Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts na categoria "cultura"

Museu funerário resgata história de família que trabalha há um século no ramo

26 de novembro de 2017 1
Capela mortuária foi montada com peças dos anos 1940. Fotos: Pancho

Capela mortuária foi montada com peças dos anos 1940. Fotos: Pancho

Blumenau tem desde julho o primeiro museu funerário da América Latina. Fica numa bela e antiga casa na Rua José Deeke, no bairro Escola Agrícola, e reúne um acervo impressionante da família Haas, que em 2018 completa 100 anos trabalhando no ramo.

Siga Pancho no FacebookTwitter e Instagram

O Memorial Funerário Mathias Hass leva o nome do alemão que fundou no ano de 1918, em Ibirama, a Marmoraria Haas, empresa que depois foi transformada em Funerária Haas, com sede em Blumenau. O local reúne parte importante do acervo que a família reuniu ao longo da história. São fotos, documentos, máquinas e ferramentas que eram usadas na produção de lápides, túmulos e ornamentos usados em cemitérios.

Livro de memórias de Mathias Haas foi escrito em alemão gótico.

Livro de memórias de Mathias Haas foi escrito em alemão.

Uma das principais peças do acervo é o livro de memórias de Mathias Haas, que ele escreveu a mão em alemão gótico de 1937 a 1959. No centenário da empresa a família que publicar um livro com o texto traduzido. Na exposição já há a tradução de alguns trechos curiosos.

Histórias cruzadas

Outra peça importante é a placa que identifica a empresa usada na primeira oficina montada em Ibirama. Ela foi encontrada em uma das reformas que sofreu a sede da empresa na Rua São Paulo, em Blumenau. O letreiro, escrito em alemão, estava escondido entre o telhado e o forro. Segundo a gerente do memorial e bisneta de Mathias, Elke Haas Fonseca, ela deve ter sido escondida na época do nacionalismo de Getúlio Vargas, na década de 1940, quando a língua alemã foi proibida.

Ferramentas usadas na produção de túmulos e lápídes.

Ferramentas usadas na produção de túmulos e lápides.

A ideia de montar o memorial veio em 2010, quando a família encontrou uma historiadora que reconheceu a importância do acervo reunido ao longo de décadas pela família. Abaixo você pode conferir várias fotos da bela e profissional montagem do memorial, mas o bom mesmo é poder conferir esse importante resgate de parte da nossa história pessoalmente. As visitas são agendadas pelo telefone 3222-9960.

Confira abaixo mais fotos do Memorial Funerário Mathias Haas

//

Bandeira alemã rara com mais de 100 anos é encontrada em Blumenau

20 de novembro de 2017 10
Foto: Jules Soto, divulgação

Foto: Jules Soto, divulgação

Poucos poderiam imaginar que um quadro antigo pendurado como decoração na sala de uma casa nos rincões do bairro Velha Central, em Blumenau, guardasse algum valor histórico. Estava lá, herdada de um primo que foi morar em São Paulo e quase jogou a peça no lixo com outros pertences que não lhe serviam mais. Na realidade, trata-se de uma bandeira alemã da época da Revolta dos Boxers, guerra que ocorreu na China no ano de 1900. Uma relíquia, segundo especialistas.

Siga Pancho no FacebookTwitter e Instagram

Faz aproximadamente um ano que o professor Jules Soto, do Instituto Cultural Soto, de Itajaí, veio a Blumenau para comprar antiguidades de uma família. Máquinas de costura estavam à venda, mas o quadro na parede o deixou intrigado. Reconheceu na peça bandeiras de marinhas de vários países, entre eles Alemanha e Japão, e se perguntou “que aliança era essa?”. Mesmo sem saber exatamente do que se tratava, comprou o quadro cujo tecido estava em base de madeira devorada pelos cupins e começou a pesquisar.

Material raro

A peça estava em péssimo estado de conservação e passou por um restauro. Só então foi possível identificar melhor o que nela estava escrito em alemão. “Em memória ao meu tempo de serviço”, “1898 – 1901”, “Da rocha ao mar”, “Alemanha-China” e “Soldado J. Van” seguido de algo que não se pode mais ler. Em destaque, ao centro, o antigo brasão da Marinha alemã com quatro bandeiras em cada lado.

