descobre, nem tão santo assim). Há ainda outros grupos que surgem após a Partida Repentina, como o Povo Descalço, espécie de novos hippies que cultuam a vida ao ar livre, o sexo e as drogas.

Jill, a filha de Kev e Laurie, estava com uma antiga amiga quando esta desapareceu. Embora não tão traumatizada quanto os pais pensam, ela também acaba mudando radicalmente. Suas notas na escola despencam, ela rapa o cabelo, só quer saber de festas. Mas é a única que continua na casa com Kev.

Temos ainda outros personagens, como Nora Durst, uma mãe de família cujos dois filhos e o marido foram levados — é dela a cena da família sumindo em pleno jantar. No livro, ela e Kev acabam se envolvendo, mas a relação não será nem um pouco fácil.

E se não bastasse o sofrimento de não saber o que realmente aconteceu com os que desapareceram, ainda há aqueles que, crendo no arrebatamento, não se conformam por terem sido deixados para trás. É o caso do reverendo Matt Jamison, um ex-pastor que, após a Partida Repentina, passa a dedicar seus dias a desencavar os mais escondidos e pérfidos segredos dos desaparecidos, apenas para provar que eles não eram, como muitos pensam, pessoas boas levadas aos céus.

O livro é leitura de primeira, e ao que tudo indica, a série também será. Segundo o site da HBO, o prmeiro episódio poderá ser conferido hoje, às 23h, com reapresentações nesta segunda, às 1h17min, no HBO, e às 21h, no HBO2; terça, às 23h46min, no HBO; quarta, às 14h40min no HBO e às 20h, no HBO2; e sábado, à 1h15min eàs 10h55min, no HBO2, e às 23h55min, no HBO Plus Panregional.

Uma curiosidade é que The Leftovers está estreando aqui no Brasil simultanemaente à estreia nos Estados Unidos. No elenco, além de Theroux (de Miami Vice), estão Amy Brenneman (de Private Pratice), Liv Tyler (de Beleza Roubada), Emily Meade (de Boardwalk Empire) e Michael Gaston (de The Mentalist).

Com 10 episódios, a série é uma criação de Damon Lindelof, vencedor do Emmy por Lost, e do próprio Tom Perrotta, indicado ao Oscar por Little Children.

8 x 2 para a ficção

20 de maio de 2014 2

A ficção continua crescendo na lista das leituras preferidas dos brasileiros. Cerca de um mês atrás, fiz dois posts aqui no blog falando sobre isso: registrei, então, que em uma semana seis dos livros mais vendidos do país eram ficcionais, e na seguinte, já eram sete. 

Reprodução

Reprodução

Pois agora, verificando a última listagem divulgada pelo site especializado Publishnews, vi que a ficção está mais em alta ainda: oito dos dez melhores colocados na listagem geral. Desses, cinco são voltados ao público infantil ou juvenil, e três ao adulto. É um crescimento e tanto, uma vez que tradicionalmente a autoajuda e a não ficção costumavam ter um apelo maior entre os leitores brasileiros.

O campeão geral é a ficção infantojuvenil A Escolha, de Kiera Cass (ed. Seguinte), que estreou entre os mais vendidos desbancando o romance A Culpa é das Estrelas, de John Green (ed. Intrínseca), que vinha ocupando o primeiro lugar e agora é o segundo. 

Veronica Roth mantém dois de seus livros infantojuvenis entre os preferidos: Divergente, em 5º, e Insurgente, em 9º (ambos publicados pela Rocco). Diário de um banana – Maré de azar, da série infantojuvenil de Jeff Kinney (ed. Vergara & Riba), ocupa o 6º lugar, e o romance A menina que roubava livros (ed. Intrínseca), de Markus Zusak, é o 7º.

Os pequenos leitores também estão lendo bastante, e colocaram o livro infantil A História de Peppa, de Mark Baker/Neville Astley (ed. Salamandra), em 8º. Para completar, o romance Adultério, do escritor brasileiro Paulo Coelho, segue na lista, em 10º.

Já disse, mas repito: agora só falta os leitores brasileiros descobrirem mais escritores brasileiros de ficção…

No cinema e nos mais vendidos...

31 de janeiro de 2014 0
Reprodução

Reprodução

Nada melhor do que um filme para levar um livro de volta à lista dos mais vendidos. A Menina que Roubava Livros, do escritor australiano Markus Zusak — cuja versão para a tela grande estreia hoje nos cinemas —, está de volta entre os best-sellers do momento.

