Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "ATLÉTICO-MG"

Pênaltis eliminam o Figueirense da Copa do Brasil

15 de março de 2018 0

O Figueirense não avança na Copa do Brasil, mas volta de Belo Horizonte com a certeza de que está consolidando um time á altura dos desafios que tem na temporada.

Precisando vencer, o Figueirense adiantou as linhas e pressionou a saída de bola do Atlético, provocando erros de passes do adversário e mantendo boa posse de bola. Esta configuração prevaleceu por quase todo o primeiro tempo.

Quando Zé Antônio acertou um chutaço, em cobrança de falta e abriu o placar, tudo parecia perfeito, porém, na sequência, Ricardo Oliveira empatou e aliviou o Galo.

No segundo tempo, já sem Cleberson e Betinho, que saíram machucados antes do intervalo, o Figueirense atacou menos, ficou mais no próprio campo, mas aproveitou uma jogada pela direita com Maikon Leite para fazer o gol da vitória. Ele cruzou, Jorge Henrique, pegou o rebote e bateu no canto.

Satisfeito com o placar, o Figueirense arriscou menos, mas o Atlético, temendo o terceiro gol, também ficou no meio do caminho. Os dois times esperaram os pênaltis.

Jorge Henrique e Diego Renan bateram mal, facilitando a defesa do goleiro Victor. O Galo não errou nenhum pênalti e ganhou por 4 a 2.

Individuais

O Figueirense teve uma atuação forte no conjunto, com todos os jogadores mantendo boa média de desempenho. Jorge Henrique e Zé Antônio, porém, foram os dois melhores jogadores em campo.

Figueirense perde a invencibilidade diante do Atlético-MG

01 de março de 2018 0

O Figueirense perdeu a invencibilidade de 15 jogos, mas jogou bem diante do Atlético-MG no Orlando Scarpelli, pela Copa do Brasil, em partida que parou 15 min por falta de energia elétrica, no segundo tempo, e com público superior a 8 mil torcedores.

Diferente que se imaginava, o Figueirense adiantou a marcação e jogou o tempo inteiro no campo de ataque, já o Galo saiu apenas duas vezes com perigo, uma em cada tempo, mas teve aproveitamento.

O goleiro Victor segurou as finalizações de Samuel e Betinho, enquanto o chute de Zé Antônio passou por cima. A pressão do Figueira provocou vários escanteios, mas faltou concluir.

O Atlético, antes do intervalo, atacou uma vez e fez o gol com Otero.

O posicionamento não mudou no segundo tempo, mas o Figueifense sentiu o desgaste e finalizou pouco, embora o grande volume de jogo. Nos lances mais agudos, o goleiro Victor salvou em uma dividindo com André Luis e Ermel cabeceou para fora.

O Galo teve duas chances, na primeira André Luis tirou quase na linha do gol e depois Denis defendeu o chute de Ricardo Oliveira.

Apesar da insistência do Figueirense, o Galo segurou o placar e agora joga por empate a partida de volta.

Individuais

Felipe Amorim, até cansar, foi o melhor meia/atacante do Figueirense, porém foram os volantes Zé Antônio e Betinho que mais produziram. Betinho o melhor de todos.

No Atlético, apenas alguns momentos de Otero e Ricardo Oliveira, chamaram atenção.

Avaí desiste de atacar no segundo tempo e fica só no empate com o Atlético-MG

17 de setembro de 2017 0

O jogo foi muito disputado, mas faltou qualidade técnica e mais lances de gol para ter brilho de grande jogo.

Primeiro tempo

O Avaí, jogando em casa e confiante com os resultados recentes, tentou adiantar um pouco o time e acabou sofrendo com os contra-ataques.

Antes de Simião abrir o placar com belo toque no canto, o Atlético esteve três vezes perto de fazer o gol.

Prevaleceu, porém, o que pretendia o Avaí, que foi para o intervalo com a vantagem.

Segundo tempo

O Atlético partiu para cima, colocou Clayton e Robinho em campo, e tentou o gol de todas as maneiras. Foi ataque contra defesa todo o segundo tempo.

O Avaí não atacava, mas o bloqueio defensivo era perfeito e o Atlético não criava chances para empatar.

Foi assim até os 38 min quando Marcos Rocha cruzou da direita e Otero acertou um cabeceio indefensável para o goleiro Douglas.

Nos minutos finais o jogo ficou aberto e o Avaí voltou ao ataque. Elias fez falta em Capa e foi expulso.

O Avaí não conseguiu aproveitar a vantagem e , mais uma vez não vence na Ressacada, perdendo a oportunidade se afastar do Z-4.

Avai não aproveita chances e perde em Minas

07 de junho de 2017 0

A entrada de Juan e Simião no meio-campo deram mais toque de bola e menos jogadas rápidas em direção aos atacantes, mudando o estilo de jogo do Avai. Foi assim que o Leão dominou o Atlético-MG em grande parte do jogo na Arena Independência, porém, faltou o aproveitamento nas finalizações e mais atenção na defesa para evitar a derrota.

