Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Setor 4 da Vila Germânica será diferente dos demais

14 de maio de 2014 25

w_setor4_p
Fotos: Divulgação/Ark Arquitetura

Este é o anteprojeto arquitetônico do que pode vir a ser o Setor 4 do parque Vila Germânica. Foi elaborado pela Ark Arquitetura e prevê uma construção de mais de 2 mil metros quadrados no mesmo espaço que é ocupado por uma estrutura metálica com lona durante cinco meses do ano.

A apresentação oficial do anteprojeto arquitetônico e dos planos do Parque será nesta quinta-feira. O presidente Ricardo Stodieck diz que o espaço ao lado do Setor 1 está sendo usado como Biergarten na Oktoberfest e como palco para apresentações artísticas no Magia de Natal e Sommerfest.

w_setor41_p

Se há demanda, a ideia é deixar de gastar com a estrutura provisória para investir em um pavilhão com a infraestrutura necessária a esse tipo de evento. O espaço terá palco permanente, diferente dos demais setores, mas poderá ser usado pelas feiras.

Para bancar a construção, o Parque Vila Germânica deve usar o dinheiro pago pelas cervejarias que participam da Oktoberfest. Uma nova licitação para escolher as cervejarias de 2015 está sendo elaborada e já vai considerar essa possibilidade.

 

 

Comente abaixo

comentários

Comentários (25)

  • Santírio Camello diz: 14 de maio de 2014

    Mais um setor para a festa do ‘pão-e-circo’.
    Enquanto lindos casarões característicos da imigração são demolidos, o circo da vila germânica, com suas casinhas estilizadas, vai sendo incrementado.
    Na última semana, quando passei pela Itoupava Central, na altura da antiga Cia. Jensen, vi os dois belos casarões em enxaimel (original e real) demolidos.
    Blumenau virou uma grande e brega caricatura só pra turista ver…

  • Raio X diz: 14 de maio de 2014

    Por acaso vai contemplar tambem ESTACIONAMENTO, HOTEL entre outros projetos anteriormente cogitados? Ou vai ser mais um puchadinho??????. Vai ficar pronto antes da Oktober ou vai para os ESTUDOS, ESTUDOS ESTUDOS…….?

  • Jorge BNU diz: 14 de maio de 2014

    Bom, quem já foi na Oktober de Munique sabe que cada vez mais a festa de Bnu está perdendo o seu real foco cultural. Hoje mesmo saiu uma crítica na Spiegel Alemã que a Oktober de Bnu parece mais a um circo da Disney do que com a original de Munique.

    http://www.spiegel.de/fotostrecke/brasilien-von-a-bis-z-fotostrecke-114474-24.html

    “Bier, Blasmusik und Würste – das passt nicht zu Brasilien? Weit gefehlt! Das zweitgrößte Oktoberfest der Welt wird in Blumenau gefeiert. 700.000 Besucher pilgern dann in den Ort mit den deutschen Wurzeln – nur der Karneval in Rio lockt mehr Gäste. Echte Bayern erinnert das Bierfest aber mitunter mehr an Disneyland als an das Münchner Original.”

  • Carla diz: 14 de maio de 2014

    Estava de acordo com a idéia deste novo pavilhão, mas ao ver o projeto me desapontei. Nitidamente a capacidade diminuirá e, falando exclusivamente da Oktober, o ambiente mais gostoso da festa – com cobertura mas aberto – se perderá!

  • Thiago diz: 14 de maio de 2014

    Consertei a foto de divulgação
    http://imgur.com/655Kiqb

  • Santírio Camello diz: 14 de maio de 2014

    Caro Jorge BNU, concordo com vc plenamente !!
    Essa oktoberfest de Blumenau é uma grande Disneylândia…a vila germânica é um parque da Disney tmb…
    é a coisa mais cheia de clichês e brega que se pode imaginar…

  • CURTO&GROSSO diz: 14 de maio de 2014

    Mais um “puxadinho” que provavelmente receberá algum prêmio de arquitetura tais como os milionários pontos de ônibus desta “Blumenau, Cidade à Deriva”.
    A combinação de povo apalermado com esse tipo de governantes não poderia resultar em algo melhor !!!

