Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "FIGUEIRA"

Figueira escapa de perder em Caxias

11 de agosto de 2018 0

O frio em Caxias não impediu um jogo movimentado e com muitos lances de gol no Alfredo Jaconi. O empate sem gols foi melhor para o Figueira porque o Juventude teve mais chances para vencer.

Incrível

O Figueirense optou por tentar controlar as ações ofensivas do Juventude no primeiro tempo e sair com toques rápidos para o setor ofensivo. Acabou ficando mais na defesa, permitiu mais posse de bola e finalizações, porém o Juventude não criou lances claros para fazer o gol.

A melhor chance foi do Figueira. Matheus Sales começou a jogada e tocou para Jorge Henrique, ele rolou para Henan. O centroavante dominou livre e de frente para o goleiro fez o mais difícil. Tocou para fora. Lance inacreditável. Outra chance também surgiu para Henan, novamente com passe de Jorge Henrique. Ele bateu cruzado e o goleiro defendeu.

Pênalti

O Juventude voltou melhor para o segundo tempo e aproveitou momentos de desatenção da defesa do Figueirense para criar lances de perigo. Antes dos 10 min o goleiro Denis salvou uma e Elias perdeu outra chance clara para o Juventude.

Milton Cruz tentou colocar o Figueira mais no ataque com duas alterações. Saíram Renan Motta e Henan e entraram Juninho e André Luis. Juninho entrou bem, chegou a acertar a trave de fora da área, mas acabou sentindo lesão e foi substituído por Maikon Leite.

Sem compactação o Figueira concluiu pouco e deu muito espaço. O Juventude continuou criando mais chances. Leandro Lima perdeu uma e Maikon outra boa possibilidade de fazer.

No último lance do jogo, já aos 50 min, Nogueira fez pênalti, o árbitro marcou fora da área. Fred bateu e a trave salvou.

Apesar de não voltar ao G-4, o Figueira pode comemorar o ponto. Jogou menos e foi beneficiado pelo erro do Árbitro Marcelo de Souza.

Vitória em Campinas recupera o Figueira na Série B

18 de julho de 2018 0

A vitória em Campinas mantém o Figueirense encostado no G-4, reafirma o desempenho melhor fora de casa e acaba com a sequência de quatro jogos sem conquistar os três pontos.

A vitória foi construída a partir da eficiência nas finalizações, passou por boas atuações individuais e muita luta para segurar o placar no final.

Trevisan

Improvisado na lateral, o zagueiro Trevisan, que fazia a primeira partida na Série B, subiu na área depois de escanteio cobrado por Diego Renan e abriu o placar logo no início. O Guarani aproveitou um descuido na marcação do próprio Trevisan para empatar logo na sequência. Não demorou para sair o segundo gol. Uma bela triangulação de Renan Motta, Henan e Ferrareis acabou com chute de Ferrareis e bola na rede.

Antes do intervalo ainda, nova desatenção do lado esquerda da defesa, agora com Patrick e Cléberson não acompanhando na marcação e Matheus Oliveira empatou.

O primeiro tempo terminou com bom futebol e gols.

Henan

No segundo tempo, aos 12 min, Renan Motta tocou para Henan, ele aproveitou a falha do zagueiro e fez o terceiro. Henan se reencontrou com o gol, deu ótimos passes e foi o grande destaque do Figueira.

Com a vantagem, o Figueira não atacou mais. A opção foi manter o resultado. O time ficou todo na defesa, lutou muito, permitiu apenas uma chance clara ao Guarani e comemorou o resultado.

Uma vitória que devolve a confiança do Figueira.

Figueira segura o placar e a vaga no G-4 diante do Sampaio Corrêa

12 de junho de 2018 0

O Figueirense conquistou a vitória, manteve a presença no G-4 e ainda presenteou o torcedor na comemoração de 97 anos, mas o jogo foi dos mais complicados até agora na Série B.

O gramado encharcado já indicava mais dificuldade para o Figueira, que com uma equipe baseada na técnica, tem sofrido em jogos com campo molhado.

