Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de dezembro 2007

Assassinatos evitáveis

30 de dezembro de 2007 22

Mais uma criança foi morta nos últimos dias pelos dentes de um cão feroz: uma menina de sete anos de idade foi estraçalhada na véspera de Natal por um cão rottweiler, na cidade de Dois Irmãos (RS).

O incrível é que o dono do sítio e da fera assassina declarou após o homicídio culposo que a menina %22sabia que não podia estar naquele lugar%22.

Como é que é? A menina não podia estar naquele lugar?

Será que o dono do sítio onde houve o massacre – e dono do cão – não sabe que quem não pode estar nem naquele lugar do sítio nem em qualquer lugar da Terra não era a menina, mas exatamente o rottweiler?

Nós temos que depressa nos conscientizar de que não podemos permitir, se quisermos ser uma sociedade civilizada, que continuem a freqüentar nosso meio social os pitbulls e rottweilers.

Cansei já de narrar os sofrimentos que crianças e adultos padecem em poder desses cães assassinos.

Essa criança ficou dezenas de minutos sendo dilacerada pelas mandíbulas e dentes cortantes e perfurantes desse cão chacinador.

A dor que uma criança ou um adulto sente ao ter cravados em seu corpo os dentes dessas feras é inenarrável. Ninguém suporta.

A vítima pede para morrer, durante 10, 20 minutos, até que alguém a socorra. Pede para morrer para parar de sentir dor e para parar de sentir medo, pânico, terror.

E foi tanta a dor dessa criança de Dois Irmãos, que, quando deram vários tiros no rottweiler, que nem mesmo assim soltou a criança, ela já tinha morrido. Ou seja, daí a que fossem buscar o revólver, ela sofreu, ela se martirizou, ela foi sendo aos poucos, lentamente, torturada, até que morreu, chegando atrasado o socorro. E se tivesse chegado a tempo o socorro, o que restaria da criança mutilada seria mais trágico do que o cadáver.

Parem de criar e manter em casa esses cães, já que não adianta mais apelar ao poder público insensível.

Parem, parem de uma vez por todas.

Isso atenta contra a razão e as humanidades.

Por que não param de assassinar os cúmplices desses assassinatos, que criam esses cães?

Por que não param? Vão querer matar todas as crianças e metade dos adultos do mundo?

Por que não param?

Parem. Cães assassinos de donos irresponsáveis. Dizem-me que os cães não são os culpados dessas chacinas que não param mais. Acho isso certo.

Mas e os verdadeiros culpados, os donos dessas feras, vão continuar matando? Matando, torturando, massacrando?

Quando é que essa estupidez vai ter um fim?

Postado por Sant`Ana

Conselhos

30 de dezembro de 2007 6

Em face das minhas doenças, muitas pessoas, na ânsia de me socorrer, tentando melhorar meu estado de saúde, enviam-me conselhos, pelo que fico profundamente agradecido.

Os conselhos vão desde que eu só coma carne e saladas até consumir somente produtos dietéticos.

Desencorajaram-se de pedir-me para deixar de fumar, é mais fácil obrigar o Bush a fazer profissão de fé islâmica.

Mas um dos pedidos mais insistentes que recebo dos leitores é para eu caminhar ou correr. Dizem que as transformações que sofrerei para melhor na saúde, se caminhar ou correr oito quilômetros por dia, serão espantosas.

E, para não decepcionar essas pessoas, eu deixo de responder a elas o que crê o Ibsen Pinheiro:

%22Se correr fosse sinônimo de saúde ou longevidade, o cavalo inglês não viveria só por 17 anos e a tartaruga por 200%22.

Postado por Sant`Ana

Goleiro de verdade

28 de dezembro de 2007 11


Foto: Paulo Sant`Ana, Arquivo Pessoal, Banco de Dados

Recebi do querido leitor Álvaro Chiesa duas fotos de 1983, ano em que o Grêmio bateu o Peñarol e sagrou-se campeão da Libertadores da América — título que o levaria à conquista mundial logo depois.

