Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de abril 2009

O Inter merece ser campeão da Copa do Brasil

30 de abril de 2009 40

Não vejo adversário para o Internacional nessa Copa do Brasil. O Inter tem um campo livre para ser campeão e ingressar na Libertadores do ano que vem. O Corinthians e o Flamengo — que talvez fossem os maiores inimigos do Inter — ontem tiveram dificuldades, não sei se vão se classificar.

Parece que o Inter será mesmo campeão. Merece, tem um bom time, tem um bom elenco e quem manda o Grêmio se afundar numa crise financeira para não fazer um time igual ao do Internacional?

Mas o Grêmio ainda assim, por causa da sua camiseta, da sua flama e da sua bravura é candidato a Libertadores.

> Clique e assista ao meu comentário no Jornal do Almoço

Postado por Sant`Ana

Abril sangrento

30 de abril de 2009 11

Estou muito assustado desde a morte da dentista em Itati, encontrada amordaçada e amarrada, assassinada a golpes de facão, passando por essa morte ontem do universitário em Porto Alegre, e em Erechim, nesta madrugada, três pessoas foram abatidas a tiros na rua.

Assassinato aqui, assassinato acolá. Morte por encomenda, morte por tocaia, linchamento de quem matou. Teve o caso desse policial que matou um assaltante dentro de um ônibus. Acho que nunca houve um abril tão sangrento como este que nós estamos vivendo no Rio Grande do Sul.

Há uma sensação por parte do assassino de que não vai ser punido e em toda parte há um medo, um terror. As mortes se sucedem e a polícia se declara impotente. Nós vivemos um caos de segurança pública, absolutamente deplorável.

> Clique e confira ao meu comentário no Jornal do Almoço

Postado por Sant`Ana

A torcida colorada terá mais uma alegria?

30 de abril de 2009 29

Está muito plano o caminho do Inter para chegar ao título da Copa do Brasil. O Internacional ganhou ontem de goleada, dessa vez fora. É bem verdade que o Náutico não é das melhores equipes brasileiras, é um time frágil, mas quais são as melhores equipes brasileiras que estão nessa Copa do Brasil?

O Corinthians ontem levou 3 do Atlético-PR. O Flamengo empatou no Rio de Janeiro, o que leva a crer que na segunda partida, no Ceará, será eliminado. Os dois maiores inimigos do Inter na competição. Então, está uma barbada para o Internacional essa Copa do Brasil. O Inter é o favorito absoluto para ganhar o título.

Ao que parece, o Internacional irá disputar a Libertadores o ano que vem pela via da Copa do Brasil. Não bastasse que ele passe também a ser um dos favoritos para chegar entre as primeiras colocações no Campeonato Brasileiro.

O Inter tem um time muito bom, um plantel colossal, e pelo que jogaram Corinthians e Flamengo, aposto que o Internacional será o campeão dessa Copa do Brasil. Será que a torcida colorada terá mais essa alegria?

Tomara que se confirme também que o Grêmio consiga uma boa colocação nesta Libertadores da América. De qualquer sorte, sorriem os fatos para a Dupla Gre-Nal.

Copa do Brasil e Libertadores da América! Isso é bom para o futebol gaúcho.

Ouça o meu comentário no Gaúcha Hoje

Postado por Sant`Ana

Malfuf e quibebe

30 de abril de 2009 5

Vivo dizendo que as comidas de que mais gostamos são aquelas que nos eram servidas quando éramos crianças.

Comigo é o que se dá. Por isso que em toda parte que vou me atiro com sofreguidão a qualquer quibebe que me apresentam.

De dois em dois dias, a minha madrasta servia quibebe para nós. De início, estranhávamos que aquela papa de abóbora destoava do restante da comida: o quibebe é doce, não é salgado.

Mas, depois que fomos nos acostumando, não havia nada mais delicioso que o quibebe.

E, até hoje, onde deparo com o quibebe, a minha comida está feita.

O guisadinho de carne com molho de tomate, coroado de ervilhas doble zero, é também um ponto alto das minhas memórias gustativas.

Quando minha madrasta tinha tempo para fazer a farofa, então o guisadinho de carne se tornava uma bênção que maravilhava as nossas vidas.

