Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "SÃO PAULO"

Douglas garante empate do Avaí diante do São Paulo

20 de agosto de 2017 0

O Jogo na Ressacada teve domínio do São Paulo , quase o tempo inteiro, mas o Avaí chegou perto da vitória no segundo tempo.

O São Paulo, mesmo contra o vento, teve ampla posse de bola no primeiro tempo e, comandado pelos toques de qualidade de Hernanes, levou mais perigo e criou dois lances claros para abrir o placar, além de outras ações dentro da área.

O Avaí teve mais presença ofensiva no segundo tempo, principalmente depois da saída de Luan, machucado, e entrada de Luan Pereira.

O São Paulo continuou dominando e levando perigo, mas o Avaí dava resposta e também criava.

O pênalti de Edimar em Willians foi bem marcado e deu a chance de sair na frente. Júnior Dutra não desperdiçou. Na sequência, porém, o goleiro Sidão deu um presente para Júnior Dutra, o atacante avançou livre e perdeu um gol feito, deixando o São Paulo vivo.

Dorival Júnior, técnico do São Paulo, colocou o time mais ainda no ataque e fez grande pressão. Douglas, goleiro do Avaí, mais uma vez fechou gol, praticando 5 defesas difíceis e outras intervenções importantes.

Ele até bateu na bola, mas não conseguiu evitar o empate no pênalti batido por Hernanes. Pênalti de Pedro Castro que ergueu o braço no cabeceio e tirou a bola com a mão.

Outro empate em casa e com sentimento duplo. Deixou escapar a vitória, mas, também, escapou de perder, considerando as chances criadas pelo São Paulo.

Avai não soube parar o São Paulo no Morumbi

23 de maio de 2017 0

O Leão viu diminuir sua chance de conseguir bom resulto no Morumbi muito cedo. O gol do São Paulo aos 11 min tirou a ansiedade e a pressão do time comandado por Rogério Ceni, fatores que poderiam ajudar o Avai quanto mais o tempo passasse.

A primeira chance de gol foi do Avai, mas o São Paulo dmoninou o primeiro tempo e poderia ter ampliado, porém, deixou de aproveitar duas chances. Restou ao Avai resistir e se reorganizar no intervalo.

O Leão voltou melhor no segundo tempo, jogou no campo de ataque, mas limitou-se a alguns chutes de fora da área sem muito perigo. No final a defesa falhou e o gol de Luiz Araújo liquidou o jogo.

Considerando as limitações, o Avai não teve desempenho tão baixo, mas com esse futebol, dificilmente vai conseguir bom resultado diante dos principais times, fora de casa.

Figueira não ameaçou o São Paulo

11 de setembro de 2016 3

O Figueirense continua sem vencer o São Paulo no Morumbi e , desta vez, nem perto da vitória passou.

Sem atacar

Embora entrando com a escalação “ideal” do momento , o Figueirense não conseguiu jogar no primeiro tempo. Com Lins, Dodô e Carlos Alberto distantes dos volantes o Figueira ficou sem transição ofensiva.

O São Paulo fez pressão constante, envolveu a defesa, criou chances e abriu o placar com Chávez de cabeça.

Contra-ataque

O figueira voltou melhor para o segundo tempo com Rafael Silva e Élvis no time. Teve posse de bola, porém não conseguiu criar chances claras.

O São Paulo fez dois contra-ataques e liquidou o jogo com Cueva e Kélvin. Apesar da reclamação , o árbitro acertou ao marcar o pênalti de Bruno Alves que permitiu o segundo gol.

Carlos Alberto descontou de pênalti e evitou uma goleada.

Agora o foco é o América-MG quarta-feira, jogo que não pode passar sem vitória se quiser sair do Z-4 nesta rodada.

A primeira vitória do Figueira

02 de junho de 2016 7

O jogo foi bastante movimentado no Orlando Scarpelli, com vários lances para os dois times e o Figueira conquistou a primeirta vitória, além de acabar com um tabu de 10 anos sem vencer o São Paulo.

Rafael Moura

O Figueira entrou com três novidades no time- Marquinhos na zaga, Ferrugem como segundo volante e Dudu no ataque – e partiu para cima do São Paulo, dominou o primeiro tempo e abriu o placar com mais um gol de Rafael Moura.

As principais jogadas saíram pela direita com Ermel e Ayrton, além dos deslocamentos de Dudu e Ferrugem. Por lá Ermel cruzou para a abertura do placar. Antes do gol o árbitro não marcou pênalti de Matheus Reis, quando o chute de Ayrton tocou em sua mão.

