Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

O problema é “nosso”

01 de fevereiro de 2010 43

Está arrancando aplausos da sociedade a entrevista publicada sábado passado em Zero Hora com o tenente-coronel Sérgio Lemos Simões, comandante do 11º BPM.

Nesta quadra que vivemos de insegurança, qualquer autoridade que surja pregando que se prendam os criminosos faz sucesso.

Pouco tempo atrás, surgiu aqui entre nós um secretário da Segurança e um comandante da Brigada Militar pregando que se prenda e arrebente: foram ovacionados pela torcida.

A torcida quer ver sangue, quer todos os criminosos na cadeia, brada contra a impunidade.

E eu me incluo na torcida, quero declarar que pretendo que todos os criminosos sejam postos na cadeia. Não dá mais para vê-los soltos e impunes pelas ruas, cometendo crimes e atacando os cidadãos.

Quero dizer, portanto, que como toda a sociedade, estou ao lado do que disse o tenente-coronel, tem que prender e manter presos todos os criminosos.

 

Não é qualquer dia que um jornal consegue uma entrevista de um comandante de batalhão da Brigada Militar declarando que se sente inseguro. Logo se pensa fácil: se o tenente-coronel está inseguro, imagine a população.

Li atentamente a entrevista. A bem da verdade, a única coisa que ela contém de novo é que dessa vez não é um cidadão que clama contra a impunidade, é um agente público de importância nos órgãos de segurança.

O entrevistado recorre a um refrão utilizadíssimo: a polícia prende e a Justiça solta.

Até aí nada de novo, quem tem de prender é a polícia e só quem pode soltar é a Justiça.

A entrevista teria o seu ápice existencial quando o repórter Marcelo Gonzatto perguntou em que local seriam depositados os milhares de presos que em última análise o tenente-coronel quer ver atrás das grades.

Resposta do coronel: “Não é problema meu, não é problema do cidadão, não é problema do teu pai e da tua mãe, que pagam impostos”.

Só nisso, por sinal o principal, é que discordo do coronel. É um problema dele, sim, a falta de presídios, é um problema meu, é um problema dos pais e das mães que pagam impostos, é um problema de todos, é um problema nosso.

O coronel quis dizer que este é um problema só dos legisladores e da Justiça. Mas de quem são os legisladores e a Justiça? São nossos.

Então o problema é nosso.

Mas a entrevista do coronel tem um mérito: alerta, sem definir isso com palavras, mas dá a entender que é preciso construir presídios, caso contrário a insegurança nas ruas crescerá

Mas há 38 anos que brado que tem de construir presídios, no rádio, na televisão e no jornal. E ninguém me deu bola.

Espero que deem bola para o coronel.

O problema não é criminal: é penitenciário.

Comentários (43)

  • Rogerio de Vasconcellos Englert diz: 1 de fevereiro de 2010

    Sr. Sant Ana.
    Este email deveria eu ter escrito a mais tempo, melhor, no final de 2006.
    Tenho seu semblante, sua fala e sua coluna intalada na minha garganta desde o final do campeonato em que o INTERNACIONAL deixou de abocanhar o titulo brasileiro para o glorioso, haoje treinado pelo seu veneravel Renato Gaucho, Bahia.
    Porque, o maior colunista de esportes, deixou de escrever sobre o tema? Porque o maior colunista de esporte se esconde atras de palavras sobre temas que muitas vezes não domina. Oportunismo? Falta de animo por ver seu time sucumbir em todos, e são todos mesmos, campeonatos que disputa? Assito o JA, leio a ZeroHora mas passo a página e mudo de canal quando o senhor fala. Não aceito. Repudio a sua opção.
    Desde o dia em que o senhor se vestiu de baiana, e bota baianinha feia, tenho raiva, não no sentido de agridi-lo, de ti. Acho o senhor um cara desrespeitoso, oportunista, bobalhão. Porque nao scolocou luto quando teu time perdeu parao Boca, o tão amado Boca? porque não se vestiu de luto, também, nas quedas para a gloriosa segunda divisão do campeonato brasileiro? Enfim, falta respeito no senhor ao ter se vestido de baiana e de ter abandonado o esporte em Zero Hora.
    Hoje, estaria eu, aqui, dando frouxas gargalhadas, me divertindo muito, lendo seu choros, suas reclamações, suas lamúrias sobre o seu brilhante time de futebol,se é que aquilo pode se chamar de time. Os nanicos da azenha.
    Enfim, acabo dizendo que sempre tive o senhor como o melhor comentarista esportivo e como o maior palhaço do jornal, rádio e televisão brasileira.
    Chora Sant Ana, chora. é o que e resta.

