Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Diretoria entrega os cargos e futuro do Metropolitano ganha uma nova interrogação

09 de setembro de 2015 8

Com uma campanha decepcionante na Série D do Brasileiro, que culminou na eliminação precoce a três rodadas do fim da primeira fase, endividado (com um déficit mensal de R$ 309 mil) e sem calendário até o fim do ano, o segundo semestre do Metropolitano não poderia ser pior. Nesta quarta-feira o cenário ficou ainda mais nebuloso e o futuro do clube ganhou uma nova interrogação.

Com a autorização dos responsáveis, acompanhei uma parte da reunião do Conselho Deliberativo do clube em uma das salas da Acib, no Centro. Não estive nos primeiros 30 minutos, onde “se lavou a roupa suja”, conforme definiu um conselheiro. O encontro reuniu 15 dos 45 membros do conselho. A avaliação da campanha na Série D, a prestação de contas da diretoria executiva e até mesmo a proposta que uma empresa que agencia jogadores fez para gerir o clube em 2016 se transformaram em assuntos secundários depois que o presidente Ivan Kuhnen anunciou a renúncia ao cargo.

Crédito: Everton Siemann/Agência RBS

Crédito: Everton Siemann/Agência RBS

Sem o apoio financeiro que lhe foi prometido no dia da eleição para viabilizar o clube, Kuhnen decidiu entregar uma carta em que ele e os pares na direção do clube abrem mão dos cargos nos próximos 30 dias. Nesse intervalo o conselho teria tempo para buscar soluções para os problemas financeiros do Verdão ou optar por fazer uma nova eleição. Pego de surpresa, o presidente do conselho, Paulo Cesar Lopes, decidiu agendar uma nova reunião para tratar do assunto nos próximos dias. Espera reunir o máximo de conselheiros.

A carta serve muito mais como forma de pressionar que mais pessoas abracem o clube do que o afastamento dos dirigentes de fato, já que não existe renúncia que não seja imediata. Nesse mar das indefinições do Metrô, pinta mais uma onda. Pelo teor das conversas e algumas das possibilidades que foram discutidas pelos conselheiros, é quase certo que o clube não feche as portas. Mas terá que se readequar à realidade de quem tem um grande passivo para administrar.

Torcedores, fãs de futebol, empresários, lideranças políticas e empresariais precisam responder: querem um clube de futebol profissional na cidade? Se a resposta for sim, então que façam a sua parte e ajudem a construí-lo e consolidá-lo. Do contrário, conselheiros e dirigentes do Metrô têm a resposta que tanto se questionam.

Comente e compartilhe

comentários

Comentários (8)

  • Mauri diz: 10 de setembro de 2015

    Tem de fechar mesmo. Blumenau não serve pra nada no esporte. Cidade sem lideranças, prefeito que só aparece em eventos que dão visibilidade. Futebol aqui, esse passou longe de existir. Esqueçam, é melhor ir ver o jogo do Pelé.

  • Raio X diz: 10 de setembro de 2015

    Neste periodo todo nenhum atleta foi formado que em casos de transferencias gere alguma renda?. O Metro tem os passes de quantos atletas? O Metro esta seguindo os passos de outros clubes que no passado arcavam com o onus e alguns espertos ficavam com os passes e os lucros nas vendas de atletas? Tah passando a hora do clube andar com as proprias pernas e se sustentar.

  • ALEX diz: 10 de setembro de 2015

    NAO C FAS UM TIME VENCEDOR SEM UM GRANDE INVESTIMENTO A LONGO PRASO,DINHEIRO DO DIA PARA A NOITE ACABOU,VAMOS FASER UM GRANDE TIME D FUTEBOL DE SALAO COM ESSE INVESTIMENTO,COM CERTESA GANHARIA MAIS E TERIA UM RETORNO MUITO MAIOR EM TODOS OS LADOS,TELEVISAO SPORTV AO VIVO PARA O BRASIL TODO.PENSEM,ANALISEM.

  • Roberto diz: 10 de setembro de 2015

    Eh isso ai , cidade que sempre priorizou ganhar os jogos abertos e nem estadio tem,
    tah simplesmente colhendo os frutos.

  • Moraesão diz: 10 de setembro de 2015

    Comecem pelo básico. Invistam primeiro nas categorias de base.

  • Luiz diz: 10 de setembro de 2015

    Que bom que o Prefeito Napoleão, não se deixou levar pela meia dúzia de gatos pingados torcedores deste time e mais a meia a impressa no geral da cidade, esta certo em não apoiar financeiramente este clube, cidade de um trilhão de prioridades antes de investir neste time. Tem meu voto para sue reeleição, se querem estádio, que o façam com seus recursos e nao ficar passando o pires no poder publico, faça como uma empresa, se não da lucro, simples… fecham as portas, e ja passou a ora destes integrantes amadores pararem de brincar de dirigente de futebol, gente acabou o dinheiro, simples assim.

  • FábioX diz: 10 de setembro de 2015

    O que precisa é o poder público junto com empresários da cidade e torcida abraçar a causa. Foi o que aconteceu aqui em Chapecó. Sem loucuras, com pés no chão, chegou até a Série A.

    Ter passe de atletas não é a solução. A Chapecoense hoje ta na série A e dá pra contar nos dedos os jogadores que é dona do passe. Tem o ônus de todo final de ano os jogadores que se destacaram saírem de graça, e no começo do ano ter que remontar o time, mas pelo menos, não fica pagando por longo tempo, jogadores que não deram certo. Com isso só gasta o que tem pra gastar e não se endivida.

  • Adrian Speeklet diz: 10 de setembro de 2015

    Fecha. Simples assim.

Envie seu Comentário