Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts do dia 28 junho 2008

Gre-Nal do Bico Seco

28 de junho de 2008 12

Hoje será um Gre-Nal de um Grêmio com mais time e menos valores.
E de um Internacional com melhores individualidades e pior organização.

***

O futebol, com sua cultura e progresso, extinguiu dois elementos que eram imprescindíveis a ele: os ponteiros e a cerveja na geral.

***

Se não me engano, com a proibição de se tomar cerveja nos estádios de futebol, hoje será realizado o primeiro Gre-Nal do Bico Seco de toda a história.

***

Um juiz de futebol depôs esses dias que, antes de se iniciar um jogo, ele, no círculo central, sente um impressionante cheiro de maconha vindo das arquibancadas.

A cerveja, que não cheira a nada, pagou o pato.

***

Proibiu-se a bandeira com mastro nos estádios de futebol, proibiu-se a cerveja. Nesta escalada, vão acabar proibindo o cigarro e o impropério.

Mas o futebol é tão entranhado na alma do povo, que acabará resistindo a tudo isso.

Enquanto não proibirem o gol.

 

Texto publicado na página 43 de Zero Hora dominical

Postado por Paulo Sant´Ana

Uma coisa de cada vez

28 de junho de 2008 7

Só se afligem os que agora não podem mais beber álcool nos restaurantes por esta estranha mania humana de misturar simultaneamente os alimentos com as bebidas.

É a hora de nos habituarmos a fazer uma coisa de cada vez: empanturrarmo-nos de comida nos restaurantes, pegar o carro e voltar para casa, onde poderíamos nos embebedar sem limite.

Postado por Paulo Sant´Ana

Sem explicação

28 de junho de 2008 3

O que tem impressionado nos últimos dias na Grande Porto Alegre é estarem sendo assassinadas muito mais pessoas dos que as que são saqueadas nos assaltos. Ou seja, mergulhamos definitivamente num tipo de crime que era característico do Rio e São Paulo: as execuções.

Quando uma pessoa é assaltada e morre, é um fato lamentável, mas que encontra explicação pelo motivo original. E os que vêm tombando nos últimos dias sem nenhuma explicação, simplesmente porque alguém decidiu que eles tinham de ser eliminados?

No bairro Mário Quintana, em Porto Alegre, em um minimercado, dias atrás, chegaram dois ciclistas e perguntaram: “Quem é o dono do estabelecimento?”.

Um homem identificou-se como tal e foi assassinado a tiros pelos dois ciclistas. Ele e seu enteado. Fugiram imediatamente os assassinos.

Mas que motivo teriam os criminosos para essa execução?

Pode ser simplório afirmar que todas essas execuções sejam determinadas pelo tráfico de drogas.

* Texto publicado na página 43 de Zero Hora dominical

Postado por Paulo Sant´Ana

Civilização e Progresso

28 de junho de 2008 6

Um dia ainda nos arrependeremos de termos extinguido os carroceiros como exterminamos os índios.

Os índios e os carroceiros são o achincalhamento do progresso. Por sinal, tanto os índios quanto os carroceiros terão sido extintos pelo mesmo motivo: atrapalhavam o trânsito.

Os que elogiosamente se preocupam com os cavalos maltratados pelos carroceiros e por isso querem o extermínio dos carroceiros, saibam que esta civilização e progresso que hoje defendem um dia vão exigir também a extinção dos cavalos.

 
*Texto publicado hoje na página 43 de Zero Hora dominical 

 

Postado por Paulo Sant´Ana

O pecado da gula

28 de junho de 2008 6

Já repararam os leitores que as propagandas de alimentos com alto teor de gordura, açúcar e sal são exibidas mais intensamente na televisão perto do almoço e durante a tarde?

Por quê? Exatamente porque esse tipo de propaganda visa a atingir as crianças, altamente vulneráveis a esses tipos de anúncios. E as crianças costumam ver televisão nos horários diurnos, quando são exibidos desenhos animados e outras atrações para o público infantil.

Vai daí que os índices de diabetes e doenças do coração já se vêem incentivados desde a infância pela propaganda de alimentos gordurosos.

É grande a incidência de obesidade entre as crianças e os adolescentes. E não pode um fato exercer pior influência psicológica numa criança ou num adolescente que elas se tornarem obesas.

Além da desconstituição de sua auto-estima, as crianças e jovens gordos sofrem a troça dos seus colegas e amigos, sofrendo muito com essa pressão.

Por isso é que o Ministério da Saúde está lançando uma ofensiva para regulamentar a propaganda de alimentos com açúcar, sal e gorduras na televisão, licenciando a sua veiculação apenas para após as 21h, horário em que as crianças assistem menos televisão.

A propaganda de fast-food, guloseimas e sorvete, biscoitos, bolos e doces, refrigerantes e sucos artificiais constitui-se em 72% dos anúncios de alimentos veiculados na televisão.

Quase sempre esses anúncios são associados a personagens de programas assistidos pelas crianças, inclusive em desenhos animados que anunciam alimentos sedutores do público infantil.

Diz o Ministério da Saúde que não é uma questão de cercear a liberdade de expressão, mas sim de regular uma prática publicitária de mercado.

Uma das coordenadoras da pesquisa sobre esse tipo de propaganda, Elisabeta Racine, propõe que quem tem até 12 anos não consegue discernir entre o que é desenho animado e o que é propaganda de um produto apresentado por um personagem desses. “A criança”, diz ela, “não tem esse filtro. A televisão é chave na formação de hábitos dos pequenos, por isso é preciso controlar a propaganda de alimentos, sim”.

Assim como a propaganda de cigarro na televisão é obrigada a acrescentar aviso sobre os males de saúde que encerra o tabagismo, o Ministério da Saúde quer que, em anúncio de alimento com altas taxas de açúcar, tenha de ser exibida mensagem de que há risco de o consumidor desenvolver obesidade e cárie dentária.

E no caso de anúncio com alimentos que contenham muito sal, um aviso de que pode causar problemas de pressão alta e doenças do coração.

É mais uma das brigas a que se atira o ministro da Saúde, José Gomes Temporão. Ele já comprou encrenca com o cigarro e as cervejas, envolvendo até atrito com o cantor Zeca Pagodinho.

Ele tem a idéia fixa de que a sedução que certos produtos exercem sobre os consumidores, quando são pregados por anúncios bem elaborados pela arte publicitária, tromba muitas vezes com a saúde pública.

Realmente, não só em crianças, como também em adultos, certas delícias nos chamam para devorá-las ou bebê-las quando expostas em colorido musical da televisão.

Dá vontade de a gente beber e comer o que está sendo anunciado.

E, como tudo que é bom, cigarro, bebida, em suma, todos os prazeres são nocivos à saúde, agora chegou a hora dos alimentos.

Não é por outro motivo que um dos sete pecados capitais é a gula.

                                                                 *Texto publicado hoje em Zero Hora.

Postado por Sant`Ana