Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "EMPATE"

Empate em Goiânia adia acesso do Avai

06 de novembro de 2018 1

O Avai fez um grande primeiro tempo, mas cometeu vacilos decisivos depois do intervalo e deixou escapar a chance de fazer mais uma grande vitória em Goiânia.

O técnico, Geninho, apostou na mesma estratégia que usou na partida com o Goiás e, com isso, mudou o time. Marquinhos entrou na zaga, Igor na lateral-esquerda e Pedro Castro no meio-campo.

O início não repetiu o jogo com o Goiás por causa desses caprichos do futebol. Aos 2 minutos Pedro Castro acertou a trave e aos 5 min o gol de Rodrigao não saiu por que, mais uma vez, a trave evitou.

Mas o primeiro tempo foi todo do Avai, que finalizou bastante e não permitiu nenhuma chanc clara de gol ao Atlético.
A boa atuação apareceu no placar somente aos 41 min, quando Rodrigão, de biquinho, tocou a bola para a rede.

O jogo mudou depois do intervalo. O Avai não conseguia sair da defesa e ainda dava espaços. O Atlético cresceu aos poucos e chegou ao empate depois que Guga deu espaço e Marquinhos não chegou na cobertura. Julio César completou o cruzamento de Kayer.

O Avai continuava com problemas até os 36 min, momento que Koslinski evitou o segundo gol do Atlético e Renato puxou o contra-ataque, tocou bonito na saída do goleiro e fez o segundo do Avai.

O jogo parecia decidido, mas Luan Pereira fez pênalti infantil e permitiu o empate. Julio César bateu e tirou os três pontos que davam chance de acesso no sábado. Agora o Leão terá de esperar um pouco mais para comemorar.

Mais um empate na Ressacada

03 de novembro de 2018 0

A partida, disputada com gramado bastante molhado, exigiu muito da condição física dos jogadores, manteve a tensão até o final, porém, frustrou a expectativa da torcida que esperava a vitória, depois da grande atuação em Goiânia.

O gol de Leandro Almeida aos 2 min indicativa que o Avaí não teria vida fácil com o Londrina. O golaço de Getúlio aos 10 min aliviou o susto inicial, mas a reação não veio com a intensidade necessária para a virada.

O Avaí terminou o primeiro tempo levemente superior e desperdiçando duas chances claras para fazer o segundo. Capa e Renato não aproveitaram e o Londrina exigiu bastante da defesa avaiana, principalmente com o habilidoso Dagoberto.

Precisando da vitória o Londrina foi ataque e permitiu espaços de contra-ataque que o Avaí nunca teve em jogos na Ressacada.

Mas o Leão não soube aproveitar. Quando não errava no penúltimo passe ofensivo, falhava na finalização ou o goleiro Wagner, destaque do segundo tempo, evitava. O segundo tempo foi todo do Leão, mas o segundo gol não saiu.

Quando Tiago Ribeiro foi expulso, aos 15 minutos do segundo tempo, os espaços ficaram mais generosos ainda. Mesmo assim o Avai não aproveitou. Luan Pereira substituiu Marquinhos e não foi efetivo, Jones e Daniel Amorim, que jogaram pouco tempo, também não acrescentaram.

Outro empate em casa impede o Leão de antecipar o acesso, mas as possibilidades ainda são enormes para subir.

Empate escrito com muitos erros no Orlando Scarpelli

13 de outubro de 2018 0

Figueirense e Coritiba fizeram um jogo de muitos erros e poucos acertos no Orlando Scarpelli. O desespero das equipes, longe da zona de classificação na Série B, contribuiu para uma partida de baixa qualidade técnica.

O erro de marcação do Coritiba no último minuto do primeiro tempo deu a chance de Felipe Amorim abrir o placar.

O erro da zaga, goleiro e cobertura do lateral, permitiu o gol de empate de Guilherme, no primeiro minuto do segundo tempo.

O erro do goleiro Wilson deu um pênalti ao Figueirense. O erro de João Paulo batendo o pênalti na trave impediu a vantagem.

O erro do goleiro Denis, que rebateu uma bola nos pés de Paredes, permitiu a virada do Coritiba.

Outro erro do goleiro Wilson, que soltou uma bola nos pés de Elton, deu o empate ao Figueira.

De erro em erro o Figueirense vai se despedindo da luta por acesso e o Coritiba parece seguir o mesmo caminho.

Jogo acaba antes no Scarpelli e Figueira tropeça mais uma vez em casa

14 de setembro de 2018 0

O retorno de Rogérico Micale e André Santos ao Figueirense ficou em segundo plano na partido com o São Bento no Orlando Scarpelli.

A chuva, as poças d’água e o arbitragem roubaram a cena. O gramado alagado impediu o desenvolvimento normal da partida e tirou a lógica do jogo e das jogadas.

Francis abriu o placar para o São Bento e Elton empatou ainda no primeiro tempo. Elton virou o placar no segundo tempo, mas Francis deu bicicleta e empatou.