O gol de Nogueira aos 6 min parecia indicar uma partida menos complicada, mas a possibilidade não se confirmou.

O Sampaio Corrêa adiantou o time , pressionou a saída de bola, forçou pela esquerda, criou vários lances perigosos e ainda foi para o intervalo com um jogador a mais em campo por que Zé Antônio foi expulso ao dar carrinho violento em Bruninho.

O Figueirense voltou para o segundo tempo disposto a segurar o placar. Renan Motta ficou no vestiário e Pereira entrou na posição de volante, depois dos 35 min e zagueiro Eduardo entrou na vaga João Paulo.

Foi assim, como muita luta e marcaçao, que o Figueira segurou a pressão do Sampaio. Construiu apenas jogadas eventuais no ataque e um lance de gol iminente. André Luís ficou livre e chutou em cima do goleiro.

Individualmente, destaque para Ferrareis, que comandou as principais jogadas do ataque, Denis com boas defesas e segurança mesmo com a bola molhada, Jorge Henrique, incansável no meio-campo e Cléberson. O zagueiro foi o craque do jogo e responsável direto por o Sampaio Corrêa não ter feito gol no Orlando Scarpelli.

No final, apesar da atuação fraca, o torcedor aplaudiu, reconhecendo a luta do time.

Fortaleza para o Figueira e segue líder

18 de maio de 2018 1

O Figueirense não conseguiu a recuperação e ainda foi completamente envolvido pelo Fortaleza no Orlando Scarpelli, embora abrindo o placar em belo chute de Ferrareis.

A luta do Figueira acabou em cansaço porque o time estava, quase o tempo inteiro, desorganizado em campo, muito por seus problemas, como a ausência de Zé Antônio e Betinho, substituídos por Pereira e Matheus Sales, com rendimento muito baixo.

Mas o que determinou mesmo a derrota foi a competência do Fortaleza, que conseguiu adiantar a marcação , pressionar a saída de bola, provocar o erro e finalizar várias vezes. Além disso, quando tinha a vantagem, adiantou o time e tocou bola no ataque.

O gol de empate foi de Bruno Melo, aproveitando rebote na área, depois de escanteio. Edinho virou com chute de longe, com a colaboração do goleiro Denis, antes do intervalo. No segundo tempo, quando o Figueirense, lutava bastante, mas pouco criava, Gustavo pegou rebote de Denis e liquidou o jogo antes dos 30 min.

Grande atuação do Fortaleza, que está invicto e liderando a Série B, depois de seis rodadas. Péssimo jogo do Figueira, que, agora, vai precisar rever a forma de jogar, além de avaliar a titularidade de alguns jogadores.

Surgiram problemas nas laterais, principalmente pela fragilidade de Diego Renan na marcação, Eduardo não está bem na zaga, no meio-campo falta o substituto de Betinho. André Luis também precisa voltar a fazer gol para readquirir a confiança.

Goleiro estréia, afunda o time e pede para ir embora do Figueira.

30 de maio de 2017 2

O futebol costuma surpreender, mas era improvável imaginar uma partida com tantos fatores negativos para o time da casa , que entrava em campo carregando mais possibilidades de vencer, como se viu no Orlando Scarpelli.

A derrota teve fatores externos incontroláveis como o tempo, mas acima de tudo por falhas do próprio time.

O Figueirense, uma equipe leve e de toque de bola, não se adaptou ao gramado com água e lama, acabando, assim, esbarrando em um adversário forte na marcação e rápido nos contra-ataques.

O gramado, porém, não foi o principal problema. A opção do técnico, Márcio Goiano, pelo goleiro Fábio mostrou-se um grande equívoco. Ele sofreu um frangaço no primeiro gol do Boa, pediu para sair no intervalo , foi embora de táxi e se despediu do Figueira. No final da partida, o superintendente, Carlos Arini, confirmou a rescisão de contrato.

