Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

A mesma sensação

22 de agosto de 2012 0

Onde passo nas ruas, as pessoas me falam da coluna que escrevi pela morte da minha cadelinha Pink.

As mesmas emoções, mesmíssimas, são sentidas por todos que são donos de cães. Eles se referem à afeição que se instala entre pessoa e cachorro, de tal sorte que o cão passa a ser uma pessoa na relação do lar, passa a compor de forma importante a família.

E todas as pessoas que me escrevem a respeito levantam exatamente as mesmas sensações decorridas no relacionamento com seus cães, a mesma festa que eles fazem pela presença do dono, a angústia do animal quando o dono se afasta.

Resta pelos cães que morreram a mesma infinita saudade, as recordações do cotidiano repleto de ternura entre o dono e o animal, cenas que jamais vão sair de nossa lembrança.

***

Foi assim que revivi todos os momentos que usufruí com a Pink quando li a mensagem abaixo transcrita. Em tudo o poema que a dona de um cãozinho que morreu se parece com a coluna que fiz à ocasião:

“Sant’Ana, sei o que estás sentindo, só quem tem o amor de um cão pode entender.

Também perdi meu Dinho, tinha 12 anos, era um poodle branquinho e pesava menos de três quilos.

Era o bebê da casa, e ainda sinto a presença dele comigo, mesmo tendo se passado nove meses.

De repente a Pink e o Dinho se encontraram lá no Céu. Porque, se existe o Céu, os cães com certeza são os maiores merecedores dele.

Veja o que escrevi no dia em que ele se foi:

Ao cão Dinho
(14/04/1997-14/03/2009)
Era você a primeira figura que eu
Enxergava ao acordar de manhã.
E que figura!
Era você que me amava
Incondicionalmente, sem se
Importar com meus gestos,
Atitudes ou caráter.
Era você que abanava o rabinho
Quando eu abria a porta e vinha
Me encontrar tão feliz que não
Conseguia conter o resto do
Corpo já debilitado pela doença
E cansado pelo tempo…
Era você que me proporcionava
Tanta alegria que muitas vezes
Eu chegava a renunciar
Passeios, viagens, etc… Só para
Cuidar de você.
Era você um exemplo de amigo
Que só quem tem um cão pode
Entender.
Descanse em paz meu
Amiguinho!
Deus foi generoso porque deu
A você uma família que o
Amou e o cuidou como se você
Fosse um membro dela.
Deu-lhe uma vida longa e feliz e
Uma morte tranquila e assistida.
Nunca vou esquecer você meu
Cachorrinho!

*Texto publicado em 26 de dezembro de 2009

Envie seu Comentário