Na fotografia acima — tirada por mim, como explica o leitor —, figura o estupendo goleiro Mazaropi, que durante anos se destacou como símbolo do Grêmio e da paixão tricolor. Mazaropi, sim, era goleiro. Já faz algum tempo que não vejo um goleiro de verdade diante das traves do Grêmio. Torço para que em 2008 as coisas mudem.

Abaixo, o e-mail do Álvaro, detalhando a situação em que as fotos foram feitas.


%22Sant%27Ana,

Essa é uma lembrança da primeira partida das finais da Libertadores da América de 1983. A foto em que estamos juntos, nos corredores do Centenário, foi tirada pelo Mazaropi. A que eu estou com o Maza foi tirada por você.

Lembro de estarmos acomodados junto à torcida, próximos ao banco de reservas, na Tribuna América. Você estava sentado na fileira de cadeiras atrás de mim, apreciando amendoins comprados em Santa Vitória do Palmar. Guardo meu álbum de fotos com muito carinho. Sou leitor assíduo de sua coluna.

Fraterno abraço e grande admiração.
Álvaro Chiesa (alvarochiesa@gmail.com)%22



Foto: Mazaropi, Arquivo Pessoal, Banco de Dados

Postado por Sant`Ana

Uma proposta para o IPTU

28 de dezembro de 2007 3

A vereadora Neusa Canabarro anunciou ontem que um IPTU que custava R$ 2,8 mil em 2007 passou a custar R$ 4,8 mil em 2008, na Capital. Falei com Cristiano Tatsch, secretário municipal da fazenda, e ele me explicou o seguinte: cerca de 3 mil imóveis de Porto Alegre tiveram um reajuste maior do que a inflação, como este caso apresentado pela vereadora. Segundo ele, o fato ocorreu pois foi feita uma cobrança incorreta no IPTU de alguns imóveis, que pagaram um valor menor do que verdadeiro.

E também houve casos em que ocorreu o contrário: a cobrança foi a mais. Os dois valores foram corrigidos.

Não tem explicação que a secretaria não tenha notificado pelos jornais de maior circulação ou na própria guia o porquê na mudança dos valores desses contribuintes, até para que os mesmos se preparassem.

O secretário concordou com o erro. Por causa disso, dei uma sugestão que torno pública aqui no blog: eu peço à Câmara de Vereadores, ou a cada vereador individualmente, que a guia de pagamento do IPTU contenha o preço que se irá pagar e o preço que se pagou no ano anterior. É a melhor forma de as pessoas acompanharem a diferença de valores de um ano para o outro, porque quando se paga o doc bancário, as pessoas o colocam num lugar em que não vão mais mexer e esquecem o dinheiro que foi gasto. Depois ficam na dúvida de quanto foi o reajuste.

Estou dando esta sugestão para que algum vereador obrigue, num projeto de Lei, que a secretaria da fazenda da Capital faça essa mudança. Isso pode ser feito tanto pelo Poder Executivo como pelo Legislativo e não terá custo nenhum. Na conta da luz isto já é feito. Espero que esse modelo seja adotado definitivamente para o bem de todos.

Postado por Sant`Ana

Melhor do que eu pensava

28 de dezembro de 2007 1

Ontem, eu fiz um veemente protesto contra o aumento de 30% no valor das tarifas de táxi da Capital. Foi um erro. O noticiário me induziu de que o aumento seria de 30% e eu acreditei.

Para que sejamos mais didático,vejamos como foi decretado pela Câmara de Vereadores esse aumento: será de apenas 10% na bandeirada 1 e no quilômetro rodado. Na bandeirada 2 o aumento é de 30% sobre o valor da bandeirada 1, mas em compensação foram extintas as bandeiras 3 e 4.

