Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Graça Medeiros, astróloga: sustentabilidade e transparência são a chave da nova Era

22 de dezembro de 2009 16

Hoje posto para vocês entrevista com a astróloga Graça Medeiros. Ela é gaúcha. Estudou filosofia e jornalismo na UFRGS e foi produtora artística. Foi para a Europa em 1969, onde ficou até 1972. Entre 1974 e 1975 morou no Peru e em 1986 fixou residência nos Estados Unidos, residindo em Nova Iorque até hoje. Viajou ao Oriente em 1985 e em 1987, quando andou pelo interior da China e, por terra, levou três meses para chegar ao Tibet. Graça estuda astrologia desde 1972 e dedica-se com exclusividade ao assunto desde 1981. Ela tem diversos clientes em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Nova Iorque e México DF.


Nesta entrevista, ela fala dos princípios norteadores da astrologia e do ofício de astrólogo. Graça, que tem muitos clientes no mercado financeiro, comenta a percepção da crise internacional pelos astros e arrisca previsões para 2010.


Quais os princípios básicos da astrologia? Como se calcula um mapa-astral?


GM – O estudo da Astrologia é ancestral. Os primeiros documentos escritos conhecidos (escrita cuneiforme) em tabletes de barro estão no British Museum e são datados do século VII AC. É um tablete com anotações sobre o movimento de Vênus, que lá se chama de Ishtar e que nesse tempo tinha uma conotação andrógina, pois Vênus é o único planeta que se vê duas vezes no mesmo dia.


O conhecimento astrológico desenvolveu-se principalmente na Babilônia, mas vem de culturas anteriores como Sumérios e Acádios.


A observação dos corpos celestes e sua relação com a agricultura é a relação do ser humano, que deixa de ser nômade, e o cosmo. O homem parte da natureza. De um ponto fixo observa o céu e registra e estabelece relações.


Primeiro o movimento da Lua, do Sol e de corpos que se movem em relação às estrelas. A mudança de estações (equinócios e solstícios) que sempre foram celebradíssimos e ainda hoje o fazemos pela apropriação da religião que as transforma em festas de páscoa (equinócio) natal {solstício) etc… O aprimoramento do conhecimento foi acontecendo com o progresso dessas civilizações nas áreas da matemática e da geometria. Os conceitos tais como os conhecemos hoje datam do período em que a cultura Babilônica conectou-se com a cultura Grega, Persa e Egípcia, ao redor do século I (o clássico desse período é o Tetrablos, de Ptolomeu).


Os elementos que compõe o sistema astrológico são o espaço onde o Sol e seus planetas transitam no universo que denominamos Zodíaco ; no modelo matemático, o círculo de 360 graus divido em 12 partes, equivalente aos Signos, e o Sol e seus planetas com suas diferentes órbitas que nele se deslocam.


Os planetas têm o nome dos mitos e como observou Jung em The science of mithology, “a mitologia não foi inventada, foi percebida!” O estudo não é lógico. É simbólico e é muito melhor compreendido por quem conhece o conceito de fractal. Tudo se move e no universo não tem linha reta, só curva – o que sobe desce e depois sobe.


O mapa astral é como se fosse um retrato do céu na hora do nascimento de uma pessoa ou evento, visto desde o ponto de vista do horizonte do lugar (cidade) onde ocorre. Este “modelo” é a referencia que revela a estrutura e é a ele que nos referimos para poder relacionar os planetas hoje. A relação entre os planetas em movimento é o mapa natal.


O cálculo do mapa astral foi se aprimorando à medida que o conhecimento avançou, nas áreas da matemática e da geometria. Mas só no século 20 é que a Astrologia se democratizou, pois com a criação do meridiano de Greenwhich a referencia do tempo se padronizou. Só então puderam ser construídas as tabelas com a posição planetária. Isto gerou uma referencia matemática que nos possibilita calcular com muito maior precisão a carta celeste.

Graça Medeiros por Vania Toledo

Como a astrologia pode nos ajudar a nos compreender melhor?


GM – Faça o teste. Mas a coisa mais importante é que através desse conhecimento podemos medir o tempo. E se somos impotentes frente ao movimento cósmico e não podemos mudar nem o ritmo nem a órbita planetária, mas pelo menos sabemos quando tal circunstancia acaba. E se não podemos mudar a órbita dos planetas, quando faz um aspecto, podemos tentar descobrir o que temos que apreender em tal circunstância e qual o antídoto.

