Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Os outros

18 de junho de 2012 6

Quando eu era criança, nunca tive desejo de ter um carro.
Porque morava num lugar em que não passavam carros.
Lá distante, onde era a Avenida Aparício Borges, onde só minha vista alcançava, eu via que passavam os carros, mas não fazia a menor idéia de quem eram seus donos.
Eu só fui ter desejo de ter um carro quando identifiquei os donos dos carros e vi que eles eram diferentes de mim por eu não ter carro.
Foi a minha primeira comparação, o abismo que me levou a achar que os outros eram mais felizes do que eu.

O que quero dizer é o seguinte: se olharmos só para o que somos, temos mais chances de sermos felizes.
O diabo é que não é isso que acontece: vivemos nos espelhando nos outros, a nossa aflição consiste em tentarmos ter o que os outros têm, quando não termos mais do que os outros, sermos melhores ou iguais aos outros.

Em Cuba, por exemplo, onde todos são pobres, todos ganham pouco, ninguém se julga infeliz.
Os cubanos infelizes são aqueles que sabem que a poucos quilômetros da ilha existe Miami, os EUA, onde as condições de vida dos norteamericanos são infinitamente melhores que as dos cubanos.
Isso passa a ser insuportável, pois se instala neles a idéia de que suas vidas são muito piores que as dos seus vizinhos norte-americanos.

Em outras palavras, só pode ser feliz quem não acha os outros mais felizes.
Toda a encrenca humana reside em nos compararmos com nossos vizinhos, isto é, com os outros.
Sempre que acharmos que alguém é mais feliz do que nós, acabaremos sendo infelizes.
É muito difícil para os humanos encarar com naturalidade a felicidade dos outros, até mesmo porque aos nossos olhos invejosos os outros são mais felizes do que realmente o são.
O próprio Sartre disse que “ o inferno são os outros”.
O que quer dizer que nós teríamos muito mais chances de sermos felizes e realizados se olhássemos só para nós.

Por isso é que os livros sagrados dizem que ser rico não é possuir todas as riquezas, no nosso caso muito dinheiro, muitas propriedades, viajar para onde nos apetecer.
Ser rico, dizem os livros sagrados, é contentar-se com o que se tem.
Se há um segredo de felicidade é este: achar que é bastante o que se possui, sem olhar para o que possuem os outros.
Sei que estou dando uma receita quase impossível de seguir, mas também sei que é a única receita capaz de levar uma pessoa a ser feliz.

Pelo amor de Deus, isso não quer dizer que o homem não deva ambicionar, até mesmo porque a razão central do progresso dos homens e das nações é a ambição.
Mas a ambição deve ser uma meta, uma trilha a seguir, e não o despeito por ver que os outros têm mais do que nós.
Ou seja, a felicidade está apenas no que somos e no que desejamos ser, mas sem nos importarmos com o parâmetro alheio.
Assim, justo é que queiramos crescer porque vemos que há espaço para crescermos – e não porque entendemos que os outros estão mais crescidos.
Fôssemos ser infelizes porque possuímos menos do que os outros, teríamos que paralisar, cruzar os braços e nunca mais avançar quando constatássemos que outros possuem muito menos do que nós.


*texto publicado em 14/09/2008

Comentários (6)

  • julio gasparotto diz: 18 de junho de 2012

    Querido Santana, como sempre brilhante, parabéns.

  • Edison Roberto Klein diz: 18 de junho de 2012

    Entendi quase tudo, e vou me esforçar para praticar, ainda mais do que já vinha fazendo. A primeira providência será a de não comparar o GRÊMIO com mais nenhum clube, quer seja da nossa querência, do Brasil ou do Mundo. Sou feliz com o que vejo, com a falta de títulos, com a falta de ambição da diretoria. Não quero ganhar nada que os outros ganham, isto seria egoísmo de minha parte. Este time me faz feliz, é o universo que eu posso contemplar e me enche de satisfação. Como é bom ser GREMISTA…

  • Genimar Pereira diz: 18 de junho de 2012

    Simples assim…

  • Lucas diz: 18 de junho de 2012

    São artigos como esses que me fazem refletir sobre a vida, nesse curto lapso de tempo do meu dia. A cada texto que aprecio, mais passo a estimar o senhor.
    Obrigado!

  • juliano diz: 19 de junho de 2012

    To começando a achar que o Internacional só vai ganhar mais alguma libertadores depois quando o grêmio também se tornar tri-campeão, O inter teve as oportunidades e não venceu, só nos tornamos campeão da libertadores quando o grêmio já era bi da américa, foi melhor e teve um gosto especial, entendo que o jeito é esperar que o grêmio seja campeão da libertadores novamente para que dai o inter possa ter mais alguma possibilidade em ser TRI-CAMPEÃO, TA faltando motivos pro inter ser campeão novamente nessa competição. E vai demorar também a não ser que o grêmio, tenha força e time suficiente para derrotar o Palmeiras fora de casa ou que ao menos leve a partida para as penalidades.

  • Jéssica diz: 18 de julho de 2012

    Disse tudo! Brilhante !

Envie seu Comentário