Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de setembro 2010

Clássico

22 de setembro de 2010 2

Será um grande jogo, o desta noite.
Grêmio e Flamengo são times que honram o futebol brasileiro, pela grandeza de ambos, por suas torcidas, por seus enfrentamentos muitas vezes decisivos.
Não será diferente hoje. A partida tem caráter decisivo. As duas equipes vêm de vitória, mas lutam para afastarem-se da linha de rebaixamento, grande pesadelo para grandes clubes.
Silas volta ao Olímpico, de onde saiu depois de um primeiro semestre de muita qualidade, mas caindo no segundo e perdendo jogos e o domínio do grupo. No Flamengo, recém agora começa a ganhar. É bom treinador, mas precisa amadurecer.
Renato fez a grande vitória contra o Avaí, e agora precisa de sequência de resultados jogando na frente de sua torcida.
Um clássico interessantíssimo. Vale a pena ver.

Título

Para continuar perseguindo o título só a vitória interessa ao Internacional.
Os dois últimos jogos com vitória reconduziram o time à perseguição. Por saber desta possibilidade Celso Roth coloca força máxima em campo. Se tiver que poupar jogadores será por risco de lesão.
Carpegiani faz grande campanha com o Atlético Paranaense, mas o Inter é muito mais time e pode ganhar. Depois, tem o grande jogo de domingo, contra o Corinthians.

Mobilização

Foi muito bonito ver nos jornais e nas televisões a mobilização da torcida do Grêmio na festa de 20 de setembro.
Um grande clube se faz assim, a partir de uma grande torcida que sabe entender os passos da instituição. O Grêmio prepara o grande salto de qualidade. Faz uma parceria porque esta é a forma moderna de se tocar os negócios. Na parceria, o Olímpico só será entregue quando as chaves da Arena estiverem nas mãos dos dirigentes gremistas.
E a torcida terá uma casa moderna, bonita e pronta para os grandes jogos do time.

Você sabia?

* Que o Grêmio tem 14 jogadores pendurados com dois cartões amarelos, e nove deles entram em campo esta noite?
* Que o presidente Luiz Belluzzo, do Palmeiras foi submetido a um cateterismo cardíaco e passa bem?
* Que o Vasco da Gama não quer liberar o Estádio de São Januário para o Fluminense enfrentar o Avaí no dia 29?
* Que a capacidade do Maracanã ficará menor com a reforma, que dará cobertura total ao estádio?

Comentário do Pedro Ernesto no Esportes ao Meio-Dia

21 de setembro de 2010 0

Não conseguiu escutar o comentário do Pedro Ernesto no Esportes ao Meio-Dia?

Clique aqui!

Comentário do Pedro Ernesto no Gaúcha Atualidade

21 de setembro de 2010 0

Quer escutar o comentário do Pedro Ernesto no Gaúcha Atualidade?

Clique aqui!

Arena

21 de setembro de 2010 12

Foi uma grande festa. Milhares de gremistas presentes, com carreata e autoridades.

Tudo do tamanho do Grêmio, que prepara a nova casa. A partir de hoje, as máquinas de estaqueamento estarão furando o solo e consolidando as estruturas onde, mais adiante, virão as paredes e as vigas da grande Arena.

Deve ser um salto de qualidade para o clube. Um novo estádio, uma nova motivação. A história mostra que aquele clube que tem a melhor casa acaba saindo na frente no futebol.

O Grêmio busca um lar novo para poder rivalizar com o Inter, que prepara o Gigante para Sempre, a grande reforma que vai deixar o estádio colorado pronto para receber jogos importantes da Copa do Mundo.

O futebol gaúcho vai mudar para melhor.

Felipão

Mais uma derrota, mais um vexame, mais uma lição de como não se deve ser quando se perde um jogo. Felipão foi expulso por ofender o árbitro. Custou para sair do gramado. Suas atividades têm sido muito mais de xingamentos do que de orientações para os jogadores.

