Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Marquinhos e Romulo comandam classifição do Avai na Copa do Brasil

23 de fevereiro de 2018 0

O Avai conseguiu o melhor resultado da temporada, até agora, ao vencer e eliminar o Juventudade da Copa do Brasil no Alfredo Jaconi.

Depois de jogar na defesa o primeiro tempo inteiro, com destaque para o goleiro Koslinski que fez boas defesas e sem finalizar no ataque, o Avai mudou a história do jogo após o intervalo.

O crescimento do time e a mudança de atitude teve participação decisiva de Romulo e Marquinhos, que entrou no segundo tempo.

Romulo cruzou e Marquinhos abriu o placar com gol de peito. Na sequência Marquinhos ajeitou na entrada da área para Romulo bater no canto e fazer 2 a 0.

Vitória que alivia a situação do técnico Claudinei Oliveira, coloca um milhão e quatrocentos mil reais no cofre do Clube e remotiva o torcedor para os confrontos com o Fluminense na próxima fase.

Gol de Cleberson no final garante o Figueirense na Copa do Brasil

21 de fevereiro de 2018 0

O Figueirense passou por mais um teste forte da temporada e manteve a invencibilidade, agora de 14 jogos, com vitória emocionante diante do Oeste no Orlando Scarpelli.

O primeiro tempo foi tranquilo para o Figueirense, que comandou as ações com mais posse de bola e presença ofensiva. André Luis, depois de ótima jogadada de Renan Motta e João Paulo na esquerda, abriu o placar. Antes , Samuel sofreu pênalti, mas o árbitro marcou fora de área.

O jogo começou a mudar quando Rafael Cruz empatou, ainda no primeiro tempo.

O Oeste voltou do intervalo com atitude diferente. Partiu para cima, desestabilizou o Figueirense e criou duas ótimas oportunidades para virar o placar. Careca chutou para fora o lance que criou sozinho e o goleiro Denis salvou o cabeceio de Lidio.

O Figueirense nada conseguia criar e só melhorou um pouco com a entrada de Jorge Henrique e Ermel. A vitória saiu de uma cobrança de falta aos 45 min. Jorge Henrique cruzou na área e Cleberson desviou de cabeça.

Vitória e comemoração intensa dos jogadores e torcedores, por que o risco de ser eliminado foi iminente.

Individuais

Zé Antônio e Betinho mantiveram o nível das atuações e comandaram o meio-campo, mas o zagueiro Cleberson, firme em todos os lances e ainda autor do gol da vitória foi o grande destaque do Figueirense.

Habilidoso, Leonardo foi melhor do Oeste.

André Luís decide e Figueira segue líder e invicto

18 de fevereiro de 2018 0

O Concórdia complicou o jogo para o Figueirense no Orlando Scarpelli, mas não resistiu às falhas da defesa e a artilharia de André Luís, que fez os dois gols da vitória por 2 a 1.

O Figueirense ficou sem ações rápidas diante da forte marcação do Concórdia e, no primeiro tempo, criou apenas uma chance e aproveitou. André Luís tocou de cabeça o escanteio bem cobrado por Victor Cedron.

O Concórdia foi mais ao ataque no segundo tempo, tirou zagueiro e colocou atacante, sempre buscando o empate. O Figueirense, que já havia perdido Betinho e Maikon Leite com lesões musculares, ficou na defesa até sofrer o gol. Ramon aproveitou um rebote na área e tocou sem goleiro.

Desarrumado em campo, o Figueirense aproveitou um erro do zagueiro Marcio para garantir a vitória, a invencibilidade e liderança. André Luís driblou o goleiro e comemorou.

Sem muito brilho, mas com muita eficiência, o Figueirense vai garantindo a condição de finalista, agora com 7 pontos à frente do terceiro colocado, o Avai.

Estreia

O peruano Victor Cedron estreiou no meio-campo do Figueira. Canhoto, foi bem no toque de bola e na cobrança de escanteio, mas faltaram passes importantes e finalizações.