Pressionado no próprio campo , o São Paulo quase não atacou.

Defesa

O São Paulo cresceu no segundo tempo com a entrada de Kelvin e depois Rogério, pressionou o Figueirense por 15 min, mas não conseguiu fazer o gol.

Nas duas chances mais claras, Alan Kardec errou o cabeceio na linha da pequena área e Kelvin acertou o travessão, já no final da partida.

A lesão de Ferrugem prejudicou o meio-campo , por que Renato não entrou bem, mas o Figueirense conseguiu jogar um pouco a partir dos 20 min e teve duas chances claras para ampliar, porém Lins e Bady não aproveitaram.

O jogo terminou aberto e tenso, mas o Figueira conseguiu segurar a vantagem.

Destaques

Rafael Moura, pelo gol e presença na proteção de bola no ataque, mais uma vez fez boa partida.

Ermel, no primeiro tempo, puxou as principais jogadas de ataque.

Ferrugem , mudou a dinâmica do meio-campo, com boa marcação e passagens pela direita, antes de se machucar.

Ayrton foi bem no apoio, participando das principais jogadas ofensivas.

Os melhores do Figueira estiveram na zaga. Marquinhos voltou comandando a defesa e ganhando as jogadas aéreas, mas foi Bruno Alves quem mais apareceu. Nada passou por ele, que foi o cara do jogo.

Apito

Jean Pierre Gonçalves não marcou pênalti e deixou de aplicar cartão velmelho a Lugano e amarelo a Matheus Reis. Errou também na marcação de faltas e mostrou insegurança para comandar o jogo. Uma péssima arbitragem.

Figueira busca primeira vitória e Chape vai a Curitiba

01 de junho de 2016 1

Orlando Scarpelli

O jogo com o São Paulo é dos mais difíceis da Série A, considerando o momento dos dois times, mas é uma oportunidade de o Figueirense sair do estágio do copo meio cheio ou meio vazio.

Nos quatro jogos anteriores faltou o desempenho constante durante o tempo inteiro. Nos três empates – Ponte Preta, Cruzeiro e Santos- o time esteve perto da vitória, mas também da derrota. Em um tempo de cada jogo teve mais posse de bola e finalizações e no outro foi dominado. Na derrota para o Atlético-PR a situação foi parecida e a chance do empate surgiu no final.

Agora a pressão por resultado é maior. É fato que o time está em formação e que o adversário é forte, como ressalta o técnico Vinicous Eutrópio, mas é realidade que adiar a vitória mais uma vez pode inviabilizar a continuidade do trabalho.

O treinador tem cinco reforços para o jogo, mas a única mudança deve ser o retorno de Marquinhos å zaga. Werlei, Renato, Marlon, Carlos Alberto e Lins devem ficar no banco. Entendo que Carlos Alberto poderia começar a partida.

Se o Figueirense evitar a criatividade de Ganso e bloquear as jogadas aéreas, då um passo fundamental para segurar o São Pulo. A partir daí é preciso jogar mais futebol do que mostrou até agora.

Vila Capanema

O Coritiba não estará em casa, embora em Curitiba, por que o jogo será na Vila Capanema, já que seu estádio passa por reformas. O time não começou bem a Série A e o técnico Gilson Kleina é muito cobrado, mas o coxa vê no jogo com a Chape uma oportunidade para se rabilitar.

A Chape mostra solidez no início do campeonato, mas o empate com o Santa Cruz tirou um pouco da folga na tabela. Por isso, não perder para o Coritiba é importante para se manter em posição confortável , além de segurar um adversário direto na disputa pela permanência na Série A.

Será que Hyoran terá de ser acionado novamente para fazer o time melhorar ou vai ter chance de começar a partida?

Guto Ferreira ainda não ajustou a lateral-direita e a armação do meio-campo nas primeiras rodadas, embora os bons resultados. São setores importantes para elevar o padrão do time.

Vitória passou por entre os dedos do Figueira no Morumbi

28 de novembro de 2015 12

O Figueirense quase venceu o São Paulo pela primeira vez no Morumbi, quase garantiu a permanência na Série A 2016, quase ….

Tudo foi perfeito até os 46 min do segundo tempo, quando o São Paulo empatou e virou o jogo.

O Figueirense parou em seus erros de finalizações, qualidade do São Paulo e falta de precaução do técnico Hudson Coutinho na substituição de Clayton por Thiago Santana, quando vencia o jogo e poderia ter optado por Marquinhos Pedroso na lateral e Juninho no meio.

