Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "notícia"

Nove novos livros em breve...

05 de novembro de 2013 0

Os projetos contemplados só serão divulgados amanhã, quarta-feira, mas já se sabe que nove novos livros de autores caxienses deverão ser publicados graças ao segundo edital do ano do Financiamento da Arte e Cultura de Caxias do Sul, o Financiarte.

Ao todo, 23 projetos de literatura foram apresentados para esta edição, e o número de contemplados é o maior de todos — música vem logo a seguir, com oito (na soma dos sete segmentos, são 104 inscritos e 37 contemplados, totalizando R$ 900 mil de investimento).

É uma bela amostra de que o meio literário caxiense está em ebulição. Mais: outros seis projetos de livros chegaram a ser recomendados, mas não foram contemplados devido ao limite de verbas.
Nesta quarta, assim que sair a lista, anuncio aqui os nomes dos novos escritores e seus futuros livros.

Hoje tem Órbita Literária...

28 de outubro de 2013 0

Encerrando um mês dedicado à discussão da crônica, o bate-papo Órbita Literária recebe hoje o escritor Marcos Fernando Kirst e o grupo que participou, nas segundas-feiras de outubro, da oficina A Ressignificação do Cotidiano pelo Olhar do Cronista, por ele ministrada.

Eles irão apresentar o que produziram durante o mês, com textos descortinando o cotidiano sob diversos ângulos.

O Órbita Literária começa às 20h, na Do Arco da Velha Livraria e Café (Rua Os 18 do Forte, 1.690), em Caxias do Sul, e tem entrada franca.

 

Mudança na premiação do Jabuti

18 de outubro de 2013 0
Reprodução

Reprodução

O blog acaba de receber um e-mail anunciando mudanças na premiação da categoria Contos e Crônicas do 55º Prêmio Jabuti. Segundo a comunicação da Câmara Brasileira do Livro (CBL), o conselho curador teria se reunido hoje pela manhã e decidido pela desclassificação do livro Páginas sem Glória, de Sérgio Sant’Anna, publicado pela editora Companhia das Letras.

“A obra, que não atende ao critério de ineditismo, concorreu na categoria Contos e Crônicas e havia se classificado em primeiro lugar na apuração da segunda fase do prêmio, ocorrida ontem (17/10), na sede da Câmara Brasileira do Livro (CBL), organizadora do Jabuti”, diz o e-mail.

A desclassificação se baseia no item 2.1 do capítulo relativo às inscrições, que diz que somente poderão concorrer as antologias compostas integralmente por textos inéditos publicados no Brasil. No caso, o conto Entre as linhas já teria sido publicado na antologia A literatura latino-americana do século XXI, organizada por Beatriz Resende (Rio de Janeiro: Aeroplano, 2005).

Com isso, o vencedor da categoria passa a ser Diálogos Impossíveis, do escritor gaúcho Luis Fernando Verissimo (editora Objetiva). Em segundo, fica Aquela Água Toda, de João Anzanello Carrascoza, da Cosac Naify, e em terceiro, Cheiro de Chocolate e Outras Histórias, de Roniwalter Jatobá, da Editora Nova Alexandria.

'Ninho' lança livro em Porto Alegre

24 de julho de 2013 0

Bob Paulino, TV Globo

O ator gaúcho Juliano Cazarré, o hippie Ninho da novela global Amor à Vida, vai estar em Porto Alegre no sábado, dia 27, para autografar o seu livro de poemas Pelas Janelas (Dublinense, 80 páginas, R$ 29,50), do qual já falei por aqui.


A sessão de autógrafos será a partir das 17h30min, na Saraiva MegaStore do Moinhos Shopping (Rua Olavo Barreto Viana, 36, 3º piso).

No livro, o escritor e ator — que, quando lançou o livro, no ano passado, interpretava Adauto em Avenida Brasil — mostra visões de mundo como se através de janelas: ora um detalhe, ora uma visão mais ampla. Entre essas “janelas”, um confessionário, os vidros do metrô, a fotografia e o olho mágico em uma porta.
 
A obra traz ainda fotografias de Diego Bersani, e a orelha do livro foi escrita pelo também ator Wagner Moura.