  • Antonio diz: 1 de fevereiro de 2010

    Não teve jogo intem?
    Se fosse outro resultado heim?

  • fernando guilherme roos diz: 1 de fevereiro de 2010

    Paulo Santana!
    Acho que voce entende de futebol, do nosso GRÊMIO.
    Continuem tratando este problema-SEGURANÇA -
    a pão-de-ló, direitos,rosas e serpentinas, pra ver onde nós
    vamos parar. Problema nósso? Em órgão público é assim.
    Quando uma coisa dá certo ….tem um monte de gente para
    tirar fotografia, mas quando dá errado … o problem ” e nosso”?

  • Pedro diz: 1 de fevereiro de 2010

    Valeu Gremio!!!

  • vanderlei jose saraiva diz: 1 de fevereiro de 2010

    Bom dia a todos.
    Ao ler esta matéria do Paulo Santana, não é difícil entender o caos da Segurança Pública. O refrão conhecido por todos – ” A polícia prende e a Justiça solta”, é porque existem brechas na Lei, e bandidos são favorecidos por isto. Na realidade, na prática, o que deveria de existir é leis mais severas e para isto, os políticos eleitos por nós deveriam de aprova-las e fazer com que os operadores da Lei fizessem a sua parte, botar todos os bandidos na cadeia. A sociedade está cansada de tanta impunidade, estou falando não só de bandidos, mas de um modo geral, queremos Justiça, ou melhor, queremos segurança, é o mínimo que se pode esperar…O que fazem dos Impostos? O que fazem o dia todo sentados em mesas redondas? Estou cansado é muito blá bla blá e atitudes e decisões ficam para terceiro plano.
    Obrigado.

  • Luiz I. Schneider diz: 1 de fevereiro de 2010

    Ola Paulo Sant’Ana!!!Permita-me discordar num ponto! Concordo com vc, o problema é nosso mas não é simplesmente só de construção de mais presídios. É antes de mais nada um problema de educação das próprias pessoas que insistem em viver sem nenhuma responsabilidade jogando crianças na rua sem pai nem mãe e que são a matéria prima do crime!Escolas precárias, formação de quarto mundo, corrupção desenfreada no setor público e privado, a vergonhosa e absurda concentração de renda! Enquanto não mudarmos este quadro creio que as prisões nunca serão suficientes no país! Sei que o bandido precisa ser retirado das ruas mas sei que precisamos atacar as causas da multiplicação tão rápida dos criminosos e estas causas estão na família, na escola, na rua em todo lugar!!! A vida perdeu o valor e a cultura de que o amanhã não existe joga nossos jovens e crianças num vazio criminoso, uma verdadeira roleta russa onde só existe um momento para ser feliz! Agora já!! Sabemos que não pode ser assim!

  • Heloísa Pires diz: 1 de fevereiro de 2010

    Sant’ana!…O Grêmio SILAS…cou!!!

  • Ricardo diz: 1 de fevereiro de 2010

    Querido Santana, toda sociedade sabe que o judiciário é lento, mas que o maior problema é penitenciário com certeza, mas a governadora não ta nem aí para resolver este problema, tem 180 concursados já treinados com curso pronto pago pelo estado, onde tivemos que deixar nossos empregos e sair de vários lugares do estado para a capital onde estivemos por 3 meses, e agora a senhora governadora nomeou alguns colegas e o resto do pessoal esta desesperado, pois estamos sem emprego(pois era obrigado dedicação em regime escolar), e nossas flias? acredito que falta é comprometimento com o sistema penitenciário, pois acham que é só prender e pronto, e depois? Um dia ele voltará para sociedade certo? Como? Será que melhor? Ta na hora desses governos se comprometerem, não é só viaturas que a segurança pública precisa existem pessoas por trás dela. Obrigado e se possível manifeste a sua opinião…