O Palmeiras entrou numa fria ao contratar um treinador milionário e decadente. Paga uma fortuna para ter um profissional que só dá vexame e em nada ajuda o time no Campeonato Brasileiro.

Renan

O jovem goleiro colorado já prepara sua volta para o grande jogo de domingo, contra o Corinthians, no Beira Rio.

Antes, o Inter vai à Baixada, em Curitiba, e pretende buscar a vitória. Se conseguir, fica muito perto do Timão, com quem mede forças domingo, em seu estádio e com a torcida presente.

Vai ser uma semana para sacudir os corações colorados. O time fez seis pontos na semana que passou e quer repetir a dose na semana que entra.

Você sabia?

Que o prazo de construção da Arena é de 30 meses?

Que a Assembléia Legislativa vota hoje projeto que permite que Grêmio e Inter não paguem impostos estaduais na construção ou reforma dos seus estádios?

Que, no caso do Grêmio, é importante explicar que este imposto que não será pago venha para o clube e não para a empresa que vai construir o estádio?

Que Felipão está desesperado porque sabe que pode rebaixar seu time e pagar o mico do ano?

Vitória de campeão

20 de setembro de 2010 12

Um campeão se faz assim: ou joga muito, amassa o adversário e mete um monte de gols _ foi o caso da quarta feira, quando o Inter humilhou o São Paulo no Morumbi – ou joga mal e, mesmo assim, faz vitória.

Este foi o caso de ontem, no Beira-Rio, contra o Vasco da Gama. O time de Celso Roth jogou pouco, mas fez o escore. O goleiro Renan, que só jogou parte do primeiro tempo e saiu lesionado, foi a grande figura do jogo. Fez três ou quatro defesas maravilhosas enquanto esteve em campo e garantiu a vitória do Internacional.

Como não é possível jogar bem sempre, ganhar é fundamental quando a bola está curta. O Vasco foi um adversário competente e, mesmo com cinco reservas, deu muito trabalho ao Colorado. Uma vitória importante para quem quer ser campeão.

Recuperação

Depois do tropeço do meio da semana, o Grêmio fez o que um time que tem altos objetivos no campeonato tem que fazer: foi a Florianópolis e, lá na Ressacada, aplicou goleada implacável no time catarinense.

Jonas fez os gols e André Lima mostrou que é centroavante, fazendo a torcida esquecer um pouco de Borges. Uma vitória de grandeza do time de Renato Portaluppi. Agora que venha o Flamengo.

Roth

Mais uma vez, o treinador do Internacional se fez fundamental na vitória e na consequente conquista dos três pontos. Como no primeiro tempo o Vasco jogou muito mais, para a segunda etapa ele posicionou D’Alessandro pela esquerda. Por ali havia um buraco em função dos avanços constantes e competentes do lateral Fagner. Na primeira bola que recebeu, foi ao fundo e cruzou para Edu marcar o gol da vitória com entrada fulminante. Dá para ver, à distância, a importância do treinador colorado.

Você sabia?

- Que o Inter tirou a invencibilidade de mais de 20 jogos de PC Gusmão no Brasileirão?

- Que Luiz Felipe foi expulso mais uma vez pela arbitragem, por suas reclamações?

- Que, quando Felipão ganha, é porque ele é bom, e quando perde, é por causa da arbitragem, da CBF ou da imprensa?

- Que o congresso técnico da Federação Gaúcha de Futebol para o Gauchão será em Buenos Aires?

Leandro Damião em alta

18 de setembro de 2010 6

Leandro Damião é candidato à revelação do Campeonato Brasileiro. Claro que ele precisará manter a boa fase, marcando gols por mais algum tempo para se afirmar como tal, mas seu futebol já desperta curiosidade além das fronteiras do Rio Grande do Sul.
Damião revive o início do ano, quando se sobrepôs a Walter e, depois, num exagero da “Era Fossati”, foi arquivado – vítima de uma queda de rendimento absolutamente normal. A redenção veio pelo acaso e pelas mãos de Celso Roth na final da Libertadores.
Em São Paulo, na quarta-feira, passou por cima do fato de ser o único atacante, aproveitando muito bem a boa parceria dos meio-campistas. Encarando como gente grande o são-paulino Miranda, mostrou oportunismo e maturidade. Já começam a pipocar entre os colorados dúvidas quanto à volta de Alecsandro. Talvez não seja para tanto ainda, mas não há como negar que o jovem atacante já tem seus fãs e merecidamente é atração amanhã contra o Vasco.

