Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Na vidraçaria

19 de novembro de 2009 24

Conseguiram me roubar a saúde, o prazer e a alegria.

Atacaram-me por todos os lados, principalmente na trincheira.

Mas permaneço de pé, só não conseguiram mexer no meu cérebro. Apesar das atrapalhações físicas, ele continua inalterável.

O destino travesso reservou-me os obstáculos maiores para os últimos quilômetros da travessia.

E lá vou eu. Lá continuo indo eu.

***

Vejam só
o que me acontece:

“Bom dia, Sant’Ana. Eu não poderia deixar de te contar um fato pitoresco que chegou ao meu conhecimento. Moro ao lado de uma vidraçaria aqui em Porto Alegre, onde seguidamente vou conversar com os vizinhos e eles relataram que teria vindo uma cliente solicitar que colocassem moldura numa fotografia, que queria fixar na parede, sendo a fotografia de alguém que essa senhora disse amar muito pela vida toda e que somente após a morte do marido teria finalmente o seu amor num quadro…

Pois, para minha surpresa, quem era esse amor guardado e escondido?

Ele!!! Sim, Paulo Sant’Ana. E ela veio buscar o quadro e não se tem notícias mais, mas acredito que esteja muito feliz olhando para seu amor todos os dias, lá fixado na parede de sua casa…

Mas acredito mesmo, pois inspiras até isso nas pessoas… um amor escondido. Sabe-se lá por quantos anos. Ai, ai, ai, esse Pablo!!!

Desculpa a brincadeira, mas quis muito te contar isto. Um grande abraço e minha admiração (as.) Suzana Cardoso (suzana–wm@hotmail.com)”.

***

Recebo e publico por dever, trata-se de uma autoridade, o secretário de Educação:

“Prezado Paulo Sant’Ana. Ao ler a sua coluna do último sábado, gostaria de esclarecer alguns pontos que não foram mencionados pelo deputado Elvino Bohn Gass e que julgo serem de fundamental importância à verdade dos fatos em relação ao reajuste do magistério.

O piso salarial nacional do magistério foi criado pela Lei Federal 11.738 de 2008 e sua equiparação como vencimento básico da carreira está suspensa até julgamento final da Adin 4.167 pelo Supremo Tribunal Federal. Assim, prevalece o entendimento de que piso salarial corresponde à ‘remuneração global’, incluídas vantagens pecuniárias e adicionais.

Tramita na Assembleia Legislativa projeto de lei do governo do Estado estabelecendo novo piso salarial de R$ 950 para o magistério com regime de 40 horas semanais no período de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2009.

A medida enviada nesta segunda-feira, 16, à Assembleia Legislativa pelo Executivo estadual, dentro do Plano de Valorização do Serviço Público, fixa o novo piso para o magistério em R$ 1.500 a partir de 2010, atingindo de imediato 32 mil colegas professores de um total de 157 mil, ativos e inativos, caracterizando um aumento de 73,8% sobre os atuais R$ 862,80.

Assim, caro Sant’Ana, não há como confundir os conceitos de piso salarial e vencimento básico. Longe de estabelecermos um embate político, eu, como professor há 32 anos, casado também com uma professora, luto a cada dia por melhores condições salariais a todo o magistério. No entanto, não se pode ignorar que haverá um avanço significativo no salário de milhares de professores com esta proposta do governo do Estado enviada à Assembleia. É o primeiro grande passo depois de um acúmulo de distorções salariais que ultrapassaram governos e muitas décadas. Forte e cordial abraço, (as.) Ervino Deon, secretário de Estado da Educação”.

Postado por Sant`Ana

Comentários (24)

  • Nelso Balzan diz: 19 de novembro de 2009

    Mais uma vez volto a escrever para a sua prestigiosa coluna. Desta vez com ódio e rancor contra esse governo de descaso com os aposentados e a grande maioria do funcionálismo. A maior mentira do mundo esse plano do governo, que diz valorização do funcionalismo.Bota valorização onde só aparece mintiras e enganação. Como aposentado, perdi a vontade de viver, onde ficaremos 4 anos sem aumento e entraremos ap´so a aprovação num quadro em estiçaõ. sabe o que representa isso? Que não pesam voto.

  • Ditmar Hoffmann diz: 19 de novembro de 2009

    Caro Santana! Precisas informar-te melhor, pois como jornalista que és, não podes em hipótese alguma incorrer à este erro dantesco. O tal “aumento salarial” da governadora, é apenas um COMPLETIVO para quem aínda não ganha R$1.500,00 e não incorpora no salário e não leva pra aposentadoria e contempla apenas uma minoria e os demais com mais qualificação, não levam nada e dependem do Estado ter lucro para dar prêmios como se faz para adestrar um cão. Como isto após a enganação do défcit zero?

  • josé antonio de souza mello diz: 19 de novembro de 2009

    Santana.A petezada quer transformar o magistério num bolsa família,igual pra todo o professor.Incrível como o fanatismo leva pessoas inteligentes, colegas de profissão a agirem como inimigos na trincheira.Estão fazendo de tudo para confundir os colegas.Falando em piso minimo.Quando na verdade o magistério tem que ficar atento para o fortalecimento do BÁSICO DO PROFESSOR GAÚCHO.Proponham ao Capitão voltar a ganhar igual ao soldado.Isso é comunismo chinelo.Ignorância e Fanatismo são os inimigos.

