Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Retranca estraga o futebol

16 de junho de 2010 23

Assistindo a esses jogos de futebol todos, estou cada vez mais convicto de que se deve mudar o critério de pontuação nas disputas.

A minha ideia é de que para a vitória de um time sejam designados dois pontos para ele e, tanto para a derrota quanto para o empate, zero ponto.

Pela minha ideia, em uma partida só vai ganhar pontos (2) o time que obtiver a vitória.

Empatando, o time será castigado tanto quanto se for derrotado, não marcará ponto nenhum.

*

Esta minha ideia visa a que se extirpe do futebol um grande mal de que ele está sendo vitimado: o das equipes que entram em campo somente com um objetivo, o de não perder.

O futebol é um exercício coletivo que consiste basicamente em atacar e defender. Premiando com um ponto quem empata, está se estimulando que os times empatem e que se renuncie ao requisito ofensivo.

A minha ideia também visa a que não ocorra o que aconteceu ontem em Brasil x Coreia: só um time vise à vitória, o outro simplesmente se disponha de maneira defensiva, sonhando com o ponto de empate. Isso descaracteriza o futebol, evita a riqueza e a atração desse esporte, que é a busca alternada do gol por ambas as equipes.

Empate, zero ponto. Só com vitória, o time ganhará dois pontos. Já pensaram como ficará atraente o futebol, eliminando para sempre o cancro da retranca?

Por sinal, quando se deixou de atribuir dois pontos à equipe vitoriosa e passou-se o prêmio para três pontos, essa modificação já tinha o fim de exorcizar a retranca, restando a diferença entre três pontos por vitória e um por empate como mais larga.

Pois com zero ponto para o empate, acabará para sempre essa distorção esdrúxula de um time entrar em campo só para defender-se, estratégia que, por sinal, é exclusiva do futebol, entre todos os esportes: em nenhum outro esporte, entre todos, alguém entra em cancha só para empatar.

Tem de acabar isso também no futebol.

Ele assim se tornará um espetáculo muito mais atraente e lógico.

*

O time da Coreia do Norte é mais fechado que o regime do seu ditador, Kim Jong-Il.

O problema foi o gol da Coreia do Norte, autoria do Yun Nam, se ele não tivesse sido feito, hoje os nossos jornais estariam classificando de satisfatória a vitória brasileira.

Não foi, portanto, um problema o gol de Yun Nam, foi uma solução: com ele, o Brasil fica advertido de que não é uma grande seleção, que não conta com jogadores brilhantes e que vai ter de fazer muita força para se tornar hexa.

*

Resta agora só saber se o Brasil se dará bem nesta Copa contra adversários que não jogarão retrancados, terá mais espaço para atacar? Ou soçobrará na defesa, que afinal tomou um gol ontem de um time retrancado?

O Brasil saiu de campo ontem debaixo de uma dúvida: é só aquilo que joga? Se for só aquilo e caso não seja auxiliado pela arbitragem, não traz o título.

Tudo indica que Costa do Marfim e Portugal sejam melhores que a Coreia do Norte. E, diante desse time que é o pior do grupo, a Coreia do Norte, o Brasil teria conseguido ontem a vitória rala e inexpressiva de apenas 2 a 1.

Barbas de molho, seu Dunga!

* Texto publicado hoje na página 47 de Zero Hora

Comentários (23)

  • Paulo Fernando Villas-Bôas diz: 16 de junho de 2010

    Prezado Santana, discordo de tua opinião relativamente a pontuar ambos os times que empataram uma partida de futebol com zero pontos. Há partidas importantes e decisivas que ambos os times disputantes pela sua qualificação técnica fazem uma partida irretocável e empatam em 2×2, 0×0,etc. Ao meu ver, seria injusto nestes casos punir qualquer uma das equipes. Mesmo com um resultado de 0×0, muitas partidas são infinitamente melhores, com lances vibrantes, etc. do que algumas goleadas, que muitas vezes tão somente retratam de um lado um deseuilíbrio e falhas individuais ou coletivas de uma equipe e o máximo de aproveitamento da equipe rival. Seria justo premiar com zero pontos um empate em 4×4? No meu ver não. A forma como uma equipe se posta em campo exibe invariavelmente seus objetivos dentro da partida, da competição, etc. Está na equipe que precisa de um resultado positivo romper a retranca e fazer valer seu ímpeto, sua melhor qualificação técnica, emocional, atlética, para ver seus intentos materializados em gol. Abraços