Então, a situação não era como eu manifestei aqui ontem. O aumento é de apenas 10%, ou seja, uma corrida que antes custava R$ 20 passará para R$ 22. Pelo menos, a verdade é bem melhor do que eu pensava.

Postado por Sant`Ana

Ronaldinho injustiçado

28 de dezembro de 2007 10

Ele não mudou!/Gustau Nacarino,GN/JV, Banco de Dados - 23/12/2004
Recebo do deputado federal (PMDB-RS) Ibsen Pinheiro o seguinte texto de sua autoria:

%22Um pouco por gosto e outro tanto por capricho, dediquei 90 minutos ociosos a ver Barcelona x Real Madrid, com atenção especial para Ronaldinho Gaúcho, de quem tenho ouvido e lido farto noticiário que descreve desde fracassos seguidos até uma definitiva condenação de decadência, aos 27 anos, como se subitamente tivessem desaparecido as virtudes que o fizeram festejado à exaustão pela mesma imprensa esportiva, espanhola, mundial ou porto-alegrense.

Ronaldinho não mudou. A mesma técnica preciosa no controle da bola, a mesma procura invariável pelo brilho – nem sempre necessário – , a mesma subordinação do resultado ao efeito. Por que, afinal de contas, iria mudar quem chegou, com essas características, aonde ele chegou, em fama e fortuna? Por que abandonar aquelas qualidades que são as mais festejadas, desde o menino prodígio da Azenha?

Quem mudou foi o Barcelona. Não é mais aquela equipe sólida de poucos anos atrás, que marcava e sufocava seus adversários, dividia as funções táticas entre 10 jogadores aplicados e podia permitir-se um departamento de brilho – ou de relações públicas – ainda mais que apoiado em coxas poderosas e eventuais arrancadas fulminantes que nem sempre culminavam em gol, mas eram uma festa. Esse departamento tem agora um novo titular, e dois não cabem.

Mudou também o Real Madrid. Parece time do Felipão. Brilha com Robinho e vence com Júlio Baptista. Seus dois últimos treinadores – inclusive o atual – repactuaram o compromisso operário com a marcação e a ocupação dos espaços, virtudes negligenciadas nos anos anteriores em favor do fogo-fátuo das formações galácticas, seja lá o que isso signifique.

Só o que não mudou foi o futebol: qual é mesmo a posição do novo ronaldinho do Barça, o argentino Messi?%22

Postado por Sant`Ana

A dentista

28 de dezembro de 2007 3

Fiz aqui, esses dias, uma coluna em que narrei o medo que senti em duas sessões numa cadeira de dentista, nove horas de sofrimento, na verdade não senti nenhuma dor. Mas o medo…

Recebi de uma outra dentista:

%22Sou cirurgiã-dentista há 31 anos e me orgulho muito da profissão. Com muita freqüência leio sua coluna na ZH e acho suas idéias brilhantes. Hoje, tive uma decepção ao ler sua coluna, pois você falou de um sofrimento tão intenso, tão exacerbado, tão horroroso, que ficou parecendo que você não teve benefício algum com o tratamento.

Imagine só que nós, dentistas, estudamos uma vida toda (pois o estudo não acaba com a festa de formatura) tentando melhorar o estado de saúde bucal de nossos pacientes, usamos as mais modernas descobertas científicas, usamos de toda nossa paciência, carinho e dedicação e você vem dizer que só sentiu medo, e, pior: que este medo vai ser seu companheiro por toda sua vida!!!! SantAna! Por Deus! A gente deve ter medo da doença, e não do profissional que vai curar esta doença! A gente deve cultivar saúde e não medo. Do jeito que você falou, parece que você rega e aduba seu medo todos os dias para que nunca se esqueça dele! Por favor!!!

