Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts na categoria "Gastronomia"

Florianópolis e as ostras

26 de março de 2012 1

Quem realmente aprecia ostras tende a preferi-las in natura, frescas, pois, dessa forma, o sabor permanece mais autêntico. Tudo estaria a indicar, então, que Florianópolis seria um paraíso da iguaria. De fato, as ostras produzidas na Ilha são fantásticas. Dizem que tem a ver com a água fria e limpa do Ribeirão, no sul da Ilha. Em peixarias, não é difícil encontrar-se uma dúzia de ostras vivas por R$ 5 ou R$ 6, isto é, uma das poucas coisas que permanecem baratas na cidade. Mas nos restaurantes, mesmo em alguns dos mais badalados, a coisa muda de figura. Uma porção dificilmente sai por menos de R$ 25,00 e é quase que invariavelmente servida de forma errada. Num conhecido restaurante em Santo Antônio de Lisboa trouxeram outro dia um prato de ostras emborcadas sobre o gelo, de maneira que o líquido salobro que a acompanha havia se perdido… Em outros bares e restaurantes da região bem como no Ribeirão da Ilha, é comum servirem as ostras cobertas de gelo, o que é inadequado, e, pior ainda, desprendem-nas das conchas. Dizem que é para facilitar a vida das pessoas! Mas a prática é um atentado, porque assim, já não se consegue comprovar estarem realmente frescas – e sabe-se que intoxicação por ostras não é brincadeira! Então, é incrível que numa cidade produtora de ostras de alta qualidade haja tanto despreparo na hora de servi-las in natura.

Passando por Natal

22 de junho de 2011 1

Oi pessoal! Passei alguns dias longe do blog. Também não consegui ler os jornais. Mas foi por uma boa causa: estive em Natal!

Natal é decididamente uma das cidades que mais aprecio. É linda, limpa, organizada, tranquila e o povo é amigável e gentil. Tem uma ocupação urbana razoavelmente planejada, sobretudo se a compararmos com outras capitais nordestinas. Em Recife, por causa dos prédios enormes da beira da praia, o sol na areia some depois da uma hora da tarde. É absurdo. Em Fortaleza, a parede de prédios à beira mar bloqueia até a passagem da brisa marinha para o coração da cidade. Sim, gosto de Recife e Fortaleza, mesmo assim. Mas acho que Natal está fazendo melhor escolha nesse sentido, contendo a exploração imobiliária desenfreada.

Por força do trabalho, precisei visitar estabelecimentos hoteleiros na cidade. Fiquei positivamente impressionado com a qualidade de alguns hotéis. Quartos, ambiência e áreas de lazer bem estruturados e decorados. Dessa vez, tive a oportunidade de almoçar no excelente restaurante do Pestana, uma construção rústica à beira mar, onde foi possível saborear uma moqueca dos deuses! E, claro, não podia faltar uma passada pelo sempre excelente Camarões, restaurante que é uma das marcas registradas da cidade.

Na segunda-feira à noite, assisti à posse do Procurador-Geral de Justiça do Rio Grande do Norte, o Promotor Manoel Onofre de Souza Neto, que é pessoa muito querida por lá. A cerimônia foi abrigada no adorável Teatro Alberto Maranhão, uma pequena joia, muito bem preservada. Inaugurado em 1904, a fachada segue elegante estilo belle époque francês, com magnífico piso em ladrilhos belgas e camarotes guarnecidos por rendilhados gradis de ferro. A posse foi muito simpática. Começou com o conjunto de cordas da Escola de Música da Universidade Federal, cujo programa trouxe Villa-Lobos e Grace Jones, e terminou com um coquetel no agradável foyer, embalado pela afinada banda de rock Uskaravelho.

Chamou-me a atenção que o Estado do Rio Grande do Norte é território comandado majoritariamente por mulheres. A governadora é Wilma de Farias. A Prefeita da Capital é Micarla de Souza. A Presidente do Tribunal de Justiça é a Desembargadora Judite Nunes (que, aliás, ascendeu ao Tribunal pelo Quinto). O Colégio de Procuradores de Justiça do RN é composto por maioria de mulheres. Eu nunca antes havia assistido a uma cerimônia oficial com tantas mulheres em posição de comando. Adorei!

Bom, enfim, de volta ao blog, já vou colocando-o em dia. Eu tinha rabiscado no sábado um post sobre o tema do sigilo da documentação diplomática. Vou dar uma revisada e o publico em seguida.

Em Florianópolis...

05 de junho de 2011 1

Depois de onze meses morando em Florianópolis, saí no meu primeiro sábado à noite. Um casal de amigos convidou-me para assistir à peça da Marisa Orth, Romance volume 2. Bem, ela estava ótima: divertidíssima, como sempre! A banda que a acompanha é muito boa. E o Teatro Pedro Ivo, no Centro Administrativo do Estado, na SC 401, é uma pequena jóia: todo arrumadinho, super bem cuidado, boa acústica e confortável. Causou-me excelente impressão.

