Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

A mudança da TVE

13 de dezembro de 2009 2

Alguma coisa estranha vai em curso com relação a TVE e à Rádio Cultura. Não conversei com ninguém de lá, em especial. Minhas informações – ou a falta delas – assim como todo mundo, vêm da imprensa e desse blog aí, aparentemente mantido pelos funcionários. TVE e FM Cultura Correm risco de extinção


Diante da decisão do INSS de vender o prédio no Morro Santa Tereza, onde há 28 anos funciona a emissora, o governo estadual não pôde, ou não quis, adquirir o imóvel. O problema é que, tendo a emissora recebido ultimado para deixar as instalações até o dia 31 de março, tem gerado crescente apreensão o fato de que até agora não se materializou o novo destino. Dezembro já está acabando – as Festas estão logo aí -, restando cada vez menos tempo hábil para uma mudança que, imagino, deva ser complexa. É uma pena que uma entidade tão importante esteja sendo tratada com este aparente descaso.


Há muito, aliás, a TVE e a Rádio Cultura poderiam ter sido objeto de um up grade e um choque de gestão, que lhes capacitasse a funcionar num modelo similar à célebre BBC, de Londres. Uma fundação de fato, com autonomia administrativa com relação ao Governo, mantida por um fundo de endowment, formado durante um período determinado a partir de doações, taxas ou renúncia fiscal. Esta fórmula, sem dúvida, precisaria ser detalhada. Mas aí estão as linhas gerais que permitiriam uma ampliação do sinal e a qualificação da programação. As emissoras públicas, quando bem geridas, têm uma enorme contribuição a oferecer à formação cultural e educacional de um povo. Até os Estados Unidos, país da não intervenção por excelência, possui uma rede pública.


A nossa TVE e a Rádio Cultura são um poderoso patrimônio do povo gaúcho! Em respeito à sua tradição e ao importante papel que desempenham – e que poderia ser enormemente potencializado – deveriam estar sendo tratadas com, pelo menos, mais consideração.

Comentários (2)

  • PATRÍCIA FLESCH diz: 14 de dezembro de 2009

    Olá, Guinter. Sou funcionária da TVE e realmente o site foi criado por nós. Hoje em reunião na Câmara de Vereadores recebemos o apoio de muitos vereadores de diferentes partidos. A Secretaria Mônica Leal , embora convidada ,não compareceu, esteve presente apenas o secretário Elói Guimarães.Aliás até agora a Secretária da Cultura tem evitado encontros e reuniões sobre o assunto.O presidente da Câmara , Sebastião Melo e o deputado estadual Adão Vilaverde vão encabeçar uma comissão que vai procurar a Casa Civil e posteriormente a Governadora. Ficou claro que a saída do prédio põe em risco a existência da emissora e a produção local. (A notícia está no site da Câmara)
    No site transparência.rs.gov.br da CAGE é possível ver qual a importância que o governo dá a TVE e FM CULTURA. Este ano, foi gasto apenas 1% do que estava previsto para investimentos nas emissoras. Ou seja, pouco mais de oito mil reais. E do total de 17 milhões de reais previstos no orçamento apenas 10 milhões foram aplicados.
    VENCIMENTOS E VANTAGENS FIXAS PESSOAL CIVIL ……………………………………………… ….4.761.588,97
    OUTROS SERVIÇOS DE TERCEIROS PESSOA JURÍDICA(ÁGUA,LUZ,TELENONE ETC.)……2.720.467,71
    OBRIGAÇÕES PATRIMONIAIS (INSS,FGTSS, PLANO DE SAÚDE)…………………………………….2.231.598,62
    INVESTINMENTOS (EQUIPAMENTO E MATERIAL PERMANENTE)…………………………………………. 8.379,58
    OUTROS GASTOS……………………………………………………………………………………………………………….. 651.928,00
    TOTAL 10.373.960,10
    Gastam com a TVE e FM a metade do que gastam, por exemplo, com o Instuituto Estadual do Arroz.

    Outra grande ameaça é o prazo curto para transferência. Técnicamente é inviável. E é preciso dizer que quem decidiu pela saída foi o Governo. Nem o INSS, nem a EBC haviam solicitado. O Governo não sabe onde vai nos colocar, mas sabe que vai nos tirar do prédio até 31 de março.

    A EBC está disposta há um acordo para que a TVE permaneça no prédio. Somos a única emissora pública do Brasil que não fechou acordo com a TV BRasil, operada pela EBC (Empresa Brasileira de Comunicação). Temos uma possiblidade de permanecer no prédio sem custo para o governo, se a Governadora aceitar negociar com a EBC.

    Guinter, obrigada pelo espaço e estamos à disposição para mais informações. Patrícia Flesch

  • Christian diz: 16 de dezembro de 2009

    O Governo Yeda tem sido um fracasso na Cultura. Não dá para entender por que os intelectuais e a imprensa têm silenciado tanto. E essa agora: aleijar a TVE! Que barbaridade!

Envie seu Comentário