Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Avaí desiste de atacar no segundo tempo e fica só no empate com o Atlético-MG

17 de setembro de 2017 0

O jogo foi muito disputado, mas faltou qualidade técnica e mais lances de gol para ter brilho de grande jogo.

Primeiro tempo

O Avaí, jogando em casa e confiante com os resultados recentes, tentou adiantar um pouco o time e acabou sofrendo com os contra-ataques.

Antes de Simião abrir o placar com belo toque no canto, o Atlético esteve três vezes perto de fazer o gol.

Prevaleceu, porém, o que pretendia o Avaí, que foi para o intervalo com a vantagem.

Segundo tempo

O Atlético partiu para cima, colocou Clayton e Robinho em campo, e tentou o gol de todas as maneiras. Foi ataque contra defesa todo o segundo tempo.

O Avaí não atacava, mas o bloqueio defensivo era perfeito e o Atlético não criava chances para empatar.

Foi assim até os 38 min quando Marcos Rocha cruzou da direita e Otero acertou um cabeceio indefensável para o goleiro Douglas.

Nos minutos finais o jogo ficou aberto e o Avaí voltou ao ataque. Elias fez falta em Capa e foi expulso.

O Avaí não conseguiu aproveitar a vantagem e , mais uma vez não vence na Ressacada, perdendo a oportunidade se afastar do Z-4.

Figueira escapa de goleada no Beira Rio e segue no Z-4

16 de setembro de 2017 0

O Figueirense não suportou as próprias falhas e , embora o bom primeiro tempo, escapou de ser goleado no Beira Rio, por causa dos desacertos do segundo tempo.

Em um jogo que exigia atenção total e o mínimo de falhas defensivas, o Figueirense complicou sua proposta de jogo ao sofrer o gol aos 3 min, vacilo do lateral João Lucas.

O time reagiu e equilibrou o jogo, criou duas chances para empatar, mas Henan e Zé Love não aproveitaram. O bom primeiro tempo não se repetiu depois do intervalo e o Inter tomou conta da partida.

Aos 8 min o goleiro Saulo falhou ao não sair na bola cruzada na pequena área e Leandro Damião aumentou a vantagem. O Inter passou a mandar totalmente na partida e Nico Lopes fez o terceiro. O quarto gol não saiu por que o Inter perdeu 4 chances claras.

O Figueirense, novamente, mostrou fragilidade física no segundo tempo e a situação ficou mais evidente com as substituições inadequadas do técnico Milton Cruz.

Precisando de mais velocidade e presença no ataque ele substituiu Xuxa por Lucas Silva, jogadores parecidos, tirou Henan, melhor atacante , colocando Careca e mantendo Zé Love, que mais um vez teve atuação discreta.

A derrota era prevista, o desempenho do primeiro tempo previsível, mas o segundo tempo foi um desastre do Figueira.

Avai vence o Sport e deixa o Z-4 após 96 dias

10 de setembro de 2017 0

O Avai levou quase ao extremo o lema, ” saber sofrer”, do técnico Claudinei Oliveira, para segurar o placar, fazer a terceira vitória seguida e sair do Z-4, diante do Sport na Ilha do Retiro.

O placar de 1 a 0 foi construído no primeiro tempo, sexto gol de Junior Dutra, e somente no final do jogo o Avai teve outra chance clara, lance que zagueiro Ronaldo Alves tirou o gol no chute de Willians.

O Sport teve ampla posse de bola o jogo inteiro, mas esbarrou nas atuações seguras do goleiro Douglas e dos zagueiros Ayrton e Betão, além de perder chances limpas como ocorreu com o zagueiro Henriquez que, sem goleiro, chutou por cima na pequena área.

O Avai continua com a melhor campanha do segundo turno, atinge uma recuperação surpreendente e dá sinais fortes de que a permanência na Série A tornando-se viável.

Empate com Boa não tira o Figueira do Z-4

08 de setembro de 2017 0

O jogo foi muito disputado em Varginha, mas faltou aproveitamento no ataque para o Figueira vencer, apesar de quase ter pedido o jogo no final.

Vermelhos

O primeiro tempo foi controlado pelo Figueirense, que bem protegido na defesa, conseguiu várias saídas rápidas ao ataque e criou boas chances para fazer o gol.

O zagueiro Marquinhos abriu o placar aproveitando cruzamento de Zé Love da esquerda, na sequência de cobrança de escanteio. Henan e Jorge Henrique também tiveram chances , mas não aproveitaram.

O Boa apenas conseguiu fazer uma pressão inicial, sem muito efeito prático.

Ponto negativo para a confusa arbitragem de Pernambuco. Além de dois impedimentos fáceis de acertar, erros de asssintente, o Figueirense também sofreu com a injusta expulsão de Zé Antônio.

Os dois times ficaram com 10 jogadores para o segundo tempo, porque o Boa também teve um jogador expulso, antes de Zé Antônio.

Abertos

Com menos jogadores em campo, sobraram mais espaços e, com isso, muitas chances surgiram para os dois times depois do intervalo.

