Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts com a tag "SÉRIE B"

Avai fica a um ponto do acesso com vitória em Maceió

17 de novembro de 2018 0

Os jogos decisivos precisam de acontecimentos especiais para ter um desfecho favorável aos vencedores. Diante do bem armado time do CSA e do estádio Rei Pelé lotado, o Avai superou várias dificuldades para fazer a vitória que o deixa a um empate da Série A.

A lesão de Igor Fernandes foi o primeiro obstáculo que o técnico Geninho precisou contornar. Capa entrou na lateral e não dava conta de Neto Berola, mas acabou expulso de forma injusta ainda no primeiro tempo.

Mas o Avai já vencia o jogo, gol de Getúlio, acertando lindo cabeceio depois de escanteio batido por Guga. Foi um primeiro tempo aberto, com os dois times procurando bastante o ataque, mas criando poucas chances.

O CSA tentou partir pra cima com um a mais em campo na volta do intervalo, mas o Avai soube defender bem com decisiva participação dos zagueiros Betão e Marquinhos.

Quando o zagueiro Xandão acertou Renato e foi expulso o Avai equilibrou novamente a partida e poderia ter ampliado, mas Matheus Barbosa tocou na trave depois de grande lance individual.

No desespero final o CSA criou as três melhores chances de empate já nos acréscimos. A trave evitou uma, Koslinski outra e Guga tirou uma terceira oportunidade.

Mais uma vez fora de casa, mais uma vez fazendo o gol primeiro e depois garantindo o resultado na defesa o Avai vence e entra em contagem regressiva para a decisão, sábado, com a Ponte Preta na Ressacada.

Avai vê Fortaleza campeão na Ressacada e acesso pendente

10 de novembro de 2018 0

O Fortaleza preservou sete jogadores, mesmo assim parou o Avaí na Ressacada e comemorou o título de campeão. O Avai não aproveitou os tropeços de Londrina e Goiás e deixa escapar a possibilidade de antecipar o acesso.

Água

As possas d’água no gramado travaram o jogo no primeiro tempo. A partida transcorreu truncada por forte marcação, muita luta, pouca técnica e alguns lances
de área.

Nos melhores momentos do Avaí Getúlio teve duas chances. Uma ele bateu desequilibrado para fora e na outra o goleiro abafou e evitou o gol.

O Fortaleza levou perigo apenas com um chute de Éderson de fora da área. A bola
passou perto.

O placar sem gols refletiu a falta de inspiração dos dois times antes do intervalo.

Título e tensão

A configuração do jogo pouco mudou no segundo tempo, mesmo depois das alterações nos dois times. A nova chance do Avaí esteve outra vez nos pés de Getúlio que chutou fraco e facilitou a defesa do goleiro Max.

O Fortaleza conseguiu levar perigo no ataque apenas depois da entrada de Marcinho. Já passava de 30 min do segundo tempo quando o Fortaleza criou as melhores chances. Foram dois escanteios seguidos. No primeiro o zagueiro Ligger acertou a trave e no segundo ele cabeceou para grande defesa de Koslinski.

O jogo se encaminhou tenso para o Avaí até o final porque carregava a dúvida de arriscar tudo para encaminhar o acesso ou garantir um ponto importante.

O Fortaleza, tranquilo, comemorava o título e esperava o fim do jogo e nem imaginava a oportunidade que teria. Aos 49 min Rodolfo bateu no canto e tirou a vantagem que o Avaí vinha construindo sobre os principais concorrentes.

Empate em Goiânia adia acesso do Avai

06 de novembro de 2018 1

O Avai fez um grande primeiro tempo, mas cometeu vacilos decisivos depois do intervalo e deixou escapar a chance de fazer mais uma grande vitória em Goiânia.

O técnico, Geninho, apostou na mesma estratégia que usou na partida com o Goiás e, com isso, mudou o time. Marquinhos entrou na zaga, Igor na lateral-esquerda e Pedro Castro no meio-campo.

O início não repetiu o jogo com o Goiás por causa desses caprichos do futebol. Aos 2 minutos Pedro Castro acertou a trave e aos 5 min o gol de Rodrigao não saiu por que, mais uma vez, a trave evitou.

Mas o primeiro tempo foi todo do Avai, que finalizou bastante e não permitiu nenhuma chanc clara de gol ao Atlético.
A boa atuação apareceu no placar somente aos 41 min, quando Rodrigão, de biquinho, tocou a bola para a rede.

O jogo mudou depois do intervalo. O Avai não conseguia sair da defesa e ainda dava espaços. O Atlético cresceu aos poucos e chegou ao empate depois que Guga deu espaço e Marquinhos não chegou na cobertura. Julio César completou o cruzamento de Kayer.