Antes , porém, o técnico foi ousado e fez o time melhorar com a entrada de Rafa Bastos no lugar de Yago.

O grande problema , entretanto , foi mesmo a falta de qualidade nas finalizações . Carlos Alberto desequilibrou o jogo no segundo tempo , serviu os companheiros, mas eles não aproveitaram. Grande atuação também de Clayton, mas não foi suficiente.

Agora resta secar.

Figueira tenta quebrar tabu no Morumbi

27 de novembro de 2015 3

O Figueirense pode até garantir a permanência na Série A nesta rodada, mas terá de fazer o que nunca fez em sua história: vencer o São Paulo no Morumbi.

Um ponto favorável é que o time está completo com o retorno de Carlos Alberto, diferente dos jogos recentes, quando sempre um ou dois titulares não atuaram.

O São Paulo, goleado pelo Corinthians, precisa dar uma resposta para garantir a vaga da libertadores, mas é um time instável e tem fragilidades defensivas.

Enquanto o jogo estiver empatado o São Paulo estará pressionado , se o Figueira abrir o placar mais ainda. O fator emocional pode ser decisivo , por isso, entrar ligado para não sofrer gol cedo é fundamental.

Joinville para na trave e empata com o São Paulo

02 de setembro de 2015 1

O gramado molhado atrapalhou a qualidade técnica, mas não impediu um jogo emocionante e com muitos lances de gol na Arena Joinville. O empate foi pouco pela produção dos times.

No primeiro tempo , apesar de errar muitos passes, o Joinville criou duas chances claras. Em uma delas, o cabeceio de Edgar Junio bateu duas vezes na trave. O São Paulo também teve duas chances e acertou a trave com Wilder.

Melhor no segundo tempo, o Joinville viu de novo a trave parar o chute de Edgar Junio. Ao menos mais três chances surgiram , mas não foram aproveitadas. O São Paulo também levou perigo em alguns lances.

O empate frustrou o público superior a 13 mil pessoas e faz o Joinville patinar dentro do Z-4.

São Paulo não deixa o Figueira jogar

13 de agosto de 2015 4

O São Paulo jogou e não deixou o Figueirense jogar no Orlando Scarpelli, dominou todo o primeiro tempo, fez dois a zero e administrou a vantagem depois do intervalo.

A estratégia inicial do Figueirense foi tentar equilibrar o jogo com forte marcação, mas parou na movimentação inteligente do São Paulo que marcou firme e trabalhou a bola pelos lados do campo, principalmente na direita, onde Thiago Mendes, Weslei e Auro envolveram a marcação.

O Figueirense tentou jogar mais com a bola após entrada de Carlos Alberto, melhorou um pouco no segundo tempo, mas não foi suficiente para envolver a marcação , mesmo quando ficou com um jogador a mais em campo. Rafa Bastos finalizou forte e Bruno Alves cabeceou perto e nada mais aconteceu.

Uma derrota que complica o turno para o Figueira, que agora joga com o Fluminense no Rio de Janeiro.

Figueira tenta acabar com tabu e Chape vencer de novo fora de casa

11 de agosto de 2015 0

Completo

O Figueirense encara uma dos jogos mais difíceis do campeonato no Orlando Scarpelli. O São Paulo se mantém na disputa por título , apesar de algumas oscilações, e vem completo com Pato, Ganso, Luiz Fabiano e cia.

Menos complicado para o Figueira que depois de muito tempo todos os jogadores estão em condições de jogar. Marquinhos retorna á zaga e Clayton ao ataque. Thiago Heleno também deve voltar.

A história mostra a dificuldade que o Figueirense tem nos jogos com o São Paulo, tanto que a última vez que venceu foi em 2005, quando Michel Bastos, hoje no time paulista, era o lateral do time comandado pelo técnico, Zé Mário, que ficou pouco tempo no cargo.

O Figueira aposta na força dos jogos em casa para quebrar a sequência negativa. A previsão é de bom público e grande jogo.

Serra Dourada

Além do time do Goiás, o campo com dimensões acima da média brasileira e gramado ruim, são alguns obstáculos que a Chape terá de superar para voltar a vencer fora de casa.

O retorno de Cleber Santana deve ser a principal novidade e Gil começa partida , reforçando o meio-campo.

Apesar das condições desfavoráveis , é uma boa oportunidade para fazer três pontos e recuperar a frustração do empate no final diante do Figueirense, domingo, na Arena Condá.