Às vezes, consigo rememorar um dos instantes mais sagrados da minha vida, quando minha madrasta nos servia o pimentão recheado de guisado.

Telefono vez por outra para o Restaurante Gambrinus, no Mercado Público, para encomendar um pimentão recheado: ele tem de ser feito com bastante antecedência de tempo, mas quando é servido, com arroz, a gente se sente no céu.

O pimentão mais clássico é o verde, mas também o vermelho e o amarelo sabem ser macios e deliciosos quando bem cozidos.

Também me ocorre um dos pratos mais saborosos da lavra de minha madrasta: o malfuf.

Parece que é uma comida árabe. Trata-se de um trouxinha de folha de repolho recheada de guisado, que pode ser presa por um palito, a exemplo de outra delícia inesquecível da minha infância, o bife enrolado no toucinho, que ainda se pode relembrar no Restaurante Copacabana.

O que não esqueço é que os melhores pratos da minha infância tinham molhos ou então eram servidos molhadinhos, caso do carreteiro de charque.

Os molhos, o guisado e o arroz são ingredientes inseparáveis das minhas melhores recordações culinárias.

Sem falar nos doces. Como renunciar hoje, mesmo diabético, aos papos de anjo com calda ou úmidos, um cravo de corolário, aos ovos-moles ou baba de moça, aos olhos de sogra preparados como em ourivesaria por minha madrasta?

Como não recordar o arroz de leite com canela, muitas vezes com gemada? Que coisa boa!

E onde minha madrasta se sublimava era no sagu com calda de creme. Além de comer a minha cota, na madrugada eu ia furtar outra parte na geladeira.

Lembra bem o Moisés Mendes que todas as semanas comíamos canjica com leite ou com vinho, servida em potes ou até mesmo em pratos fundos.

Que mundo de açúcares, que mar de glicemias, ninguém é feliz impunemente. Tanto, que toda a minha infância foi marcada por latas de leite condensado furadas por um prego ou por uma ponta de faca e depois sugadas por inteiro, até a última gota.

E, quando não tinha doce na casa, havia o último e sublime recurso da gemada. Açúcar e mais açúcar.

Dizem que nada tem a ver o diabetes com essa volúpia por doces, mas eu não acredito nisso, eu imagino que esta doença é uma punição pela gula glicêmica.

E, entre todas as comidas que me fanatizaram, a única que não pertence à minha infância é o camarão: conheci-o muito tarde, no auge da maturidade, mas me apaixonei perdidamente por ele.

E me sinto como um infiel à minha infância quando insulto a memória dela comendo a rodo todos os tipos de camarão.

Sinto pena de minha madrasta por não ter podido lidar com o camarão na cozinha.

Mas eram tantas as comidas gostosas que ela nos servia, que a absolvo dessa falha.

*Texto publicado na página 63 de Zero Hora de hoje

Postado por Sant`Ana

Situação privilegiada

29 de abril de 2009 12

Jogadores comemoram pênalti defendido pelo goleiro Victor/Neco Varella, EFE

O Grêmio está agora em uma situação privilegiada na Copa Libertadores da América. Se o Grêmio prosseguir na competição, nos próximos confrontos diretos, o time tricolor irá jogar as segundas partidas sempre no Estádio Olímpico.

Então, fora de casa dá até para fazer uma retranca e sair de lá com um empate. Se continuar assim, o Grêmio pode, quem sabe, alcançar o título da Libertadores.

Há cronistas, como o Tulio Milman, que, talvez maliciosamente, estejam dando ao Grêmio o favoritismo da Copa Libertadores. Não é assim. Os grupos são separados. É cedo para avaliar qual é o melhor time dos 16 que restam até agora na competição.

>> Clique aqui e assista ao meu comentário no Jornal do Almoço de hoje.

Postado por Sant`Ana

A estratégia do Grêmio

29 de abril de 2009 42

Neco Varella, EFE

O Grêmio terá que enfrentar quatro adversários no mata-mata, confronto direto, para chegar ao título das Libertadores. Já começo a imaginar qual será a estratégia do Grêmio para disputar esses jogos.

