Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Palavra de honra

27 de setembro de 2007 13

Ricardo Duarte, Banco de Dados - 20/07/2007
Ontem foi a vez de os três senadores gaúchos responderem para esta coluna sobre a minha suposição de que dois deles votaram pela absolvição de Renan Calheiros.

Inicialmente me telefonou o senador Pedro Simon (PMDB), garantindo-me que desde a reforma da Previdência os três têm combinado os mesmos votos. Simon deu-me sua palavra de que Paulo Paim (PT) e Sérgio Zambiasi (PTB) votaram pela cassação de Calheiros, estava junto deles em toda a sessão e sentiu epidermicamente a voltagem da vontade e intenção de ambos.


Foto: AP, Banco de Dados – 26/04/2004

A seguir, o senador petista enviou-me uma mensagem de Brasília:

%22Prezado Paulo SantAna. Permita-me, contristado, discordar de sua coluna de hoje. A imprensa gaúcha, inclusive Zero Hora, concedeu-me espaço para expressar a minha posição, onde tive a oportunidade de abrir o meu voto muito antes da sessão do dia 12 de setembro.

Deixei claro para o Rio Grande saber que votaria pela perda de mandato do senador Renan. Posição que também foi registrada, com clareza, pelos veículos sediados em Brasília e no centro do país. Na reunião da bancada de senadores petistas, fui o único que abriu o voto.

A minha decisão de votar pela perda de mandato do presidente do Senado teve o apoio irrestrito do PT gaúcho. Gostaria de lembrar que sou o autor da PEC 50/06 que acaba com o voto secreto no Congresso Nacional. Essa proposta já foi aprovada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e, neste momento, está pronta para ser votada no plenário.

O fim do voto secreto vai dar transparência a esta casa e às ações dos parlamentares e, com total certeza, vai ser um importante instrumento da verdade para que fatos como o sugerido na sua coluna não se repitam mais. Um abraço, (ass.) senador Paulo Paim%22.


Foto: Fernando Bizarra, BG Pres, BD – 24/12/2003

Finalmente, o e-mail do senador petebista:

%22Prezado Paulo SantAna. Sou daqueles leitores viciados na tua coluna e concordo com o Kadão: é difícil fazer crônica como o SantAna. Mas o importante mesmo é que o teu espaço, acima de tudo, prima pela democracia.

Ontem fomos surpreendidos por tuas intuições e deduções a respeito de nossos votos no processo contra Renan Calheiros, e no nosso caso só nos restam duas coisas: a nossa palavra, reproduzida por todos os veículos de comunicação do RS e o inestimável testemunho de nosso colega Pedro Simon, pois no momento de nosso voto pela cassação de Calheiros estávamos juntos.

Mesmo respeitando teus dons intuitivos, basta lembrar como votamos em 2003 na primeira PEC do voto aberto. Nós, os três senadores gaúchos, votamos sim, infelizmente fomos derrotados por muitos dos que hoje exigem, e têm nosso apoio, o fim imediato do voto secreto.

Portanto, imagino que, por dedução de quem nos lê e por coerência de nossa parte, agora não poderia ser diferente. O atual projeto do voto aberto foi apresentado em 2006 pelo senador Paulo Paim e o pedido de votação urgente do fim das sessões secretas foi de minha iniciativa ao recolher as assinaturas de todos os líderes partidários com assento no Senado.

Em relação à CPMF, mantenho o que disse à coluna da Rosane Oliveira. Defendo a destinação de um percentual para os programas de saúde da família, cujo custo mensal é de R$ 18 mil por equipe e para o qual o governo federal repassa apenas um terço do valor, e para os agentes comunitários de saúde, cujo custo mensal por equipe é de R$ 5 mil, enquanto o governo paga apenas R$ 2 mil.

Nos dois casos, a responsabilidade pelo custo final é das prefeituras. Entendo que sua aprovação passa por um compromisso do governo de apressar a reforma tributária, o que necessariamente implicará o fim da CPMF. Um afetuoso abraço de seu admirador, (ass.) senador Sérgio Zambiasi%22.

Leia a coluna de hoje em ZH

Postado por Sant`Ana

Comentários (13)

  • Geraldo Esteban Almeida diz: 28 de setembro de 2007

    Não tenho porque não confiar em gaúchos como Simon, Zambiasi e Paulo Paim. Este último por exemplo é um dos senadores que mais aprovou projetos na história do senado.

