Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts na categoria "Saúde"

Fortunati e a saúde em Porto Alegre

27 de janeiro de 2011 0

Estou gostando de ver. Mesmo! O Prefeito José Fortunati comprou para valer, em benefício do conjunto da população, a briga contra o corporativismo atávico do sindicato dos médicos em Porto Alegre. Eu não cometeria a injustiça de achar serem os médicos os únicos responsáveis pelas deficiências no atendimento na Capital. Há sem dúvida inúmeros outros fatores, tais como insuficiência de leitos e infraestrutura precária em certos casos. Tampouco possuo os elementos para avaliar se a proposta do Prefeito de criar um Instituto Municipal de Estratégia de Saúde e de Família é a melhor das opções, muito embora pareça lógica a idéia de criação de um órgão especial para gerir serviço tão sensível e vital, tanto mais se o mesmo for devidamente tratado como território técnico, blindado do usual comércio de prebendas que infesta a política. Também não é possível nivelar por baixo, afirmando que o conjunto dos médicos não cumpre horários. É inegável, todavia, que o tema é recorrente na Administração Municipal. O Prefeito João Verle tentou enfrentar o problema, custando-lhe, na época, a queda do Secretário Joaquim Kliemann. Quem não deve não teme! Os médicos cumpridores de suas obrigações não enfrentarão maiores dificuldades em bater o cartão ponto.


Em todo o caso, a maneira firme e decidida com que o Prefeito investe contra esse ranço corporativo, sem medo de cara feia, traduz a profundidade de seu compromisso para com os cidadãos, deixando claro que o tempo de amorcegar impasses acabou. E Fortunati o faz na certeza de que conta com o apoio da população.

O inferno da menta!

26 de janeiro de 2011 6

Cada vez que um médico inventa uma interdição, tremo nas bases: todo um universo é amputado, uma dimensão suprimida. E a sensação de inadequação se amplia.


Primeiro foi o leite. Diz que não o digerimos bem. Passei a tomar apenas café preto. Mas pode haver leite até no purê de batatas! O grande drama, contudo, seguem sendo os queijos: como viver sem queijo? Queijo, pão e vinho são os alicerces da felicidade!


Depois veio essa história do açúcar. Fala-se em síndrome metabólica, incapacidade das células em metabolizar o açúcar, reações alérgicas monstruosas, inflamações no sangue com zilhões de efeitos colaterais altamente perversos! Um pesadelo! Lá se foram quindins, chocolates, tortas….ahhhh, os doces de Pelotas!!! Como viver sem um pastel de santa clara?


Mas isso não é nada. Se o açúcar integrar a sua listinha negra de interdições, prepare-se para investir horas e horas nos corredores dos supermercados, com uma lupa na mão, lendo as letrinhas miúdas com a relação dos ingredientes nas embalagens. Há açúcar nos sucos, nos pães, nas massas, nas bolachas salgadas, nas barrinhas de cereal integrais, nas granolas, na erva mate, nos molhos salgados… E os japoneses metem açúcar no sushi. E as donas de casa polvilham seus bifes na chapa com açúcar, para dourar a carne… E em Santa Catarina o pessoal passa o café já com a água adoçada. E, e, e, e… Sem falar na Gol, que só serve porcariazinhas edulcoradas em seus vôos, como que dizendo: diabéticos e metabólicos deficientes – danem-se! E por aí vai…


Agora, médicos homeopatas entram numas que certas substâncias inibem ou bloqueiam os benefícios do tratamento: Citronela, eucaliptol, cânfora, hortelã e menta são os vilões da vez. Diz que é terrível! Basta uma balinha de menta para liquidar a eficácia de um tratamento homeopático! Tudo bem até: um sujeito pode passar sem citronela e sem eucaliptol. A cânfora já é mais complicado, sobretudo para o pobre coitado açoitado por dores no pescoço ou nas costas. Mas vá lá. Só que a menta, meu amigo, nem queira saber. Metem menta em absolutamente tudo! Balinhas sem açúcar, pastas de dentes, enxaguadores bucais, fios dentais… O pior, é que mentem sobre meter menta. Siiiimmmmm! Farmacêuticos e dentistas são frequentemente induzidos ao erro por marcas famosas, que acham despiciendo informar sobre a presença da menta nas embalagens dos produtos. Você pergunta: “por favor, me indique uma pasta de dentes sem menta”. E lá vão eles ler bulas. Depois de um bom tempo lendo letrinhas miúdas, voltam felizes com uma dúzia de produtos sem menta. Prove-os e você sentirá a menta.


