Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de outubro 2018

Leão conquista vitória gigante em Goiânia

26 de outubro de 2018 0

O Avai fez em Goiânia, no estádio Olímpico, uma de suas melhores atuações na Série B, até agora, e ainda diante de um dos melhores times da competição.

O placar de três a zero começou a ser construído nas primeiras ações do jogo. Antes de dois minutos Getúlio recebeu na esquerda, tentou duas vezes e abriu o placar. Aos cinco minutos Getúlio recuperou a bola e tocou para Renato. Ele cobriu o goleiro e aplicou uma ducha gelada no time e na torcida do Goiás.

A partir da vantagem de dois gols o Avai não correu mais riscos o jogo inteiro. Pelo contrário, esteve sempre mais perto de mais gols. O terceiro saiu logo no início do segundo tempo e abafou a tentativa de reação do Goiás. Matheus Barbosa abriu para Renato, ele cruzou no pé de Daniel Amorim que não deixou escapar a oportunidade.

A defesa estava intransponível, apesar da insegurança de Koslinski em alguns lances, o meio-campo marcou de forma incansável e acionou bem o ataque. Os três atacantes -Getúlio, Daniel Amorim e Renato- foram decisivos com bons lances e um gol cada.

A estratégia do técnico Geninho foi muito facilitada pelos gols logo no início, mas a força mental do Avai impressionou diante de um adversário qualificado.

Individualmente, todos apresentaram desempenho alto, mas Getúlio e Matheus Barbosa estiveram perto da perfeição.

A arbitragem, que preocupava antes do jogo, foi muito bem. Caio Max Vieira não cometeu erros.

Sem escolher adversário e estádio para vencer, o Avai se aproxima com força do acesso.

Apoio da torcida do Avai não foi suficiente para vencer o Oeste

21 de outubro de 2018 0

O lance de pênalti no final da partida ficou tão importante e gerou tantas reclamações por que o Avaí não fez antes o que deveria fazer.

Favorito, jogando com o apoio de 10 mil torcedores e diante de um adversário limitado, o Avaí não repetiu as atuações recentes e lembrou o desempenho do primeiro turno, quando não vencia em casa.

Sem espaço para a velocidade de Renato e Getúlio, as jogadas pelos lados foram raras e apenas quando tinha o apoio de Guga e Capa. Marquinhos não brilhou pelo meio e a chegada de trás do voltante Judson foi o caminho para finalizações. Muito pouco para quem tinha vantagem técnica em campo.

O time jogou apressado e ansioso facilitando a vida do Oeste. Renato abriu o placar no final do primeiro tempo, mas logo depois do intervalo Conrado empatou.

Foi pênalti em Jones no final, mas não tão claro como as reclamações indicavam. Só depois de ver a imagem por ângulo mais próximo dá para perceber o leve toque do jogador do Oeste no pé de Jones. A presença de Guga no lance também deve ter ajudado a confundir o árbitro, Daniel Bins.

Tirando a velha teoria da conspiração que aparece nesses momentos, fazer barulho é válido para evitar prejuízos futuros.

Apesar do empate a chance de acesso continua boa e só depende do Avai.

Ponte mantém Figueira balançando na Série B

19 de outubro de 2018 0

O Figueirense segue batendo recordes negativos na Série B. Com a derrota para a Ponte Preta, por 2 a 1, em Campinas, chega a oito jogos sem vitória. O técnico Rogério Micali comandou o time em seis jogos e ainda não venceu.

O posicionamento pouco adequado da defesa, deixando as laterais abertas e os zagueiros sem cobertura, além da opção do técnico que deixou Ferrareis no banco, facilitaram as ações da Ponte Preta, que, jogando em contra-ataque, abriu logo o placar com André Luiz e perdeu mais três chances claras antes do intervalo.

O Figueirense pouco ameaçou a meta do goleiro Ivan.

O segundo tempo começou como o primeiro. A Ponte não perdeu tempo e ampliou com gol de cabeça do zagueiro Léo Santos, depois de cobrança de escanteio.

Na sequência, também de cabeça, Trevisan descontou para o Figueirense. A Ponte mexeu no time e caiu de produção, principalmente com a saída de André Luiz. O Figueirense melhorou quando Matheus Sales foi para a lateral-direita, Marco Antônio entrou no meio e, principalmente, Ferrareis na esquerda.

O trabalho de bola cresceu e Elton teve chance de empatar, mas o goleiro Ivan evitou. A Ponte também teve chances e poderia ter ampliado em três lances.