  • Deco diz: 14 de maio de 2014

    “…usado pelas feiras”. Que feiras????????
    Essa estrutura ai só vai servir para festa movida a chope, que é o que interessa para Blumenau. Se tratando de eventos comerciais Blumenau já perdeu a muito tempo.

  • Alexandre Demmer Schmidt diz: 14 de maio de 2014

    Sim, claro que é uma boa ideia, porém há ideias melhores, como por exemplo, criar um espaco para convencoes, moderno, com a estrutura necessária. Se a Vila Germanica tem espaco para isto (e é de fato um parque de exposicoes / centro de convencoes), por que nao fazer isto?

    A Oktoberfest é realmente algo que agrega bastante na cidade, porém nao deve tomar o espaco de outras iniciativas que certamente trarao mais retorno a cidade. Capacitar a Vila Germanica para receber palestras, convencoes, reunioes irá fazer com que Blumenau também tenha um potencial turístico de negócios, reduzindo a sazonalidade, aumentando a ocupacao dos hotéis e atividade economica no geral ao longo de todo o ano.

    Já temos pouco espaco em zonas centrais da cidade e, apesar de muito bonito o projeto, creio que existem alternativas melhores.

  • Marcelo diz: 14 de maio de 2014

    Hahaha….vamos entrar para o Guiness com a “maior meia-água do mundo”…#orgulho…

  • Marciel diz: 14 de maio de 2014

    Como o povo Blumenauense é chato, pelo amor do Papai do Céu, reclamam de tudo.

    Povo mais insuportável desta Pátria.

    Vão trabalhar um pouco.

  • Miguel José Teixeira diz: 14 de maio de 2014

    Concordo com o C&G, parece um “puxadinho”.
    Agora, que os “puxadinhos” em Blumenau são tipicamente típicos. . . ah. . . são!

  • Eduardo SC diz: 14 de maio de 2014

    Parabens pelas opinioes que nao mudam porra nenhuma, revolucionarios de internet!

  • Iuri Kindler diz: 14 de maio de 2014

    Nem vou comentar o foco da notícia. Vou comentar apenas que todos os projetos, sejam eles de pontes, ponto de ônibus, pavilhões e tudo mais em Blumenau sempre são apresentados cercados de árvores e muito verde. Ô cidade para gostarem de árvore apenas no papel, ein!

  • Luciano de BLUMENAU diz: 14 de maio de 2014

    Santírio Camello !!

    De acordo com informações do Paulo Volles (Construtor de Enxaimel).
    A casa enxaimel da antiga Jensen não era original.
    Eu também já entrei naquela casa.

    Mas mesmo assim com certeza achei triste ver aquelas casas daquele jeito, pelo visto será erguido algum galpão sem noção de estética que nada irá acrescentar ao lugar ! :(

  • André diz: 14 de maio de 2014

    Mais uma obra com pouco propósito em conservação do acervo cultural.

    Enquanto isto o prédio histórico ao lado da Câmara de Vereadores está prestes a cair.
    O antigo Café de Berlin.

    Quando aquela varanda cair em cima de um pedestre e matar vão começar a procurar um responsável por tamanho descaso. E ainda vão colocar a culpa no prefeito.

    É preciso conservar e recuperar as construções históricas, isto é dar valor as origens.

    Passar bem!

  • Lívia diz: 14 de maio de 2014

    O povo pra falar coisa sem noção!! não sabem nem que quando o telhado tem apenas uma queda se chama Uma água e não meia água como muitos falaram…

    Pra que ficar toda vida construindo coisas em arquitetura enchaimel. Tudo que está saindo novo pela cidade o povo quer com estilos antigos, sempre que faz algo moderno é motivo de crítica. Tudo bem, resgatar o que é antigo e está precário.. Agora projetos novos tem que ter cara nova, cara da nossa geração, se não o que ficará para nossos filhos, netos… a mesma arquitetura de sempre ou uma linha do tempo com arquiteturas de cada época?

    É muita gente criticando ao invés de trabalhar e fazer algo pela cidade!!

