Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Romulo comanda a vitória do Avai em Varginha

15 de junho de 2018 0

O Leão segue no G-4 e continua vencendo mais fora que em casa. Em Varginha, diante do Boa, o time soube impor a melhor condição técnica e encaminhou a vitória antes do intervalo quando abriu vantagem de dois gols.

O jogo foi de pouco qualidade e o Avaí não repetiu as atuações recentes, mas foi eficiente no primeiro tempo e , mantendo seu estilo de time rápido na definição das jogadas, esperou o Boa e aproveitou bem as poucas chances que surgiram.

Romulo, o destaque do jogo, foi responsável direto pelos gols. O primeiro ele fez e o segundo serviu Renato que ampliou.

No segundo tempo o Leão administrou a vantagem e, apesar de alguns lances perigosos do Boa, que exigiram o goleiro Aranha, não teve muitos problemas para garantir a vitória.

O prejuízo para a próxima partida foi a expulsão de Rodrigão, que recebeu o segundo amarelo em lance que poderia ter evitado. Foguinho do Boa também foi expulso.

Terça-feira o jogo é com o Guarani na Ressacada.

Figueira segura o placar e a vaga no G-4 diante do Sampaio Corrêa

12 de junho de 2018 0

O Figueirense conquistou a vitória, manteve a presença no G-4 e ainda presenteou o torcedor na comemoração de 97 anos, mas o jogo foi dos mais complicados até agora na Série B.

O gramado encharcado já indicava mais dificuldade para o Figueira, que com uma equipe baseada na técnica, tem sofrido em jogos com campo molhado.

O gol de Nogueira aos 6 min parecia indicar uma partida menos complicada, mas a possibilidade não se confirmou.

O Sampaio Corrêa adiantou o time , pressionou a saída de bola, forçou pela esquerda, criou vários lances perigosos e ainda foi para o intervalo com um jogador a mais em campo por que Zé Antônio foi expulso ao dar carrinho violento em Bruninho.

O Figueirense voltou para o segundo tempo disposto a segurar o placar. Renan Motta ficou no vestiário e Pereira entrou na posição de volante, depois dos 35 min e zagueiro Eduardo entrou na vaga João Paulo.

Foi assim, como muita luta e marcaçao, que o Figueira segurou a pressão do Sampaio. Construiu apenas jogadas eventuais no ataque e um lance de gol iminente. André Luís ficou livre e chutou em cima do goleiro.

Individualmente, destaque para Ferrareis, que comandou as principais jogadas do ataque, Denis com boas defesas e segurança mesmo com a bola molhada, Jorge Henrique, incansável no meio-campo e Cléberson. O zagueiro foi o craque do jogo e responsável direto por o Sampaio Corrêa não ter feito gol no Orlando Scarpelli.

No final, apesar da atuação fraca, o torcedor aplaudiu, reconhecendo a luta do time.

Os desafios do Figueira ao completar 97 anos

12 de junho de 2018 0

O Figueirense completa 97 anos consolidado com uma das principais equipes do futebol do país, posição que é resultado de uma história de muito trabalho e conquistas que orgulha a sua imensa torcida. As constantes participações na Série A a partir de 2001 colocam o mais vezes campeão de Santa Catarina em destaque no ranking da CBF, deixando para trás muitas equipes tradicionais do nosso futebol.

Mas se ao longo do tempo o clube nunca deixou de crescer, agora está diante de um dos seus maiores desafios de todos os tempos: buscar títulos nacionais e construir uma arena moderna.

Sim, o estádio Orlando Scarpelli, que impulsionou o clube na década 60, agora já não atende mais a exigência de conforto e segurança ao torcedor, além da limitação comercial. E , tecnicamente, os títulos estaduais já não satisfazem plenamente o exigente torcedor que quer ver o time voando mais alto.