  • Theo Cruz diz: 1 de fevereiro de 2010

    Tchê, tem que parar com essa BOBAGEM, juridicamente falando, de que a polícia prende e a Justiça solta: isso é uma demagogia que apela para o desconhecimento da população sobre o funcionamento do nosso sistema judiciário: TODAS as prisões são ordenadas pela Justiça, seja homologando prisões em flagrante, seja expedindo mandados de prisão. A verdade é que, ao mesmo tempo em que manda prender, o preso DEVE ter acesso à mais ampla possibilidade de defesa oferecida pela Justiça, que, através disso, deverá analisar se presentes estão os requisitos para que aquele mesmo preso possa ser posto em liberdade, conforme solicitado por seu advogado. A Justiça apenas obedece ao que ordena a legislação.

  • Estevão diz: 1 de fevereiro de 2010

    E o Gre-Nal ???

  • Gustavo diz: 1 de fevereiro de 2010

    Antes dos presídios, devemos construir ESCOLAS. De nada adianta amontoar presos nas celas se a fábrica de bandidos continua produzindo a todo vapor. Considero a fábrica de bandidos a falta de educação de nossas crianças associada a desigualdade social. Construir presídios é somente atacar a consequência do problema e não a sua causa.

  • Carlos Alberto Stefanelli diz: 1 de fevereiro de 2010

    É gozado isso … Hoje tu não vais falar nada de futebol? Não vais falar nada do GRENAL? Ah, já sei, deve ser a tua L A B I R I N T I T E . . .

  • Antonio diz: 1 de fevereiro de 2010

    Sr. Paulo Sant´Ana, por favor, reconheca a grandeza e a coragem deste policial, atenha-se a essencia da manifestacao do mesmo pois neste caso é o que conta. Adimita que desta vez nao foi o Sr. que levantou tanto o clamor e anseios da populacao …

  • Carlos Santos diz: 1 de fevereiro de 2010

    A maior carência de obras no Brasil, são presídios.
    O PAC não destinou nenhum centavo para presídios.
    Logo o Brasil é enorme demagogia.
    Nosso povo adora demagogos e sempre os reeeeeeelegem.

  • Ivan73 diz: 1 de fevereiro de 2010

    Pô Santanna, e o Grenal?

    De resto concordo integralmente com o autor: há que se construir mais presídios. A quem serve o governo federal quando diz que não se deve construir presídios com dinheiro privado?

  • elio miguel diz: 1 de fevereiro de 2010

    Sant’ana, o que há de verdade é a má interpretação dos magistrados e de alguns segmentos da sociedade que militam na área do direito, a OAB, por exemplo, sobre o real significado do princípio constitucional da ampla defesa. Em muitos países essa garantia tem limites, o que não acontece aqui no Brasil. Por isso é que, quando alguém está no corredor da morte porque traficava drogas numa prancha de surf lá na Indonésia, causa espanto aqui no país do “coitadismo”. Quando o Magistrado fala em “frase surrada”, se referindo ao que disse o militar da BM, está se esquecendo que a maioria das sentenças dadas por ele são elaboradas por estagiários. Muitos juízes só assinam. Desafio alguém a assistir a sessões de julgamento na 2ª Instância para ver como se procede. A maioria dos desembargadores nem lê o processo e acompanha o voto do Relator, ou seja, nem sabe o que está votando. Portanto, é preciso rever a interpretação do garantismo constitucional. Tem garantista demais para o gosto da população.

  • Rudimar diz: 1 de fevereiro de 2010

    Esse não é um estado de superávit???? Esse é o resultado de uma política maravilhosa que corta os gastos da saúde e da educação. Coisa que até surdo enxerga. O estado está lindo, maravilhoso, nunca esteve tão bom, com contas em dia. Os funcionários públicos nunca ganharam tão bem. Pra mudar a legislação, a violência tem que atingir diretamente os magistrados da justiça e os deputados. Ou então a imprensa. Pois é o poder mais forte nesse país, está acima do executivo, legislativo e judiciário. Aí sim a coisa muda. Enquanto a violência atingir somente a população (que paga os impostos) nada vai mudar. A imprensa precisa ser atingida diretamente por esse problema, aí teremos alguma chance de mudança.