Aos 36 min do segundo tempo o árbitro , Graziane Rocha, interrompeu a partida alegando falta de condições do gramado. Esperou 40 min, ameaçou recomeçar duas vezes, mas decidiu encerrar o jogo. O árbitro fez confusão.

Primeiro deixou o jogo correr por 30 min em péssimas condições, depois interrompeu faltando 9 min, as condições tinham melhorado em relação ao momento da paralisação, mas , mesmo assim, preferiu encerrar.

Como passou dos 30 min do segundo tempo e ninguém deu causa á interrupção, o empate vai ser oficializado pela CBF.

Pior para o Figueirense, que mais uma vez tropeça em casa e , agora, precisa de 8 vitórias em 11 jogos para sonhar com o acesso.

Figueira escapa de perder em Caxias

11 de agosto de 2018 0

O frio em Caxias não impediu um jogo movimentado e com muitos lances de gol no Alfredo Jaconi. O empate sem gols foi melhor para o Figueira porque o Juventude teve mais chances para vencer.

Incrível

O Figueirense optou por tentar controlar as ações ofensivas do Juventude no primeiro tempo e sair com toques rápidos para o setor ofensivo. Acabou ficando mais na defesa, permitiu mais posse de bola e finalizações, porém o Juventude não criou lances claros para fazer o gol.

A melhor chance foi do Figueira. Matheus Sales começou a jogada e tocou para Jorge Henrique, ele rolou para Henan. O centroavante dominou livre e de frente para o goleiro fez o mais difícil. Tocou para fora. Lance inacreditável. Outra chance também surgiu para Henan, novamente com passe de Jorge Henrique. Ele bateu cruzado e o goleiro defendeu.

Pênalti

O Juventude voltou melhor para o segundo tempo e aproveitou momentos de desatenção da defesa do Figueirense para criar lances de perigo. Antes dos 10 min o goleiro Denis salvou uma e Elias perdeu outra chance clara para o Juventude.

Milton Cruz tentou colocar o Figueira mais no ataque com duas alterações. Saíram Renan Motta e Henan e entraram Juninho e André Luis. Juninho entrou bem, chegou a acertar a trave de fora da área, mas acabou sentindo lesão e foi substituído por Maikon Leite.

Sem compactação o Figueira concluiu pouco e deu muito espaço. O Juventude continuou criando mais chances. Leandro Lima perdeu uma e Maikon outra boa possibilidade de fazer.

No último lance do jogo, já aos 50 min, Nogueira fez pênalti, o árbitro marcou fora da área. Fred bateu e a trave salvou.

Apesar de não voltar ao G-4, o Figueira pode comemorar o ponto. Jogou menos e foi beneficiado pelo erro do Árbitro Marcelo de Souza.

Figueira fecha o turno com mais um tropeço em casa

31 de julho de 2018 0

O Figueirense terminou o primeiro turno da Serie B sem vitória no Orlando Scarpelli e com um empate frustrante diante do CRB.

A timidez ofensiva do primeiro tempo fez o Figueirense parar nos toques laterais e algumas finalizações sem muito perigo. Jorge Henrique voltou, mas sentiu o tempo parado e participou pouco. O lateral-direito, Matheus Ribeiro, que fez boa estreia, participou de bons lances no ataque.

A melhor chance antes do intervalo foi do CRB. A defesa inteira vacilou e Felipe Menezes perdeu na pequena área.

A melhor chance do Figueira não se concretizou por erro do árbitro paraense, Andrei Silva e Silva. Henan estava em posição duvidosa quando lançado, mas o zagueiro tocou a bola para trás e tirou um possível impedimento. Henan ficaria sozinho na frente do goleiro, mas o assistente marcou e o árbitro não considerou o toque do zagueiro Anderson Conceição.

O segundo tempo foi dominado pelo Figueirense, que jogou o tempo inteiro no campo de ataque, principalmente depois da expulsão do zagueiro Anderson Conceição, que deu uma pancada em Juninho. Faltou , porém, criar o lance decisivo. Embora a pressão, muita posse de bola e vários escanteios, as poucas chances que surgiram foram tocadas para fora.

O aproveitamento em casa continua baixo e para buscar o acesso é necessário melhorar bastante.

Marquinhos e Rodrigão reclamam em mais um empate do Avai na Ressacada.

27 de julho de 2018 0

O Avai continua tropeçando em casa, perde chances no primeiro tempo, cai de produção no segundo e chega a quatro jogos sem vencer na Ressacada.

O Avai foi mais produtivo no ataque durante todo o primeiro tempo, mas faltou acertar a finalização. Rodrigão, André Moritz, Romulo e Renato poderiam ter marcado, mas finalizaram para fora.

O CSA preferiu tocar a bola e pouco chegou no setor de finalização. Na melhor chance, a bola parou no travessão, mas foi tocada para trás pelo zagueiro Betão. Apesar da ausência de gol foi um tempo de bom futebol.