Nas duas melhores oportunidades do jogo, Marquinhos rolou para Juan que tocou fraco no primeiro tempo. Juan devolveu o passe a Marquinhos no segundo tempo, mas o chute foi em cima do goleiro.

Mais volume de jogo e mais ações ofensivas não foram suficientes para , ao menos, empatar a partida. O Atlético-MG aproveitou a vacilada do zagueiro Alemão e fez o gol com Fred no primeiro tempo e, no restante da partida, lutou para segurar o placar.

Boa atuação do Avai, porém a falta de gols já preocupa. Até o momento apenas Romulo marcou pelo Leão em cinco rodadas.

Faltou bola ao Figueira em Minas

23 de outubro de 2016 4

O Figueirense apresentou um futebol irregular e sem coragem, além disso, mais uma vez, sofreu com a arbitragem e sucumbiu com expulsões diante do Atlético-MG na Arena Independência.

A opção por volantes sem qualidade para fechar o time , novamente não mostrou-se adequada. O Atlético dominou o jogo até os 30 min e conseguiu abrir o placar em cobrança de falta de Otero. Gatito pulou tarde e colaborou.

O Figueira reagiu com belos passes de Ferrugem. Ele colocou Rafael Silva na frente do goleiro duas vezes. Em um lance o atacante perdeu e no outro o goleiro Victor fez pênalti claro, mas o árbitro, Grazianni Rocha, mandou seguir.

Apesar de não mudar o time, o Figueirense tentou atacar mais no segundo tempo e teve chances, porém só melhorou mesmo depois da entrada de Élvis e Éverton Santos. Ferrugem colocou Caucaia na frete do goleiro, mas Victor pegou. O chute de Rafael Silva foi salvado pelo zagueiro Gabriel.

Quando vivia o melhor momento do jogo, tudo começou a mudar com a expulsão de Werley. O zagueiro atingiu Fred com o braço e mereceu a expulsão. O técnico Marquinhos Santos em vez de manter três atacantes, preferiu tirar Lins e colocar Bruno Alves. O Figueira não atacou mais e não soube defender. O Galo não teve problemas para fazer mais dois gols no final com Júnior Urso e Fred.

Descontrolado, o Figueira ainda teve a expulsão de Josa, por reclamação, nos instantes finais.

A situação, que já era complicada, vira dramática para o Figueira se manter na Série A. Agora precisa de quadro vitórias em seis jogos.

Figueira evita o pior diante do Galo

03 de julho de 2016 3

O Figueirense manteve a invencibilidade em casa e , dependendo do jogo do Sport amanhã, a posição fora da zona de rebaixamento ao empatar por um gol com o Atlético-MG. Novamente o time jogou bem apenas meio tempo.

Perdido

O Figueirense, desfalcado de seus principais jogadores, começou o jogo desorganizado e foi facilmente envolvido. O Galo fez o gol aos 7 min em cabeceio de Fred e começou a tocar a bola com soberba e displicência , dando espaço para o Figueira se reorganizar.

Antes do intervalo o jogo já estava equilibrado e o árbitro errou ao não dar pênalti contra o Atlético, quando a bola chutada por Ermel bateu na mão do zagueiro. Foi uma etapa de pouco futebol dos dois times.

Ligado

O segundo tempo esquentou com o gol de Ermel aos 6 min, depois de receber um passe perfeito de jocinei. O Galo acordou e o Figueirense adquiriu confiança transformando o jogo. As faltas e cartões foram constantes e a arbitragem se atrapalhou errando vários lances de faltas e impedimentos.

Fred acertou Elicarlos e foi expulso. Com um a mais o Figueirense insistiu bastante, mas parou nas próprias limitações ofensivas. No final , Yago também foi expulso.

Apesar de ter um jogador a mais boa parte do jogo, foi um bom resultado considerando a situação dos dois times.

Destaques

Bruno Alves foi soberano na defesa, apesar das falhas de Werlei ao seu lado, principalmente no início do jogo.

Elicarlos se desdobrou na marcação e Yago lutou muito. Mas Jocinei foi o jogador mais lúcido do time.

Ermel também fez uma boa partida.

Apito

Rafael Traci do Paraná errou em lances importantes , como o pênalti do primeiro tempo, e conduziu mal o jogo e , além disso , os assistentes erraram a marcação de impedimentos. Arbitragem de baixo nível.

Despedida de Clayton tira o brilho do Figueira

23 de fevereiro de 2016 4

O Figueirense já revelou jogadores do nível de Felipe Luiz, André Santos e Roberto Fermino, que vestiram ou vestem a camisa da seleção brasileira, nenhum deles , porém , quando estavam no clube e tinham 20 anos ou menos, jogaram a bola que Clayton jogou no time profissional.