  • c balla diz: 19 de novembro de 2009

    fico impressionado a preocupação politica de deputados com picuinha. o importante é que o salario suba. estão preocupados em ser contra pq a governadora deu o aumento e aí vai ter beneficio politico.
    que mesqinharia! e faturam seus altos salarios, cinicamente

  • LuizAugusto diz: 20 de novembro de 2009

    Sou professor do estado e não conheço ninguem que,nenhumprofessor que apoie a proposta da governadora. De onde o jornalista tirou esta informação? Tem base em que levantamento de informações? Para mim isto é chute ou para confundir o leitor. O jornalista esta se aproveitando políticamente da informação o que me parece desonesto. O professor,mais doque ninguem, tem bem claro o que lhe é bom. Nenhum professor é a favor.O senhor que não é professor é que não sabe disso. Pesquise e verá. Sem chute.

  • marcio diz: 19 de novembro de 2009

    O REINO DOS MEDÍOCRES ESTÁ ACABANDO!!
    Do teu colega Diogo Oliver:
    “Então, chega desta mediocridade de falar em perder para prejudicar o vizinho. Para o bem do futebol gaúcho, o reino dos medíocres está ruindo. Sim, por que só os medíocres admitem conjugar o verbo perder com prazer.”
    Assim é que se fala!! O Diogo não é um jornalista medíocre e mesquinho, e muito menos a imensa maioria da torcida do Grêmio e seus jogadores!! Fica aí com tuas mesquinhezas!!!

  • Vinicius diz: 19 de novembro de 2009

    Coitadinho…mas queria o que?! Fica enchendo o saco com essa história de perder de o Grêmio entrar pra perder! Tu é folclórico Sant`anna! O dia que meu time entrar em campo pra perder, a entidade perderá meu respeito. Tu já perdeste.

  • Julio Cesar Schneider diz: 19 de novembro de 2009

    Sant´Anna,

    Talvez os professores gaúchos sejam bons em dissertação, história, ou até mesmo em geografia, mas em matemática sem dúvida não. Inspiração não deve faltar para dissertar contra a proposta de aumento; o histórico achatamento salarial parece dificultar o entendimento e quem sabe a noção geográfica de estar num país de terceiro mundo e a expectativa de um piso salarial perto de US$ 1000não parece também ser uma concepção aceitável aos professores. Mas na matemática, não há desculpa…

  • André Krause diz: 20 de novembro de 2009

    …e também ao sr. José Antonio de Souza Mello de Bagé: – O senhor escreve muito mal! Procure um professor de redação!

  • Rodrigo diz: 19 de novembro de 2009

    Continuando: Não tenho partido e acho que todos são a mesma coisa, excetuando-se alguns integrantes que tentam fazer algo, mas bem poucos por sinal. E terminando sobre o projeto do magistério, na verdade é só uma forma de pagar menos aos professores, pois sabem que com o piso nacional terão que pagar mais, além de poder dizer na campanha que o governo Yeda e não o federal aumentou o salário dos professores, ou seja, PURO JOGO ELEITORAL como sempre! Espero que o povo lembre disso nas eleições!!!

  • Alcf diz: 19 de novembro de 2009

    SANTANA: LIDEREI CLASSE QUANDO PROIBIDO ERA A ORGANIZAO SINDICAL NO SEIO DO FUNCIONALISMO E POSTERIORMENTE COMO DIRIGENTE SINDICAL POR QUASE 25 ANOS, COM SIGNIFICATIVAS CONQUISTAS. QUANDO A ENTIDADE SINDICAL JÁ CONTAMINADA SE TORNA UM BRAÇO POLÍTICO DE UMA CORRENTE, PERDE O SENTIDO DE SUA EXISTÊNCIA, POIS PASSA TER UM PROJETO DE PODER E NÃO DE DEFESA DOS INTERESSES DE UMA CLASSE DE TRABALHADORES QUE JUSTIFICAM SUA EXISTÊNCIA. A RECENTE HISTÓRIA DIZ, QUE ASSIM TAMBÉM SE CHEGA AO PODER.

  • Rodrigo diz: 19 de novembro de 2009

    Porque o S.E. mente? O salário subirá, mas os professores perderão os benefícios que possuem, além de ter aumentos de salário somente com superávit do estado, o que não acontece a 30 anos. Na verdade É UMA PROPOSTA ELEITOREIRA, para o povo achar que ela mudou a vida dos professores. E não será piso, SERÁ TETO SALARIAL, não podendo um professor ganhar mais. Porque será que 90% deles não querem esse aumento? OBS: Sou casado com uma professora e sei bem claro o que querem fazer! Chega de mentiras!!