Mas depois do intervalo a qualidade do jogo caiu bastante. O CSA continuou na defesa e tocando bola sem objetividade. Terminou a partida sem finalização que merecesse destaque. O Avai, apesar da insistência, criou uma chance clara apenas aos 37 min. Guga cruzou e Beltran bateu firme, mas o goleiro salvou.

O técnico Geninho não arriscou e manteve os três zagueiros até o final e surpreendeu quando tirou Rodrigão. O atacante não escondeu o descontentamento e saiu disparando palavrões. Marquinhos, que entrou apenas nos minutos finais também reclamou . Disse que acha que ” estão fazendo de sacanagem mesmo”.

Um ponto ficou melhor para o CSA, que jogou fora de casa, teve desempenho inferior ao Avai e mantém a vaga no G-4.

Mais um empate na Ressacada

17 de julho de 2018 0

O Leão voltou a tropeçar diante de seu torcedor, fez jogo de pouca qualidade e apenas alguns lances de perigo. A ausência de cinco titulares pesou, mas as escolhas do técnico não foram adequadas.

Lateral

O que de melhor o Avai teve antes do intervalo foi o sistema defensivo que, comandado por Marquinhos, não permitiu nenhuma chance de finalização ao Atlético. No ataque , o Avai criou três chances boas para abrir o placar, todas com origem em cobrança de lateral feita por Guga. Beltran, Getúlio e Mathos Barbosa não aproveitaram a bola que sobrou na área.

Alterações sem efeito

A defesa continuou firme no segundo tempo, mas a produção ofensiva foi inferior ao primeiro tempo. Romulo fez grande lance individual logo no início, mas finalizou para fora. Sem trabalho de bola, Geninho tirou Beltran e colocou Maurinho, enquanto Marquinhos, Moritz e Luanzinho continuavam no banco. O time não melhorou, Maurinho sentiu lesão e teve que sair, desperdiçando uma substituição.

Nos minutos finais o treinador apostou em Marquimhos e Luanzinho, porém, tirou Getúlio e continuou com três zagueiros. O Avai não criou mais nada e quase sofreu o gol em toque para trás do zagueiro alemão.

Mais um tropeço em casa e mais uma chance de acumular “gordura” desperdiçada.

Um tempo de domínio para cada time e Figueira empata em Criciúma

05 de julho de 2018 0

O Figueirense não conseguiu voltar ao G-4 e o Criciúma sair do rebaixamento, no confronto de catarinenses no Heriberto Hülse, pela décima quarta rodada da Série B.

Foi um jogo dominado pelo Criciúma no primeiro tempo e com forte reação do Figueirense, que teve chance para virar o placar depois do intervalo, mas esbarrou nos gols perdidos por André Luis, novamente.

A marcação adiantada do Criciúma tirou a saída de bola do Figueirense, que só atacou nos minutos finais do primeiro tempo. O Tigre já havia finalizado várias vezes quando João Paulo arrancou no meio da zaga do Figueira, deu lindo drible e bateu sem pressão de marcação ou saída de Denis, para abrir o placar aos 29 min.

Pereira sofreu lesão e foi substituído por Matheus Sales, que entrou perdido em campo, mas cresceu de produção no segundo tempo, que foi amplamente dominado pelo Figueira.

Milton Cruz liberou o time e o Figueira foi pra cima, o Criciúma ficou sem saída. As chances foram aparecendo e André Luis, que atravessa péssima fase, perdendo. O técnico Milton Cruz colocou em campo Juninho e Felipe Amorim, tirando João Paulo e Diego Renan, a pressão aumentava.

Nogueira era o melhor do Figueira na defesa e começou a aparecer no ataque. Na primeira tentativa de finalização do zagueiro, o volante Eduardo tirou de cabeça em cima da linha, mas na segunda chance, Nogueira, mesmo agarrado por Sueliton, bateu de direita e empatou a partida.

O Figueira ainda teve chance da virada, mas o Criciúma fez alterações e tentou atacar mais. Alex Maranhão e Andrew entraram bem e levaram perigo.

No final, um jogo bastante disputado, e um empate que reflete o jogo.

Avai deixou escapar a vitória no Maranhão

06 de junho de 2018 0

O Avai conquistou um ponto, mas poderia ter voltado com três de São Luiz do Maranhão, porque teve mais possibilidade de fazer gols e ainda saiu na frente do placar.

O time não sentiu muito a ausência de quatro titulares e foi superior ao Sampaio Corrêa, principalmente no primeiro tempo, etapa que só não abriu o placar por falta de aproveitamento no ataque. Guga e Rodrigão perderam as chances mais claras.

No segundo tempo o Sampaio Corrêa melhorou e também criou bons lances, mas ainda foram do Avai as jogadas mais perigosas. Martinuccio perdeu na frente do goleiro e Alemão abriu o placar aos 36 min, cobrando pênalti, mas na sequência o Sampaio empatou, tirando uma vitória que parecia encaminhada naquele momento.

E ainda teve um chutaço de Carlos Alberto, que fez boa estreia, parando no travessão.

Uma boa atuação do Avai, mas ficou faltando a vitória para recuperar o time da derrota em casa para o Criciúma.