Calculo que o Grêmio jogará defensivamente na casa dos próximos adversários. Porque se ele obtiver empate nesses primeiros jogos que serão fora, terá grande vantagem para decidir no Olímpico os segundos jogos. Ou no máximo, como resultado desfavorável, uma derrota no primeiro jogo de fora por 1 a 0, não mais que isso. Qualquer derrota por mais de 1 a 0 nos primeiros jogos tira um pouco da chance do Grêmio de ser campeão.

O que não pode é o Grêmio perder por 2 a O ou mais no primeiro jogo, isso desanima. Como aconteceu na decisão da última Libertadores que o Grêmio disputou, quando perdeu por 3 a 0 na finalíssima para o Boca.

O Grêmio pode ser considerado favorito? Mas por quê? Por que fez mais pontos que todos os outros? Mas os jogos em grupos desiguais não pode levar a esse tipo de conclusão. O Grêmio, isso sim pode-se dizer sem nenhum erro, é candidato ao título.

Ouça o meu comentário no Gaúcha Hoje

Postado por Sant`Ana

O aperto de mãos

29 de abril de 2009 9

Sempre conto que, quando era criança, lia todos os dias nos bondes o seguinte cartaz: “Evite o aperto de mãos. Um conselho do Departamento Estadual de Saúde”.

Por causa disso, inúmeras pessoas, quando me encontram na rua, dizem que gostariam de apertar minha mão, mas hesitam por eu desconfiar desse tipo de saudação por conter inconveniências para a saúde.

Um conhecido e célebre médico gaúcho não se furtava a apertar a mão de ninguém, mas sempre que o fazia ia no banheiro e lavava suas mãos com um líquido especial que continha álcool entre seus integrantes. Era uma obsessão do cientista.

Pois agora vejo que nos EUA e no México, onde já grassa a epidemia da gripe suína, as autoridades estão pedindo a todos que evitem apertar as mãos dos outros.

Aconselham até a evitar os abraços e também os beijos. Mas a insistência maior é com o aperto de mãos.

E logo em seguida vem o conselho de lavar as mãos várias vezes por dia com água e sabão, conselho que é dado no interior dos hospitais e das clínicas, mas que não tem muita divulgação e por isso não é muito seguido.

O fato é que não há talvez no corpo humano uma parte que contenha mais micróbios de todas as espécies, bactérias de todos os tipos do que as mãos.

E todas as bactérias contidas em nossas mãos são facilmente transmissíveis às mãos dos outros que apertamos e a tudo que tocamos.

Aquele velho conselho que eu lia nos bondes era sábio, as nossas mãos são condutoras de muitas doenças, a mais vulgar é a gripe, mas há outras doenças mais graves que são transmitidas pelo aperto de mãos.

As mãos são os instrumentos que usamos para manter contato com o mundo.

Nós contamos dinheiro com as mãos, e não existe nada mais sujo que essas cédulas de dinheiro que passam durante anos pelas mãos de milhares de pessoas e não são desinfetadas.

Já imaginaram em quantos objetos e lugares nós pomos as mãos durante o dia, onde centenas de pessoas também tocaram e depositaram ali as bactérias que traziam em suas mãos?

Usamos as mãos para limpar nossos corpos, mas isso quer dizer que nossas mãos tocam nas sujeiras de nossos corpos.

Uma das recomendações que estão circulando nos EUA e no México é de que as pessoas não levem as mãos à boca quando espirrarem ou tossirem.

Estive pensando que essa recomendação não visa a proteger a saúde de quem espirra ou tosse, pois essas pessoas já estão impregnadas dos vírus das doenças respiratórias.

Essa recomendação visa a proteger a saúde das outras pessoas que serão tocadas pelas mãos de quem espirrou ou tossiu e verão as bactérias da gripe e da tosse transmitidas para si.

Ou pelas mãos de quem está infectado ou pelos objetos que são tocados pelos que estão infectados.

É tão grande a obsessão da medicina contra o aperto de mãos, que no México e nos EUA estão aconselhando os que espirram e tossem que não levem as mãos à boca, e sim um canto do braço.

Há dois perigos de contaminação: o ar e as mãos.

O ar não podemos purificar, mas está a nosso alcance evitarmos que nossas mãos sejam infectadas, não apertando as mãos dos outros e lavando as nossas mãos várias, inúmeras, incontáveis vezes por dia.

Este conselho de não apertar as mãos pode ser interpretado como um óbice às relações sociais afetivas.