  • Eduardo diz: 1 de fevereiro de 2010

    Sao escolas homem de Deus!!!
    ESCOLAS!!! Educacao eh a saida pra se evitar a criminalidade!!
    Educacao e um mudanca geral na mentalidade de uma classe media egoista que acha que presidio e bandido combinam.
    Crianca e Escola rimam melhor.

  • Lu diz: 1 de fevereiro de 2010

    Meus pais não estudaram e nunca pensaram em roubar. Sim, os tempos são outros, mas a bandidagem tomou conta graças a essa “passadinha de mão” que estou lendo acima.
    Basta ler os comentários na reportagem pra perceber que está todo mundo por conta com a insegurança, foram muitos comentários dando razão ao tenete coronel.
    Eu tenho uma dúvida, se é a fome e a exclusão que transforma as pesoas em bandidos com a bolsa familia e os preços dos alimentos baixos não teria que ter baixado os índices de vilência? Ao contrário, piorou.
    Eles aliviaram total para os bandidos, começou com aquela lei que só podia prender bandido em flagrante. não vejo futuro seguro a vista, ao contrário.
    E haja cadeia pra essa multidão de bandido circulando.

  • Thiago diz: 1 de fevereiro de 2010

    Não vai comentar nada não? não teve jogo ontem?
    Se fosse os bisegundinos da azenha que tivessem vencido você faria a maior pagação de pau do mundo! esse seu estilo clubismo não está com nada!

  • Ivan diz: 1 de fevereiro de 2010

    O mais relevante da entrevista, ao meu ver, foi a clara identificação sobre os verdadeiros responsáveis pelo caos na segurança pública. Enquanto grande parte da mídia – que se vangloria de ser portavoz da ‘opinião publica’ e as vezes até se fazendo passar por ela – brada sobre a ineficiência das polícias, o tenente-coronel aponta para a obviedade de onde está o problema e a solução: no legislativo e no judiciário.

    Como bem exemplifica, para falar no puff na Yeda (e eu não sou nem de perto eleitor dela), os nossos representantes montam até CPI e inúmeras discussões com a sociedade. Para tratar de forma séria sobre a segurança publica, nem 5 min.

    O mesmo com o judiciário. Defendem teses de 500 páginas sobre as razões para inocentar o Daniel Dantas e nenhuma linha para explicar como manter os bandidos presos.

    Mas o exemplo maior veio das respostas dos representantes do legislativo e do judiciário ao serem questionados sobre a opinião do tenente-coronel: vazias, ridículas e sem consistência. Mostra bem que realmente estão perdidos e sem conhecimento sobre a realidade.

  • MARIA diz: 1 de fevereiro de 2010

    Bonitas palavras do comandante da brigada,do juiz e do paulo santana….
    mas vai continuar tudo piorando porque palavras são palavras,nada mais do que palavras….

    Estamos apavorados !

  • James Masi diz: 1 de fevereiro de 2010

    Construir presídios como, se o funcionalismo público, antigamente loteado entre parentes de políticos eleitos, que acabaram efetivados, e cujos ganhos foram elevados de forma astronômica naqueles tempos (para engordar os ganhos da família), e que os novos, mesmo que concursados, herdaram tais salários fabulosos, muito acima do trabalhador em atividade similar na iniciativa privada, CONSOMEM MAIS DE 80% DA RECEITA? NÃO SOBRA DINHEIRO! E não há o que fazer, o arcabouço jurídico que mantém tais salários e suas aposentadorias PRECOCES e integrais e não bastasse isso, pensões ad infinitum, não pode ser detonado a não ser por uma revolução. Que não acontecerá. Resta ao contribuinte, esse que só paga a conta mas que não participa da festa, o trabalhador da iniciativa privada, pagar a conta. Todas as contas, inclusive a da segurança privada. Ou sair do Brasil. Aliás, uma alternativa que recomendo a quem puder fazê-lo.