Conhecidos

Mais uma vez Grêmio e Avaí se cruzam. É impressionante como em 2010 o noticiário dos dois se misturou, seja por quatro confrontos já realizados ou pela relação criada quando da passagem de Silas e os jogadores contatados pelo Grêmio junto ao clube catarinense.
Primeiro jogo após a lesão de Borges, André Lima terá a responsabilidade imensa de dar uma resposta no mínimo razoável para criar alguma tranqüilidade para Renato e para a torcida. Perder na Ressacada é proibido depois da derrota para o Palmeiras. Um ponto servirá, transferindo a obrigação para o jogo contra o Flamengo. E aí quem aparecerá diante do Tricolor? Ele, o eterno ex-Avaí, Silas.

Candidato

O Atlético-MG está desafiando os astros e parece louquinho para voltar à Segundona. O Galo está contrariando quem pensava que ele experimentaria uma recuperação semelhante à do Grêmio, suficiente pelo menos para afastar da zona de rebaixamento.
O time não assimilou a saída do Mineirão, os reforços _ e tem gente graúda como Diego Souza e Daniel Carvalho _ não desencantaram e Vanderlei Luxemburgo ainda procura soluções. Se diz em Minas que ele só não cai porque a multa é altíssima. Mesmo que vença no o Vitória, permanece no buraco mais uma rodada. Literalmente, está na encruzilhada.

Só dois
A triste dúvida gaúcha na série C será desfeita neste domingo. Juventude, Brasil e Caxias decidem quem desce um degrau, indo para a Quarta Divisão. A missão do Ju é a mais complicada, uma vez que precisa vencer o Criciúma em Santa Catarina.
E, no Centenário, se os outros gaúchos empatarem, classificarão dois catarinenses. Independente de quem caia, é bom repensar nosso futebol em competições nacionais. Na série B não há clube e na D ninguém se destacou. Por mais que se contrarie, o Estado voltou a ser refém da dupla Gre-Nal.

Zé Alberto Andrade (Interino)

Pepinão

17 de setembro de 2010 3

É imenso o problema do Grêmio com a perda de Borges. Os melhores momentos do time neste ano coincidiram com boas atuações e gols do atacante.
Verdade que Jonas marcou mais, mas sempre é bom lembrar que Borges ficou um tempão machucado – como ele se machuca – no Gauchão.

A substituição por André Lima não causa a mínima expectativa no torcedor que não nutre grande admiração pelo atacante. O garoto Bérgson tem muito mais cara de promessa do que de realidade e Róberson não é avante.

O abacaxi cai nas mãos de Renato, que conhece ataque e sabe o tamanho do estrago. O treinador já usou o esquema só com Jonas na frente, mas não titubeou em mudar quando viu que a receita não deu certo. Contatar nas divisões de baixo não é nenhuma promessa de solução, mas dolorosa obrigação.

Malcriado
René Simões não é do tipo de fazer escândalo ou querer aparecer. Suas opiniões sobre o jovem Neymar não são fruto de ranço ou preconceito. O alerta do treinador é a síntese do que já virou consenso.
O garoto do Santos é craque, mas não é uma boa pessoa. Não tem respeito por ninguém. Já xingou colegas, já foi inconveniente com seus seguidores na internet e agora se revolta contra o treinador. E no futuro? Nada. Sendo o espetacular jogador que é, vai fazer fortuna, não conhecerá limites para o comportamento e ainda vai achar muitos fãs numa sociedade em que bad boys viram ídolos.