Apito

Apesar da indecisão no gol do Concórdia- o assistente, Jianlucca Perrone, deu impedimento e depois de conversa com ele o árbitro Diego Cidral confirmou- a arbitragem foi bem no Orlando Sacrpelli.

Avai se recupera com mais uma vitória fora de casa

15 de fevereiro de 2018 0

O Avai iniciou o jogo com seis alterações, voltou a ser um time forte na defesa e saídas rápidas ao ataque, conseguindo, desta forma reativa, adaptar-se ao que exigia o jogo diante do Brusque – muita pegada – e vencer novamente fora de casa.

Lovat na lateral-esquerda e Luan no meio-campo reforçaram a marcação, enquanto Romulo no lado do campo foi mais eficiente do que quando jogou centralizado.

Firme na defesa, o Avai contou com batida potente de Judson da intermediária, para abrir o placar no primeiro tempo. Foi um golaço. Depois Romulo fez grande lance na direita e rolou para Getúlio ampliar. Antes do intervalo ainda , Douglas Silva descontou.

O jogo continuou controlado pelo Avai no segundo tempo e Guga aproveitou apoio pela direita para arriscar chute de longe. O goleiro Dida estava adiantado e a bola entrou. Outro belo gol.

Judson, pela marcação e o golaço, além de Romulo, pelo lance do segundo gol e a luta para ajudar Guga na marcação, foram os destaques do Avai.

Vitória que mantém o Leão com a possibilidade de terminar o turno colocado na liderança, mas precisa vencer em Chapecó, domingo.

Apito

Rodrigo D’Alonso Ferreira fez boa arbitragem, sem erros significativos nas interpretações dos lances e aplicando bem os cartões.

Empate sem emoção no Orlando Scarpelli

14 de fevereiro de 2018 0

O encontro dos dois melhores times do campeonato até agora frustrou a expectativa no Orlando Scarpelli. Figueirense e Chapecoense ficaram devendo. O empate sem gols foi melhor para o Figueira, que continua invicto.

Cautela

A preocupação com a marcação predominou no primeiro tempo, principalmente do Figueirense, que mesmo jogando em casa esperou a Chape e buscou contra-atacar.

As ações de ataque da Chape ficaram concentradas no lateral Apodi. Do lado do Figueirense em Maikon Leite, os dois jogadores mais velozes em campo.

Embora com mais posse de bola, a Chape pouco criou. O lance mais perigoso foi um cabeceio de W. Paulista, que passou longe.

O Figueirense teve um chute perigoso de Maikon Leite, depois de linda arrancada pela direita.

Mas o que prevaleceu foi a marcação e o futebol de pouca qualidade e sem emoção.

Continuação

O segundo tempo não foi diferente, embora a Chapecoense tenha colocado força no ataque com a entrada de Bruno Silva e Guilherme. O time insistiu e aumentou o número de finalizações, porém terminou a partida sem criar um grande lance para fazer o gol.

O Figueirense limitou-se a defender o resultado, principalmente depois que Milton Cruz tirou Maikon Leite, único que tinha chance de uma jogada de velocidade no ataque, para a entrada de Henan. Restaram alguns lances de Ferrareis, mas não o suficiente para criar um lance sequer de finalização.

Jogo fraco tecnicamente, sem emoção e sem destaques individuais, mas com resultado melhor para o Figueirense que mantém a liderança.

Apito

Acompanhando os lances de perto, aplicando bem os cartões e interpretando corretamente os lances mais difíceis na área, Leandro Messina Perrone, fez ótima arbitragem.

Avai tropeça novamente na Ressacada

12 de fevereiro de 2018 0

O Avai voltou a jogar mal e apenas empatou com o Tubarão na Ressacada, resultado que descola o time dos primeiros colocados.

Atropelado

Marquinhos disse que o Tubarão atropelou o Avai no primeiro tempo. Foi uma boa definição para mostrar a superioridade do Tubarão que tocou a bola sem resistência, criou quatro chances de gol, apesar de ter feito o gol de forma irregular. Batista estava impedido quando recebeu toque de calcanhar de Daniel Costa.

O Avai não finalizou nenhuma vez antes do intervalo.