  • Jorge Luis diz: 16 de junho de 2010

    Que dramático, ontem foi estréia na copa o corneteiro e o time estava nervoso…Este time é o mesmo que tocou 4 no uruguai lá em Montevidéu, 3 na Argentina em Rosário e 6 em Portugal em Brasília….Te liga o corneteiro, tu está igualzinho a mídia do sudeste : Metendo o pau na seleção só por causa do Dunga, só que eles lá de cima não gostam do Dunga por que o treinador é gaúcho, e você não gosta por que ele é colorado….

  • Carlos diz: 16 de junho de 2010

    Não esqueça que muitas das conquistas do teu Grêmio foras alicerçadas justamente na condição de poder empatar, que você tanto critica…Sem falar que retirando essa possibilidade, o abismo entre grandes e pequenos aumentará…

  • moacir huppes diz: 16 de junho de 2010

    Voce esta certo Santana ; vai acabar com o time que so se defende e entra. pensando em ganhar 1 ponto. boa ideia. vai haver jogos muito mais atrativos e com gols.

  • Rafael diz: 16 de junho de 2010

    Parabéns Paulo, pelo teu aniversário.

    Que sua saúde melhore cada vez mais, para que possamos ter o prazer de um duradouro convívio.

  • Nelson dall agnese diz: 16 de junho de 2010

    Sou uma pessoa que como muitos, assistem a um jogo de futebol, longe de fanatismo, mas para assistir a um espetáculo. Já cheguei de desligar o televisor em jogo da seleção quando substituiram o Ronaldinho Gaucho. Hoje já não sei quem me faria ligar o televisor?? Mesmo se o Brasil for Hexa…não terá brilho. Espero que dentre esses alguem se supere…talves Robinho…ensaiou alguma coisa ontem…parece que o Dunga não permite algumas “malandragens” que é aquilo que faz o povo rir e gostar de futebol.

  • Marcell diz: 16 de junho de 2010

    Santana,
    A algum tempo penso como vc em relação a pontuação dos times por resultado no futebol.
    Mas minha sugestão seria – 1 ponto por empate, 2 por diferença de 1 gol e 3 por diferença de 2 gols ou mais.
    No teu criterio não acho justo empate e derrota com a mesma pontuação zero.
    No final incentivaria a muitas situações equivocas!
    Abs

  • adriano diz: 16 de junho de 2010

    Santana concordo plenamente contigo mas o pior de tudo é assistir os jogos com a narração do Galvão Bueno o cara só critica ele e o Casa Grande agora por que é a seleção tem que golear sempre não é assim futebol mudou muito imagina a vontade dos coreanos ontem fechados retrancados e é o primeiro jogo sempre tem dificuldades felizmente estou acompanhando jogos pela band aguentar o neto é melhor do que o galvão pelo amor de deus abraço rumo ao hexa…

  • JULIÃO diz: 16 de junho de 2010

    Defender-se também faz parte do jogo. E para muito é um espetáculo tão belo, como as jogadas de efeito, a maioria das vezes inúteis, que são tanto valorizadas pela maioria dos amantes do futebol-arte.

    Ainda bem que é assim, imagina assistir uma partido de futebol em que de já sabemos o resultado antecipadamente: a vitória do time mais forte.

  • Thiago diz: 16 de junho de 2010

    Concordo plenamente! O futebol está muito chato, já que se privilegiam a retranca e jogadores ruins, mas voluntariosos. se aparece um Ganso ou Neymar ou Ronaldinho eles são amaldiçoados porque não sabem marcar. A mídia, inclusive alguns profissionais da RBS, tem responsabilidade por isso, pois são coniventes com o absurdoda retranca e da covardia, da escalação de volantes ruins em detrimento de quem sabe jogar bola. Nunca se viu tantos passses errados, até mesmos nos passes óbvios e improdutivos há erros. Quando surge um time como o Santos desse ano, uma ilha de talento e de filosofia de jogo ofensivo, que faz muita gente voltar a assistir futebol, logo é criticado por muitos, sendo mal agourados por outros, tudo para que sua tese defensivista de “marcação, marcação, marcação” saia vitoriosa e o esporte perca.