Experiências ruins passadas devem ser sepultadas para abrirem espaço para novas e benéficas experiências. Você não imagina como, atualmente é muito mais fácil atender crianças e adolescentes do que pessoas com opinião formada, porque elas aceitam o tratamento odontológico como parte de suas vidas, com naturalidade. Por favor, entregue-se à sua dentista, uma vez que você mesmo diz que ela é muito competente e habilidosa. Pare de cultivar este medo sem sentido e busque uma melhor qualidade de saúde bucal, até mesmo porque, sabendo que você sofre de diabetes, seu cuidado com sua saúde bucal deve ser primordial.

Um grande abraço, por favor, não se sinta ofendido pelas minhas palavras, reflita sobre elas.

(ass.) Arlette Castagna de Atayde,
cirurgiã-dentista,
Horizontina-RS%22.

Postado por Sant`Ana

O que falta roubarem?

27 de dezembro de 2007 9

Incrível o relato do leitor, incrível! É aterrorizante essa banalização do furto, esse dar de ombros dos bandidos de hoje. Incrível.


%22Santana, não dá para acreditar!

Para comemorar o Natal, minha família fez um Papai Noel de pano, bem bonito, e o colocou sentado em uma cadeira no pátio de casa. Mas não é que, poucos dias antes do Natal, alguém resolveu invadir a nossa residência, pulando o portão da frente, só para levá-lo?

O que leva alguém a invadir a residência alheia só para roubar um boneco de pano que deve custar R$ 10, no máximo? Pois é, ficamos sem Papai Noel e ganhamos o medo de saber que alguém pulou o portão só para pegar um boneco de pano.

Abraço, e feliz Ano-Novo, na medida do possível.

Leandro Menuzzi Fernandes (leomfpoa@gmail.com)%22

Postado por Sant`Ana

Mais um aumento para os porto-alegrenses

27 de dezembro de 2007 13

Li outra ameaça contra os porto-alegrenses na coluna de hoje da jornalista e colega blogueira Rosane de Oliveira. A vereadora Neusa Canabarro (PDT) flagrou, em um caso, um aumento no IPTU de R$ 2,8 em 2007 para R$ 4,8 em 2008.

O que é isso? Eu sou péssimo em matemática, mas dá mais de 50%.

A vereadora flagrou. Os contribuintes vão que ter olhar isso e se mobilizar. O prefeito José Fogaça precisa depressa tomar uma medida para corrigir estes exageros que ocorrem no IPTU de Porto Alegre. É aumento daqui, aumento dali e as pessoas não recebem reajustes nos seus salários.

Os aposentados receberam um reajuste de 4% no ano passado. Como é que esse aposentado vai pagar o IPTU e a tarifa do táxi com estes valores? Como?

Não param mais os aumentos e as pessoas estão empobrecendo e se miserabilizando. Aumento, aumento e aumento. E os funcionários estaduais não são reajustados há 13 anos!

As pessoas vão se sufocando, vão morrendo. A ganância do poder público com impostos é uma coisa revoltante. Toda mudança de valor tem que ser de acordo com a inflação. Temos que nos manifestar contra esta exploração, criar um movimento popular de protesto.

Não faça isso com Porto Alegre, prefeito Fogaça. Não faça isso!

O contribuinte fica indefeso, meu Deus. Aos poucos, estão dando uma bicada no bolso do pobre trabalhador. O que é isso, meu Deus?

A voz da imprensa tem que se levantar. Se não protestarmos, não estamos cumprindo com um dos nossos deveres essenciais: a defesa do consumidor.

Postado por Sant`Ana

Um aumento injustificável

27 de dezembro de 2007 12

Aumento de 30% é demais!/Paulo Franken, Banco de Dados - 14/11/2005
O porto-alegrense está sendo vitima de dois aumentos injustificáveis. Nós temos aí uma inflação de 4% ao ano e não é possível que os preços aumentem muito além disso.

Um deles é este aumento que a Câmara de Vereadores da Capital quer fazer de 30% nas tarifas dos táxis. Índice altíssimo. Não é possível. Os táxis já têm um gatilho: sempre que os combustíveis aumentam em mais de 8%, eles automaticamente são reajustáveis na tarifa deste serviço.