  • Carine diz: 1 de fevereiro de 2010

    O Judiciário apenas aplica aquilo que os legisladores criam; chega a ser feio um tenente coronel citar uma frase dessas; uma pessoa que possui um cargo desse tipo tem a obrigação de saber que o judiciário não cria leis, mas sim aplica aquilo que está escrito nelas!

  • marcos rodrigues diz: 1 de fevereiro de 2010

    concordo com vc santana… o problema é nosso… todos se sentem como o coronel… a justiça é lenta tem q ser modificada, o codigo penal brasileiro e arcaico, capenga e incompleto. enquanto existirem juizes frouxos e governantes abestalhados que nao tao ai para a segurança publica vamos continua nisso para pior. o problema é que a população nao é educada, e ignorante e nao ve o q acontece ao seu redor so pensa em si, quando ligam para a BM querem que vao correndo atende-las mas qndo sao interpelados fazem de tudo para complica a vida do brigadiano. e o coronel da brigada esta corretissimo. um abrçao..

  • Ivo Costa diz: 1 de fevereiro de 2010

    Concordo com o coronel,tendo em vista que a situação chegou a este ponto,mas vejo a solução na prevenção,através da educação,profissão e trabalho.Isto sim dá dignidade às pessoas e previne os males que a falta de ocupação traz.País que não constrói cidadãos de bem, tem mais é que construir cadeias.

  • Ricardo diz: 1 de fevereiro de 2010

    Não adianta apenas construir presidios se não existir uma educação que retire os jovens da criminalidade. A educação é a base de tudo.
    “Educai os nossos meninos, e não precisará castigar os homens”.

  • Nélson diz: 1 de fevereiro de 2010

    Caro Paulo Freguês Sant’ana

    não tergiverse!!!

    e o grenal???

    foi roubado agora?? o inter teve sorte????
    ainda não encontrou argumento para desprezar a vitória do inter???
    não aguento mais ganhar gre-nal (bem disse o Fossati, é nal-gre).

    Abç.

  • Anelize Padilha Costa diz: 1 de fevereiro de 2010

    Olá,
    O Problema está realmente na falta de educação das Crianças que não é associado a desigualdade, pois a desigualdade quem promove é o povo ao se sentir desigual…Mas que não faz nada para mudar suas realidades, porém, acredito que se além da concientização que já existe, houvesse uma lei que as familias que vivem na linha da miséria obrigatóriamente teriam que ir aos postos de saúde tomar metódos contraceptivos oferecidos pelas prefeituras para o controle da natalidade, tem que ser acompanhado de perto, pois assim não dá, fazem fazem filhos e agente que paga por que é bolsa isso, bolsa aquilo e ainda pagamos com a formação de um novo bandido!
    E isso é um ciclo vicioso, pois quem nasce nesa vida de miséria e ainda ganha tudo de “mão beijada” não quer sair dela, pois desa forma não é preciso trabalhar, mas nós sim temos que trabalhar para sustentá-los e sustentar seus vícios ainda.
    Obrigada.

    Anelize Padilha

  • Augusto diz: 1 de fevereiro de 2010

    Como a vida pede objetividade e os problemas necessitam de soluções, nem perco tempo entrando na discussão entre Judiciário e Brigada. O que realmente interessa a TODOS é um conjunto de estratégias urgentes para que o histórico, atual e crescente caos da segurança pública seja resolvido ou, ao menos, minimizado em grande parte.
    Chega de seminários, discussões, denúncias, encontros, fóruns e afins. O que a sociedade clama é por OBJETIVIDADE…caso contrário, vamos nos perder em acusações de parte a parte, onde o resultado é apenas um jogo de empurra e um palavrório inútil. Sendo assim, caros (Legislativo, Executivo e Judiciário), vocês vão tomar as providências necessárias para que a mazela da criminalidade seja debelada no Brasil, ou vão continuar a discutir o sexo dos anjos?