Você é uma das astrólogas mais famosas e bem sucedidas do Brasil. Qual é o seu segredo? O estudo da Filosofia, da História e da Psicologia, entre outras disciplinas, também ajuda na sua avaliação dos astros?


GM – O astrólogo é na verdade um tradutor de uma linguagem simbólica para o leigo. É possível que minha formação, que se iniciou na Filosofia e somou o conhecimento na área da comunicação e da psicologia, me ajudou a ter uma visão de mundo mais ampla, de forma a tratar o conhecimento astrológico como uma possibilidade no desenvolvimento da experiência humana, com a compreensão e não o julgamento.


Você acha que a astrologia hoje goza de ampla aceitação ou ainda é grande o preconceito e a resistência contra ela? Como esta resistência se processa?


GM – A resistência é do mundo acadêmico, que é extremamente preconceituoso e colonizado. A resistência começa na proibição da matéria pelo Concilio de Trento e depois pela ignorância, e de séculos em que a racionalidade foi restrita ao conhecimento lógico. Pela Lógica, não se explica Astrologia, uma linguagem analógica e simbólica.



Você tem clientes no Brasil, no México e nos Estados Unidos. Você percebe alguma diferença de perfil entre estes grupos de clientes, algum padrão específico de demandas que são postas com mais freqüência aos astros?

GM – Os interesses variam, mas não é com a nacionalidade, mas com o perfil das pessoas. O que uma pessoa do mercado financeiro busca é um tipo de informação, as informações mais pessoais dos ciclos de vida variam – mas em geral as pessoas que me procuram são as que refletem e buscam uma maneira de viver melhor, evoluindo. Eu posso dizer que a Astrologia é o melhor método que conheço para compreender e aproveitar melhor o processo do desenvolvimento.

Graça Medeiros por Vania Toledo


Como você interpreta, pela astrologia, o momento que o mundo atravessa? A crise mundial econômica pode ser interpretada e explicada pelos astros?


GM – A Astrologia “decodifica” os ciclos (órbitas planetárias são mensuráveis) através da compreensão da linguagem mitológica (planetas) e suas qualidades (signos) portanto tudo pode ser interpretado. Então, observamos o movimento planetário e quando um planeta que tem uma órbita muito grande, quando muda de signo – muda a qualidade e isso pode ser um indicador, filosófico, econômico, artístico. As milhares de possibilidades que existem formam padrões geométricos (distancias angulares entre 2 ou mais corpos celestes). O conhecimento desses aspectos e a freqüência em que ocorrem indicam possibilidades. Quando não temos a possibilidade de ter observado alguns desses aspectos, recorremos ao passado para ver quando ocorreu pela última vez e então podemos ter uma referencia para refletir. O importante é compreender que o conhecimento não é um carimbo que determina algo – mas um indicador para você se orientar, refletir e, além disso, saber que termina. No UNIVERSO TUDO SE MOVE.


A crise econômica que explodiu em 2008 foi uma mudança de valor – da expansão para a realidade. Hoje podemos claramente dizer que foi uma crise gerada pela ganância e falta de controle. Na época escrevi: GET REAL (com duplo sentido mesmo). Fui buscar quando pela última vez Plutão tinha entrado em Capricórnio e descobri que fora entre 1762 e 1777.  Passei então a formular o conceito de up grade do Iluminismo, que ainda postulo. Plutão entrou em Capricórnio em 2008 e ficará até Janeiro de 2024.



Você sugere então que este será um período (2008-2024) de novas formulações filosóficas e conceituais, que serão, como as do Século XVIII, utilizadas por muitos anos? Algo, enfim, que possibilitará um novo despertar do Espírito?



GM – SEM DÚVIDA!  O pensar e repensar e criar novos conceitos capazes de melhorarmos o nosso processo de desenvolvimento e organização social levando em consideração as mudanças tecnológicas e a administração dos problemas contemporâneos. É como reformatar o hard drive  – temos que semear uma nova fórmula  de contrato social sem medo de quebrarmos velhos paradigmas. Da família ao Estado.


