Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Sobrou vontade e faltou pontaria. Mesmo assim o Metrô segue vivo na briga pelo 3º lugar

29 de março de 2015 1

O Metropolitano brigou até o último suspiro para buscar os três pontos em Lages. Sobrou vontade, mas faltou pontaria. O jogo foi fraco tecnicamente, porém, bem aberto. As duas equipes jogaram pra frente, na busca dos três pontos para se aproximar da parte de cima da tabela.

O Verdão teve maior posse de bola, controlou o jogo e teve mais chances de marcar que o adversário. Que diferença faz o Altino. Novamente funcionou como o motorzinho e em um belo cruzamento dele, Trípodi marcou. Faltou ao Metrô pontaria para acertar mais vezes o gol. Se bem que quando o time acertava a mira, muitas vezes parou no inspirado Fernando Henrique.

Crédito: Nilton Wolff/O Goleador/Especial

Crédito: Nilton Wolff/O Goleador/Especial

Do lado verde também havia um goleiro em boa noite. Maurício fez diversas intervenções para garantir a igualdade. Só não conseguiu no lance do gol, em que Reinaldo (com a bola na foto acima) aproveitou a repetitiva falha infantil do sistema defensivo do Metrô nas bolas aéreas. Como ninguém viu o experiente camisa 9 surgir nas costas da defesa?

Os resultados da rodada ajudaram o Metrô e o time segue vivo na briga pelo 3º lugar. Cinco pontos separam o Verdão da Chapecoense, 3ª colocada. E a Chape é o próximo adversário, no Sesi. Este sim será o jogo divisor de águas para os dois times.

A equipe do Oeste virá a Blumenau pressionada para tirar os três pontos que a separam do Figueirense, atual vice-líder. Caberá ao Metrô saber tirar vantagem disso para buscar a vitória que o coloca no páreo pela vaga na Copa do Brasil de 2016. Do contrário, aí sim, as três últimas rodadas servirão de amistosos de luxo para o técnico Pingo e os seus comandados.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (1)

  • Mauri diz: 30 de março de 2015

    Não consigo entender o que o técnico Pingo falou que o time foi frago e errou muito. Os jogadores não fazem mais nada a não ser treinar e jogar, não tendo mais nenhuma preocupação extra, e na hora que entram em campo fazem tudo errado. Numa empresa quando isso acontece o funcionário é demitido, pois errar é humano, mais persistir no erro é burrice. Manda todo mundo embora e fecha a “firma”.

Envie seu Comentário