  • Anelize Padilha diz: 1 de fevereiro de 2010

    Ah!
    Falei da educação e esqueci de falar dos presídios. Pois é ai ta uma questão muito interessante mesmo, um exemplo é o presídio central de POA que desde a presidencia do Getulio Vargas que é do mesmo jeito, os bandidos mandam e os policiais obedecem é um absurdo saber que tem setores lá dentro que quem comnada são os próprios presidiários, e ai eu pergunto: Como assim? E é dessa forma que queremos contruir mais presídios? para que mais bandidos sejam presos hoje e soltos amanhã ou talvez no natal? ano novo? carnaval? sem comentar das vizitas Íntimas, Ora, mas aí sim é o “fim da Picada”! desde quando presidiário tem direito a vizita ÍNTIMA O presídio era para ser um confinamento e não um Spa ou Hotel, mas eles tem mais “regalias” que muito cidadão de bem aqui Fora,e ainda tem quem diga que eles são uns pobre coitados e desiguais.

  • Justiceiro dos Pampas diz: 1 de fevereiro de 2010

    O problema é que quando tivemos um Secretário da Segurança super eficiente (Enio Bacci) a nossa governadora não queria ver ninguém brilhando mais que ela e acabou demitindo o secretário.
    Assim fica difícil.

  • Jorge Bengochea diz: 1 de fevereiro de 2010

    Só não concordo com a conclusão do Pablo em dizer que o problema é “nosso” e é penitenciário. O maior problema é a desarmonia, as divergências e a negligência dos Poderes de Estado para com as questões de ordem pública. No Brasil, falta de um sistema integrado de ordem pública envolvendo o judiciário, o MP, as polícias, o setor prisional, a defensoria, a saúde, a educação e o controle, fiscalização, assistência e monitoramento dos apenados, devidamente amparado por leis fortes e respeitadas. Um sistema de ligações rápidas, ações lineares e comprometimento de todos na preservação da ordem pública.

    O problema penitenciário seria resolvido se: 1. O judiciário supervisionasse a execução penal e julgasse os presos que lá estão, pois a maioria que lá está sequer foi sentenciada definitivamente. 2. Se o Estado construisse Centros Técnicos Prisionais nas cidades de médio e grande porte com oficinas de trabalho pertinentes ao mercado de trabalho da micro-região. 3. Se o Poder Executivo fosse denunciado e processado por violações contra os direitos humanos praticados dentro dos presídios onde fomenta a insegurança, a insalubridade, a ociosidade, o aliciamento criminoso, o tratamento indigno, a precariedade das instalações e alojamentos, o convívio com a imundice e ratos, a falta de higiene, entre outras. O problema é sim dos legisladores a quem depositamos o nosso voto de confiança e dos magistrados aos quais entregamos o poder indireto, através do concurso público. Compete a eles e ao Poder Executivo a solução do nosso problema de ordem pública. Para isto, constituimos o “Estado” e pagamos altos impostos para manter as máquinas públicas mais caras do planeta. O direito administrativo brasileiro prega que a função precípua do poder legislativo é elaboração as leis e a do judiciário é a aplicação COATIVA da lei.

    Como vamos ter ordem pública se o legislativo é omisso nasua função precípua e o judiciário é lento, burocrata, divergente, questionador da lei, corporativo, dependente da polícia e movido por convicções pessoais e decisões alternativas e terapeuticas?

  • EDER diz: 1 de fevereiro de 2010

    Caro Rogerio de Vasconcellos Englert:
    Pessoas com esse tipo de comportamento,de preferir ver o adversário perder do que ver o próprio time ganhar,não devem ser chamados de esportistas.Era de se esperar essa atitude do nosso amigo.
    Sou gremista,de coração,mas nem por isso odeio os colorados,ao contrário, tenho muitos amigos vermelhos.Falaste do episódio de se vestir de baiana em 89,mas esqueceste de mencionar o ano passado,a indignação do nosso amigo criticando o próprio time por ter ganho do palmeiras no olímpico,só por ter ajudado o internacional.
    Acaso ele e mais a grande maioria da torcida esqueceu-se de que em 2008 perdemos o mesmo título no empate com o coritiba na mesma rodada da derrota do inter para o são paulo,mas se tivéssemos ganho,permaneceríamos líderes…
    Enfim,não vale a pena se estressar por isso,pessoas assim não merecem falar da beleza do futebol.
    Abraço.