  • josé antonio de souza mello diz: 19 de novembro de 2009

    Sr.Andre Krause de Porto Alegre-RS.Claro que o sr.tá brincando de faz de conta que nos somos professores.Sendo o Sr.chega no final do mês e nós dizemos a CEEE,não vou pagar a luz por que meu ´foco é mais importante.Seu Andre, sabe que nem os padres trabalham de graça.Que os políticos que sentam ao lado da bandeira brasileira enriquecem com o nosso voto.Que professor compra alimentação, roupa,medicamentos,tem filho pra sustentar,agua,luz,telefone,transporte?A sua opinião é dispensavel Sr. Andre.

  • Alexandre Colorado diz: 19 de novembro de 2009

    E DA-LHE GRÊMIOOOOO…EHEHE

    SAUDAÇÕES FIFA !

  • Luiz diz: 22 de novembro de 2009

    Esse “Seu” Ervino deve estar achando que o povo do nosso Estado é UM BANDO DE ANALFAS, QUE SOMOS TODOS INDIOS, QUE GOSTAMOS DE ESPELHINHOS DE PRESENTE, PRA QUERER NOS ENROLAR com a cartinha dêle. Ora seu Vivaldino, quer dizer então que,esse “Presente maravilhoso” da governadora NÃO VAI MEXER NO PLANO DE CARREIRA DO MAGISTÉRIO ? Fala seu Ervino ! Fala !Ou vai MENTIR pra nós ?

  • dilmão diz: 19 de novembro de 2009

    Uma proposta que não contempla a ampla maioria de profissionais, divide a classe, torra dinheiro das ações do banrisul e banco mundial (para ver se reelegem-se) e (nas palavras do secretário execrável e sem postura digna, Bandeira) tira o peso do tempo de serviço no cálculo dos vencimentos, só pode ser mesmo desprezível. E o senhor se tornou especialista em divulgar “cartinhas” para quem acredita em papai noel…

  • Patricia Pinto diz: 19 de novembro de 2009

    É justo uma professora q. só tem o magistério receber o mesmo q. uma com faculdade e pós? Isso é a desvalorização do professor q. se aprimora, botem fora os diplomas!!!

  • André Krause diz: 19 de novembro de 2009

    Acho que é lúcido que uma pessoa tenha ambição de ter um bom emprego e um bom salário! Acho lúcido que uma pessoa queira ter conforto! Acho que sou uma pessoa lúcida e acho que eu poderia ter sido um bom professor! É um grande paradoxo achar que poderia ser um bom (talvez grande) professor e querer uma vida confortável. Confortável ao ponto de saber que as preocupações maiores serão o bom desenvolvimento do trabalho, e não as contas no final do mês! O conforto de pensar um amanhã mais próspero!

  • Alexandre diz: 19 de novembro de 2009

    Sr. Sant`Ana, “cérebro inalterável” só demonstra que ele sempre foi assim. Isto pode não representar que ele funcione direito…

  • André Krause diz: 20 de novembro de 2009

    Ao sr. José Antonio de Souza Mello. CALMA… o que eu quis dizer foi a mesma coisa que o sr. disse. A realidade que temos é que perdemos de ter mais professores bons, além dos que aí estão, justamente porque a profissão não vale a pena financeiramente! é Melhor ser médico, advogado, ou mesmo bancário, que é o meu caso! Acho que tal aumento aos professores é muito pouco! Por mim, o piso seria de R$3.000,00! Mas me surpreende a tua pouca boa vontade para bem interpretar meu texto! Credo… Pena!

  • edimilson Souza diz: 20 de novembro de 2009

    Caro, josé antonio de souza mello. Nossa! Vc precisa aprender a ler e interpretar e, principalmente, a escrever. Sugiro que comece a ler alguns livros. OBS. Espero realmente que vc não seja professor, isso sim seria um baita prejuizo para a educação!!!

  • Titiozão diz: 19 de novembro de 2009

    Não consigo entender a sensura,mas torno a dizer: este secretário Ervino Deon,ao contrário do que escreveu,nunca se envolveu nas lutas da categoria por melhores salários ou condições de trabalho,participando de discussões e assembléias da categoria. Será que é concursado? Foi é interventor nas Escolas Agr.CADOP e ETA, em Cachoeirinha e Viamão no governo Colares/Neusa.Mora de graça há muitos anos numa casa do estado no IRGA/CADOP-Cachoeirinha,com água e luz por conta,mas não sabe o que é piso!

  • germano jose taufer diz: 22 de novembro de 2009

    Santana! Sempre q posso leio tua coluna; o espirito critico é q faz uma pessoa ser melhor q outras; a Yeda é como Hitles foi aos prisioneiros… eu, já com pós grad. estou e com 24 anos de magisterio, estou a mais de 4 anos sem reajuste da inflação, enquanto a governadora 143%, deputados… secretarios 88%, Judiciario… voce inclusive; porque eu não????? ondew foi parar o 1,3 bi da educação de 2008?; … da saude? e o empréstimo lá dos americanos? onde foi aplicada a 1ª parcela? “ellllla”é ..

  • HEITOR diz: 28 de novembro de 2009

    Sant`Ana, não lhe parece incoerente, o governo propor um piso de 1500 enquanto entra na justiça para não pagar 950, sinceramente não entendi…

Envie seu Comentário