Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "CATARINENSES"

Os Catarinenses no Brasileiro

13 de maio de 2017 0

O estadual é importante, mas chegou o momento da grande competição do ano para os times Catarinenses. Buscar o acesso de divisão ou se manter na Série A é a grande meta do ano para os principais times do estado.

Série C

O Joinville parece um “corpo estranho ” na terceira divisão, depois de acessos seguidos até a Série A em 2015 e demonstração de solidez financeira da gestão.

O jovem técnico Fabinho Santos fez bom trabalho no estadual e terminou a competição com o time organizado. A base está pronta pra o brasileiro. A mescla de jovens com jogadores mais experientes deu certo e o Joinville entra para ser protagonista na Série C.

Os garotos Matheus, Roberto, Kadu e Marlyson têm a companhia de atletas rodados como Lúcio Flávio, Bruno Rodrigues, Renan Teixiera e Max. As principais novidades são Éverton Junior do Tubarão, Eliomar do Brusque e Grampola do Bragantino.

A estreia é com o Ipiranga em Erechim. Mesmo fora de casa, fazer ponto é fundamental.

A chance de acesso é boa, mas a fase eliminatória é perigosa. Nem sempre o melhor vence nos confrontos diretos.

Série B

Tigre

A manutenção da base do time é o aspecto mais forte do Criciúma , considerando que não fez contrações expressivas para o campeonato brasileiro.

Mas o time do momento está no bolo dos dez com mais chances de acesso. O técnico David ainda precisa melhorar o trabalho, principalmente defensivo, para equilibrar a equipe.

O goleiro Luiz e os atacantes Fabinho Alves, Caio Rangel e Pitbull, além do meia Alex Maranhão, devem dar a sustenção ao grupo. Os jovens Marlon, Barreto e Douglas Moreira têm qualidade e vitalidade.

A estreia diante do Santa Cruz é jogo que vai exigir bastante, mas jogando em casa , precisa vencer para ganhar confiança.

O Tigre não é favorito, mas está na briga.

Figueirense

Também não começa como favorito, mas está entre os dez times com mais chances de acesso. Fez 15 contratações para o brasileiro e , assim, terá praticamente um novo time em campo.

O técnico Márcio Goiano – que há sete anos não faz um bom trabalho na Série B , o último foi com o próprio Figueirense em 2010- precisa queimar etapas para não sofrer com a falta de entrosamento. Apenas Thiago Rodrigues, Dudu e Bruno Alves, titulares do estadual, foram mantidos na equipe.

São muitas caras novas, mas o perfil da equipe mudou. É um time mais leve, rápido e veloz, considerando as características dos principais jogadores.

A sustenção do time deve ser garantida por Bruno Alves, Dudu Vieira, Jorge Henrique, Luidy e Zé Love , que ainda está se recuperando de lesão.

O Goiás, adversário na estreia, é dos mais fortes da Série B.

O Figueira é um time que ainda precisa conquistar a torcida.

Série A

Avai

O Avai começa a Série A com limitações técnicas evidentes, principalmente na defesa e meio-campo. Também são limitadas as opções no banco de reservas. As novidades, até o momento, são o lateral Diego Tavares, volante Welington Simião e o zagueiro Airton.

A força está na determinação e entrosamento, porque mantém a base da Série B. Os atacantes Denilson, Romulo e Junior Dutra são a maior esperança de soluções para o time. Na defesa, Betão é a grande segurança e, no meio, a experiência de Marquinhos ainda é fundamental.

Se não acrescentar qualidade, vai ser “dureza” para o Leão se manter.

Jogar com o Vitória desfalcado de cinco titulares e na Ressacada, é uma boa oportunidade para vencer.

Chapecense

A Chape, apesar da reconstrução, ainda é a melhor equipe do estado, mas ainda falta muito para atingir o equilíbrio exigido para disputar a Série A sem sofrimento, como foi ano passado.

Os espaços que permite entre as linhas de marcação é o principal problema do sistema de jogo escolhido pelo técnico Wagner Mancini. Ele tentou fazer correções em alguns jogos com mais volantes e em outros com mais zagueiros, mas não deu certo.

A entrada de Jandrei no gol e as contratações do zagueiro Victor Ramos e do meio Seijas ajustam posições carentes e deixam a Chape mais forte para o brasileiro.

Tendência é de luta contra o rebaixamento, mas com boas chances de se manter.

A estreia diante do Corinthians é dos jogos mais dificieis do campeonato.