O momento do time é bom, com trabalho forte do técnico Milton Cruz e boas chances de voltar á Série A, porém as metas ambiciosas ainda estão distantes. Os dirigentes históricos saíram da gestão e apostaram em nova parceria. O clube tenta novamente o caminho da gestão empresarial, que foi experimentado com a Figueirense Participações, mas não durou muito tempo.

A transformação do clube em Sociedade Anônima ainda engatinha. Dez meses depois de firmada a parceria com a Elefhant de Claudio Vernalha a situação financeira continua apertada e com atrasos seguidos de salários.

A dificuldade do momento era esperada por que a dívida de R$ 100 milhões, grande parte herança da gestão de Wilfredo Brilinguer, emperra muitos projetos. Mas o futebol é dinâmico e a conta chega logo.

A nova gestão dá sinais positivos no futebol, mas ainda deixa muitas perguntas no ar quanto aos parceiros prometidos e capacidade de executar os projetos mais ousados de longo prazo.

De qualquer maneira, uma história encantadora de 97 anos, nada pode apagar.

Em jogo de lances incríveis , Figueira vence o Atlético e entra no G-4

09 de junho de 2018 1

O jogo no estádio Olímpico em Goiânia surprendeu pela quantidade de gols, lances bonitos, vaciladas e possibilidades que apareceram no placar.

Sem Jorge Henrique, principal jogador do time, o técnico Milton Cruz optou por Matheus Sales e João Paulo no meio-campo. O toque de bola, ponto forte do Figueira, foi mantido e o aproveitamento das chances no ataque, também.

O Atlético saiu em cima e, aproveitando falha de Nogueira, quase abriu o placar. Renato Kayser ficou livre e chutou, mas Denis salvou com os pés.

A partir daí o Figueira fez três ataques e três gols em apenas 26 min. Zé Antônio pegou rebote de escanteio na área e abriu o placar. Depois recuperou a bola e puxou o contra-ataque que acabou com gol de Renan Motta, aproveitando cruzamento de Ferrareis, que, na sequência, aproveitou cruzamento de Renan Motta para fazer o terceiro gol.

A vitória parecia encaminhada e com goleada. Ela veio, mas com muitos sustos para o Figueira.

Junior Brandão descontou de cabeça e, ainda antes do intervalo, um erro do árbitro e uma reação desequilibrada do goleiro Denis, começaram a complicar o jogo. Denis estava com a bola e corria para fazer a reposição quando foi bloqueado por um jogador do Atlético. Houve falta, mas o árbitro não marcou. No embalo o goleiro fez a bobagem de empurrar o adversário. Aí a marcação do pênalti foi inevitável. João Paulo bateu e fez o segundo.

O desgaste físico afetou o Figueirense, que já tinha substituído Nogueira e Renan Motta por lesão, no segundo tempo. O Atlético aumentou a pressão e Matheus Sales, com cãimbras não resistiu e acabou substituído por Pereira. Quase ao mesmo tempo o meia João Paulo dominou a bola pela esquerda e fez a pintura do jogo. Um chutaço no ângulo, aos 19 min, e o quarto gol. Mas ainda tinha muita emoção até o final.

Aos 45 min o zagueiro Cleberson desviou chute de Thomaz Bastos e enganou Denis. O gol animou o Atlético que foi para a pressão final já nos acréscimos. O zagueiro Eduardo falhou e deixou Joanderson sozinho. Ele bateu forte , rasteiro, e Denis se recuperou evitando o gol de empate desviando com a mão esquerda uma bola que ainda bateu na trave.

Um jogo de muitos acertos no ataque, mas muitas falhas na defesa, porém, a vitória coloca o Figueira no G-4 e confirma a condição de forte candidato ao acesso, depois de dez rodadas da Série B.

Avai vence o Coritiba e segue no G-4

08 de junho de 2018 0

O jogo foi fraco tecnicamente, teve poucas chances de gol, mas o Avai mostrou eficiência diante do Coritiba e venceu por dois a zero na Resscada.