  • ALEX JUNG diz: 1 de fevereiro de 2010

    Sant’Anna,

    se fores falar do gre-NAL não me venha com o papinho do teu goleiro Victor, que o INTER teve sorte, pois sorte mesmo quem tem é o teu grêmio, pois se estivesse no grupo do INTER, com seus 10 pontos ganhos, não estaria na zona de classificação para a próxima fase…. sorte é quem empata em casa, perde gre-NAL, ganha com as calças na mão e continua na liderança meu amigo….

  • Fortunato diz: 1 de fevereiro de 2010

    Enquanto houver gente dizendo que o problema é nosso os nossos queridíssimos senadores (um já quase se aposentando) não estão nem aí para o problema, juntamente com nossos famosos deputados (federais e estaduais). Talvez não tenham tempo para tratar da nossa legislação permissiva e liberal para os poderosos, mas forte para os ladrões de galinha. Essa falta de tempo, com certeza, decorre de que nossos representantes, uma vez eleitos, só se preocupam com a próxima eleição. Pensem no que eles estão fazendo agora com seus exércitos de assessores.

  • marcio soares diz: 1 de fevereiro de 2010

    A segurança pública é problema nosso, o fato de existirem criminosos é problema nosso, ou melhor, consequência do modo como levamos a vida, o que o criminoso quer? levar sofrimento e dor para suas vitimas por puro prazer? por ter nascido má pessoa? por ser pobre? analfabeto? eu acho que não, a delinquência sempre vai existir enquanto existir enquanto houver duas classes, o pobre e o rico, ou seja a equivocadamente chamada eterna luta de classes, pois esta luta so surgiu quando o ser humano imbutiu valores nas coisas, diga-se posse, é muita inocencia achar que um bando rouba um banco apenas para financiar suas ações, ele rouba para ter os pilares da nossa civilização moderna -se podemos dizer assim- dinheiro e mulher -o primeiro chama o segundo- o resto é consequencia e prazer em ter o bolso cheio, pois como nbos foi ensinado desde a infancia quem tem o bolso cheio é feliz. O tráfico existe por causa da lei que o proibe, por causa que alguem disse que um emaconhado pode estrupar sua filha, nos cidadão damos sustento ao tráfico todos os dias, como? criminalizando. Não entendeu? siga meu raciocínio, como valorizar algo que existe em abundancia, e por consequência ninguém precisa compra-lo? segregue-o convença a maioria de que ele é raro -ou é errado consumilo- e pronto. Façam escolas que formem para vida e não para linhas de montagem pois senão para nossos jovens a rua sempre sera mais atraente, e é na rua onde se sintetiza o que somos como sociedade. A agua do mundo esta acabando!!!! mas eu venso baratinho rsrsrsr.

  • Antonio diz: 1 de fevereiro de 2010

    Querido Paulo Sant´Ana, desculpa-me, devo ter escrito aqui antes de uma maneira um tanto agressiva, até beirando o desrespeito. As vezes nos envolvemos e nos emocionamos com os nossos problemas sociais, coisas que nos preocupam como gente e parece que quanto mais estes problemas nos fogem ao controle, mais também fugimos ao controle de nossas emocoes e reacoes …
    Se existe uma pessoa que conhece os nossos problemas e anseios como sociedade, esta pessoa é o Sr., como cidadao e jornalista da mais alta dignidade. Aquele que já me fez chorar de emocao, pela sensibilidade com que, escreve e transmite os valores e sentimentos huamanos. Abraco, leitor e admirador.