O empate do Joinville, a vitória do Tigre e a demissão de Silas no Avai

21 de agosto de 2016 3

Os jogadores do Avai pareciam mais preocupados com o jogo da seleção, que enfrentava a Alemanha naquele momento, do que com o Bahia e, quando acordaram, o jogo já estava 2 a 0.

A reação não veio no segundo tempo e o Bahia ampliou. Terminou de três e poderia te sido mais.

Começar o returno perdendo em casa era tudo que deveria ser evitado para um time que não vence longe da Ressacada e está colado no Z-4.

Demissão

A diretoria reagiu demitindo o técnico Silas. Uma providência adequada, porque apesar da limitação técnica da equipe, o trabalho não tem consistência e os resultados são comprometedores.

Joinville

O empate por um gol com o Luverdense não foi bom resultado para o Joinville, considerando a atuação, posição na tabela e fator casa.

O time comandado por Lisca mostrou evolução, envolveu o Luverdense com jogadas rápidas pelos lados do campo e deixou de liquidar a partida no primeiro tempo , quando perdeu muitas oportunidades, antes e depois de Jael abrir o placar.

No segundo tempo sofreu o castigo com o gol de empate e viu o árbitro não marcar um pênalti que poderia ter garantido a vitória.

Criciúma

O Tigre não fez uma grande partida, mas conseguiu excelente resultado diante do Náutico em Recife.

Alex Maranhão fez um belo gol e Roberto acertou a trave. A produção ofensiva do Tigre parou por aí.

O Náutico teve várias chances e foi preciso alguns milagres do goleiro Luis para garantir a vitória.

Um resultado que anima o Criciúma no início do returno para continuar lutando pelo acesso.

As chances catarinenses nas Série A e B

14 de maio de 2016 0

A grande competição do ano chega para os catarinenses com a preocupação de sempre na Série A e pouca empolgação na Série B , divisão onde os três representantes do estado não aparecerem entre os favoritos, mas têm chance de acesso.

FIGUEIRENSE

O fracasso no primeiro turno do estadual exigiu mudanças e o Figueira trocou quase tudo para o campeonato brasileiro.

A contratação de jogadores como Elicarlos, Ferrugem, Bady, Dodô e Rafael Moura mudaram o perfil da equipe. O lateral Ayrton e o atacante Lins ainda não estrearam. Mais três jogadores devem chegar nos próximos dias.

Embora a chegada de vários jogadores, reside no garoto Ermel muita esperança de bom futebol e lances decisivos.

É um time experiente e com boa qualidade individual, mas que ainda não atingiu um bom nível de entrosamento e desempenho. O técnico Vinicius Eutrópio usa dois sistemas de jogo. O 4-2-3-1, com dois jogadores rápidos pelos lados do campo no ataque e o 4-1-4-1, com um atacante recuado na segunda linha.

Apesar da qualidade do jogo ainda não agradar os resultados são bons. O time está sem perder a nove jogos e sofreu apenas três gols.

A estreia diante da Ponte Preta, em casa, é uma vantagem, mas a pressão por vitória é um fator a ser controlado.

Tendência é lutar para se manter na Série A, embora o discurso do presidente querendo Sul-Americana.

Chapecoense

Mais importante do que a conquista do estadual, a manutenção dos principais jogadores há mais de um ano, é fator de confiança. Muito por isso, aliás, conquistou o catarinense.

Além do goleiro Danilo, os zagueiros Neto e Thiego e o lateral Dener são os pontos fortes do sistema defensivo. No meio, Cléber Santana, determina o ritmo do time. No ataque, Ananias, Maranhão ou Lucas Gomes garantem a velocidade pelos lados. Bruno Rangel continua sendo o atacante mais confiável.

Guto Ferreira tem o comando e boas variações treinadas, mas o grupo precisa de mais reforços para encarar o desgaste da competição. Os nomes apresentados até agora chegam sob desconfiança. O cogitado retorno de Camilo de Apodi pode ser uma boa.

A tendência é lutar para se manter na Série A.

O jogo de estreia diante do Inter, em Porto Alegre, não é dos mais difíceis, porém se quiser voltar com um bom resultado terá de jogar mais do que apresentou nos últimos jogos do estadual.

Criciúma

A sustentação financeira, a organização fora de campo e a experiência do técnico Roberto Cavalo são pontos fortes do Tigre.

O time recebeu jogadores mais experientes, mas ainda não está pronto para buscar o acesso. Vai depender muito do desempenho regular de jogadores como o goleiro Luiz, os laterais Ezequiel e Marlon, volante Dódi, meia Élvis e dos gols de Gustavo.