O Avaí dominou o primeiro tempo, mas poucas vezes conseguiu envolver a defesa do Coritiba. Lourenço estava tímido na ala direita, Capa errava muitos passes e cruzamentos na esquerda. Renato e Matheus Barbosa agrediram pouco pelo meio. Romulo também apareceu pouco. Restou Rodrigão, que não aproveitou as duas chances que teve.

Ao menos a defesa do Leão estava firme, tanto que permitiu apenas duas finalizações do Coritiba e sem muito perigo.

O segundo tempo seguiu em situação semelhante ao primeiro até o gol do Avai. Foi mais uma bola recuperada no ataque. Romulo deu uma assistência perfeita e Capa fez um golaço com toque no ângulo.

O Coritiba reagiu e partiu para cima e quase empatou . Na primeira chance o atacante Alecssandro perdeu e na segunda o goleiro Aranha salvou com os pés. Marquinhos entrou na vaga de Rodrigão no final e liquidou a partida batendo pênalti , marcado de forma equivocada pelo árbitro, quando Renato tropeçou no jogador do Coritiba.

O Leão segue firme no G-4 e , depois de 10 rodadas, vai confirmando a previsão de candidato forte ao acesso.

Avai deixou escapar a vitória no Maranhão

06 de junho de 2018 0

O Avai conquistou um ponto, mas poderia ter voltado com três de São Luiz do Maranhão, porque teve mais possibilidade de fazer gols e ainda saiu na frente do placar.

O time não sentiu muito a ausência de quatro titulares e foi superior ao Sampaio Corrêa, principalmente no primeiro tempo, etapa que só não abriu o placar por falta de aproveitamento no ataque. Guga e Rodrigão perderam as chances mais claras.

No segundo tempo o Sampaio Corrêa melhorou e também criou bons lances, mas ainda foram do Avai as jogadas mais perigosas. Martinuccio perdeu na frente do goleiro e Alemão abriu o placar aos 36 min, cobrando pênalti, mas na sequência o Sampaio empatou, tirando uma vitória que parecia encaminhada naquele momento.

E ainda teve um chutaço de Carlos Alberto, que fez boa estreia, parando no travessão.

Uma boa atuação do Avai, mas ficou faltando a vitória para recuperar o time da derrota em casa para o Criciúma.

Figueira não vence, mais uma , vez no Scarpelli.

05 de junho de 2018 0

O Figueirense – é o terceiro jogo seguido- não vence em casa, apenas empatou com o Londrina em noite de chuva e pouco público no Orlando Scarpelli.

O domínio do jogo até os 30 min, embora sem muitos lances de área, fez o Figueirense abrir o placar através de pênalti batido por Henan, mas que foi mal marcado pelo árbitro, Diego Pombo Lopes.

Jorge Henrique, parado por faltas duras não conseguia criar jogadas, então Renan Motta foi o jogador mais produtivo do Figueira no primeiro tempo. Ele tocou para Ferrareis, que, na frente do goleiro, bateu por cima. Depois, Renan Motta, rolou para Pereira no lance do Pênalti.

O Londrina reagiu no final do primeiro tempo , criou duas chances e empatou com Felipe Marques.

Jorge Henrique, que sentiu uma lesão, não voltou do intervalo e o Figueirense começou o segundo tempo desarrumado, quando escapou de sofrer o segundo gol.

O time melhorou um pouco depois que Daniel Costa substituiu Renan Motta e André Luís entrou na vaga Pereira.

Embora com pênalti de Dirceu em Juninho, não marcado pelo árbitro, e alguns chutes perigosos, o Figueirense não conseguiu o gol.

No final , lamentou o empate, mas sabe que poderia ter sido pior.

Criciúma para o Avaí e vence a primeira

01 de junho de 2018 0

O Criciúma tirou o embalo do Avaí com uma vitória conquistada com muita luta e forte marcação na Ressacada. Foi um jogo com muitos passses errados e raros lances de finalização. Prevaleceu a estratégia do “jogo feio”, escolhida pelo técnico Mazola Júnior.