Fotos da peça foram enviadas a dois curadores de museus na Alemanha e veio deles a confirmação de que se tratava de uma rara bandeira da época da Revolta dos Boxers. Pouco material há desse conflito, segundo eles. Para nossa sorte, a partir do próximo mês a bandeira estará em exposição no Centro Cultural da Marinha em Florianópolis, para acesso público e gratuito.

Jules explica que em 14 de agosto de 1900 as tropas da chamada Aliança das Oito Nações (Império Austro-Húngaro, França, Império Germânico, Reino da Itália, Império do Japão, Império Russo, Reino Unido e Estados Unidos da América) invadem a China, ocupam a capital e matam milhares de cidadãos que haviam se revoltado contra o domínio estrangeiro, a chamada Revolta dos Boxers.

História ignorada

O professor Jules diz que pouco conseguiu resgatar da história dessa bandeira. Tudo o que o vendedor contou foi que ela estava com um primo que se mudou para São Paulo nos anos 1980. A bandeira teria pertencido a um tio-avô alemão que serviu na Marinha do país natal. Ele morou em Blumenau até a década de 1950, quando morreu.

Curador do Instituto Soto, Jules diz que o episódio serve para mostrar que nossos antepassados para cá vieram carregados de história e que muitas vezes esse patrimônio é esquecido como se pouco fosse. Dá pra imaginar quantas preciosidades temos guardadas em baús fechados em sótãos e porões do nosso Vale. Uma pesquisa aprofundada seria bem-vinda.

Publicações históricas de Blumenau serão digitalizadas para consulta pública

17 de novembro de 2017 0
Foto: Artur Moser, BD, 15/11/2012

Foto: Artur Moser, BD, 15/11/2012

Todas as edições do Blumenau em Cadernos publicadas entre 1957 e 2000 serão digitalizadas. O trabalho será executado por meio de um convênio a ser assinado entre a Fundação Cultural de Blumenau e a Fundação Catarinense de Cultura na próxima quinta-feira, quando será comemorado o aniversário de 60 anos da publicação bimestral que resgata a história da cidade. O presidente da Fundação Cultural, Rodrigo Ramos, espera ter o serviço concluído até março do próximo ano.

Siga Pancho no FacebookTwitter e Instagram

Jornal Immigrant  circulou em Blumenau no século 19. Foto: Rafaela Martins, BD, 30/6/2008

Jornal Immigrant circulou em Blumenau no século 19. Foto: Rafaela Martins, BD, 30/6/2008

Além do Blumenau em Cadernos, também serão digitalizadas edições de importantes jornais que circularam no passado aqui em Blumenau. Entre eles estão: Immigrant, Blumenauer Zeitung, Lume e A Nação. Tudo estará em breve disponível na internet para consulta de quem quer que seja, com acesso à rede mundial.

Um prato cheio para quem gosta de fuçar coisas antigas, como eu.

Lucro da Oktoberfest de 2017 é maior que o do ano passado

14 de novembro de 2017 1
Foto: Patrick Rodrigues, BD,  17/10/2017

Foto: Patrick Rodrigues, BD, 17/10/2017

O Parque Vila Germânica divulga na quinta-feira o resultado financeiro da 34ª edição da Oktoberfest, que ocorreu de 4 a 22 de outubro em Blumenau. O que consegui descobrir é que houve lucro, e foi maior que o do ano passado.

Curta Pancho no Facebook
Siga Pancho no Twitter

Em 2016 as receitas ultrapassaram as despesas em R$ 3,2 milhões, o que representou um crescimento de 70% em relação a 2015. O saldo deste ano será maior, principalmente, devido ao aumento no número de patrocinadores.

Em geral, o dinheiro que sobra é investido nos outros evento da Vila, como o Magia de Natal e a Osterdorf. O detalhamento da destinação desse dinheiro também será divulgado na quinta-feira.

 

Foto de Blumenau está em exposição na capital dos Estados Unidos

12 de novembro de 2017 0
Foto: Kako Waldrich

Foto: Kako Waldrich

A bela imagem do Centro de Blumenau feita pelo fotógrafo Kako Waldrich em 2015 está exposta em Washington (EUA). Ela integra a exposição Imigração na Ibero-America, promovida pela Associação dos Adidos Culturais Ibero-Americanos (AACIA), uma organização criada pelas embaixadas da América Latina, Espanha e Portugal. O blumenauense Kako é o único brasileiro na mostra.