O Tigre começou bem ao vencer o Náutico por 1 a 0, mas sofreu. Jogou mal o primeiro tempo , cresceu no segundo , mas perdeu muitas chances de ampliar o placar.

Avai

A incerteza é grande em torno do Avai, mas o time costuma crescer na dificuldade. Fora de campo as questões políticas ainda não estão bem resolvidas, depois da denúncia de Nilton Macedo. A limitação financeira é um grande problema.

A experiência do técnico Silas é importante, mas ele corre contra o tempo para reorganizar o time que fracassou no estadual e recebe novos jogadores agora, em cima da competição.

O goleiro Renan e os zagueiros André e Gabriel são dos poucos titulares do momento. As demais vagas estão abertas. Até Willian precisa mostrar que ainda pode ser decisivo. Marquinhos, o principal jogador do clube, ainda se recupera de cirurgia.

A esperança está no acréscimo que Alemão, João Paulo, Jajá, Vinicius Pacheco, Romarinho e Tatá podem dar ao time. O técnico Silas também acredita muito em Lucas de Sá e Tauã.

Pouco para quem almeja o acesso, mas não impossível.

A estreia é diante de uma dos adversários mais difíceis da Série B. O Bahia tem Thiago Ribeiro, Ernane Brocador e Edgar Junio no ataque. Dai é possível avaliar a dificuldade.

Não perder já seria bom.

Joinville

O Joinville , apesar do rebaixamento, está bem estruturado fora de campo e não enfrenta problemas financeiros. Chegar á decisão do catarinense foi uma conquista de um grupo que estava desacreditado.

A manutenção de João Carlos Maringá como coordenador de futebol é uma vantagem, mas é na presença do técnico Hémerson Maria que está o ponto mais forte do Joinville.

O trabalho que realiza e as conquistas recentes pelo clube dão confiança ao torcedor.

O time tem um sistema defensivo bem armado e começa com o ótimo goleiro Agenor, mas falta qualidade na criação e ataque. Um desafio que o clube precisa superar se quiser lutar por acesso, condição que hoje está distante.

A estreia é com a Luverdense fora de casa. Previsão de jogo complicado, mas é viável pensar em vitória.

Catarinenses encaram "pedreira" no fechamento do turno

15 de agosto de 2015 0

Os catarinenses têm pela frente , na rodada de fechamento do turno, só equipes que buscam a ponta do campeonato brasileiro. Apontar a partida mais difícil é inviável. Certo é que ninguém terá moleza.

Marquinhos

O técnico Gilson Kleina aguarda por Marquinhos, mas já decidiu que Camacho será o titular se ele não for liberado. Romulo e André Lima retornam ao time. É uma formação que está muito próxima do que o Avai tem de melhor.

A estratégia do técnico Tite busca não dar espaço ao adversário no próprio campo e chegar ao ataque em bloco com toques curtos. É difícil envolver o time do Corinthians.

Furar o “blocão” do Tite é o grande desafio do Avai. Para ter sucesso, precisa aproveitar as pequenas brechas e raras oportunidades que devem surgir, sem dar muitas chances ao adversário.

Vencer e terminar o turno com 23 pontos , muita aliviaria a situação do Avai. Domingo de emoções e estádio cheio.

Interino

Olhar para a frente , apostar na evolução, é o melhor que pode fazer o Figueirense diante do Fluminense no Maracanã. Hudson Coutinho será o técnico interino , mas são os jogadores que podem fazer a diferença.

Marquinhos e Paulo Roberto não jogam , mas Saimon e Dener já estão acostumados a entrar no time. Carlos Alberto sentiu lesão , porém o Figueira não tem contado com ele.

Nunca é fácil jogar com o Fluminense, apesar de um momento instável, mais complicado quando no Maracanã.

Resta ao Figueirense vencer, coisa que já fez várias vezes nos últimos anos diante dos grandes do RJ, e se afastar do Z-4, ou encarar um returno com mais pressão para se manter na elite.

Galo

A Chapecoense fecha o turno encarando o melhor do time do campeonato , até agora, apesar de ter perdido a liderança, na Arena Condá. Um domingo para grande público e jogo com muitas possibilidades.

O Atlético-MG gosta de jogar no ataque e a Chape é muito forte em casa. Se repetirem o comportamento tático de partidas anteriores, os goleiros muito terão de trabalhar para que o jogo não tenha gols.