O Avai continuava com problemas até os 36 min, momento que Koslinski evitou o segundo gol do Atlético e Renato puxou o contra-ataque, tocou bonito na saída do goleiro e fez o segundo do Avai.

O jogo parecia decidido, mas Luan Pereira fez pênalti infantil e permitiu o empate. Julio César bateu e tirou os três pontos que davam chance de acesso no sábado. Agora o Leão terá de esperar um pouco mais para comemorar.

Mais um empate na Ressacada

03 de novembro de 2018 0

A partida, disputada com gramado bastante molhado, exigiu muito da condição física dos jogadores, manteve a tensão até o final, porém, frustrou a expectativa da torcida que esperava a vitória, depois da grande atuação em Goiânia.

O gol de Leandro Almeida aos 2 min indicativa que o Avaí não teria vida fácil com o Londrina. O golaço de Getúlio aos 10 min aliviou o susto inicial, mas a reação não veio com a intensidade necessária para a virada.

O Avaí terminou o primeiro tempo levemente superior e desperdiçando duas chances claras para fazer o segundo. Capa e Renato não aproveitaram e o Londrina exigiu bastante da defesa avaiana, principalmente com o habilidoso Dagoberto.

Precisando da vitória o Londrina foi ataque e permitiu espaços de contra-ataque que o Avaí nunca teve em jogos na Ressacada.

Mas o Leão não soube aproveitar. Quando não errava no penúltimo passe ofensivo, falhava na finalização ou o goleiro Wagner, destaque do segundo tempo, evitava. O segundo tempo foi todo do Leão, mas o segundo gol não saiu.

Quando Tiago Ribeiro foi expulso, aos 15 minutos do segundo tempo, os espaços ficaram mais generosos ainda. Mesmo assim o Avai não aproveitou. Luan Pereira substituiu Marquinhos e não foi efetivo, Jones e Daniel Amorim, que jogaram pouco tempo, também não acrescentaram.

Outro empate em casa impede o Leão de antecipar o acesso, mas as possibilidades ainda são enormes para subir.

Leão conquista vitória gigante em Goiânia

26 de outubro de 2018 0

O Avai fez em Goiânia, no estádio Olímpico, uma de suas melhores atuações na Série B, até agora, e ainda diante de um dos melhores times da competição.

O placar de três a zero começou a ser construído nas primeiras ações do jogo. Antes de dois minutos Getúlio recebeu na esquerda, tentou duas vezes e abriu o placar. Aos cinco minutos Getúlio recuperou a bola e tocou para Renato. Ele cobriu o goleiro e aplicou uma ducha gelada no time e na torcida do Goiás.

A partir da vantagem de dois gols o Avai não correu mais riscos o jogo inteiro. Pelo contrário, esteve sempre mais perto de mais gols. O terceiro saiu logo no início do segundo tempo e abafou a tentativa de reação do Goiás. Matheus Barbosa abriu para Renato, ele cruzou no pé de Daniel Amorim que não deixou escapar a oportunidade.

A defesa estava intransponível, apesar da insegurança de Koslinski em alguns lances, o meio-campo marcou de forma incansável e acionou bem o ataque. Os três atacantes -Getúlio, Daniel Amorim e Renato- foram decisivos com bons lances e um gol cada.

A estratégia do técnico Geninho foi muito facilitada pelos gols logo no início, mas a força mental do Avai impressionou diante de um adversário qualificado.

Individualmente, todos apresentaram desempenho alto, mas Getúlio e Matheus Barbosa estiveram perto da perfeição.

A arbitragem, que preocupava antes do jogo, foi muito bem. Caio Max Vieira não cometeu erros.

Sem escolher adversário e estádio para vencer, o Avai se aproxima com força do acesso.

Ponte mantém Figueira balançando na Série B

19 de outubro de 2018 0

O Figueirense segue batendo recordes negativos na Série B. Com a derrota para a Ponte Preta, por 2 a 1, em Campinas, chega a oito jogos sem vitória. O técnico Rogério Micali comandou o time em seis jogos e ainda não venceu.

O posicionamento pouco adequado da defesa, deixando as laterais abertas e os zagueiros sem cobertura, além da opção do técnico que deixou Ferrareis no banco, facilitaram as ações da Ponte Preta, que, jogando em contra-ataque, abriu logo o placar com André Luiz e perdeu mais três chances claras antes do intervalo.

O Figueirense pouco ameaçou a meta do goleiro Ivan.

O segundo tempo começou como o primeiro. A Ponte não perdeu tempo e ampliou com gol de cabeça do zagueiro Léo Santos, depois de cobrança de escanteio.

Na sequência, também de cabeça, Trevisan descontou para o Figueirense. A Ponte mexeu no time e caiu de produção, principalmente com a saída de André Luiz. O Figueirense melhorou quando Matheus Sales foi para a lateral-direita, Marco Antônio entrou no meio e, principalmente, Ferrareis na esquerda.