A escolha pelo Atlético-MG é uma decisão do jogador e seus assessores. Saída esperada e inevitável pelo dinheiro envolvido. Como quase todos os seus direitos econômicos foram vendidos antes de se projetar no mercado, ao clube, restam migalhas.

O Figueirense tem uma redução técnica difícil de repor e o torcedor não vai contar mais com aquele menino que poderia decidir uma partida a qualquer momento. Perde também futebol de SC.

Sucesso ao Clayton, que honrou a camisa como poucos, em 8 anos no Orlando Scarpelli.

Figueira vence o Galo em jogo de várias estreias

07 de fevereiro de 2016 4

O Figueirense manteve a chance de classificação na Copa da Primeira Liga com a vitória por 2 a 1 diante do Atlético-MG no Orlando Scarpelli.

O Galo teve mais posse de bola e dominou grande parte do jogo, mas o Figueirense foi decisivo quando as oportunidades surgiram.

O árbitro Leandro Pedro Vuaden inventou um pênalti e Dudu abriu o placar. Eduardo de cabeça, ainda no primeiro tempo, empatou.

Quando o Atlético-MG pressionava e estava melhor em campo o Figueirense fez o segundo gol. Dener começou a jogada, Guilherme cruzou e o estreante Gabriel Esteves aproveitou.

Além da vitória, o jogo serviu para o técnico Hudson Coutinho observar alguns jogadores.

Gatito Fernandes deu mais segurança no gol , Rodrigo Biro foi bem na distribuição de bola, Henrique oscilou na lateral-direita, Gabriel entrou no segundo tempo e teve boa movimenntação, além do gol.

Jaime e Henrique Trevisan também entraram, mas jogaram pouco tempo.

Guilherme Queiroz foi o melhor jogador em campo. Teve boa movimentação e boas finalizações. Entra na disputa por uma vaga no ataque.

O público girou em torno de três mil torcedores.

Os desafios catarinenses na rodada 34 da Série A

06 de novembro de 2015 0

Fechamento

A Chapecoense não vai cair, isso é quase uma certeza, mas ninguém sabe o momento que vai acontecer. Se for diante do Fluminense e no Maracanã, uma dos maiores palcos do futebol , seria perfeito.

A chance é boa. O Fluminense já não almeja muita coisa no campeonato e a Chape já se acostumou a vencer por lá. O Vasco foi a última vítima.

Desespero

A luta desesperada do Joinville continua. A agonia que atravessa todo o campeonato tem mais um capítulo diante do Santos. Uma vitória mantém a esperança , a derrota aproxima o time do impossível.

Além do ótimo time do Santos, o Joinville tem de superar o grande número de desfalques, para continuar vivo.

Decisão

Figueirense e Atlético-MG pode ser o jogo que decide o título do temporada, mas este não é o campeonato do Figueirense.

Abatido pelo derrota para o Corinthians, o Atlético não deverá ter o ímpeto de um time que busca o título, mas não vai passear no Orlando Scarpelli. Resta ao Figueirense fazer o seu jogo.

O técnico , Hudson Coutinho , indica a entrada de Thiago Santana no ataque na vaga de Dudu, assim, mantém o meio-campo mais rápido e criativo- que deu certo nos últimos jogos – com Fabinho, João Victor, Rafa Bastos e Carlos Alberto.

Será que desta vez, com a promoção de R$ 20 reais, será quebrada a barreira de 14 mil torcedores ? Improvável.

Para fazer a diferença

Um jogo para fazer diferença na luta para ficar na Série A. Assim o Avai pode definir o jogo com o Atlético na Arena da Baixada. O time paranaense já entrou em zona confortável na tabela, mas tem bons jogadores e não vai amolecer.

Tinga deve entrar na vaga de Éverton Silva , machucado, e assim o técnico Gilson Kleina mantém a estrutura da equipe que deve desempenho equilibrado, apesar de não vencer a Chapecoense e o Cruzeiro.

Uma vitória fora de casa é tudo que o Avai precisa nesta rodada, porque deixaria o caminho aberto para confirmar a permanência na Série A nas duas rodadas seguintes.

Avai encara "missão impossível " em Minas

08 de setembro de 2015 1

O Atlético-MG é favorito e o jogo tem cara de missão impossível, ninguém contesta, mas o que o Avai precisa evitar na Arena Independência é a derrota antecipada por causa de seus problemas.

A diferença na tabela e de qualidade, não determina derrota. Não fosse assim não seria futebol.

Sem Marquinhos e Camacho, o técnico Gilson Kleina deve optar por Juninho na meia. Um jogador que até agora pouco ajudou, mas terá sua grande chance.

A qualidade do Atlético , que estará completo, todos conhecem, então, resta ao Avai procurar fazer o jogo perfeito para surpreender. A marcação ajustada é a primeira necessidade para evitar o pior.