  • jose jader felix martins diz: 27 de setembro de 2007

    acho que o Senador Zambiazi,está equivocado ou mal acessorado com respeito ao PSF, pois vem de fundo a fundo o dinheiro para o salários das ag.com.bem como para as equipes, é que o Municipio tem que botar a parte que lhe cabe, e ñ o fazem,inclusive fazem contratosñ muito claros como este de Palegre.

  • Leo Santana diz: 28 de setembro de 2007

    Difícil imaginar o senado sem homens que realmente trabalham como Paim. Sabemos que a imagem dos políticos está manchada mas não podemos generalizar! Tem gente muito boa lá lutando contra toda essa sujeira!

  • Mauro Berres diz: 27 de setembro de 2007

    Sobre este assunto, me desaponta a postura de três senadores (pelo que reprentam em suas agremiações): Simon, Paim e Suplicy.Eles sabiam que os parlamentares dos partidos deles, em sua maioria, absolveriam Renan. Ficaram caladinhos. Deviam ter se revoltado e saído dos partidos. Aí seria diferente.

  • eduardo burgos diz: 27 de setembro de 2007

    Me engana que eu gosto! Quer dizer que os três honrados senadores do RS votaram em uníssono, desde quando?
    E se foi assim, o que foi que fizeram como líderes e nossos representantes para evitar a sujeita que foi a votação.
    É por isso que defendo a renovação integral do Senado…

  • LUIZ DA SILVA diz: 27 de setembro de 2007

    O INTERESSANTE NESTE ASSUNTO É QUE TANTO O PAIM QUANTO O ZAMBIASI NUNCA APARECERAM NA MIDIA DO PAIS PARA SE POSICIONAREM SOBRE QUALQUER ASSUNTO POLEMICO, MUITO MENOS ESSE.SABEREMOS NOTICIAS DE AMBOS QUANDO SE APROXIMAR AS ELEIÇOES PARA RENOVAR AS DUAS CADEIRAS DO NOSSOESTADO.ESPEREM E VERAO.

  • Rogério Moura diz: 27 de setembro de 2007

    Srº Pedro Simon eu fui um dos muitos e hoje decepicionados eleitores seus e bem me lembro que em sua campanha o seu discurço não incluia pizza!!!!!!!!!!!!

  • PC, O PC diz: 28 de setembro de 2007

    Ninguem votou no Collor, ninguem votou pela absolvição do Renan e, como, tenho lido que tudo que o Lula faz de errado é culpa dos eleitores do bolsa família, somos todos vitimas de uma fraude incrível onde políticos se elegem e são perdoados sem ninguém ter votado neles.
    It is Brazilian….heheheh

  • PAULO diz: 28 de setembro de 2007

    É TRISTE TER QUE ADMITIR, MAS MESMO QUEM VOTOU CONTRA O RENAN FICARÁ MARCADO.
    VOTO SECRETO PERMITE QUE NOSSA IMAGINAÇÃO DECIDA O QUE BEM QUISER.
    ELES SÃO POLÍTICOS DEVERIAM TER MUDADO O SISTEMA ANTERIORMENTE.
    AGORA ASSUMAM OS RISCOS DE SEREM CHAMADOS DE TRAIDORES DA NAÇÃO.
    O SENADO TÁ MARCADO!

  • Antonio Campos diz: 27 de setembro de 2007

    Lamento não acreditar nesses srs. mesmo que jurem em nome de DEUS talvez Simom mas os outros dois tenho sérias duvidas.Porque não brigaram discutiram aos quatro ventos antes da safadeza toda com seus colegas que votaram a favor do rei do gado foram omissos isso sim.

  • Vilson Freccia diz: 30 de setembro de 2007

    So acredito nestes senhores se eles renunciarem, a maneira de agirem e jogo para a torcida e sao farinha do mesmo saco, nunca fizeram nada para mudar.

  • jose carlos cruz diz: 2 de outubro de 2007

    Acredito sim nos nossos Senadores, Simon é sem dúvida um orgulho para o RS. E tambem acho o Paim e o Zambiasi grandes politicos e honestos. Tenho orgulho de ser Gaúcho e gostaria que voltassemos a ter um Presidente, pois só assim este pais teria novamente esperança .

  • Claudio Machado diz: 30 de setembro de 2007

    Agora qualquer Senador pode dizer que cassou o Renan Calheiros.

    Aliás, se contassem os votos declarados Renan já estaria nas Alagoas cuidando das vaquinhas dele.

    Não acredito em ninguém. Só se fizerem nova votação aberta.

Envie seu Comentário