Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

"Quero ajudar o clube a deslanchar, rumo a Série A", diz Paulo Heinzen, novo vice-presidente do Blumenau

25 de setembro de 2014 2

A diretoria do Blumenau conta com um novo membro. Em reunião na noite da última quarta-feira, Paulo Heinzen (foto abaixo) assumiu como novo vice-presidente do Tricolor. Substitui Wanderlei Laureth, que deixou o cargo.

Heinzen tem um extensa lista de trabalhos prestados ao futebol amador da cidade e da região. Foi um dos fundadores da Associação de Futebol Amador de Blumenau (Afablu), atualmente uma das principais ligas de futebol amador do Estado.

Crédito: Rafaela Martins/Agência RBS - 14/5/2010

Crédito: Rafaela Martins/Agência RBS – 14/5/2010

Heinzen também foi um dos idealizadores da Copa Kaiser na região, que nos últimos anos se transformou no maior torneio amador do Vale. Atualmente, ele atua no comando da Associação Desportiva e Cultural Aliança, que busca o fortalecimento e a estruturação do futebol feminino.

É um bom nome para o cargo. Tem bom trânsito entre empresários e apaixonados por futebol na região. Conversei com ele há pouco, que revelou ter sido pego de surpresa com a procura. Espera poder colaborar com o Tricolor.

_ Chego para somar. Tenho a oferecer a minha credibilidade e meu esforço para buscar parceiros e fazer o clube deslanchar, rumo à Série A do Campeonato Catarinense _ comenta.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (2)

  • Luiz diz: 26 de setembro de 2014

    Sou empresario, e não vejo como um time que deve ter apenas uns 300 torcedores tem condiciones de viabilidade financeira. Bom transito entre empresários ? piada, nem o magia de natal, que realmente tem sentido no âmbito da coletividade, que gera renda para a cidade, tem o respaldo do empresariodo local, imagina um time deste nível, chega a ser ridículo, podem passar a canjiquinha que ela vai voltar vazia, o momento econômico nao propicia loucuras.

  • Leandro diz: 27 de setembro de 2014

    O maior problema de Blumenau é que para ajudar a viabilizar um projeto, dificilmente aparece alguém, geralmente fica na mão de meia dúzia de voluntários que se desdobram e fazem o impossível acontecer. (isso em qualquer tipo de projeto, seja político, esportivo, social, etc…). Agora, quando é para “cornetear” e tentar “destruir” o pouco que alguém fez, aí aparece uma dúzia… Lamentável como “nós” blumenauenses somos tão grandes e ao mesmo tempo pensamos tão pequeno…

Envie seu Comentário