Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Evento quer acabar com preconceito contra pit bull

05 de junho de 2015 8

w_pitbull_p
Foto: Artur Moser, BD, 29/11/2007

Donos de cães pit bull de Blumenau devem se reunir no dia 21 para trocar ideias e, principalmente, lutar contra o que chamam de preconceito em relação à raça. Será a partir das 9h na Praça Dr. Blumenau. A ideia é promover um passeio com os animais pela Rota de Lazer da Rua XV de Novembro.

A organização é de uma blumenauense dona de dois animais da raça pit bull. Joci Wanderlinde conta que a mobilização nacional começou em Curitiba e em todo o Brasil deve haver eventos semelhantes no mesmo dia.

Sobre o preconceito, ela diz que ainda é muito comum as pessoas olharem com desconfiança quando avistam um cão pit bull na rua, mesmo preso a uma guia e com focinheira.

— As pessoas atravessam a rua e os pais pegam as crianças no colo. Queremos mostrar que essas raças também são dóceis e companheiras — explica.

Joci sabe que existem muitos criadores que usam a raça indevidamente em atos de violência e atribui a eles boa parte da responsabilidade pelo preconceito. O combate a esse tipo de criador também é um dos objetivos da mobilização.

Para mais informações sobre o evento, clique aqui.

Comente abaixo

comentários

Comentários (8)

  • Sergio diz: 5 de junho de 2015

    Não se trata de preconceito, mas de conceito… Este animal, como qualquer outro, pode ter algum acesso de raiva, mas diferente de um pincher ou chihuahua, pode matar neste acesso… Outra… A grande maioria de tragédias que acontecem com cães envolve pitbull… É só dar uma pesquisada na internet… Espero que estes cães estejam com focinheira…

  • Rodrigo diz: 5 de junho de 2015

    As pessoas fazem isso simplesmente pq os donos não tem respeito e andam com os cães sem focinheira.. só falta fazerem isso nesse evento..

  • Alessandra diz: 6 de junho de 2015

    Olá! Discordo da opinião do Sérgio. Infelizmente, os donos é que é que são violentos e transferem esta violência ao animal, treinando-os para serem agressivos, indiferente da raça.

  • Marcelo Gazzaneu diz: 6 de junho de 2015

    Aos que estão reclamando da focinheira, é só olharem na página do encontro, ou será que estão ainda pesquisando desgraças na internet.
    Informação é tudo para um comentário inteligente

  • Elaine diz: 6 de junho de 2015

    Sérgio e Rodrigo vcs deram a opiniao de vcs e respeitamos, mas quanto ao que pensam a acham sao coisas q a mídia só passa de ruim, mas tenho certeza que se tivessem um em casa iriam perceber a diferenca, e iriam amar como muitos amam.

  • Sergio diz: 6 de junho de 2015

    Realmente, o uso de focinheira é obrigatório… Sobre pesquisa , fiz uma e verifiquei que a criação de pit bulls é proibida em 27 países, como Inglaterra, Dinamarca e Noruega, por exemplo, países de terceiro mundo e muito preconceituosos, como sabemos! Também achei uma lei que proíbe a criação, comercialização e restringe a circulação de pit bulls em SC.

  • Skywalker diz: 8 de junho de 2015

    Esse nosso mundo tá virado…..

    Agora até cachorro sofre com o preconceito?!
    No meu humilde entendimento, não acho que é o caso. No máximo, excesso de zelo por parte de alguns (com todo o direito, diga-se de passagem).

    Se sou pai, e meu filho estiver perto de um cachorro grande (independente da raça) vou pegá-lo no colo e pronto.

    Esse mundo “politicamente correto” tá ficando chato. As pessoas não tem direito ao pensamento livre (inclusive o preconceito). Todos tem de ser “iguais”. Não somos iguais, não nascemos iguais, não pensamos iguais uns aos outros.

    Só falta a Parada do Orgulho Pit Bull….

    Em tempo, não sou contra o evento….somente ao pensamento dominante do PC (politicamente correto)

    Saudações

  • Falcão diz: 10 de junho de 2015

    Bom não p concordar com o “conceito” do Sergio e a pesquisa..
    Hoje devemos cuidar c “pesquisas da internet” pois tem material p tudo, na mesma internet vi que a copa foi vendida p frança em 98, p alemanhã em 2014, que se todos assinarem petição eletronica a Dilma não ficará no cargo e por ai vai.,
    Acontece que o pitbull é um cachorro que possui força (assim como outras raças) e alguns “descobriram” sua resistencia a dor e força e o usaram para rinhas, valendo lembrar que rinha não é exclusividade de pitbull (tem rottweiller, doberman, pastor, entre tantos), inclusive alguns veterinarios já falaram que o Chow chow é o cão considerado traiçoeiro e c bastante indice de mordida a seres humanos.

    Em especial o pitbull (assim como todos os animais) não aceitam terceiros invadindo seu espaço..porem na minha casa tem um pitbull e um pintcher e nunca deu problema nenhum..
    o animal muitas vezes é reflexo do comportamento humano, se for pesquisar o tipo de tratamento que se dá pra um cão de rinha é muito diferente a qualquer tratamento para qualquer tipo de ser.
    Se formos falar em “genetica e hereditariedade” para agressividade, teriamos que banir alguns detentos, ou até parentes dos mesmos. Alias nunca ouvi falar de judeu terrorista mas em contrapartida muçulmano aos montes, logo deve ser banida da sociedade…
    é cada coisa hoje em dia..
    Ademais pesquisa feita nos EUA apontam como o cão mais violento o salsicha (ou cofap) e Chihuahua em segundo..c pitbull ficando em quinto, e logo atras o beagle..
    pitbulls e rottweillers foram considerados normais, alias na mesma pesquisa o pitbull figurou em 6º lugar e só entrou na lista dos mais agressivos por ter alta taxa deINVESTIDA CONTRA OUTROS CÃES (22%). A favor da raça que já esteve envolvida em vários casos de grande repercussão e até com vítimas fatais, os 6,8% de ataque contra estranhos é pequeno em comparação com os 20,6% do dachshund. A diferença, claro, está na força do golpe. “Uma mordida de um pit bull sempre causa mais estragos, ao contrário de uma de um dachshund”, diz James Serpell, diretor do Centro para a Interação dos Animais e Sociedade da Escola de Medicina Veterinária da Universidade da Pensilvânia.
    O resultado surpreendeu até os pesquisadores. “Não esperávamos que as raças consideradas agressivas apresentassem números de ataques abaixo da média e os ‘fofinhos’, acima”, diz ele.

    Ou seja, o que se esta discriminando no caso é a força do cão e não a especie, logo ainda bem que não pensem assim pra tudo, se não devido as touradas e farra do boi teriam que extinguir essa raça tb.
    como falaram aqui de “politicamente correto” e preconceito..
    todos tem direito a não gostar, não se sentir confortavel proximo ao cão..mas querer tratamento diferenciado é foda..
    hoje não posso achar estranho compoprtamento sexual de terceiros, sou obrigado a aceitar etnia mas posso discriminar pela força fisica pois teoricamente não sofrem de “abusos” do mais forte..

Envie seu Comentário