Reação

O Avai cresceu no segundo tempo com a entrada de Lourenço no meio e Luanzinho do lado esquerdo, mas só empatou depois de Bryan Uruenha substituir Martinuccio, de péssima atuação.

Mais veloz e criativo, principalmente pela esquerda com Luanzinho, o Avai criou boas jogadas, empatou com gol contra- em lance com a participação de Luanzinho e Uruenha- até os 30min, mas depois voltou a dimuir o ritmo e quase sofreu o segundo gol.

O Tubarão terminou a partida mais inteiro e perdeu a chance de vencer quando Batista chutou por cima na frente do goleiro Koslinski, que com três defesas difíceís, foi o melhor do Avai.

O Tubarão teve vários destaques e Daniel Costa, que comandou o toque de bola, foi o melhor jogador em campo.

Figueira dispara na liderança com virada em Lages

07 de fevereiro de 2018 0

O Figueirense manteve o revezamento de jogadores, o desempenho e, apesar do péssimo primeiro tempo, o resultado também.

Desligado

O jogo no Vidal Ramos, em Lages, teve amplo domínio do Internacional no primeiro tempo. Irreconhecível, o Figueira assistiu ao Inter abrir dois de vantagem, gols de Rafhael Lucas-
de pênalti- e outro de cabeça.

O Figueirense entrou no jogo apenas aos 45 min da primeira etapa. Nogueira descontou depois de cobrança de escanteio.

Reação

O Inter começou a cansar e o Figueira voltou mais organizado depois do intervalo.

As chances foram aparecendo, mas a bola só entrou depois das alterações. O Inter piorou com as mudanças, o Figueira, ao contrário cresceu, principalmente com a entrada de Ferrareis e Henan.

Henan empatou a partida e Ferrareis fez a jogada para o gol da virada de André Luiz, aos 45 min.

Pereira, com forte marcação no meio campo e alguns lances produtivos no ataque, foi o cara do jogo.

O Figueira dispara na liderança e continua invicto, um início de temporada dos sonhos.

Jorge Henrique decide e Figueira agora é líder

04 de fevereiro de 2018 0

O Figueirense demorou para fazer o gol, 39 min do segundo tempo, considerando que jogava bem, mas garantiu a invencibilidade na temporada e, agora, a liderança do Estadual com a vitória diante do Joinville no Orlando Scarpelli.

Defesa

O Joinville exigiu muito do Figueierense, mantendo bom posicionamento na defesa o tempo inteiro e , também, com chegadas perigosas ao ataque. A defesa foi mais eficiente do que o ataque e garantiu o empate sem gols no primeiro tempo.

Henan teve as duas melhores chances do Figueira e não aproveitou. O Joinville chegou com Elias e Thiago Alagoano, mas eles também erraram a trave.

Jorge Henrique

O Figueirense manteve o desempenho no segundo tempo e cresceu mais ainda quando Jorge Henrique entrou na vaga de João Paulo. O Joinville continuou forte na defesa, porém não teve mais jogadas perigosas no ataque.

Henan, novamente, perdeu a melhor chance antes do Figueira abrir o placar, lance que nasceu de falta cobrada por Maikon Leite e contou com cabeceio indefensável de Jorge Henrique.

Destaques

No Figueirense, Raul, Cleberson e Maikon Leite foram bem, mas quem mudou a história da partida foi Jorge Henrique, não só pelo gol, mas, também, por ótimos passes assim que entrou. Ele foi o cara do jogo.

O goleiro Matheus e o meia/atacante Thiago Alagoano foram os melhores do Joinville.

Apito

Apesar de demorar para tomar algumas decisões, Héber Roberto Lopes fez boa arbitragem e controlou bem algumas reclamações, principalmente, no segundo tempo.

Concórdia vence na Ressacada e complica planejamento do Avai

31 de janeiro de 2018 1

O Avai fez das piores atuações recentes na Ressacada e acabou perdendo para o Concórdia por 2 a 0, comprometendo a campanha, nesta fase inicial do campeonato Catarinense. Gelson e Paulinho, no primeiro tempo, fizeram os gols do Galo do Oeste.