No entanto, se substituirmos esse costume de apertar as mãos por outro gesto ou por palavras, aos poucos, durante vidas e gerações, quantas doenças poderão ser evitadas?

*Texto publicado na página 51 de Zero Hora de hoje

Postado por Sant`Ana

Grêmio busca afirmação

28 de abril de 2009 7

O Grêmio já cumpriu com quase todos os requisitos desta sua participação na Libertadores. Falta apenas as benesses de jogar as partidas finais — caso ele avance no certame — todas em sua casa. É uma boa vantagem e é isso que o Grêmio busca hoje a noite no seu estádio.

Houve um estardalhaço muito grande pelas últimas conquistas do Internacional e isso martela um pouco na mente e nos corações dos gremistas que querem dar uma resposta a este estrépito de conquistas coloradas no âmbito regional. Esse jogo de hoje é uma oportunidade de afirmação do time que, incrivelmente, não tem um treinador titular. Mas sabe lá se depois de várias vitórias o interino não se tornará titular?

> Clique e assista meu comentário no Jornal do Almoço

Postado por Sant`ana

É um perigo as mulheres viajarem sozinhas

28 de abril de 2009 9

Márcia Nascimento Gomes/Arquivo Pessoal

A morte da dentista Márcia Nascimento Gomes, de 32 anos, é um crime terrível. Na noite de segunda-feira, a dentista saiu de Torres e o corpo foi encontrado num barranco às margens da Rota do Sol, no município de Itati (leia aqui).

Márcia percorria quase que diariamente a distância entre Torres e Gramado e viajava sozinha. Hoje não há risco maior para as mulheres do que viajarem sozinhas pelas estradas. Se na Capital já é arriscado uma mulher dirigir sozinha, porque ela vira alvo fácil dos assaltantes, imagine na estrada. Um assassinato misterioso e revoltante.

> Clique aqui e assista meu comentário no Jornal do Almoço

Postado por Sant`Ana

O Grêmio tem chance de ser campeão

28 de abril de 2009 51

Vejam as diferenças entre as medidas de prevenção que são adotadas no México — origem da gripe suína — e no Brasil. No México foi proibida qualquer reunião, as sessões de cinema e as aulas foram suspensas. É terrível o que está acontecendo naquele país, porque o governo está condicionando as pessoas a não se encontrarem.

Os estádios de futebol, por exemplo, foram interditados. Os jogos estão se realizando só com as equipes, sem a presença de público, com as arquibancadas vazias. Enquanto aqui no Brasil, por exemplo, hoje se prevê que o Estádio Olímpico estará cheio, lotado, para assistir a Grêmio x Boyacá Chicó.

***

Vamos aguardar o jogo desta terça-feira quando o Grêmio poderá trazer todos os segundos jogos da próxima fase da Libertadores para Porto Alegre. Tem gente que acha que é melhor jogar o primeiro jogo em casa, mas há quem acha, e essa parece que é a opinião predominante, que o melhor é trazer o segundo jogo para casa. O Internacional, por exemplo, teria sido favorecido por essa ideia no sorteio. Joga contra o Náutico amanhã em Recife e depois é que volta para Porto Alegre. Vamos ver como é que se desdobram os dois jogos.

***

Chega a ser impressionante que o Grêmio, uma equipe com muitos furos, em razão dos problemas que o Grêmio tem de recursos para formar um time, pode vir a ser o primeiro colocado entre os 32 participantes da Libertadores da América. É um privilégio.

Eu tenho dito: o Grêmio tem chance de ser campeão, eu pensei que não tinha no início do certame. Tem chance de ser campeão porque possui um grande goleiro. E um grande goleiro é um início promissor para um time que queira chegar ao ápice do pódio.

Ouça o meu comentário no Gaúcha Hoje

Postado por Sant`Ana

Fim do cartel?

28 de abril de 2009 19

Há muito tempo, não acontecia o que está ocorrendo nos postos de gasolina de Porto Alegre: os preços dos combustíveis são diferentes.

Aqui na Capital, estávamos acostumados a um cartel férreo, todos executavam os mesmos preços.

Não sei se por iniciativa própria ou se por alguma pressão exercida pelo Ministério Público, de algum tempo para cá vemos postos cobrando R$ 2,499 pelo litro da gasolina comum, enquanto outros fixaram o preço de R$ 2,449 por litro.