Duas palavras são chave para adequar a nova ordem que se cria: SUSTENTABILIDADE e TRANSPARÊNCIA.


Este período da construção de novos paradigmas é mais importante que o século XVII e o XVI porque neste além da reflexão de valores somamos a reflexão de uma NOVA ERA. Cada Era é uma fração de 1/12 de um ciclo de 25.920 anos (ano platônico)


Já saímos da Era de Peixes e entramos na Era de Aquário? Quais são os conceitos-chave para a época que vivemos?


GM – Gosto de explicar que a mudança de Era não é marcada por um dia, mas é um processo longo ao redor de 100 anos, enquanto a transição se processa. A mudança de Peixes para Aquário é de água para ar. Do crer para o saber. As qualidades de Aquário são: saber, liberdade, autonomia, instantaneidade. Enquanto as religiões monoteístas negarem o evolucionismo estaremos atrasando o processo educacional para a evolução. O que tem que se compreender é que o que é pregado numa Era se materializa na era seguinte. Na Era de Peixes o que foi pregado é que somos todos iguais, enquanto isso não se tornar possível estaremos atrasando a evolução. Estamos todos no mesmo barco, o planeta Terra. E fazemos parte de um sistema. O nosso sistema planetário tem 13 bilhões de anos. Quando, em vez da arrogância humana, cultivarmos a simplicidade e a sabedoria, a Era terá desabrochado.


Lembro de você ter previsto que algo muito importante, que mudaria o mundo, aconteceria em setembro de 2001. Como os astros representaram o 11 de setembro como possibilidade?


GM – Eu previ um ano difícil para os USA. Falei em perdas no mercado e uma tendência de queda em Wall Street. Mas não imaginei que seria literal.



Você concorda com a visão hoje dominante que admite que o pior da crise já passou?


GM – A erupção da crise aconteceu em 2008, mas as conseqüências ainda não. Neste ano de 2010 viveremos uma das piores crises de desemprego, equivalente ao que aconteceu em 1932/1933, e a entrada de Urano e Júpiter em Áries pode trazer novas tecnologias, mas também um aumento bélico. Fique atento entre 27 de maio e 6 de junho.



Muitos de teus clientes são importantes investidores no mercado financeiro. Como a astrologia pode ajudar nos negócios?


GM – Esses clientes compreendem muito bem a linguagem cíclica e também usam o recurso como mais um dos fatores que lhes sinalizam altas e baixas. A Astrologia é um excelente instrumento para planejamento. Dependendo da vida de cada um, pode ser mais ou menos afetado, mas certos aspectos nos afetam a todos. Estamos no mesmo barco. E a tendência é de instabilidade e revoltas explosivas.




Há, em 2010, um período mais ou menos propício para investimentos financeiros?



GM – O ano de 2010 em termos financeiros será interessante e bastante positivo no que tange a produtos mais conservadores – principalmente de março a julho. A crise é de moeda e vai nos ocupar muito. Recomendo redobrada atenção aos movimentos do FED, principalmente no final de maio. Sob o ponto de vista econômico a tendência a altos índices de desemprego principalmente entre julho e agosto, o que fará o ultimo trimestre do ano, principalmente no hemisfério norte, o mais fraco.



Quais os conselhos que você daria para as pessoas em 2010?


GM – Astrólogo não é para dar conselho, ele mostra situações possibilidades, mas o “motorista” da vida de cada um é a própria pessoa. A vida é feita de escolhas. O que a Astrologia propicia com muita eficiência é a indicação da tendência. É mais como uma sinalização ao longo da rota (vida). Aquilo pelo que alguém vai passar muitas vezes não permite escolhas – a não ser COMO se vai passar por cada situação, e o que se pode aprender e evoluir como indivíduo em face desta ou daquela situação. Se fizermos sempre a mesma coisa, teremos sempre o mesmo resultado. A FELICIDADE É UMA JORNADA, NÃO UM DESTINO.

Comentários (16)

  • Ziegler diz: 23 de dezembro de 2009

    Mais uma vez, a Gra brilha!!!