Curta Pancho no Facebook
Siga Pancho no Twitter

A exposição faz parte da programação da Fotoweek DC, maior exposição fotográfica do mundo com 150 mostras simultâneas na capital americana. A foto de Kako é uma das mais de 500 que ele tirou durante duas horas com a ajuda de um drone. Conquistou um lugar na exposição pelas cores e pelo fato de ter em primeiro plano uma construção inspirada na imigração alemã.

 

Feirinha da Servidão será "Feirinha da Prainha" em dezembro

10 de novembro de 2017 0
Foto: Rafaela Martins, BD, 12/4/2015

Foto: Rafaela Martins, BD, 12/4/2015

A edição de dezembro da Feirinha da Servidão terá um novo endereço. Os feirantes e artistas que uma vez por mês ocupam parte das ruas Curt Hering e Floriano Peixoto, no Centro de Blumenau, vão se reunir na Prainha, junto à curva mais charmosa do rio Itajaí-Açu.

Curta Pancho no Facebook
Siga Pancho no Twitter

Além de ser a primeira vez longe do local de origem, será também a primeira vez em que o evento está agendado para dois dias, sábado e domingo, dias 9 e 10 de dezembro. A organização ainda está definido a programação cultural que terá o mesmo estilo das edições no Centro.

Prainha. Foto: Patrick Rodrigues, BD, 7/9/2016

Prainha. Foto: Patrick Rodrigues, BD, 7/9/2016

A mudança, segundo o organizador Diego Lottin, tem dois objetivos: comemorar em grande estilo os quatro ano da feirinha e chamar a atenção para os espaços públicos como ambientes de lazer, cultura e integração da comunidade. De quebra, o evento não prejudicará o comércio da região central que abre aos domingos no mês de maior movimento do ano.

Antes disso

A próxima edição da Feirinha da Servidão será neste dominog, dia 12de novembro, das 10h às 19h, nas ruas Curt Hering e Floriano Peixoto. Os detalhes da 36ª edição já estão na página do Facebook.

Em janeiro não haverá feirinha, mas ela volta para a Curt Hering e Floriano Peixoto em 2018. O calendário do próximo ano ainda está sendo definido.

Gosto muito da experiência. A Prainha é um belíssimo espaço na região central que pode e deve ser melhor aproveitado pela população. A feirinha fará bem demais ao local.

 

Documentário resgata a história do nazismo e do integralismo em Blumenau

07 de novembro de 2017 0
Foto: reprodução, Anauê

Foto: reprodução, Anauê

Deixemos de lado todo o furor que recentemente passou a circular ao redor das crenças da extrema direita para nos concentrarmos na história e na importância dela. O cineasta Zeca Pires exibe nesta terça-feira em Blumenau o documentário Anauê – O Integralismo e o Nazismo na região de Blumenau.

Será às 19h na sede acadêmica do campus da UFSC (Rua João Pessoa, 2.750). A entrada é gratuita e aberta ao público.

Curta Pancho no Facebook
Siga Pancho no Twitter

O filme foi produzido com verba do prêmio Edital Cinema da Fundação Catarinense de Cultura edição 2013/2014 (prêmio de R$ 120 mil). Zeca e sua equipe passaram por cidades dos Vales do Itajaí e do Itapocu resgatando depoimentos e mapeando acervo em foto, filme e áudio.

Fruto de anos de pesquisa, o documentário tem tudo para ser um importante registro e, principalmente, resgate de uma época da qual muitos se envergonham e outros tantos se orgulham. Quem sabe o documentário, de alguma maneira, ajude a atenuar esta dicotomia política que ganha corpo e predomina nas discussões digitais.

Confira abaixo o trailer do documentário

Projeto de lei que proíbe nudez em exposições será retirado da Câmara de Blumenau

03 de novembro de 2017 1
Se projeto fosse aprovado, reproduções de A Criação de Adão, de Michelangelo, não poderiam ser expostas na cidade . Foto: reprodução

Se projeto fosse aprovado, reproduções de A Criação de Adão, de Michelangelo, não poderiam ser expostas na cidade . Foto: reprodução

O vereador Almir Vieira (PP) vai retirar na segunda-feira o projeto de lei em que ele propõe a proibição de exposições artísticas ou culturais que contenham representação do “ato sexual ou nudez humana” em Blumenau. A proposta iniciou o trâmite na terça-feira, dia 31 de outubro.