O Figueirense teve a chance de ampliar, porém Henan não aproveitou.

O Boa usou sua arma mais forte para empatar. A jogada aérea funcionou na cobrança de escanteio e o zagueiro Marquinhos tocou para trás e fez o gol contra.

Já sem Zé Love e Jorge Henrique , substituídos por Patrick e Luidy, o Figueirense levou perigo em três lances, mas o Boa poderia ter virada quando criou duas chances limpas. Em uma delas o travessão salvou.

Nos acréscimos o Boa ainda teve duas chances para fazer o gol, mas o goleiro Saulo evitou.

Poderia ter sido pior para o Figueira, embora as possibilidades de ampliar o placar no primeiro tempo e logo depois do intervalo.

Um empate pouco comemorado por que não tira o Figueira do rebaixamento.

Os desafios do Avai aos 94 anos

01 de setembro de 2017 0

O Avai tem uma longa e vitoriosa história para contar, dentro e fora de campo, quando completa 94 anos. O Leão transformou-se em um dos principais clubes do país, percorrendo os caminhos do Adolfo Konder á Ressacada, do quase amadorismo ao profissional, das disputas estaduais ao cenário nacional.

Continuar evoluindo é o desafio do momento. Dentro de campo, a manutenção do time na Série A é a meta das metas até o final do ano. No médio prazo a busca de um título nacional é um objetivo que todo torcedor espera.

Na gestão, a missão é aumentar a receita, independente da divisão, para honrar os compromissos e diminuir a dívida, ainda muito alta para a realidade do clube. Missão que o presidente Francisco Battistotti vem cumprindo na ponta do lápis. A dívida gira em torno de R$ 70 milhões.

Construir um centro de treinamento fora da Ressacada é uma necessidade de curto prazo, e aproveitar a área no entorno do estádio para empreendimentos comerciais, como um hotel , por exemplo, é uma oportunidade que pode ser explorada.

Enfim, avaianos, parabéns !! Se o passado foi bom o futuro pode ser ainda melhor.

Avai derrota a Chape e continua subindo na tabela da Série A

27 de agosto de 2017 1

A disposição dos dois times para correr e lutar foi o que mais apareceu no jogo disputado na Ressacada. Melhor para o Avai que criou menos, mas soube fazer o gol.

O equilibrio prevaleceu no início do primeiro tempo, etapa com poucos lances de finalização, mas aos poucos o Avai cresceu e começou a levar perigo. Júnior Dutra tentou duas vezes antes de Joel abrir o placar de cabeça, aproveitando cruzamento de Juan na cobrança de falta.

Com a vantagem no placar a forma de jogar do Avai ficou mais acentuada, apostando tudo na defesa. A Chape arriscou mais e foi para cima no segundo tempo quando criou boas chances, mas não aproveitou. Betão tirou uma bola quase dentro do gol, a trave parou o cabeceio de Wellington Paulista e o goleiro Douglas evitou o gol no chute de Apodi.

No geral, faltou eficiência ao ataque da Chape e, como sempre, o Avai foi eficaz para suportar a pressão e aproveitar uma das poucas chances que criou.

Braulio da Silva Machado fez excelente arbitragem, sem interferir nos principais lances e conduzindo com rigor a disciplina do jogo.

O Avai ainda não saiu do Z-4, mas continua subindo na tabela. A Chape continua descendo na classificação, embora o desempenho do time não vem sendo tão baixo.

Figueira vence em noite de reencontro com a torcida

26 de agosto de 2017 1

O Figueirense viveu uma noite de reencontro no Orlando Scarpelli. Primeiro com o torcedor e depois com a vitória.

Mais 7 mil 800 torcedores, melhor público em casa na Série B, empurraram o time para a vitória por 2 a 1 diante do Guarani.

O jogo foi duro e o time sofreu para vencer. Além do retorno de Marco Antônio, Marquinhos, Jorge Henrique, Lazzaroni e Dudu, que não jogavam havia trinta dias, ocorreram as estréias de Abuda e Xuxa, e mais retorno do lateral João Paulo, que não jogava desde março. Com tudo isso, faltou entrosamento, mas o time conseguiu a esperada superação.

Defensivamente o Figueira foi bem no primeiro tempo, não permitindo chance ao adversário e , no ataque, aproveitou uma das três chances que criou para abrir o placar com o artilheiro Henan, o melhor jogador em campo.

No segundo tempo a partida ficou aberta por que o Guarani arriscou mais, embora o Figueira apostasse muito na defesa.

O jogo esquentou quando o Guarani empatou com gol de Bruno Mendes, aos 22 min, logo depois de o Figueira ter criado os dois melhores lances de ataque, até aquele momento.

A reação não demorou e veio em lance que voltou a ser forte. Marco Antônio cruzando e Marquinhos cabeceando. O gol saiu aos 27 min e, novamente, o time recuou todo, mas agora conseguiu segurar o placar, apesar de levar um susto quando Felipe Pará finalizou para fora quase da marca do pênalti.

