clicRBS
Nova busca - outros
29 ago18:15

Das palavras aos quadrinhos

Priscila Dalzotto, Colaboradora

A tarde de quinta-feira foi animada e dinâmica para o jovem público, do 6º ao 9º ano das escolas participantes da Jornadinha. Estiveram presentes nas lonas os escritores juvenis Cláudio Fragata, Rodrigo Lacerda, Marcelino Freire, Gustavo Bernardo Luiz Antonio de Aguiar, Tiago de Melo Andrade, Maria Tereza Maldonado e Telma Guimarães.

Os autores contaram como desenvolveram o gosto pela leitura e escrita, descreveram seus personagens e seus livros e enriqueceram o público com suas histórias. Depois das apresentações, responderam atentamente às perguntas dos jovens, que aproveitaram o momento para descobrir mais sobre seus autores e obras preferidas.

- Na verdade, não temos controle sobre o que o público vai achar dos nossos livros. Demorei dois meses para escrever “O fazedor de velhos”, que a princípio era apenas uma distração – afirma Rodrigo Lacerda.

O escritor ainda contou que o livro acabou fazendo mais sucesso do que os trabalhos que levou quase dez anos para concretizar.

- Essa carreira é imprevisível. Você não tem como controlar a recepção, nem o que o leitor vai achar – confessa Lacerda.

Durante o rodízio feito nas lonas, entre os autores, o contador de histórias Tino Freitas divertiu os jovens com espontaneidade em suas apresentações, fazendo o público jovem interagir. Cláudio Fragata aproveitou o momento e também brincou com o público.

- Eu vou escrever livros até os 200 anos. Depois eu paro, prometo!

Jovens do Ensino Médio conversaram com os autores

O último dia de Jornadinha foi dedicado aos estudantes do Ensino Médio. Participaram os autores Leonardo Brasiliense, Giba Assis Brasil, Sérgio Capparelli, Heloisa Seixas, Christopher Kastensmidt, Gabriel Ba, Fabio Moon, Tiago de Melo Andrade e Rodrigo Lacerda.

Trabalhando com quadrinhos, há aproximadamente 15 anos, os gêmeos Gabriel Ba e Fábio Moon dedicaram seu tempo respondendo perguntas do público.
Os autores começaram a desenvolver seus primeiros trabalhos com base em temas do cotidiano e cenas de filmes e livros. Atualmente são um dos mais premiados quadrinistas brasileiros.

Os gêmeos comentaram sobre a adaptação para quadrinhos, a obra O Alienista, de Machado de Assis. A intenção, segundo eles, era introduzir o leitor ao clássico de maneira visual, para que as imagens e palavras trabalhassem juntas, fazendo um chamado à arte.

- Procuramos realizar adaptações que agradem quem gosta de clássicos, arte e quadrinhos – finalizam.

Por

Comentários