  • Santírio Camello diz: 15 de maio de 2014

    Cara Lívia,

    a questão não é se a construção vai imitar ou não o estilo enXaimel…
    o problema é que verdadeiros patrimônios estão ruindo…casas originais que ainda não foram demolidas…
    e ao mesmo tempo, estamos investindo na ampliação da Disneylândia da vila germânica…que nada tem a ver com nossa história.
    Mesmo porque a Oktoberfest é originária da Baviera, que nada tem a ver com os imigrantes que pra cá vieram no século XIX.
    Essa imitação de oktoberfest insiste em falsos clichês, misturando o enxaimel com festas cevejeiras…na Baviera central (Oberbayern) onde ocorre a festa, não existe sequer uma única construção com enXaimel exposto (só a estrutura enXaimel).

  • Saul G. diz: 15 de maio de 2014

    Quando falam em construir um espaço para eventos e feiras em Blumenau, penso sempre num espaço semelhante ao CentroSul de Florianópolis. Um local para receber até 2.600 pessoas sentadas, podendo ser modulada em seis salas – o que permite inúmeras combinações – um lugar para receber diversos tipos de eventos, tais como simpósios, seminários, debates, fóruns, encontros, palestras, entre outros que podem, inclusive, acontecer simultaneamente.

    Por que é tão dificil fazer algo semelhante aqui em Blumenau?

  • Michel diz: 15 de maio de 2014

    Enquanto houver senso crítico existirão pessoas que pensam.
    Penso que questão fundamental neste caso é ninguém querer ficar dando aula de arquitetura a ninguém e sim contestar o porquê de tanto ênfase e trabalho dispendido a este tipo de obra se temos tantas outras necessidades no município.
    Tem gente que não entende nada mesmo !

  • Rodrigo diz: 15 de maio de 2014

    Ok.. muito bonito o projeto.. mas por favor a villa é GERMÂNICA e não BELGA, favor trocar as bandeiras da Bélgica na imagem por bandeiras alemãs. Dá para notar o tanto que estão preocupados com a cultura alemã por aqui mesmo! Lembro de uma Oktoberfest , acredito que em 2003, na qual recebi visita de amigos da Alemanha e a cidade estava toda decorada com bandeiras da Bélgica. Lamentável. Alemã(Preto, Vermelho, Amarelo, nesta ordem de baixo para cima)

  • Marcelo diz: 15 de maio de 2014

    Hahaha. A Lívia tá mordida. Meia-água é uma edificação que consiste na metade de uma edificação básica comum. Seu telhado é de lado único, inclinado e muitas vezes suas telhas são de fibrocimento ou amianto. Tá na Wikipédia.

  • Bruno Werner Metzler Filho diz: 15 de maio de 2014

    Comparar Blumenau à Munique é um erro. O mesmo erro se repetiria se comparássemos o blumenauense ao morador de munique. Seguindo a mesma linha de pensamento, comparar as duas Oktoberfests reflete o maior dos absurdos, começando pelas estruturas físicas: em Blumenau é fixa e em Munique é desmontável, criada apenas para àquele uso. As escalas são incomparáveis. Munique é uma cidade 365 dias do ano turística, com infraestrutura invejável e qualidade de vida considerada uma das melhores do mundo. Pólo tecnológico, universitário, fabril. Possui um Mercado Público interessante e áreas enormes exclusivas para os moradores/turistas como parques, praças e vias seculares para os pedestres… É uma cidade que respira história e a preserva. Não por desespero, mas por princípios de urbanidades que vão além das legendas políticas e interesses momentâneos. Precisamos de uma visão de futuro otimista. Precisamos projetar para o presente e nos lembrar do futuro. Precisamos fazer sair do papel importantes projetos que nos colocariam no cenário nacional, como a ampliação do Teatro Carlos Gomes, o CIEF, o Mercado Público, Margem Esquerda… Precisamos da ponte!!! Precisamos de mais pontes!!! E fundamentalmente, uma cidade pensada para o pedestre!!! E para terminar, se quisermos nos comparar a Munique, comecemos pelo uso da bicicleta, pelo aprendizado da língua, absorção da cultura… Caso contrário seremos vistos apenas como aqueles que usam “bombacha de couro” para turista ver e fotografar…

  • Alexandre II diz: 16 de maio de 2014

    Marcelo, teu comentário baseado na Wikipédia é falho.

    A Lívia está certa.

    Mas eu entendi, no linguajar do populacho é 1/2 água mesmo, apesar de tecnicamente errado.

  • Fabio diz: 19 de agosto de 2015

    Quase igual…

Envie seu Comentário