O Tigre entrou disposto a tirar os espaços e evitar a velocidade de Capa, Guga e Renato, além de dar a bola para os zagueiros do Avaí começarem a jogada. Deu certo o jogo inteiro.

Os zagueiros, e até o goleiro Aranha, cometeram falhas frequentes na saída de bola e o restante do time não jogou.

O jogo foi truncado e enrolado, situação que agradava o Criciúma, que não corria perigo. O Avaí nada criou no primeiro tempo. O Criciúma poderia ter feito o gol quando Aranha entregou, mas Zé Carlos não aproveitou.

O segundo tempo não foi muito diferente, mas o Avaí conseguiu apertar a saída de bola e finalizar algumas vezes. Na melhor chance, Capa perdeu.

O Tigre aproveitou lance que começou com vacilo da defesa do Avaí para abrir o placar. O chute de Victor Feijao desviou no braço de Alemão. Zé Carlos bateu o pênalti e fez o gol da vitória.

O jogo estava tenso e com muitas discussões. André Moritz e Victor Feijão brigaram e foram expulsos.

O Criciúma administrou o placar, catimbou o jogo e fez a primeira vitória na Série B, tirando o favoritismo do Avaí nesta partida.

Figueira empata a primeira na Série B

29 de maio de 2018 0

O Figueirense não repetiu a atuação do jogo com o CSA, sofreu com a forte marcação do São Bento e saiu de Sorocaba com um ponto e fora do G-4.

O primeiro tempo teve pouca qualidade técnica, muitas faltas, muita marcação e poucas finalizações. O Figueirense ficou mais com a bola, mas finalizou com perigo apenas com ótimo chute de Ferrareis. O goleiro defendeu.

Depois do intervalo o jogo melhorou e os dois times finalizaram bastante. O goleiro Rodrigo salvou o São Bento três vezes, mas foi o time paulista que marcou primeiro com o zagueiro Douglas. Juninho, que entrou no segundo tempo, empatou com belo lance individual.

Jorge Henrique, mais uma vez, foi o destaque da partida com ótimos passes para os atacantes.

O resultados poderia ter sido melhor, mas fazer ponto fora de casa sempre é bom.

Ressacada volta a ser a casa da vitória do Avai

25 de maio de 2018 0

O Avai acabou com a sequência negativa em casa com uma vitória que parecia chegar com facilidade pelo início do segundo tempo, quando abriu 2 a 0, mas se complicou com o gol do Payssandu, que nasceu de um pênalti mal marcado pelo árbitro Luiz Bizzio Marinho.

O Avai repetiu no primeiro tempo o desempenho dos jogos recentes, acelerando o jogo pelos lados e chegando com frequência para finalizar. Renato perdeu duas grandes oportunidades, Romulo outra. Então foi preciso um erro da defesa, que deu um presente a Rodrigão, para o gol sair. O artilheiro não perdoou. Ele , mais uma vez, foi o melhor jogador do Avai em campo.

O Payssandu atacou pouco, mas ainda assim teve duas boas chances para fazer o gol. Uma Cassiano não aproveitou e outra o goleiro Aranha evitou.

O primeiro tempo foi muito bom, com o Avai melhor em campo. Depois do intervalo o jogo mudou. O Payssandu foi mais ao ataque e o Avai começou a errar muitos passes no meio-campo, mesmo assim o Leão fez logo o segundo gol. Guga bateu a falta e enganou o goleiro. Parecia que a vitória seria folgada. Não foi.

O Payssandu descontou de pênalti e partiu para cima, obrigando Aranha a fazer três defesas importantíssimas, transformando-se em destaque do jogo. Foi depois de uma grande defesa do goleiro Avaiano, já nos acréscimos, que Rodrigão recebeu a bola no contra-ataque e tocou para Romulo. Ele contou com a falha do defensor para liquidar a partida e comemorar com a torcida.

O Avai mantém o embalo e consolida uma grande arrancando na Série B .