O Concórdia apostou em três zagueiros e muita marcação na frente da área e , com esta estratégia , bloqueou o time do Avai em todos os setores. O time de Mauro Ovelha foi quase perfeito o jogo inteiro na marcação, facilitada pela limitação ofensiva do Avai.

O Leão não teve jogadas dos laterais, pouca participação de Marquinhos e André Moritz, além de impotência total no ataque e, como se não bastasse, ainda teve os vacilos do goleiro Koslinski, que ajudaram a afundar o time.

Além da derrota, uma atuação incrivelmente fraca do Avai, que, agora, precisa contar com tropeços de Figueirense ou Chapecoense para não descolar da ponta da tabela.

Desempenho, também, que deve fazer o técnico Claudinei Oliveira rever algumas posições, como goleiro e atacantes.

O Concórdia pode ter encontrado a melhor formação para lutar contra o rebaixamento.

Avai busca o empate três vezes, mas resultado do clássico foi melhor para o Figueira

28 de janeiro de 2018 0

O clássico, como sempre, não foi brilhante tecnicamente, teve até momentos de pouca qualidade, mas os últimos minutos valeram pelo jogo inteiro. A emoção tomou conta das duas torcidas a partir dos 34 min do segundo tempo, mas o resultado salvou todos.

Primeiro tempo

Os dois times entraram com formações ofensivas, mas quem procurou jogar no ataque o tempo todo foi o Avai, apesar de sofrer com os espaços que deixou na defesa.

O gol do Figueirense no início reforçou a ideia de jogo dos dois treinadores: Avai atacando e Figueirense no contra-ataque, mas faltou criatividade, embora o jogo não fosse truncado.

Apenas três chances claras de gol surgiram antes do intervalo. Uma do Figueirense, duas do Avai.

O Figueira aproveitou a única chance e fez o gol aos 10 min. Judson derrubou Felipe Amorim e João Paulo bateu o pênalti no canto para abrir o placar.

Romulo de cabeça quase empatou para o Avai, mas somente no último lance do primeiro tempo saiu o gol. A defesa do Figueirense se confundiu na marcação e Maurinho acertou o canto, sem chance para o goleiro Denis.

PRIMEIRO TEMPO

A estratégia dos treinadores não mudou no segundo tempo, mas nenhuma finalização perigosa foi disparada até os 34 min, quando o jogou mudou drasticamente. Martinuccio já havia entrado no time do Avai e Ferrareis no Figueirense.

Samuel esticou a jogada no ataque, o zagueiro Betão vacilou e Ferrareis, mais esperto, tocou na saída do goleiro para fazer o segundo. Demorou pouco a vantagem do Figueira.

Marquinhos, logo depois, bateu escanteio e Alemão acertou cabeceio perfeito no canto. Tudo igual, mas não estava decidido.

Falta para o Figueirense, bola na área, Alemão falha, Koslinski salva, mas Nogueira faz o terceiro, já sem goleiro. Faltando pouco tempo, parecia que o Figueira venceria, mas o Avai não desistiu e foi buscar o empate pela terceira vez no jogo.

Getúlio ganhou da defesa, driblou Denis e foi derrubado pelo goleiro. Marquinhos Bateu o pênalti e empatou nos últimos instantes.

Um final de jogo para matar do coração e um resultado adequado ao que os dois times fizeram em campo, o Figueirense pela vantagem que sempre teve no placar e o Avai pela atitude de buscar o resultado sem desistir.

Na tabela, melhor para o Figueirense que continua colado na Chape com 10 pontos, três a frente do Avai.

Destaques

O jogo não teve nenhum jogador decisivo, mas Marquinhos do Avai e Betinho do Figueirense foram dos poucos que mantiveram bom desempenho o tempo inteiro.

Apito

O árbitro Braulio da Silva Machado teve ótima atuação , acertando nos lances fundamentais, apitando próximo das jogadas e conduzindo bem o aspecto disciplinar, apenas errando em um cartão amarelo aplicado a João Paulo, quando ele tocou a bola e não o adversário. Os assistentes não foram muito exigidos, mas acertaram tudo.