Há dois anos não tem aumento nessa tarifa, mas porque há dois anos não há aumento nos preços dos combustíveis. Tudo bem, o insumo maior é o do combustível e também há outros insumos, como o desgaste das peças, mas 30% numa tacada?

A Câmara não pode votar isso. Seguidamente eu faço algumas corridas, que me custam em média R$ 20. Com esse aumento, as minhas corridas custarão R$ 26. Eu não vou poder mais sair de táxi.

São saídas do aeroporto, saídas da rodoviária. A cidade é muito grande. Somos obrigados a andar longos percursos de táxi. Digo e repito: a Câmara não pode votar este aumento. Ele é excessivo.

Não há pessoa mais ligada ideologicamente e sentimentalmente à classe dos motoristas e proprietários de táxi do que eu. Inúmeros projetos meus foram aprovados na Câmara em favor dos motoristas, mas dessa vez é melhor que os vereadores deixem esse projeto para fevereiro e pensem num aumento menor.

Postado por Sant`Ana

Meu blog

27 de dezembro de 2007 5

Desde setembro, criaram aqui, na edição online de Zero Hora, um blog para mim. Aqui, neste blog, eu posso pôr tudo: vídeos, gravações, poesias, colunas minhas etc.

Não tenho me dedicado integralmente a este espaço, mas um dia ainda vou fazê-lo, tal é a tentação de aderir definitivamente à modernidade.

Pois então coloquei abaixo uma gravação, feita aqui na sala de ZH em que trabalho, de um recital dado pelo violonista Mário Barros, concertista extraordinário, comigo cantando.

Milhares de leitores estão já acessando o blog, no mundo inteiro. Vou aí abaixo transcrever apenas algumas das mensagens que recebemos:

Guilherme Minssen (gminssen@uol.com.br), de Belém do Pará:
%22Em 2007, a festa estava quase normal… quando Mário Barros e Pablo (o imortal!), em um improvisado e maravilhoso recital… nos deram o melhor presente de Natal!%22

José Fernando (josefmachado@bol.com.br), de Canoas, RS:
%22Pablo ou Paulo, você é fantástico, somente alguém como você, com tamanha emoção e sentimento, boêmio, para poder demonstrar a todas as gerações que um som de violão com intérprete desse nível é para jamais esquecermos. Abraço de Feliz Natal e continue em 2008 com essa emoção, nos brindando com seus shows%22.

Paulo Gonçalves (paulo.jass@gmail.com), de Imbituba, SC:
%22Fantástico! Parabéns! E você escondendo essa sua outra especialidade. Gostaria de ver uma apresentação tua no Mercado Del Puerto, saboreando uma parrillada. Um abraço%22.

Alvaro Carvalho (alguri60@yahoo.com), Pensacola, EUA:
%22Uns cantam, outros fazem poesia, outros têm a arte de dar graça a ambas e diminuir a saudade de um gaúcho longe dos pampas. Um abraço de Feliz Natal e próspero novo ano, cheio desses momentos de arte%22.

Jorge Daros (j.daros@brturbo.com.br), Criciúma, SC:
%22Paulo ou Pablo, como quer que sejas, tu és admirável. Que em 2008 tua saúde, juventude e entusiasmo pela vida se renovem para alegria de todos nós. Um abraço%22.

Walter Fischer (gremio@optonline.net), de New Jersey, EUA:
%22Em primeiro lugar, quero lhe desejar um Feliz Natal e próspero Ano-Novo! Tive a alegria de o escutar via net, o senhor, acompanhado com o violão, me trouxe muitas lembranças saudosas, do tempo quando vivi no Brasil%22.

Marcus Vinicius Marques DAvila, de Rondonópolis, MT:
%22Obrigado pelos 4min55s de pura emoção. Senti-me perto, mesmo tão distante. Foi um ótimo presente de Natal. Obrigado, SantAna! Marcus Gaúcho, gremista em Mato Grosso%22.