Curta Pancho no Facebook
Siga Pancho no Twitter

Vieira diz que o texto do projeto de lei, elaborado pela assessoria legislativa, não corresponde exatamente ao que ele pretendia. O vereador também ouviu o pedido do presidente da Fundação Cultural, Rodrigo Rogério Ramos, para que o tema seja discutido com o Conselho Municipal de Cultura antes de qualquer intervenção do legislativo blumenauense.

Até entendo — não quer dizer que eu concorde — a preocupação em relação às cenas do ato sexual. Mas impedir a exibição de obras com nudez seria um retrocesso sem antecedentes.

O que diz o projeto

Art. 1º Ficam proibidas as exposições artísticas ou culturais, com teor pornográfico, nos espaços públicos no âmbito do município de Blumenau.

Parágrafo único. Entendem-se como de teor pornográfico para efeitos deste artigo, as expressões artísticas ou culturais que contenham fotografias, textos, desenhos, pinturas, filmes e vídeos que exponham o ato sexual e a nudez humana.

Art. 2º Esta lei não se aplica aos locais cuja exposição tenha fins estritamente pedagógicos de acordo com a legislação vigente.

Art. 3º O descumprimento do disposto nesta lei implicará em multa no valor de R$ 2.000,00 (dois mil reais).

Parágrafo único. O valor arrecadado com a aplicação da multa reverterá ao Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Art. 4º Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

Mareike faz showzaço para lançar do segundo CD da carreira

01 de novembro de 2017 0
Foto: Pancho

Foto: Pancho

Com certo atraso faço aqui o registro do quão belo foi o show da cantora Mareike no Teatro Carlos Gomes, domingo. Faltou cadeira no auditório Willy Sievert para os que foram prestigiar a boa música que aqui se faz e nem sempre ganha a repercussão merecida.

Curta Pancho no Facebook
Siga Pancho no Twitter

Acompanhada por uma banda pra lá de competente, o lançamento do disco Dois teve a participação do cantor Diego Moraes (conheça!) e do Coro da Universidade Regional de Blumenau (Furb).

Vida longa à música blumenauense!

Ouça Mareike abaixo

Semana com boas opções na cultura. Aproveitem, por favor!

23 de outubro de 2017 0

Em Florianópolis testemunhei, neste fim de semana, duas sessões lotadas de um filme francês em um cinema que não está num shopping center. Não, não foi nos anos 1980. Foi neste fim de semana mesmo.

Sempre me pergunto se o blumenauense não sai de casa porque não há opções ou não há opções porque ele não sai de casa. Pois bem, opções não faltam nesta semana.

Curta Pancho no Facebook
Siga Pancho no Twitter

Veremos o que acontece por aqui na quinta-feira quando a fantástica Companhia de Dança Deborah Colker apresenta o espetáculo Cão sem Plumas (foto). Algo raro por estas bandas nos últimos anos.

Em Florianópolis, o teatro do CIC lotou no sábado e no domingo. Informações no site do Teatro Carlos Gomes.

Foto: divulgação

Foto: divulgação

 

De graça (1)

Amanhã, terça-feira. teremos mais uma apresentação da Orquestra de Câmara de Blumenau com o instrumentista Renato Borghetti. O espetáculo O Som do Brasil fará uma homenagem a Luiz Gonzaga. De graça. Os ingressos devem ser retirados uma hora antes no Teatro Carlos Gomes

De graça (2)

Também de graça, na quinta-feira  o Teatro Municipal de Pomerode exibirá o filme Nosferatu (1922), com trilha sonora executada ao vivo pelo criativo trio Skrotes, de Florianópolis. Será às 20h. Informações pelo telefone 3306-6234.

Sexta-feira

No último dia da chamada “semana útil” o pianista curitibano Bruno Hrabovsky vai interpretar clássicos do rock ao piano. Metallica, Pearl Jam, System of a Down e outros ganham versões mais “lights”, mas não menos empolgantes. Informações em http://bit.ly/tcgprograma.

Domingo

No fim de semana é a vez da cantora Mareike subir no palco do Teatro Carlos Gomes para o show de lançamento do album Dois. Ela vive em Blumenau e além de dispensar o sobrenome Valentin direcionou o trabalho para uma levada um pouco mais pop. Informações em http://bit.ly/tcgprogramaOuça abaixo a faixa 1, Frita.