    Parabens pela lucidez…

    Beijo grandao,

    Zie

  • maria tomaselli diz: 23 de dezembro de 2009

    gunter, uma sugestão: cada post teu poderia ter um resumo, um tipo de síntese bem curta, para gente com pouco tempo decidir se vai ler tudo ou não

  • Keltum diz: 24 de dezembro de 2009

    Brilhante,confesso que deixou um gostinho de quero mais.
    Beijo

  • Sylvia Moreira diz: 25 de dezembro de 2009

    Graça como sempre : Maravilhosa! Inteligente,direta e precisa.
    Concordo com Keltum.
    “Quero mais”.
    Beijos
    Sylvia

  • LUIZ CARLOS diz: 25 de dezembro de 2009

    DE MANEIRA SIMPLES E DIRETA VOCE MAIS UMA VEZ ABORDA O TEMA DA ASTROLOGIA E DAS PREVISOES MOSTRANDO SEU ENORME CONHECIMENTO SOBRE A MATERIA E COMO É DO LIVRE ARBITRIO DE CADA UM COMO INTERPRETAR PARA SEU PROPRIO UNIVERSO AS PROBABIBILIDADES QUE O FUTIRO INDICA. ADOREI O ARTIGO E MAIS AINDA DAS SUAS RESPOSTAS.
    BEIJOS DESSE SEU AMIGO

    LUIZ CARLOS

  • Edinha Diniz diz: 1 de janeiro de 2010

    Brilhante. Amei a clareza com que Graça Medeiros levantou algumas questões fundamentais da Astrologia, mostrou seu percurso histórico e, o mais importante, esclareceu o papel desse conhecimento na nossa evolução pessoal.
    Parabéns, Graça.

  • Regina diz: 8 de março de 2010

    Graça tem sempre uma visão realista e antecipatória dos acontecimentos. Bruxinha? Acho que lúcida, com olhar nos astros mas o pé fincado na terra.Genial!

  • Dalva Ventura diz: 4 de janeiro de 2011

    Uma aluna que é apaixonada pelo Caio e sabia de minha amizade com ele e a Graça Che, me passou o link de seu site. Gostaria muito de reencontrar a Graça, uma amiga querida que perdi de vista desde os anos 90. Já tinha procurado nas redes sociais, no catálogo de POA e nada. Por favor, passe meu e-mail para ela ou me informe uma maneira de contactá-la, pode ser? E parabens pelo site, que já está nos meus Favoritos.

  • Cláudia Nunes dos Santos diz: 6 de abril de 2011

    Boa noite, por favor como possa encontrar Graça Medeiros para consulta (Mapa Astral)? Obrigada.
    /

  • Jacques Sillos diz: 3 de julho de 2011

    Gostaria de receber informações sobre como contactar a Graça Medeiros. De todos os astrológos que consultei, ela foi quem mais me impressionou, há quase 30 anos.

  • luciana maffra diz: 15 de junho de 2012

    Ola,
    Uma entrevista bem feita é sempre atual. Adorei o conteudo, a Graça é uma pessoa curiosa e vai fundo nas questões centrais …
    Peço bis!!!
    Quero pedir um favor: o contato da Graça para fazer meu Mapa, sei que ela deve ser muito solicitada , mas se tiver que ser, será!
    Um abraço Luciana

  • Virgínia Cavalcanti diz: 8 de setembro de 2013

    Oi. Gostaria de ter um contato para encontrar a Graça. Obrigada

  • Mary Plumb diz: 22 de abril de 2014

    Hello, I am an old friend, please, if you are in contact with Graca, ask her to contact me.

    Many thanks..

    Mary Plumb

  • Michele Vivas diz: 25 de abril de 2014

    Já fiz meu mapa astral com a Graça medeiros qdo estava em São Paulo e ela falou coisas impensáveis que vieram se concretizar anos depois.
    Infelizmente perdi seu contato. …gostaria de saber se há algum contato que eu possa localiza la.
    Desde já agradeço
    Michele

  • Jose Luiz Azevedo diz: 10 de outubro de 2014

    Parabéns pela postagem, Gunter! Conheço a Graça. Alias ela descobriu o horario exato do meu nascimente e isso fez toda a diferença em inumeras direçoes baseadas no meu mapa. Infelizmente perdi o contato, se possivel gostaria muito de ter o contato dela. Com Gratidão Jose Luiz.D8787

Envie seu Comentário