    Não que a marcação não seja importante, mas, definitivamente, não é, de longe, o principal.

  • Iuri Fiedoruk diz: 16 de junho de 2010

    Não adianta nada essa idéia Santana, ela carece de lógica em campeonatos que não sejam de pontos corridos.

    Veja na copa do mundo, na primeira fase, até pode funcionar, mas também pdoe acontecer de um time precisar apenas que o outro não lhe passe o número de pontos em um confronto direto, o que ainda faria empate um bom negócio.

    Jogos como da copa do brasil e libertadores de ida e volta então, nem se fala! Empata a primeira fora, evitando a vitória do adversário, e ganha-se em casa, ou empata-se e vai para os pênaltis.

    Ou seja, ainda não resolve.
    Melhor talvez seria trazer de volta a dispoita de pênaltis ao fim do jogo para decidir quem leva o ponto do empate?

  • Alexandre diz: 16 de junho de 2010

    Olha, eu acho que não mudaria nada a maneira de jogar da Coréia. A única chance de um time inferior contra um superior está em se fechar e tentar o contra-ataque. E mesmo que não se de pontos para o empate, a tendência é que mais times acabem empatando em pontos. Matematicamente faria pouca diferença, ja que no fator desempate o empate teria que valer mais que a derrota. Faria diferença para times especializados em retranca como a suiça.
    O que poderia se fazer é decidir com penaltis para não permitir que o jogo acabe empatado nem na primeira fase. Isso provavelmente faria a coréia vir pra cima (ou treinar penaltis com muita vontade!)

  • Gaúcho Colorado diz: 16 de junho de 2010

    Nunca pensei que iria concordo contigo algum dia, Sant’anna!!! Mas, na questão dos pontos (2) para vitória e zero para empates/derrotas, CONCORDO PLENAMENTE!

    Está mais do que na hora de terminar com essa RETRANCA xarope que tomou conta do FUTEBOL.

    A Copa do Mundo 2010 está provando que a retranca se tornou um inço entre os treinadores mundiais, não sendo mais exclusividade de alguns como acusaram Fossatti. Então, melhor extirpar essa possibilidade da face da terra.

  • SABEDOT diz: 16 de junho de 2010

    CARO SANTANA.

    concordo com a tese de que o medo dos técnicos e jogadores estao acabando com o futebol. Mas o teu Gremio foi um dos precursosres dessa forma de jogar. Usou e abusou do chamado futebol força, a fim de conseguir vitórias magras. O chamado jeito castelhano, bas ver o últino Gremio x Santos.

    No que tange a pontuação, entendo que a vitoria deveria valer 3 pontos com vitória com mais de 03 gols, vitoria simples 02 pontos, um empate de no mínimo 2×2, valeria 1 ponto e o famigerado 0×0, não daria ponto nenhum para retranqueiros, tipo Silas, Titi, Felipão, Roth e outros menos votados.

  • Agenor diz: 16 de junho de 2010

    Tão danoso quanto as retrancas, são os velinhos da Internacional Board, que resistem a qualquer modernização nas regras do futebol, quanto a pontuação, entendo que deveria ser mais abrangente do que sua sugestão tipo: 3 pontos por vitória por mais do que um gol, 2 pontos por vitória simples, um ponto por empate com gols e zero ponto por empate sem gols.

