Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 9 abril 2008

Abaixo o aperto de mão

09 de abril de 2008 7

Dezenas de gaúchos morreram nos últimos meses em conseqüência de gentilezas como o aperto de mão. Foram pelas mãos que as bactérias assassinas, que infectaram inúmeros hospitais gaúchos, foram transmitidas.

Não apertem a mão de ninguém. Mais do que isso: lavem as mãos obsessivamente, o tempo todo, a todo instante!


Assista ao meu comentário sobre o assunto:

Postado por Sant`Ana

Rumo ao Olímpico

09 de abril de 2008 10

Nada, absolutamente NADA, me impediria de ir ao Olímpico esta noite. Desesperados gremistas, nos vemos lá!


Assista ao meu comentário sobre o assunto:

Postado por Sant`Ana

Onde vamos parar?

09 de abril de 2008 11

Reprodução
Que coisa essa matéria que a Zero Hora publica de hoje. Três indiciados na fraude milionária do Detran estiveram no dia 9 de maio na Assembléia. E os deputados dizem que não se lembram de nada.

Que coisa impressionante essa questão do Detran. Tudo para roubar o dinheiro dos motoristas.

Há tempos eu berro na minha coluna o abuso nos preços das carteiras. A governadora baixou muito pouco. É demais. Lá nos EUA uma carteira custa em torno de US$20.

Onde nós vamos parar?

Postado por Sant`Ana

Aguardam-se os números

09 de abril de 2008 7

A deputada federal Luciana Genro (PSOL-RS) pronunciou o seguinte discurso da tribuna da Câmara Federal, ontem:

%22Senhor presidente. Na semana passada, finalmente veio à tona a situação gravíssima que atinge os hospitais de Porto alegre: o surto da bactéria Acinetobacter, que causa infecção hospitalar em pacientes em estado grave, internados em UTI, e que é extremamente resistente aos antibióticos, aumentando a chance de morte em mais de 20%.

Foi a interdição da UTI de trauma do HPS que despertou a minha atenção para o problema, pois já havia recebido da Associação dos Funcionários do Grupo Hospitalar Conceição a informação de que pacientes estavam sendo infectados. Mas apenas o meu interesse pelo caso não teria sido suficiente para trazer o assunto à tona e alertar a população.

Foi graças ao jornalista Paulo SantAna, com quem conversei após me reunir com a superintendente do GHC, e relatei a ele a existência do surto, e o fato de haver 42 pessoas infectadas naquele grupo hospitalar. Corajoso e audaz, ele não titubeou em falar no horário nobre do Jornal do Almoço e exigir providências das autoridades.

Assim, no dia seguinte, todos os jornais estamparam a notícia e as pessoas ficaram sabendo que seus familiares internados nas UTIs estavam correndo um risco extremamente grave. Mesmo pressionado a recuar, nos dias subseqüentes e até o dia de hoje, Paulo SantAna não se calou e segue exigindo das autoridades que revelem quantas pessoas morreram infectadas pela bactéria.

Viva os jornalistas que não têm medo, que não se vendem, e colocam a verdade acima de tudo. Obrigada, Paulo SantAna, Porto Alegre te agradece!%22

Em correspondência dirigida ao secretário municipal da Saúde de Porto Alegre, a minha antiga amiga Jussara Rosa Cony, com quem já fui vereador em Porto Alegre e guardei dela desde lá uma imagem de integridade invejável, que agora é diretora superintendente do Grupo Hospitalar Conceição, afirma que a incumbência da informação do número de mortes nos hospitais de Porto Alegre é do próprio secretário municipal da Saúde, dando a entender que é ele quem tem de divulgar o número de pacientes mortos em cada hospital da Capital, contaminados com a bactéria Acinetobacter.

Jussara Cony está tentando tergiversar. Desde o início deste surto da bactéria, o grupo hospitalar que ela preside não deu conta à opinião pública nem do surto, nem do número de mortes de pacientes com a bactéria lá no GHC.

Achou que não dando o número de mortos, o surto terminaria e não precisaria revelar os dados. O surto não terminou e esta coluna passou a exigir a divulgação do número de mortos, em cada hospital.

Agora que percebeu o Grupo Hospitalar Conceição ser impossível eticamente e legalmente e constitucionalmente subtrair da opinião pública e da imprensa estes dados, o GHC adota um recurso de retórica, um truque: quer que a Secretaria Municipal da Saúde divulgue os números fatídicos.

Porque, se o Grupo Hospitalar Conceição divulgar os números, demonstrará que só o fez porque foi pressionado por esta coluna a fazê-lo, o que implicaria fraqueza.

Não sei por que, mas acho isso impróprio. E criticável.

Em todo caso, esperamos para os próximos dias que o secretário municipal da Saúde, Dr. Eliseu Santos, divulgue o número de mortos com e pela bactéria, hospital por hospital. É da atribuição legítima e legal dele divulgá-los, isto esta coluna escreveu anteontem, só um dia depois Jussara Cony reconheceu o mesmo perante o secretário.

Vão ter de sair os números. Ninguém mais pode escondê-los, existe uma coisa, devem aprender definitivamente os não-transparentes, que um é valor insuperável na democracia: a soberania popular.

Venham com os números. E que fique claro que eles tinham de ser apresentados ao público, pela imprensa, desde a primeira morte. Se o tivessem sido, tinha havido muito menos mortes.

Postado por Sant`Ana