Depois do show, fomos jantar no João de Barro, em Cacupé. A noite estava fria e a lareira aquecia o ambiente. A vista para a enseada é inda, com a ponte Hercílio Luz bem ao fundo, toda iluminada. Pedi uma cazuela, que estava excelente! Cada vez gosto mais da Ilha.

O Joe's fecha as portas! Como assim?!!?

05 de junho de 2011 3

Li no site da Zero Hora – sim, porque o jornal cuja assinatura eu pago não vem sendo mais regulamente entregue em meu endereço em Florianópolis há semanas!! – uma notícia trágica: a lanchonete Joe’s fechou as portas no último sábado! Como foi que isso aconteceu?! O Joe’s, situado na Ramiro Barcellos quase esquina com a Independência, juntinho à Praça Julio de Castilhos, é um ícone da cidade! Existia a mais de 50 anos, mantendo o mesmo lay out das lancherias americanas dos filmes do James Dean. Como se não bastasse o ambiente genial, carregado de vermelhos e dourados, mas sem palhacinhos idiotas e listrinhas babacas, o Joe’s tinha um dos melhores cachorros quentes de Porto Alegre! Ali certamente se comia o melhor Cheese galinha e se tomava um Milk Shake dos deuses. Isto para ficar nos carros-chefes da casa, porque as torradas e prensados também eram magníficos e a mostarda… hummmm…amarelinha, bem clarinho, picante. O fim d Joe’s é uma notícia muito triste para Porto Alegre. Quem cresceu frequentando esta lanchonete tinha a impressão de que ela continuaria sempre lá. Quem não a frequentou, não sabe como é uma lancheria de verdade, para gente adulta, e com os lanches mais sensacionais! Vocês aí tem certeza de que nada pode ser feito para reverter esta catástrofe? Gente, o Joe’s é uma instituição de Porto Alegre!

Barbearia Elegante

20 de dezembro de 2009 1

De vez em quando a gente descobre um novo cantinho, que vale a pena recomendar. Ontem almocei num pequeno bistrô, no Centro, que se chama “Del Barbieri”. Diz que ele já existe há uns dois anos. Como eu saio muito pouco, sou retardatário nas descobertas. Mas, acreditando que existam outros como eu, vale a dica aí.


Localização inusitada, quase na esquina da Jerônimo Coelho com a Avenida Borges de Medeiros. Na medida certa, o espaço é pequeno: cinco mesinhas em madeira e um balcão com, talvez, quatro assentos. Destaque para o piso em ladrilho hidráulico. Nas paredes, paisagens de Porto Alegre e fotografias de uma barbearia.


Sim, parte do inesperado do local está no fato de que ele se dispõe dentro de uma velha e tradicional barbearia. Vitrines entrecortam a parede que divide o bistrô da barbearia, fundada em 1947. A transparência nos permite proximidade ao ofício dos barbeiros que ainda estão ali, trabalhando, em torno de seus clientes, acomodados em elegantes cadeiras de ferro, antigas, cadeiras de barbeiro. Bela evocação de respeito a este importante ofício. Inteligente mutualismo entre o novo e a tradicional ambiência.


O chef, Marcelo Schambeck, que herdou a barbearia do pai e ali instalou o bistrô, atende pessoalmente aos clientes, com um sorriso generoso.


A comida é surpreendente. Refinada e bem cuidada, como num típico bistrô parisiense. O local abre para café e almoço e cada dia tem menu fixo. As porções são pequenas, mas, como na França, é mais do que suficiente.


Eu tive o prazer de provar uma entrada de verdes, tomatinhos cereja, com ricota e cubos de melancia; uma brusqueta de maçã com roquefort; o prato principal eram camarões VG, pousados sobre uma farofinha preparada com passas e mel; a tortinha de amoras era dos deuses!


Tudo muito fresco e saboroso. Parecendo vir direto das feiras de rua ou do Mercado Público para a cozinha.


A freqüência é civilizada. Você não encontrará ali nenhuma Cat das Pampas encarnando a sua versão da Hora do Espanto 7, com assustadores megahairs, a pele laranja de tanto bronzeamento artificial, a cara rebocada de maquiagem, parecendo massa corrida, e a total incapacidade de articular uma frase que faça sentido; nenhuma Guinchadeira aos uivos, em excitação coletiva com as amigas. Nenhuma miserável TV ligada para os idiotas sem assunto na hora do almoço. Não, nada disso!


Só gente conversando sobre cinema, literatura, o que se pode descobrir em uma caminhada pela Avenida Cristóvão Colombo, receitas interessantes, ou sugestão de passeios em Buenos Aires.  Enfim, não ouvi ninguém enchendo o saco com as últimas novidades da Luis Vitton.


O preço? Muito justo: R$ 21,00 por pessoa! É melhor fazer reserva! Olha o site deles aí: http://caffedelbarbiere.blogspot.com/