Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

O colapso do serviço de taxis em Porto Alegre

10 de abril de 2012 4

Desde que fui morar em Florianópolis, tornei-me usuário bem mais frequente do serviço de transporte público em Porto Alegre. Afinal, chegando à Capital de avião ou de ônibus, a locomoção na zona urbana depende de outros meios, que não o veículo particular. Lembro-me da época de estudante, nos anos 1980 e 1990, quando eu costumava usar mais o transporte público. Os ônibus eram velhos, viviam lotados, às vezes sujos, a malha de linhas era precária e o atendimento dos funcionários ruim. Isso tudo mudou muito! Hoje, a cidade conta com uma frota renovada e uma malha bastante eficiente. Andar de ônibus ou de lotação é quase sempre uma experiência confortável.

Em compensação, desorganizou-se incrivelmente o serviço de taxis. Todo mundo reclama! Há dois anos venho denunciando esta barbaridade aqui pelo blog. De uns tempos para cá, o tema ganhou as manchetes dos jornais. Mas a Prefeitura, nada faz!

São poucas as cooperativas e companhias de teletaxi atuando na cidade. Em horários de pico e em dias de chuva, é impossível conseguir ser atendido ao telefone. As atendentes simplesmente tiram o telefone do gancho! Faltam veículos nos pontos de taxi. Em alguns, estabelecem-se filas monumentais. Reconheço que seja difícil de atender um fluxo ímpar como o do retorno do feriadão de Páscoa na rodoviária. Mas o problema do ponto de aeroporto Salgado Filho existe há anos e acontece em qualquer dia. E ninguém faz nada!

Certa vez, depois de perder cerca de meia hora esperando um táxi no aeroporto – e olha que era um dia normal, nada de feriadão – liguei para a EPTC para reclamar. Disseram-se que não tinham nada a ver com isso, que a fiscalização do funcionamento do ponto cabia à cooperativa. Vejam, cidadãos de Porto Alegre, a que situação absurda estamos condenados! O próprio prestador do serviço se autofiscaliza.

No ano passado, uma fratura obrigou-me a depender por um mês de muletas, de bengala e, logicamente, dos taxis. Foi um pesadelo! Quando se tem alguma dificuldade de locomoção, quando se está carregado de malas, o serviço de taxi não é um luxo, mas um gênero de primeira necessidade! Uma cidade que não consegue organizar este serviço convenientemente desrespeita o cidadão.

Um aspecto positivo no serviço de taxis em Porto Alegre é que a maior parte dos motoristas é composta de gente educada, honestíssima e respeitadora das leis de trânsito. Sou fã dos nossos taxistas. Não acreditam em mim? Experimente usar regularmente os taxis em cidades como Florianópolis, Rio de Janeiro ou – a pior de todas! – Buenos Aires! No Rio, a coisa já melhorou muito. Mas ainda há risco de se tomar um veículo imundo ou ilegal. Em Florianópolis, a regra dos taxistas é dirigir muito acima do limite de velocidade, falando ao celular, tagarelando baboseiras com os coitados dos passageiros. Depender de taxi comum em Florianópolis é uma praga! Em Buenos Aires, então, a todos estes problemas, soma-se razoável quantidade de motoristas sem vergonhas, que tentam roubar os passageiros. Se você for a Buenos Aires, não confie nos taxistas!

Diz a EPTC que não adianta conceder licenças extras tendo em vista eventos pontuais, como a Copa do Mundo. Estou de acordo. Mas já faz muito tempo que o dia-a-dia do usuário do serviço virou um inferno!

É evidente que faltam licenças em Porto Alegre! A Zero Hora já denunciou aquilo que todos sabiam, por ouvir dizer e por dedução lógica: que há um comércio paralelo e ilegal de licenças na cidade! Todos sabem que a concessão de licenças está congelada desde 1973. De lá para cá, muita coisa mudou. Se a população pode ter aumentado relativamente pouco, há um fluxo muito maior de pessoas de fora pela cidade, como aquelas ligadas ao turismo de eventos ou de negócios, por exemplo. O interior do Estado cresceu e as pessoas viajam mais. Dependem da rodoviária, do aeroporto e dos hospitais da Capital, por exemplo. E, além disso, imaginem o impacto numa cidade como Porto Alegre da enorme ascensão social que animou o Brasil nos últimos dez anos! É claro que as pessoas estão com mais dinheiro no bolso e mais dispostas a usar serviços como o de taxi!

Só ampliar significativamente as licenças resolveria tudo? Provavelmente não, embora resida aí o X da questão. Também seria preciso obras de engenharia em pontos mais tumultuados, como o da rodoviária e do aeroporto e, sobretudo, uma fiscalização com mais aferro e mais transparência sobre o serviço das cooperativas. A população tem o direito de exigir que as cooperativas sejam multadas quando tiram o telefone do gancho. E se não o são, alguém tem de explicar porque estamos reféns dessa barbaridade! É vácuo de atribuição? Incompetência? Falta de estrutura? Alguma maracutaia? Sei lá, mas a resposta tem de ser dada!

