Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 2 junho 2016

A força da Chapecoense na arrancada da Série A

02 de junho de 2016 0

A vitória diante do Coritiba foi importante para a Chaoecoense se manter entre os primeiros e recuperar os pontos do empate com o Santa Cruz em casa, mas da maneira que foi conquistada tem valor ainda maior.

Fazer quatro gols fora se casa e ver o artilheiro Bruno Rangel marcar três, não é todo dia que acontece.

A Chape vai colhendo o resultado de seu ótimo planejamento.

A primeira vitória do Figueira

02 de junho de 2016 7

O jogo foi bastante movimentado no Orlando Scarpelli, com vários lances para os dois times e o Figueira conquistou a primeirta vitória, além de acabar com um tabu de 10 anos sem vencer o São Paulo.

Rafael Moura

O Figueira entrou com três novidades no time- Marquinhos na zaga, Ferrugem como segundo volante e Dudu no ataque – e partiu para cima do São Paulo, dominou o primeiro tempo e abriu o placar com mais um gol de Rafael Moura.

As principais jogadas saíram pela direita com Ermel e Ayrton, além dos deslocamentos de Dudu e Ferrugem. Por lá Ermel cruzou para a abertura do placar. Antes do gol o árbitro não marcou pênalti de Matheus Reis, quando o chute de Ayrton tocou em sua mão.

Pressionado no próprio campo , o São Paulo quase não atacou.

Defesa

O São Paulo cresceu no segundo tempo com a entrada de Kelvin e depois Rogério, pressionou o Figueirense por 15 min, mas não conseguiu fazer o gol.

Nas duas chances mais claras, Alan Kardec errou o cabeceio na linha da pequena área e Kelvin acertou o travessão, já no final da partida.

A lesão de Ferrugem prejudicou o meio-campo , por que Renato não entrou bem, mas o Figueirense conseguiu jogar um pouco a partir dos 20 min e teve duas chances claras para ampliar, porém Lins e Bady não aproveitaram.

O jogo terminou aberto e tenso, mas o Figueira conseguiu segurar a vantagem.

Destaques

Rafael Moura, pelo gol e presença na proteção de bola no ataque, mais uma vez fez boa partida.

Ermel, no primeiro tempo, puxou as principais jogadas de ataque.

Ferrugem , mudou a dinâmica do meio-campo, com boa marcação e passagens pela direita, antes de se machucar.

Ayrton foi bem no apoio, participando das principais jogadas ofensivas.

Os melhores do Figueira estiveram na zaga. Marquinhos voltou comandando a defesa e ganhando as jogadas aéreas, mas foi Bruno Alves quem mais apareceu. Nada passou por ele, que foi o cara do jogo.

Apito

Jean Pierre Gonçalves não marcou pênalti e deixou de aplicar cartão velmelho a Lugano e amarelo a Matheus Reis. Errou também na marcação de faltas e mostrou insegurança para comandar o jogo. Uma péssima arbitragem.