Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 21 maio 2016

Figueira empata no Mineirão com estocadas de R. Moura

21 de maio de 2016 8

A evolução do time, esperada havia 10 jogos, finalmente apareceu no Mineirão.

As estratégias do técnico Vinicius Eutrópio deram resultado do início ao fim.

Primeiro o Figueira resistiu bem á pressão do Cruzeiro , depois surpreendeu com variados lances de ataque.

A dificuldade inicial foi superada com a troca de lado dos jogadores Guilherme Queiroz e Ferrugem.

No segundo tempo , quando a intensidade caiu um pouco , Eutrópio apostou em Ermel e Ortega, mais tarde Dudu e controlou o Cruzeiro.

Estocada

Antes de atacar com eficiência, o Figueirense escapou de sofrer o gol em lance que Arrascaetta perdeu na frente de Gatito. O lance começou em um passe errado de Jocinei.

A resposta foi uma arrancada de Ferrugem, cruzamento de Jéferson e gol de Rafael Moura. Primeiro tempo terminou bem.

Melhor

Segundo tempo começou melhor ainda. Foram 4 escanteios em poucos minutos e mais uma estocada de cabeça de Rafael Moura, ampliando o placar.

Não deu tempo de administrar a vantagem. Jocinei não matou a jogada e Élber descontou. Mais cinco minutos e Douglas Coutinho empatou, isso aos 17 min.

Com as alterações, o Figueirense voltou a crescer e a perder chances.

Depois de grande lance, Dudu rolou a bola para Rafael Moura que desperdiçou chutando em cima do goleiro.

No final , um bom resultado, apesar de ter chegado perto da vitória e , principalmente , uma boa atuação.

Individuais

Sem responsabilidade nos gols , Gatito mostrou segurança em seu retorno.

Jéferson, apesar da dificuldade inicial, fez bom jogo e o cruzamento para o primeiro gol.

Jaime mostrou personalidade e nunca foi envolvido.

Ferrugem foi incansável e deu a arrancada para o primeiro gol.

Com dois gols , Rafael Moura , foi o cara do jogo.

Apito

Wagner Reway inventou duas faltas na entrada da área para o Cruzeiro. A ajuda parou por aí.

Sustos não impediram a vitória do Avai

21 de maio de 2016 0

O Avai oscilou dentro do jogo, apresentou momentos de boa organização e outros de instabilidade, mas conseguiu vencer o Sampaio.

No ataque

O Avai teve posicionando ofensivo no primeiro tempo e jogou dentro do campo do Sampaio Corrêa.

Apesar de criar poucos lances , dominou as ações e não deixou o Sampaio finalizar.

As melhores jogadas rolavam pela direita com Renato e Tauã. Por lá saiu o gol quando Tauã cruzou no pé de Willian , que bateu de primeira e comemorou.

Fôlego

O Avai poderia ter liquidado o jogo logo no início do segundo tempo, mas Romarinho e Tauã perderam as oportunidades.

O tempo foi passando e o Avai mostrou desgaste físico e recuou. Willian foi substituído por Lucas Coelho , que não entrou bem.

O Sampaio melhorou, principalmente depois da entrada de Pimentinha, e quase empatou em três momentos livres na frente do goleiro Renan.

Quando o jogo estava acabando, Tatá fez um golaço por cobertura e levantou a torcida.

No final , apesar dos sustos, o Leão garantiu o placar e a primeira vitória na Série B.

Individual

O lateral João Paulo foi discreto na estreia. Ficou mais na defesa.

Gabriel foi bem na zaga e começou a jogada do gol.

Lucas de Sá , com bons passes e superação na marcação , foi o melhor do Avai.

Tudo a favor da Chapecoense no primeiro jogo em casa

21 de maio de 2016 0

A Chapecoense tem uma grande oportunidade para manter o embalo, no primeiro jogo em casa na Série A.

Depois de ganhar o estadual, avançar na Copa do Brasil e empatar com o Inter na estreia , o América-MG não é um adversário que assusta.

Manter o respeito é importante, mas em casa e contra adversário que disputa a mesma faixa de tabela, só a vitória satisfaz.

Guto Ferreira não tem problemas para escalar a equipe , motivo para aumentar a confiança de conquistar três pontos.

Empate foi pouco para o Tigre em Joinville

21 de maio de 2016 2

O Criciúma perdeu uma grande chance de fazer três pontos no jogo com o Joinville, o clássico catarinense da rodada na Série B.

A chuva e o frio contribuíram para um jogo de baixa qualidade técnica e público de apenas mil e quinhentos torcedores.

A já conhecida limitação ofensiva do Joinville facilitou o trabalho da defesa do Tigre, que apesar de atacar pouco no primeiro tempo ainda teve as chances mais claras para abrir o placar.

O segundo tempo foi todo do Criciúma, que ficou com um jogador a mais aos 15 min, depois da expulsão de Bruno Aguiar. Faltou, porém, acertar as finalizações para confirmar a superioridade.

Resultado ruím para o Joinville. Poderia ter sido melhor para o Tigre.