No resumo do jogo , a Ponte mais deixou de fazer um placar folgado que o Figueirense chegar perto do empate.

Empate escrito com muitos erros no Orlando Scarpelli

13 de outubro de 2018 0

Figueirense e Coritiba fizeram um jogo de muitos erros e poucos acertos no Orlando Scarpelli. O desespero das equipes, longe da zona de classificação na Série B, contribuiu para uma partida de baixa qualidade técnica.

O erro de marcação do Coritiba no último minuto do primeiro tempo deu a chance de Felipe Amorim abrir o placar.

O erro da zaga, goleiro e cobertura do lateral, permitiu o gol de empate de Guilherme, no primeiro minuto do segundo tempo.

O erro do goleiro Wilson deu um pênalti ao Figueirense. O erro de João Paulo batendo o pênalti na trave impediu a vantagem.

O erro do goleiro Denis, que rebateu uma bola nos pés de Paredes, permitiu a virada do Coritiba.

Outro erro do goleiro Wilson, que soltou uma bola nos pés de Elton, deu o empate ao Figueira.

De erro em erro o Figueirense vai se despedindo da luta por acesso e o Coritiba parece seguir o mesmo caminho.

Vitória em Campinas aproxima Avaí do acesso

13 de outubro de 2018 0

O Avaí sofreu em Campinas, mas não foi por jogar mal ou por que o Guarani foi superIor. Sofreu pelo desperdício.

Na vitória, por 2 a 1, no Brinco de Ouro, o Avaí só não fez um placar folgado por que perdeu muitas chances, principalmente no segundo tempo.

O Avai defendeu bem antes do intervalo, abriu o placar, teve outras chances, mas permitiu o empate em chance única do Guarani. Felipe Maya fez de cabeça após cobrança de escanteio.

O segundo tempo foi mais movimentado e com muitos lances para os dois times.

No melhor momento do Guarani a trave evitou o gol da virada em chute de Bruno Mendes.

Getúlio, autor do primeiro gol, perdeu a chance do terceiro na frente do goleiro. Renato, autor do segundo gol, perdeu um pênalti. Lances que deixaram o Guarani vivo até o final.

Isso obrigou Koslinski a fazer duas defesas difíceis para evitar o empate, quando já estava 2 a 1.

Foi uma boa atuação do Avaí, com destaque para Koslinski, Ayrton, Renato, Getúlio e Rodrigão, este o melhor em campo.

Uma vitória que coloca o Leão de cara com o acesso.

Leão vence e mantém posição no G-4

05 de outubro de 2018 0

O Avai confirmou o favoritismo, mas não teve vida fácil diante do limitado time do Boa, na vitória por 2 a 0 na Ressacada.

E a pressão que sofreu no jogo não foi por que o Boa atacou com perigo, mas por que não aproveitou as muitas chances que teve para garantir logo a vitória.

O primeiro tempo foi de bolas na trave, pênalti não marcada e gol de Getúlio, abrindo o placar. Depois do intervalo o Boa teve jogador expulso, o árbitro , Marielson Silva, marcou pênalti para o Avai em lance fora da área, Rodrigão perdeu, e, apenas aos 42 min, Luan Pereira garantiu a vitória.

Sem muitas destaques individuais, Getúlio foi o jogador mais importante do Avai.

A falta de aproveitamento quase complicou um jogo fácil, mas, no final, o Leão garantiu a vitória, manteve a posição no G-4 e avançou mais um pouco rumo ao acesso.

Figueira afunda em São Luiz

02 de outubro de 2018 0

O Figueirense deu, em São Luiz do Maranhão, um passo decisivo para sair da disputa por acesso nesta temporada. Foi um jogo horrível e marcado por muitos erros dos dois times.

O Figueira mostrou todas as deficiências de um time que foi se desmontando ao longo do campeonato e desmoronou depois da saída do técnico Milton Cruz.

Entrou mal escalado, por falta de força e marcaçao, desmobilizado e desinteressado, deu espaços, sofreu o gol e reagiu pouco e tarde, porque criou algumas chances apenas na reta final do segundo tempo. As alterações também foram pouco adequadas para o que o time estava precisando. Juninho terminou a partida como o homem de referência no ataque.

O Sampaio Corrêa não tomou conhecimento, fez a sua parte e poderia ter feito muito mais já que perdeu muitos gols depois do intervalo.

Rogério Micale nada acrescentou ao Figueirense até agora, parece perdido e sem capacidade de motivação do grupo para tentar , ao menos, vencer os jogos com luta e superação, característica forte da Série B.