Publicado originalmente em 2006, com primeira edição no Brasil em 2007, o livro que conta a história de Liesel, a tal  menina que rouba livros do título. Além da trama em si, que se passa no período da Segunda Guerra Mundial, a obra chamou a atenção pelo fato de a história ser contada por um personagem bem peculiar: a morte, que vê a garota lhe escapar e se afeiçoa a ela (segundo li, no filme a morte é transformada num narrador em off, fazendo a trama perder um pouco do seu impacto).

Febre entre os leitores na época do seu lançamento, o livro agora voltou às paradas e alcançou o 2º lugar em ficção na lista divulgada hoje pelo site especializado Publishnews (na lista geral, fica em 5º). A Menina que Roubava Livros está atrás apenas de A Culpa é das Estrelas, do escritor queridinho do momento, John Green.

Vale notar que, nessa última contagem — feita no período de 20 a 26 de janeiro, portanto uma semana antes da estreia do filme —, o livro de Zusak ultrapassou dois outros livros de Green, Cidades de Papel e O Teorema Katherine, além de A Redenção de Gabriel, de Sylvain Reynard, que estavam na sua frente na semana anterior.

 

Ah: agora também é possível encontrar nas livrarias a versão com a capa relativa ao filme, essa que ilustra o post. Editado pela Intrínseca, A Menina que Roubava Livros tem 480 páginas e preço de R$ 39,90.

***

Em tempo: não é só no Brasil que o livro voltou a fazer sucesso. Nos Estados Unidos, ele é o mais vendido no segmento “young adults”, segundo lista que será publicada neste final de semana no NY Times (e que já pode ser conferida no site daquele jornal).

Dez lançamentos de autores consagrados em 2013

01 de janeiro de 2014 1
Reproduções

Reproduções

Tá, 2014 começou, mas ainda vale relembrar os livros de grandes autores que marcaram o ano recém-encerrado.

Se você já leu algum deles, deixe seu comentário; se não, aproveite essas dicas para a leitura das férias!

Inferno, de Dan Brown (Arqueiro): esse livro foi, simplesmente, o mais vendido de ficção do ano no Brasil. A trama traz uma nova aventura com Robert Langdom, o mesmo protagonista de O Código Da Vinci.

O Chamado do Cuco, de Robert Galbraith (Rocco): você pode até não estar reconhecendo o nome do autor, mas só porque esse é um pseudônimo de J.K. Rowling, a autora de Harry Potter. O livro tinha obtido boas críticas mas poucas vendas na sua edição em inglês, mas quando, na metade do ano, vazou quem era a verdadeira autora, as vendas desse romance policial se multiplicaram exponencialmente.

O Silêncio das Montanhas, de Khaled Hosseini (Globo Livros): quem também fez bonito foi o escritor afegão Khaled Hosseini, autor de best-sellers comoO Caçador de Pipas e A Cidade do Sol. Seu O Silêncio das Montanhas, lançado em maio, foi o quarto mais vendido de ficção do ano.

Cidades de Papel, de John Green (Intrínseca): o autor, que já havia estourado entre os adolescentes com A Culpa é das Estrelas, voltou a frequentar a lista de mais vendidos do ano com Cidades de Papel — que fechou 2014 em 10º na lista.

O Teorema Katherine, de John Green (Intrínseca): sim, ele outra vez. Essa divertida história do garoto que só namorava Katherines (e suas variações) ficou em 9º na lista dos “mais” de 2012. Ah, claro, A Culpa é das Estrelas, lançado em 2012, também segue vendendo como água, e ficou em 2º.

Novembro de 63, de Stephen King (Suma de Letras): finalmente chegou ao Brasil o livro em que um pacato professor volta no tempo para impedir a morte de John F. Kennedy… Já falei dele por aqui, portanto, não vou me estender.

Doctor Sleep, de Stephen King: a continuação de O Iluminado chegou — mas, por ora, apenas em inglês. A versão em português deve ser lançada neste 2014, pela Objetiva. Eu não pretendo esperar, assim que encontrar a edição em inglês na livraria, vou arriscar.

O Príncipe da Névoa, de Carlos Ruiz Zafón (Suma de Letras): o primeiro livro do escritor espanhol, ainda da década de 1990, saiu apenas em 2013 no Brasil, bem como seus dois outro livros dessa trilogia (veja abaixo). Mesmo classificado como infantojuvenil, é leitura fascinante também para adultos, na mesma linha de seu sucesso A Sombra do Vento.