  • Adilson Kim diz: 16 de junho de 2010

    Santan’na, mal havia acabado de ler sua coluna quando me deparei com o jogo Suiça x Espanha. Beirou o ridículo, Espanha com 70% da posse de bola. Daqui pra diante vou torcer pra Suiça sagrar-se Campeã do Mundo, pra ver o que vão fazer pra acabar com essas retrancas de times “pequenos”. O futebol é um dos únicos esportes em que se pode consagrar alguém ou um time que não tenta nada, não arrisca, não persegue o objetivo (goal ou gol) do início ao fim. Vide Rúgbi, Futebol americano, basquete, etc. Desta forma, temos jogos tão enfadonhos e ridículos como os dessa Copa até agora.
    Algo deve ser feito. Assim não dá mais…

  • colorado diz: 16 de junho de 2010

    Caro Pablo, concordo em partes com teu raciocínio, acho que está regra criada por vc, deve ser adotada somente nos jogos da copa do mundo. Dei uma lida nos comentários acima e mesmo assim concordo com vc, pois está muito chato assistir aos jogos onde alguns times só entram em campo pensando primeiro em não perder, devem todos entrar em campo pensando em atacar o adversário, empatar não pode ser resultado que interresse, ou então mudar alguma regra de dentro do campo, tipo tirar o impedimento ou então dar cartão azul em vez do amarelo retirando o jogador de campo por 10 minutos, sei lá, algo tem de ser feito pois está cada ano pior, a qualidade técnica não se sobresai mais, agora futebol é para quem tem mais vigor físico e melhor tática defensiva!

  • ary luiz santos diz: 16 de junho de 2010

    santana concordo contigo em parte para mim vitória valeria 3 pontos empate com gols 1 ponto e empate em oxo zero ponto pois assim para ter algum beneficio teriam que tentar ganhar o jogo abraços

  • Darci Jorge diz: 16 de junho de 2010

    Caro Santana, é interessante esta idéia de não pontuar empate, isto estimula a busca da vitória. Digamos que na última rodada falte um ponto para ser campeão por pontos corridos então bastaria empatar.
    Mas gostaria de ouvir sua opinião sobre o que SÓCRATES disse a um jornal europeu que somos gaúchos e desta forma somos reacionários e, sendo a seleção escolhida por um gaúcho não é uma escolha do Brasil. Ao menos foi o que entendi na entrevista. Acho que ele foi absolutamente infeliz.
    Abraço

  • Gerson Adriano diz: 17 de junho de 2010

    O Grêmio só fez uma goleada em 4 conquistas da Copa do Brasil. E na Libertadores não lembro que goleou alguém nas duas conquistas. Não goleou ninguém, né? Então por que o Grêmio não joga pra frente pra golear todo mundo? E ainda disse que na final de 2007 iria ganhar de 3 a 0 do Boca e depois 2 a 0 na prorrogação. Seria goleada inédita? kkkkk E qdo o Brasil não goleia será mais sofrido que o não-deixa-jogar do Grêmio? kkkkkk

    Qual foi a Copa em que o Brasil não sofreu?????

    O Brasil só joga bolão contra europeus. Os próprios argentinos são “europeus”. Contra outros continentes sempre sofrem mais. Mas antes de levar o gol dos coreanos o Brasil teve muitas chances de fazer o terceiro. E fariam se o jogo fosse decisão de vaga.

    Pra mim, o melhor negócio é cada empate valer um ponto na decisão por pênaltis. É mais atraente a decisão nos pênaltis, como nos mata-matas.

    Com essa bela atuação da Coréia do Norte, agora sim eu acredito que a Itália foi mesmo eliminada pela Coréia do Norte em 66. Antes eu achava que era piada.

  • Gerson Adriano diz: 17 de junho de 2010

    Num blog, alguém escreveu o seguinte:
    Escrevi no meu Blog um artigo chamado “A revolução das vuvuzelas” e um amigo, jornalista, me mandou um e-mail fazendo uma analogia entre as propostas do artigo e uma passagem bíblica sobre as trombetas de Jericó. Não sou versado na Bíblia, confesso, mas achei a analogia muito interessante. Trombetas soam tão alto e forte que derrubam os muros de uma cidade.

  • Gerson Adriano diz: 17 de junho de 2010

    Ah, desculpe. Eu prometi voltar só no mês que vem.

  • Claudiopoa diz: 17 de junho de 2010

    Quem não gosta de retranca não gosta de FUTEBOL.

Envie seu Comentário