Quando foram liberados os preços dos combustíveis nos postos, há alguns anos, essa medida visava exatamente a isto: que se verificasse uma concorrência entre os postos, com diferenciação de preços de uns para outros.

Elogiavelmente, é o que acontece hoje aqui em Porto Alegre. Isso dá chance ao consumidor de verificar os preços diversos e escolher, se for da sua conveniência, o posto que cobra mais barato.

Aqui, entre a Azenha e o Menino Deus, há postos com preços diferentes, ou seja, os consumidores não precisam andar longos trajetos para comprar gasolina mais barata.

Nem são obrigados, como sempre aconteceu, a topar com todos os postos cobrando o mesmo valor.

Eu, que sempre critiquei o cartel da gasolina de Porto Alegre, todos cobrando o mesmo preço pelo produto, quero elogiar esta nova conduta do comércio do setor.

Mas não é em toda parte que é pacífica a luta para manter os mesmos preços ou diferenciá-los.

Aquele mesmo posto de combustíveis de Canoas que no ano passado foi demolido a mando de outros postos, por cobrar mais barato pela gasolina, voltou a ser atacado pela máfia do cartel.

Em Canoas, o cartel partiu para a violência. E são tão visíveis as garras dos cartelistas, que cabe às autoridades a punição dos culpados.

Não é aceitável que um posto que queira cobrar mais barato continue sofrendo ataques criminosos dos seus concorrentes.

Eis o relato do último ataque, acontecido na semana passada:

 

“Prezado Paulo Sant’Ana. Há pouco tempo, você denunciou o ataque a um posto de gasolina em Canoas, devido ao fato de este posto praticar preços cerca de 10% menores que os concorrentes.

Pois bem, essa semana, quando fui abastecer meu veículo nesse local, PASMEMMM!! , o posto foi atacado novamente porque praticava a gasolina a R$ 2,389 o litro, enquanto a maioria dos concorrentes da cidade de Canoas praticava o preço médio de R$ 2,499 por litro. Pois na semana passada, após a saída do segurança contratado pelo posto, por volta das 6h da manhã, uma moto sem placas, tripulada por dois elementos, parou no posto. Enquanto um de arma em punho mandava que um cliente que abastecia fosse embora imediatamente, o que o cliente o fez rapidamente, o motoqueiro carona desceu da moto com uma MARRETA e destruiu uma das bombas de gasolina do posto, como ameaça para elevarem o preço do combustível de acordo com os outros postos.

Como o frentista sabe que sou policial civil, relatou-me os fatos e me disse que tentou entrar em contato com a imprensa para denunciar o fato ocorrido, porém, como o dia do atentado foi no final de semana, não conseguiram fazê-lo.

Sou policial civil e trabalho em Porto Alegre na 2ª DPPA, no Palácio da Polícia. Dá pena dos frentistas desse posto de combustível, que depois da ameaça e do atentado à bomba de combustível viu-se o proprietário obrigado a subir o preço da gasolina para R$ 2,499, conforme 99,9% dos postos de Canoas vendem a gasolina.

Espero que em seu espaço na RBS TV e na sua coluna, que é muito lida, você denuncie essa verdadeira violência para que realmente os órgãos competentes possam aprofundar investigações, localizar e punir exemplarmente a todos os envolvidos. (ass.) Wilson Luiz Nunes Pinto, investigador de Polícia”.

*Texto publicado na página 55 de Zero Hora de hoje

Postado por Sant`Ana

Olímpico terá que lotar amanhã

27 de abril de 2009 48

O Grêmio joga uma partida decisiva contra o Boyacá Chicó amanhã. Não que o Grêmio já não esteja classificado para as próximas etapas da Libertadores, mas se o Grêmio vencer o Boyacá Chicó ele será o primeiro colocado entre os 32 participantes da Libertadores da América, e sendo o primeiro colocado ele levará vantagens definitivas para as fases seguintes.

Depois deste jogo, o Grêmio terá pela frente quatro clubes no mata-mata, confronto direto com eles. E se vencer amanhã, garante jogar em casa a segunda partida com todos os próximos adversários. É, sem dúvida, uma vantagem inquestionável. Por isso é que o Estádio Olímpico terá que lotar amanhã, para que o Grêmio atinja essa finalidade.