Vem, então, a romaria de ligar para os serviços de atendimento ao consumidor. A Sensodyne é civilizada: tem um 0800 que atende imediatamente, não enchem o saco pedindo um monte de informações suas e vão logo admitindo que colocam menta em absolutamente tudo o que produzem. Já a Colgate, é chocante: o 0800 não completa a ligação. No site, o gentil “fale conosco” é um truque para colher seus dados pessoais. Para saber se tem menta nos produtos deles, só falta exigirem que você informe a cor das cuecas que está usando! Depois de disporem do seu tempo, exigindo que você preencha o cadastro deles para colher as suas informações pessoais, que sabe lá como serão usadas pela política de marketing da empresa, informam que, na melhor das hipóteses, responderão a sua pergunta em 48 horas. Então, se você está para começar um tratamento homeopático, mesmo que seja questão de vida ou morte, terá de esperar para que a Colgate se agilize.


Ao fim e ao cabo, no melhor dos mundos, você descobrirá que só não tem mesmo menta nos produtos infantis de higiene bucal, e olhe lá, só estão livres dela os tutti-frutti, porque os de sabor uva, estão batizados! Argh! Até nem sei como não apareceu por aí um espertinho para arrancar um troco por indenização desse pessoal que não informa sobre a menta nas embalagens. Se fosse nos Estados Unidos, já tinha rolado processo… Quanto ao paciente em tratamento homeopático, está condenado sem dó nem piedade às pastas de dentes infantis sabor tutti-frutti. Uma amputação pior, muito pior, do que a interdição de acesso aos doces pelotenses…

Mais Fumaceira

24 de agosto de 2010 3

A paisagem que se descortina no trajeto entre Gramado a Terra de Areia é deslumbrante. Há várias micro-regiões. Tenho especial apreço pela região dos Campos de Cima da Serra. Entretanto, dessa vez, a visão que se tinha ao passar por ali era desoladora. Divisava-se da estrada grandes extensões de queimadas. Algumas haviam visivelmente começado junto à rodovia, reforçando a suspeita de que tiveram por origem baganas de cigarro lançadas por motoristas irresponsáveis. Mas alguns campos ardem numa extensão tão ampla que nos assalta a dúvida sobre a intencionalidade da queimada. O povo da região de fato confirma que alguns vizinhos atiçam fogo nos campos, com a intenção de renovar a pastagem, gretada pela seca e amarelecida pelo gelo do inverno. Isto, apesar das placas à beira da rodovia sinalizando serem as queimadas crime passível de punição.


As conseqüências dessa ação não poderiam ser mais danosas. Parei no Café Tainhas, onde se encontra sempre um café honesto e um delicioso pastel de carne. A fumaça era tanta que os olhos ardiam. São, portanto, inegáveis os prejuízos para a saúde humana. As atendentes contaram-me terem chamado os bombeiros num outro dia, pois o fogo ameaçava as propriedades do entorno. Isto, sem mencionar a fauna e a flora que são prejudicadas com as queimadas, que ainda contribuem para piorar o aquecimento global. A região está coalhada de reservas florestais! Finalmente, cidades circunvizinhas são atingidas pela sufocante fumaceira, incluídos aí destinos turísticos como São Francisco, Canela e Gramado.


É lamentável. Não entendo como é que a comunidade da região consegue conviver com vizinhos canalhas que incendeiam propositalmente os campos. Onde estão as autoridades policiais, administrativas e judiciárias, que nada fazem? Basta enjaular um ou dois desses bestas-feras incendiários que o resto da turma se acomoda. Acho que as Prefeituras de cidades como Gramado e Canela deveriam exigir indenização do povo de São Francisco de Paula e Cambará do Sul. Afinal, o lixo tóxico produzido por alguns daqueles cidadãos, com a cumplicidade silente dos demais, está prejudicando a saúde e a economia de seus habitantes. Sim, claro, quem é que vai querer ir para um destino turístico engolido pela fumaceira? Para ter problemas respiratórios, sair com os olhos irritados e com o corpo fedendo a fumaça?


Ouvi dizer que a fumaceira está chegando à região Metropolitana. Em Porto Alegre, falou-se que a causa da chuva ácida cor-de-laranja que caiu dia desses residia nas queimadas no Centro do País. Pode ser… Mas o fato é que há cidadãos gaúchos, criminosos, colaborando para produzir esse flagelo. É uma vergonha para um estado que se pretende civilizado e ilustrado.


Está na hora de uma ação mais efetiva contra os criminosos dos Campos de Cima da Serra.