Inacreditável
Vendo o Inter patrolar o São Paulo no Morumbi do jeito que fez, não tem como não se perguntar: “Como foi possível perder quatro pontos em casa para Atlético GO e Goiás?”.
Com os três conquistados ontem, o time poderia estar a um ponto dos líderes e com um jogo a menos do que o Fluminense. Está comprovado que a capacidade técnica colorada lhe dá condições de ainda sonhar com o título, desde que seja constante.
Aí é que está a dificuldade, pois há uma herança de desgaste físico da Libertadores e um paralelismo com a preparação para o Mundial no final do ano.
Ainda que Internacional e Santos queiram beliscar a ponta e tenham um jogo atrasado, a aproximação do Cruzeiro é a ameaça mais séria a Fluminense e Corinthians.
O time de Cuca evitou o trauma de sair do Mineirão e tem mostrado personalidade fora. O jogo dos líderes na quarta, no Engenhão, mostrou o time corinthiano mais encorpado que o Flu e comemorando a vitória como em decisão, lembrando que tem um jogo a menos.

Zé Alberto Andrade (Interino)

Isolado

16 de setembro de 2010 2

Leandro Damião experimenta dias já vividos por Alecsandro no ataque colorado. A opção de Celso Roth de deixá-lo hoje como único atacante no time cria uma solidão que já atrapalhou em outros tempos o artilheiro que está machucado. D’Alessandro e Giuliano não têm o cacoete da permanente chegada com o avante para finalização. Eles até fazem gols – alguns muito importantes – mas sempre serão meias. A velocidade de contra-ataque também fica prejudicada. Sem outro jogador ofensivo, as idas de Tinga à frente deixam de ser surpresa e se tornam obrigação, fácil de o adversário prever. Em casa, contra o lanterna Goiás, faltou contundência.

Queda

O Brasil caiu para quarto lugar no ranking da Fifa. À nossa frente, as três primeiras colocadas na última Copa do Mundo. Será muito difícil recuperar a ponta antes de 2014, uma vez que os europeus já estão envolvidos com sua competição continental e enfrentarão as Eliminatórias para o Mundial. À seleção de Mano Menezes restará buscar pontos na Copa América e em amistosos. Para isso, porém, tem de jogar, e contra gente grande. Não adianta ganhar de baba só para faturar grana e não correr riscos de derrota. Ah! E tem de ganhar a Copa em casa, claro.

Souza

Desde que voltou a jogar, o meia Souza tem mostrado 100% de empenho, mas um  percentual muito baixo no que se refere à qualidade técnica. É muita movimentação para  pouca produtividade. E o pior é que agora ele já não tem mais a desculpa de ter ficado fora muito tempo, pois já adquiriu uma sequência de jogos. Espera-se que, contra o Avaí, Souza continue a demonstrar sua fibra costumeira e pelo menos mais um pouco do futebol que sempre o caracterizou e que a torcida está acostumada a ver.

Felipão

No duelo dos ídolos gremistas, Luiz Felipe Scolari amarrou Renato Portaluppi. Do jeito que ele gosta, o experiente técnico compactou a meia-cancha do Palmeiras e contou com a eficiente jogada de contra-ataque, uma das especialidades de seus times. O Verdão teve mais estratégia, ontem. Já houve situações piores para o Grêmio, mas a derrota adia a afirmação que estava desenhada após a vitória sobre o Corinthians.


Zé Alberto Andrade (Interino)

Risco

15 de setembro de 2010 6

O Grêmio não errou ao dispensar Rodrigo. Seus atos de indisciplina não se limitavam ao suco jogado no chão pela falta de refrigerante na refeição.
Houve a garrafa jogada em Jonas, insubordinação ao comando do treinador e declarações responsabilizando colegas por falhas na equipe. A situação era insustentável. Isto, porém, não retira dele a qualidade. Foi, disparado, o melhor zagueiro gremista neste ano: estabilizou o setor e ainda apareceu fazendo gols.
O Inter surpreende ao anunciar sua contratação. Fernando Carvalho nunca negou admiração pelo jogador, mesmo quando estava no rival, e agora assume o desafio. Cabe ao dirigente avaliar o risco de contratar e administrar alguém que pode ser beneficiado pelo ambiente novo e se limitar a mostrar o que tem de bom, o futebol. O grupo colorado tem vaga para ele.