Tudo continuou dando errado. O árbitro carioca, Alexandre Tavares de Jesus, errou ao expulsar Zé Antônio e deixou o Figueirense com dez ainda no primeiro tempo. Não demorou para aparecer mais um erro. Jorge Henrique fez pênalti desnecessário e o Boa Esporte ampliou.

No segundo tempo, sem força física e organização, restou ao Figueira lutar bastante, mas pouco produziu.

Bastaram dois jogos para o time perder o encanto. O trabalho de estruturação vai ser longo, como quase sempre acontece, em times montados em cima das competições.

Chape garante todas as vantagens e Figueira afasta rebaixamento

15 de abril de 2017 1

PRIMEIRO

A oitava rodada antecipou a decisão do segundo turno e confirmou o favoritismo da Chapecoense, que fez 2 a 0 no Joinville e sobrou nesta fase. A combinação de resultados também garantiu o primeiro lugar geral, dando a vantagem de jogar a segunda partida da final em Chapecó, além de ficar com o título caso ocorrer igualdade de pontos e saldo.

TROPEÇO

O Avaí vacilou diante do Barroso, perdeu em casa e deixou escapar a possibilidade de fazer o último jogo na Ressacada. Restou limpar os cartões de cinco jogadores para a decisão.

SALVOU

O Figueirense segurou o empate em Tubarão, resultado que salvou os dois times, apresentando péssimo futebol. Resta o consolo de afastar o risco de rebaixamento e ficar livre para planejar a Série B.

QUEDA

A última rodada será a do rebaixamento. Inter com 16, Barroso e Metrô com 15 pontos, travam a batalha da permanência.

Bill vacila na frente do goleiro e Chape vence o Figueira

01 de abril de 2017 7

O Figueirense deixou de ganhar da Chapecoense no Orlando Scarpelli, no jogo que teve o melhor desempenho das rodadas recentes, e o principal responsável foi o atacante Bill, que perdeu três chances claras na frente do goleiro Artur Moraes.

A Chapecoene não colocou intensidade em nenhum momento, confiou na qualidade individual e esperou as falhas do Figueirense e elas vieram, embora dominando a partida. Primeiro foram os gols perdidos e depois os espaços que cedeu no momento decisivo da partida.

Rossi fez o gol que abriu o caminho da vitória aos 34 min do segundo tempo, Tulio de Melo perdeu um pênalti aos 44min, mas, na sequência, depois de cobrança de escanteio, Luiz Antônio bateu de Longe e ampliou, contando com desvio na defesa.

Personagem

O zagueiro Marquinhos voltou com a tarja de capitão e nem parecia que estava sem jogar desde o ano passado. Além da liderança, tirou todas as jogadas aéreas defensivas e levou perigo quando foi para a área da Chape.

Gol

Thiago Rodrigues sentiu lesão no aquecimento e deu chance para o goleiro Luiz Carlos. Ele entrou, fez boas defesas , pegou pênalti e mostrou liderança na orientação aos companheiros. Tem chance de ganhar a posição.

Individual

A Chapecoense não teve brilho no desempenho individual, mas o goleiro Artur Moraes e o atacante Rossi foram decisivos. O goleiro fez três ótimas defesas e Rossi o gol que encaminhou a vitória.

Apito

Excelente arbitragem de Rodrigo D’Alonso e assistentes.

Noite de viradas emocionantes e mais uma derrota do Figueira no Catarinense

23 de março de 2017 1

Os times que disputam a liderança venceram nesta quarta-feira – hoje tem Joinville e Criciúma que também buscam a ponta – mantendo o equilibrio na disputa pelo primeiro lugar do segundo turno. Mas não foi fácil.

Brusque

O Brusque teve de virar o jogo diante do Metropolitano para manter o bom aproveitamento. Venceu por 3 a 2 mostrando que está firme e correndo por fora na disputa.

Ressacada

O Avai passou sufoco, mas virou o jogo diante do Tubarão, depois de sofrer dois gols no inicio da partida. O gol no final impediu o tropeço e manteve a esperança de ganhar o campeonato sem uma final.