Vencer era tudo de que o time precisava, mas para sair do Z-4, muito ainda precisa melhorar.

Douglas garante empate do Avaí diante do São Paulo

20 de agosto de 2017 0

O Jogo na Ressacada teve domínio do São Paulo , quase o tempo inteiro, mas o Avaí chegou perto da vitória no segundo tempo.

O São Paulo, mesmo contra o vento, teve ampla posse de bola no primeiro tempo e, comandado pelos toques de qualidade de Hernanes, levou mais perigo e criou dois lances claros para abrir o placar, além de outras ações dentro da área.

O Avaí teve mais presença ofensiva no segundo tempo, principalmente depois da saída de Luan, machucado, e entrada de Luan Pereira.

O São Paulo continuou dominando e levando perigo, mas o Avaí dava resposta e também criava.

O pênalti de Edimar em Willians foi bem marcado e deu a chance de sair na frente. Júnior Dutra não desperdiçou. Na sequência, porém, o goleiro Sidão deu um presente para Júnior Dutra, o atacante avançou livre e perdeu um gol feito, deixando o São Paulo vivo.

Dorival Júnior, técnico do São Paulo, colocou o time mais ainda no ataque e fez grande pressão. Douglas, goleiro do Avaí, mais uma vez fechou gol, praticando 5 defesas difíceis e outras intervenções importantes.

Ele até bateu na bola, mas não conseguiu evitar o empate no pênalti batido por Hernanes. Pênalti de Pedro Castro que ergueu o braço no cabeceio e tirou a bola com a mão.

Outro empate em casa e com sentimento duplo. Deixou escapar a vitória, mas, também, escapou de perder, considerando as chances criadas pelo São Paulo.

Nova gestão do Figueirense mostra suas ideias

18 de agosto de 2017 1

O encontro dos novos gestores do Figueirense com a imprensa, hoje, no Orlando Scarpelli, foi uma boa oportunidade para conhecer e entender – não tudo ainda- o que eles estão tentando implantar no clube.

O modelo de gestão escolhido é frequente na Europa, mas novidade no Brasil, por isso, ainda gera dúvida e desconfiança. É, porém, uma oportunidade para expansão do clube além das fronteiras porque está aberto a investimentos externos.

Quem está na linha de frente do processo são os investidores, Alex Bourgeois, Claudio Vernalha e Luis Gustavo Mesquita. São eles que aportaram os valores para quitar pendências com jogadores e funcionários e, além disso, asseguram investimentos que podem chegar a R$ 20 milhões de reais no médio prazo.

Eles procuram ser transparentes, demonstram confiança e amplo conhecimento do mundo do futebol. O processo de transição está em andamento e vai até dezembro. Nesse período, a maior empresa de auditoria do país, faz o levantamento da realidade financeira e patrimonial.

Tem várias coisas sendo tocadas ao mesmo tempo e, com isso, revelando a complexidadade da mudança. A empresa de propósito específico criada em 2015 pelo Figueirense é uma LTDA, mas será transformado em S.A. A alteração vai permitir a criação de produtos financeiros que visam atrair grandes e pequenos investidores. Há interesse de grupos nacionais e do exterior, mas nada fechado.

Ao mesmo tempo, sob o comando do diretor executivo Alex Bourgois, as decisões no futebol estão sendo encaminhadas.

O grupo de 42 atletas vai ser reduzido para 30 e o garoto da base, Luiz Fernando, sobe para os profissionais. Contrações estão previstas, mas não garantidas. Depende da disponibilidade de jogadores no mercado.

Novos profissionais estão chegando. Márcio Gomes, que já trabalhou no Corinthians, vai assumir a área comercial, Zé Mário Cammpeiz é novo coordenador do núcleo científico e Fernandes assume o núcleo de inteligência. Fred Mourão coordena o Marketing.

O maior desafio do momento é evitar o rebaixamento para a Série C. Alex Borgois garante que está trabalhando para deixar o time preparado para 17 decisões , número de jogos que faltam para terminar a Série B.

Enfim, a nova gestão está apenas começando, tem projetos grandiosos, precisa trocar pneu com o carro andando, porém , demonstra energia para enfrentar a situação e , antes de tudo, capacidade financeira para superar as dificuldades do momento.

O abismo da Série C está sugando o Figueirense

16 de agosto de 2017 3

O Figueirense segue maltratando a bola e o torcedor e rabiscou diante do Náutico, na Arena Pernambuco, mais uma página obscura de sua história recente.

Enfrentando o lanterna da competição, O Figueirense nem do empate se aproximou o jogo inteiro. O Náutico não tomou conhecimento, abriu a vantagem de dois gols no primeiro tempo, com direito a gol de Willian Batoré, e segurou s vantagem no segundo tempo, sem sofrer ameaça, tamanha a incompetência do Figueira

O campeonato vai passando, o Figueirense não sai da zona de rebaixamento e não consegue montar um time capaz de reagir, apesar de possuir 42 jogadores no elenco. O momento das decisões dos novos gestores é agora. O abismo da Série C está aberto e vai sugando o Figueira.