O Grêmio entrou despretensiosamente na Libertadores da América e esse detalhe de que ele poderá ser o primeiro amanhã entre os 32 participantes da Libertadores está entusiasmando sua torcida. Libertadores da América! E não certames menores que vem sendo disputados, principalmente aqui em Porto Alegre.

> Clique e assista o meu comentário no Jornal do Almoço

Postado por Sant`Ana

Evite o aperto de mãos

27 de abril de 2009 15

Estou gripado há muitos dias, e como essa gripe suína está aterrorizando o mundo, fico mais encorajado em prosseguir no meu conselho de que se deve evitar o aperto de mãos.

Quando eu era garoto, há mais de 50 anos, nos bondes de Porto Alegre havia um cartaz que dizia: “Evite o aperto de mãos, um conselho de saúde do Departamento Estadual de Saúde”. Pelas mãos se transmitem inúmeras bactérias, não só de gripe, mas de várias doenças. Então, evite o aperto de mãos, trate de saudar as pessoas de outra forma.

É um conselho excêntrico que eu dou, aparentemente anti-social, mas que tem o seu fundamento. Esses contatos íntimos e sociais no caso de gripe, mesmo que não seja a suína, têm que ser evitados.

Ouça meu comentário no Gaúcha Hoje em que faço perguntas sobre a doença para a coordenadora de vacinação contra gripe em Porto Alegre

Postado por Sant`Ana

Em defesa do povo

27 de abril de 2009 11

Esta coluna, tradicionalmente voltada para a proteção dos consumidores de combustíveis no Rio Grande do Sul, sente-se no dever de saudar com júbilo a ação do Ministério Público de Rio Grande e da Justiça daquela comarca ao intervir nos preços cobrados pelos postos daquela cidade.

O estudo do Ministério Público foi estafante: constatou que, na comparação com outras cidades de população e mercado de combustíveis similares, em Rio Grande os postos de combustíveis estavam tendo lucros excessivos.

E determinou que o lucro dos postos de Rio Grande que tinham a margem de 22,5% baixasse para 16,2%.

Três postos foram obrigados a baixar os preços imediatamente, outros três têm o prazo de 10 dias para ajustar seus preços.

Além desses seis postos, existem outras 16 ações do Ministério Público contra postos de Rio Grande.

Espero que a Justiça as acolha. Há muitos anos age sinistramente na cobrança de seus preços esse cartel de Rio Grande. Somas milionárias constantes desses preços excessivos foram amealhadas pelos proprietários desses postos de Rio Grande.

Tudo isso com preços combinados solertemente por telefone.

Incontáveis reclamações recebeu esta coluna nos últimos anos contra os preços cobrados em Rio Grande. Lembro-me até que os leitores ficavam ainda mais indignados pelo fato de que existia lá no município uma refinaria, o que teoricamente tornava o transporte dos combustíveis mais barato.

Agora há a clara intervenção do Estado, pelo Ministério Público e pela Justiça, no mercado econômico abusivo.

Esta tarefa caberia mais adequadamente ao Poder Executivo, através da Agência Nacional do Petróleo.

E, na omissão do governo, o Ministério Público, na sua atribuição de defesa da cidadania, assumiu a tarefa para si, realizando um trabalho tão talentoso e meticuloso, que encontrou sensibilidade na Justiça.

Grande trabalho, elogioso trabalho. Isso é o que se espera dos promotores e da Justiça.

Resta agora que a ação se estenda aos municípios de Bagé, Jaguarão e Santa Vitória do Palmar, onde são cobrados preços ainda mais altos que os que eram cobrados em Rio Grande quando a Justiça interveio e rebaixou-os.

São comunidades indefesas, mercados cativos à mercê dos cartelistas insaciáveis.

Se o Ministério Público de Bagé, Jaguarão e Santa Vitória do Palmar nada fizer pelos consumidores locais, ninguém o fará, prosseguirá o enriquecimento ilícito desses postos e o martírio dos consumidores, que, além de pagarem pelos combustíveis mais caros do mundo, pagam mais caro do que o restante do Estado.

Uma locupletação criminosa.