Disparam as vendas do livro 'anônimo' de Rowling

18 de julho de 2013 0

 

reprodução

É como eu já disse por aqui: um nome de peso faz toda a diferença. A mais recente prova disso foi o imediato salto de vendas, esta semana, do livro The Cuckoo’s Calling (em português, poderia ser traduzido como O Chamado do Cuco). Lançado em abril, ele havia vendido apenas 1,5 mil exemplares na Inglaterra até o último final de semana, quando foi revelado que seu autor, o desconhecido Robert Galbraith, era na verdade a famosa J.K. Rowling, a conhecidíssima autora de Harry Potter. Resultado: o livro virou best-seller do dia para a noite.


Com a revelação, o livro — um romance policial estrelado pelo detetive particular Cormoran Strike, um veterano de guerra que é contratado para esclarecer a morte de uma modelo — saltou do 4.709º lugar para o primeiro no Amazon. No Brasil, já seria o sétimo mais vendido do Amazon.com.br. No Skoob, uma espécie de “rede social de leitores” brasileira, apenas 3 pessoas marcam o livro como “lido”, mas 20 disseram estar “lendo” e 411 o adicionaram como “vou ler”. Alguém aí quer apostar que esse último número era bem menor até o último final de semana?

Na trama, o detetive deve investigar o suposto suicídio da supermodelo Lula Landry, conhecida como Cuckoo por seus amigos — daí o título da obra. O caso chega em boa hora, uma vez que Strike, que perdeu uma perna na explosão de uma mina terrestre quando lutava no Afeganistão, tem poucos clientes e está quase falindo. Durante a investigação, ele transita por um mundo glamouroso, que até então desconhecia.

E para os fãs de J.K. Rowling que querem saber quando a versão em português chegará às livrarias, uma boa notícia é de que o livro já tem editora no Brasil. Segundo o blog A Biblioteca de Raquel, da colunista Raquel Cozer, ligada à Folha de São Paulo, a Rocco (que ano passado perdeu para a Nova Fronteira o leilão de outro livro da escritora britânica, Morte Súbita) já havia comprado os direitos da obra, antes de o nome da criadora de Harry Potter vir a público como a verdadeira autora.

A editora ainda não se pronunciou sobre a data de lançamento no Brasil.

Noite para lembrar 'O Pequeno Príncipe'

15 de julho de 2013 0

reprodução

Passados 70 anos do seu lançamento, o livro infantil O Pequeno Príncipe continua a frequentar as listas de mais vendidos — atualmente, está em 6º entre os infantojuvenis no ranking do site especializado Publishnews — e a cativar crianças e adultos, que se encantam com sua linguagem simples e ao mesmo tempo filosófica. De olho nessa longevidade, o Órbita Literária desta segunda-feira vai debater esse que é o mais conhecido livro do escritor e aviador francês Antoine de Saint-Exupéry.


Para falar sobre o tema O Pequeno Envelheceu? Os 70 Anos do Pequeno Príncipe que Todo Mundo Leu!, o convidado da noite será o jovem escritor Pedro Guerra. Ele será o responsável por conduzir os participantes entre os encantos e os desencantos na viagem a um planeta repleto de surpresas: o ser humano.

Com organização do Grupo Literário Independente NósSemHora, o Órbita ocorre na Do Arco da Velha Livraria e Café (Rua Os 18 do Forte, 1.690), em Caxias do Sul, e tem entrada franca. Ah: o bate-papo literário começa às 20h.

Gonçalo Tavares na 29ª Feira do Livro

11 de julho de 2013 0

 

Jean Schwarz, banco de dados

 Além dos autores que já tínhamos adiantado por aqui que viriam para a 29ª Feira do Livro de Caxias do Sul, como o norte-americano William C. Gordon, escritor de romances policiais, mais um grande nome internacional acaba de ser anunciado: Gonçalo Tavares, nascido em Luanda e radicado em Portugal.

 Gonçalo é considerado um dos mais importantes escritores portugueses de sua geração, com mais de 20 livros publicados. Recebeu os prêmios José Saramago 2005 (Portugal), Internazionale Trieste 2008 (Itália), Portugal Telecom em 2007 e 2011 (Brasil, com os romances Jerusalém e Uma Viagem à Índia), entre outros. Jerusalém foi incluído na edição europeia dos 1001 Livros para Ler Antes de Morrer.

A 29ª Feira do Livro de Caxias do Sul ocorre de 27 de setembro a 13 de outubro, na Praça Dante Alighieri, e terá como patrono o cartunista Carlos Henrique Iotti.

Iotti será o patrono da Feira do Livro de Caxias

09 de julho de 2013 0

Diogo Sallaberry

O cartunista Carlos Henrique Iotti será o patrono da Feira do Livro de Caxias do Sul deste ano.