  • JOAO BOLNER diz: 1 de fevereiro de 2010

    POR QUE SERA QUE QUANDO EU ENTREI NESSE BLOG EU TINHA CERTEZA QUE NAO FALARIAS DE FUTEBOL…. PORQUE SERA QUE ULTIMAMENTE(DE UNS VINTE ANOS PRA KA) QUANDO O ASSUNTO HE GRENAL …. O FUTEBOL NAO HE PRIORIDADE NESSA COLUNA….OU ESTA FUGINDO DAS RAIZES QUE TE TACHARAM DE CRONISTA ESPORTIVO…OU E O MAIS PURO E SIMPLES KHLHANISMO TIPICO DA AZENHA ……gremista… PODE FICAR TRANQUILO QUE DEPOIS DE 50 VITORIAS A MAIS DO RIVAL A FIFA DESCARACTERIZA CLASSICOS ….JA PASSARA A SER CONSIDERADO ASSOCIADO COLABORADOR ….HEHEHEHE

  • CESAR diz: 1 de fevereiro de 2010

    Santana pelo jeito vamos ficar mais um ano sem ganhar nada de novo e a unica boa notici é que a barata tonta soiza está fora por seis meses. Ainda bem que nos livramos dese pamonha, por outro lado não conseguimos nos livrar ainda dos brucutus, e tem muitos no GREMIO, Jailson,Mailson, e agora reforçamos os brucutus com os dois refugos do São Paulo
    Se Hugo e Borges fossem bom o São Paulo Não OS DEIXARIA SAIR
    Goleiro já temos um xerifão pode ser esse Fernandes, o articulador tomara Deus seja esse Douglas, por fim nos falta um bom atacante pois perdemos o MAXI LOPES POR IMCOMPETENCIA
    VEJA AS DIFERENÇAS:
    Inter tem um presidente que é um engenheiro de sucesso, e nós um herdeiro, eles tem um diretor de futebol que é um advogado de sucesso e nós um nó sego, eles tem um tecnico ganhador de titulos internacionais um cara preparado e nós um tecnico que não ganhou nada e se saiu relativamente bem treinando o Avaí, eu diria sem medo de errar, o tecnico adequado ao GREMIO é o Fossatti, o Silas é adequado ao Avai mas não ao GREMIO.
    TÁ CADA VEZ MAIS DIFICIL SER GREMISTA.

  • Chicão diz: 1 de fevereiro de 2010

    Concordo com o que o nobre comentarista falou sobre a questão dos presídios e principalmente com a idéia de que lugar de bandido é preso. Mas concordo também que o nosso amigo Sant’Ana deveria ter escrito pelo menos algumas linhazinhas sobre o Grenal, afinal de contas hoje o assunto em pauta no Rio Grande era esse…
    Hein Sant’Ana… desde 2001 nada de vitória do “imortal” que faleceu mais uma vez ontem, pelos pés dos vermelhos…
    Grande abraço!

  • Oiram diz: 2 de fevereiro de 2010

    É muito fácil para um juiz soltar um bandido, ele não vai ficar a mercê deste ato, vai pra casa, num carrão, bem protegido num condomínio fechado com alta segurança, quem se ferra é o cidadão comum que pega ônibus, ganha pouco e está exposto a violência nossa de cada dia.

  • Helder Hartmann diz: 2 de fevereiro de 2010

    Quanto ranço entranhado, hein, seu Rogério de Vasconcellos ? Isso com certeza, se deve aos mais de 30 anos de sofrimento pelo qual passastes, vendo o TRICOLOR MULTICAMPEÃO empilhar títulos e mais títulos, e vcs meros coadjuvantes, sempre SECANDO, pois nem mais TORCER vcs sabiam só sabiam SECAR.
    Mas bastou vcs, ganharem de PRESENTE de arbitragens DESASTROSAS a libertadores de 2006 já estão se achando a última bolacha do pacote. Aquilo para se repetir novamente, só se houver um alinhamento de todos os planetas do sistema solar.
    É isso que dá tanto tempo sem saber o que é realmente ser TORCEDOR e não SECADOR !!!
    Um coisa é certa, jamais um GREMISTA vai TORCER para voces, como fizeram em 2009. Isso sim é uma vergonha !!!
    Ao ofenderes o nosso maior representante na mídia do Rio Grande do Sul, ofendestes a grande maioria dos Rio Grandendeses, pois a maioria é TRICOLOR; e sempre SERÁ !!

Envie seu Comentário