Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de janeiro 2010

Apê

20 de janeiro de 2010 16

Fiz esse vídeo aqui apresentando meu studio e as bizarrices do prédio e as limitações de espaço e o simpático que há em tudo isso:

Postado por Carol Bensimon

Camembert?

04 de janeiro de 2010 10

Nada é mais previsível que o camembert. Ou melhor: nada é mais previsível não que o camembert em si, mas que a fama sem fronteiras do camembert, e que portanto leva qualquer turista ou estudante recém-chegado a escolhê-lo entre todos aqueles queijos expostos no supermercado, na fromagerie, ou na feirinha do bairro.
Quando alguém me aparece com a caixinha redonda, devo confessar, eu tremo, já imaginando que a pessoa escolheu o camembert mais por já ter ouvido inúmeras vezes à palavra do que por qualquer preferência por ESSE queijo em especial. Particularmente, acho o camembert superestimado, e definitivamente o gosto não compensa o modo como seu odor se propaga por toda a geladeira em questão de segundos, e daí para toda a casa (que, sempre é bom lembrar, é composta de uma só peça). Em resumo: os queijos moles cascudos não estão entre os meus favoritos, o que não quer dizer, é claro, que até esses coloquem no chinelo qualquer queijo lanche (pra mim, o maior dos enigmas dos queijos, cada vez um gosto diferente) ou minas (esse é um verdadeiro marco da falta de gosto).
De qualquer maneira, eu entendo perfeitamente o sentimento do turista ou do estudante recém-chegado, e compartilho desse medo e sensação de impotência que nos toma e nos paralisa diante do balcão de uma fromagerie (loja especializada em queijos); nossa não-familiaridade com os queijos parece subitamente estar estampada na cara, como uma enorme vergonha, um enorme rótulo de ignorância e selvageria.
Porque já tive repetidas experiências do tipo, consegui, algumas vezes, vencer a barreira, e conheci bons queijos. Vou recomendar três aqui, que dá pra achar quase em qualquer lugar, até mesmo no supermercado. Bem, não preciso dizer que no supermercado eles provavelmente serão mais baratos e de menos qualidade; o ideal para a experiência PLENA é comprá-los numa fromagerie ou num mercado de rua.
O primeiro é o crottin de chèvre (chèvre = cabra), redondinhos, pequeninhos, meio duros e esfarelentos. Queijos de cabra são sem dúvidas os melhores (o que me faz perguntar: que diabos fazem com leite de cabra no Brasil? Por que estão perdendo todas essas maravilhosas possibilidades?). A segunda indicação também vem da cabra: tomme de chèvre, mais consistente, geralmente comprado em pedaços retangulares (não me peçam para explicar gostos ou qualquer coisa assim, sou incapaz). Por último, o Comté, que quase me levou aos prantos um dia, quando comprei um pedaço de um 12 ANOS. Sim, esse é como vinho, tem idade, e, como o vinho, quanto mais velho, mais caro. 
E daí compre a sua baguette e era isso, vá comendo aos pedacinhos. E, por favor, não misture esses queijos num ultra sanduíche de mil e um sabores. Isso você deixa para o queijo lanche.

Crédito: www.flickr.com/photos/mikeandanna

Postado por Carol Bensimon