Ary da Silva Martini (arymartini@globo.com), de Marau, Brasília, DF:
%22SantAna: Num espaço de 2 x 2, você fez aquele estrago, imagine num palco!%22

Newton W. Macedo (newmacedo@gmail.com), de Genebra, Suíça:
%22Cantar não é para poucos, você canta muito bem. Afinal, você é especial, mas tocar como o Mário, olha, é raro e muito lindo. Obrigado pelos minutos de saudade e regozijo que tive ao assistir a esse vídeo%22.

Anderson Cardoso (Morango) (anderson.1903@hotmail.com), de Santo Antônio da Patrulha, RS:
%22O SantAna, como cantor, é um bom analista de futebol…%22

Marcos, de Porto Alegre:
%22Fantástico, Pablo!%22

João Batista da Silva (kako.13@uol.com.br), de Araranguá, SC:
%22SantAna, esse jeitinho de falar com a mão no canto da boca, só pro artista te escutar, é uma das marcas tuas. Tá todo o Brasil te escutando, meu chapa. E aquele jeitão de se acomodar na poltrona: parece que estavas no Jornal do Almoço. Feliz Ano-Novo%22.

Postado por Sant`Ana

A cantoria de Pablo - parte 2

26 de dezembro de 2007 10

Milhares de leitores assistiram à gravação do recital que o violonista Mário Barros e eu protagonizamos em minha sala, na Redação de Zero Hora. Recebi, por e-mail, dezenas de mensagens pedindo a divulgação de outra parte do concerto, que tanto me regozijou na antevéspera deste Natal.

Portanto, estão aí, no vídeo abaixo, duas outras músicas que cantei com o Mário: Cantiga Antiga, de Silvio César e Sylvan Paezzo, e Conversa de Botequim, de Noel Rosa — o maior de todos os gênios — e Vadico.


Assistam, com atenção especial à segunda canção:

Postado por Sant`Ana

Como estou

26 de dezembro de 2007 15

E quando alguém me pergunta como vou indo, como estou passando, se está tudo bem comigo, ensaiei meticulosamente uma resposta para a fase da vida que estou atravessando:

%22Estou nadando de poncho contra a correnteza e rezando para que apareça pelo menos um crocodilo para que eu me agarre nele imaginando que seja um tronco%22.

Postado por Sant`Ana

Reflexões sobre a inveja

26 de dezembro de 2007 4

O meu amigo João de Almeida Neto, ouvindo de mim uma dissertação sobre a inveja, lascou a sua sentença:

%22Eu só tenho inveja de um tipo de pessoa: aquele que tem 20 anos menos do que eu%22.

Objetei prontamente ao João:

%22Pois comigo se dá singularmente o contrário: só tenho inveja de quem tem 20 anos mais do que eu%22.

Postado por Sant`Ana

Mas ainda me sobram os amigos...

26 de dezembro de 2007 4

Roubaram-me quase tudo os ladrões, mas ainda não me levaram os amigos. Restam-me os amigos, poucos amigos, mas grandes amigos. Eles são os alicerces da minha vida. Os amigos que estão próximos de mim fisicamente e ambientalmente e os amigos que estão distantes mas permanecem dentro de mim.

Os meus amigos são o sal da minha terra, o elixir da minha vida.

Meus amigos, meus tesouros. Meus amigos são o meu seguro de vida. Agarro-me fervorosamente a esta apólice, a tábua da minha salvação.

Meus amigos e minhas amigas me restam como meu último socorro. Derradeiro e eficaz socorro.

Quanto a minha família – ou famílias – espero que ela seja nos próximos tempos, como vem sendo há quase meio século, digna e encorajadora da nossa convivência aqui nesta passagem pela Terra.

E que Deus nos abençoe a todos, inclusive aos meus leitores e leitoras, para quem em última análise eu tenho vivido.

E se o pai do Nazareno quiser, vou continuar vivendo.

Postado por Sant`Ana