O Palácio da Meia-Noite, de Carlos Ruiz Zafón (Suma de Letras): a aventura vivida por órfãos indianos traz, também, os elementos do suspense e do sobrenatural que Zafón domina com maestria.

As Luzes de Setembro, de Carlos Ruiz Zafón (Suma de Letras): ainda não li esse terceiro volume da trilogia infantojuvenil, mas estou curiosíssima. Está na lista para breve.

Parcial dos mais vendidos de 2013 - Infantojuvenis

19 de dezembro de 2013 0
Reproduções

Reproduções

Como prometido, aqui vai mais uma parcial dos livros mais vendidos no Brasil em 2013, desta vez, no segmento infantojuvenil.

Segundo o site especializado Publishnews, até agora o líder nessa lista é Diário de Um Banana 7 — Segurando Vela (Vergara & Ruba), de Jeff Kinney, que soma 74.272 exemplares vendidos.

Logo a seguir vem o clássico francês O Pequeno Príncipe (Agir), que, mesmo passados 70 anos de seu lançamento, segue encantando gerações. O livro escrito por Antoine de Saint-Exupéry vendeu 67.477 no ano, pela última contagem.

A aventura mitológica A Marca de Atena (Intrínseca), de Rick Riordan — o mesmo autor da série Percy Jackson e Os Olimpianos —, vem em terceiro, com 61.396 exemplares.

O quarto lugar fica até agora com As Vantagens de Ser Invisível (Rocco Jovens Leitores), de Stephen Chbosky (59.864 exemplares), e o quinto, com Diário de Um Banana (Vergara & Riba), de Jeff Kinney (58.426).

Parcial dos mais vendidos de 2013

13 de dezembro de 2013 0
Livro de Dan Brown lidera (reprodução)

Livro de Dan Brown lidera (reprodução)

Ainda faltam quase 20 dias para o ano se encerrar, mas já dá para ter uma ideia de quais foram os livros mais vendidos de 2013. 

Segundo a parcial do site especializado Publishnews, na categoria ficção o campeão, até agora, é Inferno (Arqueiro), de Dan Brown, que somava 267.238 exemplares vendidos nas livrarias brasileiras pesquisadas até a última contagem. Logo a seguir vem A Culpa é das Estrelas (Intrínseca), de John Green, com 223.465, e em terceiro está Cinquenta Tons de Cinza (Intrínseca), de E.L. James, com 168.378.

Os cinco primeiros lugares se completam com Cinquenta Tons de Liberdade (Intrínseca), também de E.L. James, com 122.991, e O Silêncio das Montanhas (Globo Livros), de Khaled Hosseini, que vendeu até agora 120.231.

Nos próximos dias, comento por aqui sobre os outros livros que aparecem na lista, e também sobre as listagens dos outros gêneros.

O novo livro de John Green

19 de agosto de 2013 1
Reprodução

Reprodução

Anote aí: nas próximas semanas, o romance Cidades de Papel (Intrínseca, 368 páginas, R$ 29,90), deve entrar nas listas de mais vendidos.

Ao menos se o livro, que tem lançamento hoje no Brasil, seguir a trajetória de sucesso das duas obras anteriores de seu autor, John Green, que figura no ranking da Publishnews com A Culpa é das Estrelas (2ºlugar na mais recente listagem de ficção do site especializado) e O Teorema Katherine (9º lugar na mesma lista).

Na trama, Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que um dia ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança.

Ele aceita, mas, no dia seguinte, Margo some. O rapaz logo encontra pistas e começa a segui-las, mas, quanto mais se aproxima da garota, mais se distancia da imagem que fazia dela.

A editora disponibilizou um link para quem quiser conferir o início da história.

Religião e mitologia na liderança

10 de maio de 2013 0

Reproduções

Pela segunda semana seguida, o livro Kairós (editora Principium), do padre Marcelo Rossi, lidera o ranking geraldos mais vendidos do site especializado Publishnews — e mais do que duplicou as vendas da semana anterior, registrando 20.761 exemplares nas livrarias pesquisadas (na pesquisa passada, eram 8.230).


A análise do site sobre o fenômeno vem com um título bem sugestivo “depois do pecado, a confissão”, referindo-se a outro best-seller recente, o romance erótico Cinquenta Tons de Cinza, de E.L. James (que segue na lista, mas agora na nona colocação).