O trabalho de bola cresceu e Elton teve chance de empatar, mas o goleiro Ivan evitou. A Ponte também teve chances e poderia ter ampliado em três lances.

No resumo do jogo , a Ponte mais deixou de fazer um placar folgado que o Figueirense chegar perto do empate.

Empate escrito com muitos erros no Orlando Scarpelli

13 de outubro de 2018 0

Figueirense e Coritiba fizeram um jogo de muitos erros e poucos acertos no Orlando Scarpelli. O desespero das equipes, longe da zona de classificação na Série B, contribuiu para uma partida de baixa qualidade técnica.

O erro de marcação do Coritiba no último minuto do primeiro tempo deu a chance de Felipe Amorim abrir o placar.

O erro da zaga, goleiro e cobertura do lateral, permitiu o gol de empate de Guilherme, no primeiro minuto do segundo tempo.

O erro do goleiro Wilson deu um pênalti ao Figueirense. O erro de João Paulo batendo o pênalti na trave impediu a vantagem.

O erro do goleiro Denis, que rebateu uma bola nos pés de Paredes, permitiu a virada do Coritiba.

Outro erro do goleiro Wilson, que soltou uma bola nos pés de Elton, deu o empate ao Figueira.

De erro em erro o Figueirense vai se despedindo da luta por acesso e o Coritiba parece seguir o mesmo caminho.

Vitória em Campinas aproxima Avaí do acesso

13 de outubro de 2018 0

O Avaí sofreu em Campinas, mas não foi por jogar mal ou por que o Guarani foi superIor. Sofreu pelo desperdício.

Na vitória, por 2 a 1, no Brinco de Ouro, o Avaí só não fez um placar folgado por que perdeu muitas chances, principalmente no segundo tempo.

O Avai defendeu bem antes do intervalo, abriu o placar, teve outras chances, mas permitiu o empate em chance única do Guarani. Felipe Maya fez de cabeça após cobrança de escanteio.

O segundo tempo foi mais movimentado e com muitos lances para os dois times.

No melhor momento do Guarani a trave evitou o gol da virada em chute de Bruno Mendes.

Getúlio, autor do primeiro gol, perdeu a chance do terceiro na frente do goleiro. Renato, autor do segundo gol, perdeu um pênalti. Lances que deixaram o Guarani vivo até o final.

Isso obrigou Koslinski a fazer duas defesas difíceis para evitar o empate, quando já estava 2 a 1.

Foi uma boa atuação do Avaí, com destaque para Koslinski, Ayrton, Renato, Getúlio e Rodrigão, este o melhor em campo.

Uma vitória que coloca o Leão de cara com o acesso.

Leão vence e mantém posição no G-4

05 de outubro de 2018 0

O Avai confirmou o favoritismo, mas não teve vida fácil diante do limitado time do Boa, na vitória por 2 a 0 na Ressacada.

E a pressão que sofreu no jogo não foi por que o Boa atacou com perigo, mas por que não aproveitou as muitas chances que teve para garantir logo a vitória.

O primeiro tempo foi de bolas na trave, pênalti não marcada e gol de Getúlio, abrindo o placar. Depois do intervalo o Boa teve jogador expulso, o árbitro , Marielson Silva, marcou pênalti para o Avai em lance fora da área, Rodrigão perdeu, e, apenas aos 42 min, Luan Pereira garantiu a vitória.

Sem muitas destaques individuais, Getúlio foi o jogador mais importante do Avai.

A falta de aproveitamento quase complicou um jogo fácil, mas, no final, o Leão garantiu a vitória, manteve a posição no G-4 e avançou mais um pouco rumo ao acesso.

Figueira afunda em São Luiz

02 de outubro de 2018 0

O Figueirense deu, em São Luiz do Maranhão, um passo decisivo para sair da disputa por acesso nesta temporada. Foi um jogo horrível e marcado por muitos erros dos dois times.

O Figueira mostrou todas as deficiências de um time que foi se desmontando ao longo do campeonato e desmoronou depois da saída do técnico Milton Cruz.

Entrou mal escalado, por falta de força e marcaçao, desmobilizado e desinteressado, deu espaços, sofreu o gol e reagiu pouco e tarde, porque criou algumas chances apenas na reta final do segundo tempo. As alterações também foram pouco adequadas para o que o time estava precisando. Juninho terminou a partida como o homem de referência no ataque.

O Sampaio Corrêa não tomou conhecimento, fez a sua parte e poderia ter feito muito mais já que perdeu muitos gols depois do intervalo.

Rogério Micale nada acrescentou ao Figueirense até agora, parece perdido e sem capacidade de motivação do grupo para tentar , ao menos, vencer os jogos com luta e superação, característica forte da Série B.