Chape

Não foi diferente a situação da Chapecoense em Itjai. O time comandado por Wagner Mancini perdia por dois gols no segundo tempo e, mesmo assim conseguiu virar para 3 a 2, placar que mantém a Chape em posição favorável no segundo turno.

Lages

Na luta contra o rebaixamento o Inter conseguiu o melhor resultado ao vencer o Figueira por 1 a 0, gol de Enercino, o destaque da partida. O Figueira fez a décima quinta partida da temporada e , em vez de melhorar, piora a cada rodada. O Figueira atual envergonha o gorcedor e, disparado, é o pior time do Figueirense desde 1999, quando começou um período vitorioso, que agora dá sinais de esgotamento com a gestão instável de Wilfredo Brilinguer.

Os grupos estão bem divididos na tabela. Cinco buscam a liderança, cinco lutam contra o rebaixamento, e o Figueirense é um deles.

Brusque "engole" o Figueira no Augusto Bauer

12 de março de 2017 2

O Figueirense frustrou cruelmente a expectativa da torcida, que esperava um pouco de futebol na abertura do segundo turno, mas viu o time ser dominado pelo Brusque no Augusto Bauer e perder o jogo por 2 a 0.

A limitação técnica individual, a falta de organização, a apatia e a presença de vários jogadores sem experiência, além dos experientes que nada produzem, transformaram o Figueirense em um time qualquer.

O Brusque não tomou conhecimento. Dominou , envolveu , criou chances e obrigou o goleiro Thiago Rodrigues a boas defesas para evitar a goleada.

O Brusque engoliu o Figueira sob o comentado de Mineiro, Boquita, Eliomar e Jonatas Belusso. A expulsão de Josa no segundo tempo desmontou o time que tentava a reação, mas perdia chances.

No Figueira , as atuações de Dirceu, Josa, Hélder , Patrick e Bill entraram na lista do volume morto.

Boa arbitragem de Ramon Abatti Abel.

Figueira observa garotos, vence o FLU e já olha para 2017

27 de novembro de 2016 3

O Figueirense fechou a temporada de jogos em casa vencendo o Fluminense por 1 a 0 , mas com futebol e presença da torcida de time rebaixado. O jogo foi muito ruim e o público de apenas 1.800 torcedores.

A observação de alguns garotos foi o que mais chamou a atenção no time do Figueira. Mas Dudu e Matheuzinho, que começaram a partida, embora mostrando potencial tiveram atuações discretas. O volante João Pedro, que entrou no segundo tempo, deixou melhor impressão, apesar de pouco tempo em campo.

Uma despedida melancólica, de um time sem qualidade e inspiração, e que ainda joga com o Sport domingo em Recife, já pensando em 2017.

Projetando

Marquinhos Santos será o treinador ano que vem. Uma decisão polêmica. Ele fica pelo contratado assinado até o final de 2017 e por que largou o Fortaleza para assumir o Figueira, trocando um acesso por rebaixamento. É respeitado por trabalhos que fez no Coritiba e Fortaleza, porém nada acrescentou ao Figueirense na reta final da Série A. Vai ter a chance de mudar a história.

Branco, que vem morar em Floripa, ganha força e assume o futebol junto com Léo Franco. Uma escolha que coloca um olhar técnico no departamento de futebol, corrigindo uma falha da gestão de Brilinguer nos 4 anos recentes. Vai depender, porém, da competência de Branco para dar certo. O torcedor não esquece a passagem dele como treinador e o retorno este ano como assessor do presidente, trabalhos que não deram bom resultado.

Barca

A reformulação do grupo de atletas começou com as dispensas de Ayrton, Pará, Diego Torres, Ēlvis, Maurides e Rafael Silva. Todos mereceram a liberação. No mínimo mais 10 atletas devem ser dispensados. O problema vai ser evitar a saída de jogadores que poderiam ficar. Casos de Gatito, Werley , Ferrugem, Lins e Rafael Moura.