A derrota em casa para o Grêmio deixa o Galo alerta, o que vai exigir ainda mais futebol da Chape para manter a boa campanha.

Vencendo , o time comando por Vinicius Eutrópio vai a 28 pontos e muda de patamar. O rebaixamento fica em segundo plano e a Sul-Americana a meta próxima.

Arrancada

Depois de fazer o improvável nas três rodadas anteriores, o Joinville tenta dar um salto na tabela diante do Grêmio em Porto Alegre.

O bom momento do Grêmio aumenta o tamanho do obstáculo que o time comando por PC Gusmão precisa ultrapassar, além de jogar na Arena.

A experiência e qualidade de Marcelinho Paraíba, em momentos assim, muito pode ajudar. Luan, suspenso, tira força do ataque do Grêmio.

se fizer os três pontos , a projeção do Joinville continua embaçada para o segundo turno , embora com uma motivação diferente. Empate ou derrota é certeza de zona de “confusão ” por muitas rodadas.

Jogos fundamentais para os catarinenses em mais uma rodada da Série A

02 de agosto de 2015 2

Joinville e Avai encaram o clássico do estado , a Chape tem o desafio vermelho no Beira Rio e o Figueira tem jogo fundamental com a Ponte no Orlando Scarpelli. São os jogos dos catarinenses pela rodada 16 da Série A.

Treinador

A estreia do técnico PC Gusmão e a mudança no comando do futebol , com a chegada de João Carlos Maringá, foi a resposta da diretoria do Joinville a mais uma sequência de resultados negativos na Série A.

É destas ações que vem a motivação e a tentativa de remobilização da torcida para tentar salvar o time do rebaixamento, situação hoje , provável de acontecer. Para o jogo com o Avai, portanto, o Joinville quer se fortalecer psicologicamente , por que tecnicamente é difícil uma grande transformação.

Se o Avai entender bem o que move o Joinville neste momento e não der chance para que se fortaleça dentro do jogo, terá dado um passo fundamental para a vitória , independente da escalação do técnico Gilson Kleina.

Instabilidade colorada

Eliminado da libertadores, perdendo jogadores para clubes do exterior e mal na tabela do brasileiro, o Inter vive momento de instabilidade.

É uma boa chance para a Chapecoense voltar a fazer pontos fora de casa. A necessidade de vitória pode levar o Inter a cometer muitos erros e , se estiver atenta , a Chape pode tirar proveito.

Sem Rafael Lima, Gil, Camilo e Cleber Santana a Chape vai precisar do bom desempenho de jogadores do banco para manter o bom futebol.

Clayton

O aproveitamento do Figueirense ficou longe da meta do turno depois de três resultados negativos, por isso, o jogo com a Ponte Preta recebe a classifição de fundamental para não entrar no z-4.

A Ponte Preta vem descendo na tabela e é adversária direta. Um tropeço e está feita a confusão.

O retorno de Clayton é a grande atração do Figueirense e esperança de que o ataque volte a funcionar. Carlos Alberto também pode aparecer, o que seria um grande acréscimo de qualidade.

Somente a vitória alivia a situação na tabela.

Rodada dura para os catarinenses no brasileiro

25 de julho de 2015 1

A décima quinta rodada vai exigir muito futebol dos times catarinenses para terminar os jogos com bom aproveitamento. Até quem joga em casa precisa ficar atento. Avai, Chapecoense e Criciúma encaram adversários fortes. Mais complicado é a tarefa de Figueirense e Joinville, que jogam fora de casa com Atlético e Santos.

Petkovic

Esquecer a eliminação na Copa do Brasil e focar a Série B é a primeira recomendação para o Tigre manter o desempenho das últimas rodadas e subir ainda mais na tabela. O Santa Cruz faz boa campanha e é um adversário perigoso.

lesionado, Rodrigo Andrade, desfalca o meio-campo. Manter a ousadia e contar com o apoio da torcida é um dos caminhos para o Tigre continuar vencendo.

Chuva

O gramado molhado vai interferir na escalação do Avai diante do Atlético-PR. O técnico Gilson Kleina já adiantou que com chuva escalará três zagueiros, sacando um atacante. Se o gramado estiver bom , joga com três atacantes e Roberto começa a partida.

Não seria mais adequado fechar o time depois de ter uma vantagem no placar ? A experiência com três zagueiros diante do Grêmio em casa determinou a derrota em dez minutos. Com água ou não , Roberto é uma opção forte pela direita.