O nome do criador do divertido Radicci foi confirmado agora à noite pela diretora do Departamento do Livro e da Leitura, Daniela Ribeiro.

A  homenageada será Iraci Maboni, que realiza trabalhos de leitura na Associação de Pais e Amigos dos Deficientes Visuais, a Apadev, e na Biblioteca Municipal.

Prova ABC traz dados preocupantes

05 de julho de 2013 0

Stock.xchng, divulgação

São no mínimo preocupantes os resultados da segunda edição da Avaliação Brasileira do Final do Ciclo de Alfabetização, a Prova ABC, que começaram a ser divulgados na semana passada. Segundo a pesquisa, feita no final do ano passado em 600 municípios brasileiros e abrangendo 54 mil crianças do 3º ano do ensino fundamental privado e público, com faixa etária de oito anos, menos da metade dos alunos dessa série (44,5%) apresentam proficiência adequada em leitura. Ou, em outras palavras, 55,5% das crianças do 3º ano não sabem ler no nível esperado para seu nível de ensino.


Pela escala utilizada, esse nível equivale a um mínimo de 175 pontos na prova. Segundo Priscila Cruz, diretora-executiva do Todos Pela Educação — promotora da prova, em parceria com a Fundação Cesgranrio, o Instituto Paulo Montenegro e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), com apoio do Instituto Ayrton Senna, da Fundação Itaú Social, da Fundação Educar DPaschoal, do Instituto Gerdau e do Instituto Península —, a avaliação mostrou ainda desigualdades regionais, com o norte e o nordeste apresentando uma maior defasagem na proficiência em leitura.

Nesse comparativo entre regiões, o melhor colocado é o Sudeste, em que 56,5% das crianças avaliadas ultrapassaram os 175 pontos. O Sul vem em segundo, com 51,2%. Entre os estados, o melhor colocado é São Paulo (60,1%), seguido de Minas Gerais (59,1), Distrito Federal (55%), Santa Catarina (54,3%) e Rio Grande do Sul (52,3%).

A Prova ABC também avaliou as habilidades de escrita, em que o nível considerado adequado à série era de 75 pontos. Aí a preocupação aumenta: apenas 30,1% dos estudantes do terceiro ano atingiram essa média. No Norte, ficou em apenas 16,1%. Os melhores colocados foram as regiões Sudeste (38,8%), Centro-Oeste (36,2%) e Sul (36%). Entre os estados, o pior colocado é o Pará, em que apenas 11,6% das crianças avaliadas atingiram a média proposta. O melhor, desta vez, foi Goiás, com 42,1%, seguido de Minas Gerais (41,6%), São Paulo (39,3%), Santa Catarina (38,1%) e Mato Grosso (37,5%). Paraná (35,8%) vem em 6º lugar, e o Rio Grande do Sul (35,2%), em 7º.

De qualquer forma, para quem quer que seja, não adianta “consolar-se” dizendo “meu estado ficou melhor colocado”. Do jeito que está, todas as notas me parecem ruins. Ler e escrever são habilidades básicas para que as crianças desenvolvam outros aprendizados. Vale lembrar que ler não é só saber decifrar as letras, mas entender o que diz um texto, saber interpretá-lo; e esse estudo mostra que isso não vem acontecendo. Algo precisa ser feito, urgentemente, para mudar essa situação, e isso vale para governos, escolas e, também, para a família.

Literatura regional em Frankfurt

09 de junho de 2013 0

Daniela Xu, banco de dados

O nome do escritor bonjesuense Paulo Ribeiro vai chegar a nada menos que a maior feira de livros mundial, a Frankfurt Buch Messe, que ocorre em outubro na Alemanha.


É que o pesquisador João Cláudio Arendt, do mestrado e doutorado em Letras e Cultura Regional da Universidade de Caxias do Sul (UCS), realizou um estudo sobre O Tal Eros Só: Osso Relato, livro-palíndromo (que também pode ser lido de trás para frente) de Ribeiro, e esse estudo será publicado em livro a ser lançado durante a Feira do Livro de Frankfurt , em que o Brasil é este ano o país homenageado.

O estudo se chama Paulo Ribeiro und die Neuerfindung der regionalen Literatur, ou, em português, Paulo Ribeiro e a Reinvenção da Literatura Regional, e faz parte do livro Zur brasilianischen Literatur des 21. Jahrhunderts (Novas vozes: a literatura brasileira do século XXI), de Susanne Klengel, Christiane Quandt, Peter Schulze e Georg Wink.

É a literatura produzida aqui alçando novos voos.