Parabéns, Ministério Público. Mas ainda há mais por fazer e há muita gente sangrando delituosamente a economia popular neste Estado.

Piratas! Em breve a Justiça os alcança.

*Texto publicado na página 43 de Zero Hora de hoje

Postado por Paulo Sant`Ana

Remédio trigueiro

25 de abril de 2009 31

Como sou diabético e fumo três maços de cigarro por dia, corro um risco muito grande.

Por isso, fiquei tentado no ano passado por um remédio do qual se diziam maravilhas, sendo classificado entre os médicos como o mais poderoso medicamento para curar o vício do tabagismo.

Nome do remédio: Champix.

Preço da caixa do remédio: em torno de R$ 1 mil, mas com muitos comprimidos, um tratamento de meses.

Nome do laboratório: Pfizer.

Comprei a caixa do remédio. Me parece que o tratamento se iniciava com meio comprimido diário, depois ia aumentando.

Fui tomando o remédio, e era tal a sua fama, que, por via das dúvidas, saboreei ainda mais os cigarros que ia fumando. Afinal, me preparei para abandonar o supremo êxtase de fumar.

 

Aumentei a dose como mandava a sofisticada bula, fui tomando, fui tomando.

E cada vez fumava mais, na ânsia de me despedir com exuberância irracional do vício tão estimado por mim. Sabem como é, o cigarro se incorporou de tal forma à minha personalidade e ao meu metabolismo, que sempre o considerei ser indissociável do meu ser.

Enquanto isso, os amigos me diziam que finalmente eu acertara. O remédio tinha um prestígio notável no meio médico e era cantado em prosa e verso por muita gente que tinha deixado de fumar com o tratamento.

Não me lembro ainda qual o prazo que a bula do remédio me dava para deixar de fumar, enquanto prosseguiria ingerindo os comprimidos.

Mas, enquanto eu podia fumar, fumava. E ia tomando o remédio.

Lá pelos 50 dias de tratamento, comecei a notar leves mas perceptíveis sinais de transformação no meu hábito de fumar.

Eu já não fumava três carteiras por dia, passei para duas e meia, o nível de exigência do meu paladar diminuíra.

Logo em seguida, um sinal mais perturbador: gradativamente, à medida que os dias iam passando, notei uma diferença no gosto do cigarro. Ele já não me apetecia tanto quanto no tempo em que eu não usava o remédio.

Achei aquilo estranho, mas o meu médico me disse que o plano estava dando certo, aqueles eram mesmo os sintomas esperados para o sucesso do empreendimento.

O que me atormentava especialmente era que, antes de terminar o prazo para eu cessar de fumar, embora mantivesse o tratamento, eu estava ingressando no perigoso terreno de enjoar de cigarro. Já não o acendia ansioso para tragá-lo, já não comprava com ímpeto as várias carteiras que sempre reservei a um estoque considerável. Meu apetite pela fumaça diminuíra violentamente.

Até que baixei a cota para duas carteiras de cigarros por dia. Parece-me que a índole do remédio é essa, diminui-se o número de cigarros que se fuma, naturalmente, por falta de demanda instintiva, enquanto a dose do medicamento aumenta.

Para abreviar, até mesmo porque minha memória é péssima e eu não lembro de alguns detalhes, cheguei à conclusão de que eu estava perdendo o gosto pelo vício e não tinha mais aquele prazer antigo e inesquecível de saborear os cigarros.

Fiz uma imediata reunião comigo mesmo e decidi radicalmente: “Sabe de uma coisa, na marcha que vai, se eu continuar tomando este remédio, vou acabar perdendo inteiramente o gosto pelo cigarro e terei de inevitavelmente parar de fumar”.

E concluí botar aquela porcaria do remédio fora, antes que ele me separasse para sempre de um dos dois únicos grandes prazeres que me restaram.

E como parei de tomar o remédio, prossigo novamente a fumar três carteiras por dia.

Mas estou feliz, isto é o que interessa. Com medo concreto de que o cigarro me venha a ser fatal, mas feliz.

Neste domingo às 19h30min, na Cervejaria Dado Bier do Bourbon Country, o psiquiatra Paulo Sérgio Guedes autografa seu livro de poesia Nada Precisa Ser como É.

*Texto publicado na página 47 de Zero Hora dominical

Postado por Sant`ana