Independente da escalação o jogo vai exigir muito do Avai. O Atlético faz boa campanha e tem um time que se baseia na velocidade dos laterais e atacantes. Sem Walter, que recua para armar o time, o Atlético perde bastante.

Jogo fundamental para o Avai chegar perto do aproveitamento “ideal” do primeiro turno.

Galo

O Figueirense vai enfrentar o melhor time do campeonato, quando atravessa o pior momento da temporada. As derrotas para Joinville e Santos e o empate com o Coritiba, causaram danos na tabela.

O retorno de Juninho, que fica no banco e a possibilidade da estreia de Sueliton são as novidades. Mais uma vez é a defesa que pode evitar o pior.

De manhã

A Chapecoense acorda cedo para encarar o Fluminense na Arena Condá. As derrotas para Avai e Atlético-PR afastaram a folga que o time conquistou. Vencer o Fluminense, é importante para não perder a posição confortável na tabela.

A mudança de cinco jogadores é um grande problema para o técnico Vinícius Eutrópio. Rafael Lima e Camilo são as principais ausências. A liberação de Bruno Rangel pelo departamento médico evita improvisação no ataque. O retorno de Bruno Silva fortalece a marcação.

O Fluminense faz boa campanha e vem crescendo com a chegada de reforços, mas longe do Maracanã tem dificuldade para fazer a bola chegar a Fred, o principal finalizador do ataque.

Vila Belmiro

O Joinville enfrenta o Santos na Vila Belmiro, adversário que ainda está próximo na tabela. O time que vai entrar em campo somente Adilson Batista sabe. Adepto de mudanças constantes , o treinador pode promover a estreia de Arnaldo na lateral-direita.

A oscilação de rendimento é a marca do Joinville. Se não fizer um jogo equilibrado , dificilmente escapa de mais uma derrota.

Joinville continua sem vencer

07 de junho de 2015 10

A estreia do técnico Adilson Batista e algumas modificações promovidas na equipe , como a entrada do zagueiro Dankler, não foram suficientes para fazer o Joinville melhorar.

O time repetiu os erros dos jogos anteriores e acabou perdendo por 1 a 0 , gol de Jadson no primeiro tempo. Agora são seis jogos e apenas um empate, deixando o time na lanterna.

Faltou velocidade e qualidade na armação de jogadas ofensivas, que foram raras, e a marcação não foi eficiente mais uma vez, permitindo que o Corinthians trabalhasse com muito espaço no meio . Renato Augusto e Jadson ficaram à vontade para criar os principais lances do jogo na primeira etapa.

Embora o estádio quase lotado e jogando em casa, o Joinville não evoluiu, indicando que será árduo o trabalho de Adilson Batista na recuperação da equipe.

A rodada é favorável para bons resultados dos catarinenses no brasileiro

06 de junho de 2015 4

Maraca

A Chape tem uma boa oportunidade de fazer a primeira vitória fora de casa. Respeitar, mas não temer o Flamengo e a torcida no Maracanã, é a atitude esperada. Isto feito , o Verdão poderá explorar a instabilidade do time comandado por Cristóvão Borges.

Taticamente , atacar mas não dar contra-ataques como em outros jogos, é uma necessidade.

Adilson

O Joinville tem boa chance de fazer a primeira vitória na Série A nesta rodada, nem tanto pela estreia do técnico, mas pela instabilidade do Corinthians. A equipe comandada por Tite sofre um processo de mudança profundo e ainda tem salários atrasados e problemas de relacionamento no grupo.

Resta aguardar as alterações que Adilson Batista vai promover e se vai conseguir implantar um novo padrão tático ao time.

Invicto

O Figueirense defende diante do Palmeiras a invencibilidade em casa na temporade e será muito importante manter o tabu para evitar a zona de rebaixamento.

O Palmeiras tem um bom time, mas ainda não deslanchou. Gosta do ataque, porém deixa espaços na defesa.

O Figueira tem boa chance de vencer, mas precisa dar menos chutões e receber menos cartões. Ou seja, jogar mais futebol e correr apenas o necessário.

Marquinhos

Sem Marquinhos , novamente, o Avai encara o Goiás no Serra Dourada. É um jogo para recuperar a força emocional da equipe depois da goleada para o Galo.

O Goiás tem um time jovem e rápido, mas está no mesmo nível do Leão, que se repetir as atuações anteriores ao jogo com o Atlético pode conquistar um bom resultado.

