Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Chape garante todas as vantagens e Figueira afasta rebaixamento

15 de abril de 2017 1

PRIMEIRO

A oitava rodada antecipou a decisão do segundo turno e confirmou o favoritismo da Chapecoense, que fez 2 a 0 no Joinville e sobrou nesta fase. A combinação de resultados também garantiu o primeiro lugar geral, dando a vantagem de jogar a segunda partida da final em Chapecó, além de ficar com o título caso ocorrer igualdade de pontos e saldo.

TROPEÇO

O Avaí vacilou diante do Barroso, perdeu em casa e deixou escapar a possibilidade de fazer o último jogo na Ressacada. Restou limpar os cartões de cinco jogadores para a decisão.

SALVOU

O Figueirense segurou o empate em Tubarão, resultado que salvou os dois times, apresentando péssimo futebol. Resta o consolo de afastar o risco de rebaixamento e ficar livre para planejar a Série B.

QUEDA

A última rodada será a do rebaixamento. Inter com 16, Barroso e Metrô com 15 pontos, travam a batalha da permanência.

Comentários (1)

  • Paulo Cesar da Rosa Romão diz: 17 de abril de 2017

    Bom dia. Não semana passada, escrevi nos comentários do blog do Janniter e para o programa Debate Diário, sobre a situação do jogador Vinícius Pacheco não ser escalado como titular do Avaí, apesar da decadencia técnica e física do Marquinhos. Mas, como a imprensa local, especialmente a CBN, vive a fazer lobby para o Marquinhos, o comentário foi desdenhado. Os jornalistas ao invés de analisar sériamente a evidente decadencia técnica do Avaí, preferiram ficar entoando loas ao dito ‘craque’ Marquinhos. O Avaí, no segundo turno, tornou-se um time absolutamente previsível e presa fácil de seus adversários. Na minha modesta opinião, em razão de o técnico não utilizar o elenco que tem em mãos e insistir com os mesmos jogadores que se acomodaram na titularidade. Cabe perguntar ao técnico do Avaí qual é o problema de o Marquinhos ficar no banco do time e dar lugar para aqueles que estão em melhor condições físicas e técnicas? De novo ontem, jogando muito mal, o jogador só foi substituído ao 15 minutos da etapa final; e ainda saiu contrariado, sem cumprimentar o seu substituto e não ficando nem no banco para incentivar os companheiros; uma atitude antidesportiva e de desrespeito aos seus companheiros de equipe e ao técnico; ainda mais ele sendo o capitão. O Avaí vai acabar perdendo um título que estava em suas mãos por falta de atitude do técnico e por manter e dar cobertura a um jogador mimado, egocentrico e sem nenhuma autocrítica, que se acha o dono do time. Como torcedor do Avaí há 55 anos lamento profundamente esta situação. Obrigado.

Envie seu Comentário