Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Hospital Santo Antônio fecha cinco leitos de UTI por falta de dinheiro

12 de setembro de 2017 5
Foto: Eduardo Cristófoli

Foto: Eduardo Cristófoli

Desde o dia 1º de setembro os cinco novos leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Santo Antônio de Blumenau estão fechados. A instituição de saúde está sem dinheiro para bancar a manutenção deles. Enquanto isso os outro 10 leitos continuam funcionando normalmente.

Curta Pancho no Facebook
Siga Pancho no Twitter

Como os leitos ainda não foram credenciados no SUS pelo Ministério da Saúde, havia a esperança de que o governo do Estado bancasse internações nesse meio tempo, mas, como bem sabemos, em Florianópolis há mais dívidas que contas a receber.

Além da falta de dinheiro, há também a Dona Burocracia, em parte necessária para evitar o mau uso do dinheiro público. O processo de credenciamento dos leitos do Santo Antônio começou em novembro do ano passado e sofreu um revés com a publicação de uma nova portaria em março deste ano, a qual a instituição teve que se adequar.

O mais complicado é que o Ministério da Saúde só habilita leito aberto, mas como mantê-los funcionando se o governo do Estado e a hospital não têm dinheiro em caixa?

Problema em Rio do Sul

Situação semelhante passa o Centro Oncológico de Rio do Sul, que está pronto desde abril e aguarda o credenciamento no Ministério da Saúde para atender os cerca de 500 pacientes do Alto Vale que hoje se deslocam para Lages, Blumenau e Florianópolis, alimentando a famigerada “ambulanciaterapia”.

Ninguém tem dinheiro para bancar R$ 400 mil por mês de manutenção até que o processo seja concluído em Brasília. E aí? Continuaremos obrigando os nossos enfermos catarinenses a acordarem de madrugada para rodar quilômetros em estradas pessimamente conservadas a fim de receber o tratamento que é deles por direito?

Situação delicada que só se agrava. Por e-mail, a Secretaria de Estado da Saúde diz que avalia meios de auxiliar os hospitais para a abertura dos serviços. Mesmo em meio à crise.

 

Comente abaixo

comentários

Comentários (5)

  • Emerson diz: 13 de setembro de 2017

    Cadê o Dim Dim da tri mania, a propaganda esses dias foi tão bonita .

  • Bruna Dandara Nicoletti diz: 13 de setembro de 2017

    Já trabalhei no hospital e sei o quanto é caro para manter estes leitos, ainda não me conformo que as prefeituras das outras cidades não ajudam com esse custo, visto que utilizam toda nossa saúde!!

  • Alessandra diz: 13 de setembro de 2017

    A Saúde Pública esta um caos, a Educação esta um caos, a Segurança esta um caos, nossos governantes não dão a mínima para o povo e o povo ainda acha que deve esperar por um outro governante melhor que o que temos atualmente.

    A Mudança começa por NÓS!

    Temos nossos direitos como eleitores e devemos exercer mais esse poder!

    Não reeleger já é o começo!

    NÃO queremos mais ver pessoas morrendo em hospitais por falta de atendimento, por falta de leito, médicos, equipamentos.. não queremos nossas crianças sem educação, sem professores capacitados e não queremos mais sofrer com assaltos, mortes e violência.

  • rosemeri diz: 14 de setembro de 2017

    Eu fiz uma denúncia na ouvidoria a respeito de uma pesso que retira no HSA medicação de alto custo com endereço falso. A pessoa mora em Florianópolis e tenho como comprovar. A ouvidoria mandou um email dizendo que não era com eles deveria procurar o Estado ou o Município. PURA OMISSÃO, eu não tenho obrigação de procurar outros órgãos sendo que o sistema do sus é tripartite e solidário e eu informei ao HSA onde a medicação e dada ao falsário. o HSA é que deveria informar a quem de direito se for o caso.PURA OMISSÃO, quantos desses casos não tem mais? aí está o destino do dinheiro público para os leitos de uti por exemplo

Envie seu Comentário