Gilson Kleina treinou o time com três zagueiros, um sistema que vem sendo esquecido no futebol. Não acredito que seja a melhor escolha para todo o campeonato, embora pode funcionar pontualmente.

Em casa

O Criciúma já começa a ver o G-4 um pouco distante na Série B, por isso, aumenta a necessidade de vencer o Macaé no Heriberto Hülse.

O time ainda não mostrou desempenho de quem vai subir, mas a evolução pode acontecer a partir de agora. A presença de Lucca, Neto Bahiano e Silvinho, um bom ataque para os padrões da Série B, muito pode ajudar.

Um clássico e dois atléticos no caminho dos catarinenses na Série A

02 de junho de 2015 9

Marquinhos

O Atlético-MG é o time do momento na Série A e o Avai curte grande momento. Os motivos , portanto, são fortes para uma partida com muitas ações de ataque.

O retorno de Marquinhos é o grande reforço do Avai, que precisa ter uma atuação ” perfeita” se quiser superar o Galo.

As velocidade pelos lados e as jogadas aéreas são pontos fortes do time comandado por Levir Culpi. A proposta do Avai não é muito diferente. Se a marcação encaixar, a capacidade individual pode decidir o jogo.

Noite especial para o torcedor do Avai.

Carlos Alberto

O Figueira encara o surpreendente Atlético-PR , líder do campeonato, na gelada Arena da Baixada. Embora o desempenho, o Atlético não é uma equipe pronta e tem algumas limitações na defesa e meio-campo. Douglas Coutinho e Walter formam uma perigosa dupla de ataque.

O desafio do Figueira é melhorar o rendimento , que ficou mais próximo de seu potencial , no jogo com o Cruzeiro e ser forte em outros estádios como é no Orlando Scarpelli. Muito vai depender do desempenho de Carlos Alberto, que deve começar o jogo. A entrada de Saimon na zaga pode ser a novidade na escalação.

O bom momento do Atlético não tira as possibilidades do Figueira.

Clássico

O primeiro dos 12 clássicos catarinenses na Série A, será disputado na Arena Condá. A Chapecoense defende os cem por cento de aproveitamento em casa e o Joinville tenta a primeira vitória.

a força da Chape já é conhecida, por isso entra com mais possibilidades de vencer. O Joinville terá de jogar o que não jogou até o momento para evitar o pior. Potencial tem, resta esperar para ver se o técnico Hemerson Maria vai encontrar a forma adequada de jogar.

Partida sem favorito, embora a vantagem da Chape.

Os desafios catarinenses na quarta rodada do brasileiro

30 de maio de 2015 5

Reabilitação

Depois de duas derrotas em três jogos,o Criciúma tem a chance de recuperação, neste sábado, diante do Atlético-GO no Heriberto Hülse. Com Luiz e Lucca as opções do técnico Moacir Júnior melhoram bastante. Os onze dias de preparação devem ter mudado a forma de jogar. Um tropeço pode complicar a situação do técnico.

Ponte

A Chapecoense encara a Ponte Preta em Campinas e busca a terceira vitória em quatro jogos. Não será fácil, apesar de a Ponte ser um adversário do mesmo nível. O time de Campinas fez bom campeonato paulista e começou bem o brasileiro. É uma equipe ajustada e , por isso, forte no conjunto.

Sem Camilo, machucado, a Chape terá Hyoran no meio-campo. Não muda a forma de jogar e o time que vem se firmando como titular estará em campo. Uma vitória deixaria a Chape entre os melhores neste início do campeonato.

Couto Pereira

O Coritiba é uma equipe sem destaques individuais e ainda tentando ajustar o sistema de jogo, fatores que aumentam as chances do Avai fazer pontos no Couto Pereira.

A ausência de Marquinhos é o grande desfalque do Leão. Renan Oliviera vai ocupar a função do capitão. Perde o Avai, mas ainda assim é possível chegar a um bom resultado. Repetir o desempenho de jogos anteriores vai aproximar o Leao da vitória diante de um adversário do mesmo nível, embora sua importância no cenário brasileiro.

Novidades

O retorno de Rafael Bastos e a possibilidade das estreias de Saimon, Carlos Alberto e Elias são as novidades do Figueirense para o jogo com o Cruzeiro , domingo, no Orlando Scarpelli.

O time precisa acrescentar qualidade e rever conceitos de jogo se quiser vencer. Menos cartões, faltas e chutões farão bem.

O Cruzeiro vem completo , mas abatido pela eliminação da Libertadores, então, resta ao Figueira não deixar que o time mineiro entre em zona de conforto.