Se o Prefeito não enxerga isso tudo é porque está cego! Eu estou entre os mais de 70% de porto-alegrenses que aprova a gestão do Prefeito José Fortunati. Penso que é o melhor Prefeito que a cidade tem em muitos anos! Mas não é possível tapar o sol com a peneira nesse caso. A reação dele ao problema tem sido lenta e insatisfatória. Se a EPTC está mostrando incompetência para gerir o problema, o que já está mais do que notório para os usuários do serviço, deveria um Prefeito dinâmico chamar esta gente à responsabilidade e intervir no processo. É a imagem dele que está em risco aqui. E Fortunati é candidato à reeleição.

Não tem cabimento estarmos há anos discutindo este tema. O assunto já encheu o saco! Está na hora de ações objetivas e concretas. Chega de nhém nhém nhém!

Comentários (4)

  • Luiz Carlos diz: 10 de abril de 2012

    O motivo da falta e péssimo serviço de taxi é visivel, a exploração deste serviço está na mão e um ou dois individuos o que ja foi constatado algum tempo e a EPTC nada fez até o momento são precisos mais taxi, mas a liberação de novas licenças tem de ser feitas de forma a não continuar tudo na mão do cartel que controla os taxis de POA

  • Adriano diz: 10 de abril de 2012

    Com todo respeito…mas as vezes existe coisas que irrita…e esse comentário é mais um.
    Colocar a culpa que falta taxi…ou o onibus atrasa…ou qualquer tipo de coisa e relatar aqui é…conversa e assunto ultrapassado. É como piada velha.
    Todos ja sabem.
    Como um taxi que pega uma corrida do aeroporto e vai ate a zona sul ou centro de porto algre…faz para voltar para retornar ao aeroporto para pegar mais uma corrida em menos de 1:30 ou 2hs? falando em horarios…como 7:30hs da manha ate as 9hs….e 16:30hs ate as 20hs….quando a BR116 e farrapos ou qualquer outra saida e entrada de porto alegre esta simplesmente parada! Mas ate em horarios não considerados de pico….ja está dificil de trafegar pela cidade.
    É ridiculo falar das atendentes de cooperativas…ela devem tirar o telefone do gancho…pois devem escutar pessoas irritadas pelo atraso do taxista que esta “engarrafado”…como toda a cidade…e prefere tirar do gancho do que ficar escutando desaforo.
    Derrepente quando o metro de porto alegre…ficar pronto, Rodovia do parque…ficar pronta….e colocar algum tipo de restrição de horario para caminhão trafegar…como fizeram em são paulo….pode melhorar.
    Caso contrário…vão continuar a procurar a colocar o problema no colo de alguém…a bola da vez é os taxistas e cooperativas.

  • Cláudio B. diz: 10 de abril de 2012

    Fecho e concordo inteiramente com o bloguista Gunter Axt neste assunto sobe os TAXIS em Poa. É um nojo! A coisa está ficando vergonhosa e angustiant e ainda vem a copa de 2014 pela frente. Para melhorar o atendimento,sem agravar o transito já caótico, fica a sugestão de ampliar o número de taxis com obrigatoriedade de serem filiados à novas cooperativas e (para as novas placas-paveículos)impor uma alternãncia entre numeros pares e iímpares, como teste, avaliação.
    Sobre a avaliação do prefeito Fortunatti,igualmente concordo.
    É o mais ativoe proativo prefeito de POA nas ultimas décadas! Se concorrer à reeeleição voto no cara! Ainda assim, como tem coisa prá arrumar…
    A EPTC é uma piada com os seus agentes de ficalização e orientação. Não querem saber de nada. Somente multam, arrecadam. É uma industria altamente lucrativa que visa obter lucro para se financiar Pode? Não educam ninguém porque as campanhas institucionais não são acompanhadas por uma ação e intervenção ostensivamente civilizada e respeitosa dos seus agentes contratados. São agressivos e unilaterais como “autoridades” de transito que jamais se equivocam ou ensinam, advertem, aconselham!
    O “talão” de multa sempre vem na frente…

  • Daniel G. diz: 24 de outubro de 2012

    Por opção, decidimos ter somente um carro em casa, oque ocasionalmente me leva a utilizar o serviço de taxi.
    E compartilho da dificuldade em conseguir chamar um taxi em um dia de chuva. Prestadoras deste serviço simplesmente ficam inoperantes.
    A conta é simples, se falta taxi tem que ter mais licenças liberadas, ou quem sabe eu deva colocar mais um carro no engarrafamento.
    Sistemas de GPS e gerenciamento de frotas, já são comuns. falta mesmo é veículos em número suficiente.

Envie seu Comentário