Vale destacar que esta semana passou a aparecer na lista, em terceiro lugar, o livro infantojuvenil A Marca de Atena (Intrínseca), terceiro volume da série Heróis do Olimpo, de Rick Riordan — o mesmo autor da série Percy Jackson e Os Olimpianos, da qual pode-se dizer que Heróis do Olimpo é a continuação. A nova aventura mitológica do escritor americano é também a campeã da semana entre os infantojuvenis.

Ah: o livro de negócios Sonho Grande (Primeira Pessoa), de Cristiane Correa, manteve a segunda colocação na listagem geral.

Mudança na lista

06 de maio de 2013 0

Livro de Padre Marcelo Rossi lidera ranking, seguido de obra de negócios e de romance (reproduções)

Listas são sempre um recorte, mas, mesmo assim, valem como mostra de uma tendência. E a mais recente listagem de mais vendidos do site especializado Publishnews mostra uma mudança no cenário literário, com o retorno do padre-bestseller Marcelo Rossi ao topo do ranking.


O mais novo livro do religioso, Kairós (editora Principium), classificado como de autoajuda, que sequer aparecia entre os 10 mais na semana anterior, lidera a pesquisa divulgada na última sexta-feira pelo site, tendo vendido 8.230 exemplares em uma semana nas livrarias pesquisadas.

O segundo lugar fica com Sonho Grande (Primeira Pessoa), de Cristiane Correa, classificado na esfera de negócios e que vendeu 5.117 exemplares no período — o que significa que, mesmo perdendo a posição no ranking, segue atraindo atenção do público leitor, uma vez que na semana anterior, em que liderou, foram 4.197 exemplares.

O romance A Culpa é das Estrelas (Intrínseca), de John Green, subiu da quinta para a terceira colocação e somou 3.327 exemplares vendidos. Foi o melhor desempenho da ficção na semana, logo a frente de O Lado Bom da Vida (Intrínseca), de Matthew Quick, que ficou em quarto, com 3.212.

Casagrande e Seus Demônios (Globo Livros), de Casagrande e Gilvan Ribeiro, livro de não ficção que era o segundo colocado na lista anterior, agora é o quinto (3.119 exemplares).

O romance erótico Cinquenta Tons de Cinza (Intrínseca, 2.774 exemplares), de E.L. James, que por muito tempo liderou o ranking, agora responde pela 6ª colocação. Os também eróticos Cinquenta Tons de Liberdade, da mesma autora e editora, e Irresistível (Hamelin), de Sylvia Day, ficaram respectivamente com o 9º e o 10º lugares, vendendo 2.279 e 2.101 exemplares.

Completam os 10 primeiros as obras de autoajuda Metas que Desafiam (Clio), de Mark Murphy, em 7º (2.528), e Eu Não Consigo Emagrecer (BestSeller), de Pierre Dukan, em 8º (2.414).

Ficção retoma a dianteira

22 de março de 2013 0

A ficção, capitaneada pelo best-seller erótico Cinquenta Tons de Cinza, retomou a dianteira na lista geral de livros mais vendidos do site especializado Publishnews, divulgada nesta sexta-feira — na semana passada, eram as obras de autoajuda que lideravam.

Na atual listagem, a ficção ocupa os quatro primeiros lugares (curiosamente, todos livros da editora Intrínseca): depois do líder Cinquenta Tons de Cinza, de E.L. James, que vendeu 5.179 exemplares em uma semana nas livrarias pesquisadas, vêm O Lado Bom da Vida, de Matthew Quick, com 4.638 exemplares; Cinquenta Tons de Liberdade, com 4.088; e Cinquenta Tons Mais Escuros, com 3.922.

No quinto lugar, aparece a obra de autoajuda Casamento Blindado, de Cristiane e Renato Cardoso (editora Thomas Nelson Brasil, 3.710 exemplares). O sexto é novamente ficção, Garota Exemplar, de Gillian Flynn (Intrínseca, 2.794), e o sétimo, outra autoajuda, Mentes Brilhantes, de Alberto Dell’Isolla (Universo dos Livros, 2.406). Em oitavo está Uma Curva na Estrada (Arqueiro, 2.341), de Nicholas Sparks — escritor que, no ano passado, chegou a emplacar quatro títulos de uma só vez entre os 10 primeiros.

Completam os 10 mais vendidos da semana outros dois livros de autoajuda, Eu Não Consigo Emagrecer, de Pierre Dukan (Bestseller, 2.309) e Só o Amor Consegue, de Zibia Gasparetto (Vida e Consciência, 2.242).