Prejuízo

A simples cogitação da saída de Bolívar, mesmo com a contratação de Rodrigo, é motivo para deixar os colorados de cabelo em pé. Tecnicamente, ele é o melhor do Beira-Rio, e sua liderança foi fundamental no título da América. Teve a estrela dos vencedores ao fazer o gol decisivo contra o Chivas, no México, e representará um desfalque muito maior do que ele mesmo foi em 2006, quando não jogou o Mundial, mas teve Índio e Fabiano Eller em momentos excelentes para substituí-lo.
Menos mal que o jogador tratou de garantir a permanência, vencendo A tentação do mundo árabe. Ficando, são muitos pontos a mais para o libertador da América.

Níver

Os 107 anos do Grêmio ganharam uma comemoração de alto nível com a presença do Palmeiras de Felipão.
De um lado, o maior jogador. De outro, o grande treinador da história gremista. Há, ainda, a volta de Rochemback, apesar de Ferdinando ter dado conta do recado – e como – contra o Corinthians. Há Douglas, voltando a ser o grande condutor do time. Há Jonas, em busca da artilharia, Victor em grande fase e a segura distância da nefasta zona do rebaixamento.
Bons motivos como os gremistas não tinham havia muito tempo para ir ao Olímpico. Vale muito o esforço do torcedor em comparecer no horário, cedinho, às 19h30min.

Maduro

O volante Adílson não é o jogador de maior evidência do Grêmio, mas é reconhecido pelo torcedor como exemplo de dedicação com grande qualidade no meio-campo. O alemão não se entrega nunca, tem velocidade, bom desarme e iniciativa na saída de jogo. Se tivesse um pouco mais de chegada na frente e vocação para o arremate, provavelmente nem estaria mais no Olímpico.
Depois de ser apontado como sucessor de Lucas, ele demorou, mas está afirmado, seguro e com personalidade. É peça fundamental no time pra frente de Renato.

Zé Alberto Andrade (Interino)

Renascer

14 de setembro de 2010 4

Edu fez um desabafo ontem e, em alto nível, revelou mágoas internas e externas relativas à sua condição no Beira-Rio.

Tem todo o direito, especialmente pela postura elevada ao fazer as queixas. O problema, porém, é que até agora ele não se apresentou de fato para os colorados. Tecnicamente, está devendo. Poucos têm da diretoria ou mesmo de comissões técnicas a paciência demonstrada com o atacante. Já se falou na adaptação, no longo tempo parado, em lesões, tudo foi lembrado para justificar suas dificuldades.

Agora é Celso Roth que dá um crédito inesperado. Quem sabe, neste Inter bicampeão da América, no qual tudo parece funcionar, apareça, finalmente, o reforço que há um ano se esperava.

Estranho

Existe alguma coisa errada envolvendo o meia-atacante Marquinhos. Fernando Carvalho apontou-o como possível trunfo para o Mundial e ele é o que de mais parecido o elenco tem em relação a Taison, mas não foi opção após a saída deste, nem quando Sobis se machucou.

Contra o Cruzeiro, Celso Roth colocou-o durante o jogo e depois sacou-o. Ao final da partida, o técnico encaminhou sua escalação contra o Goiás, mas ele não começou o jogo e ficou atrás inclusive do menino Sasha. Agora, até Edu ressurge como alternativa. É, no mínimo, curioso.

Símbolo

A matemática ainda ordena cautela, mas o Grêmio mostra uma curva ascendente no Brasileirão e está se despedindo do pânico de ficar contando pontos para não entrar na zona do rebaixamento.
O time de Renato ainda não tem um padrão de jogo definido, mas já mostra reabilitadas virtudes que haviam sido mostradas ainda nos tempos de Silas.

A recuperação técnica de Douglas é a marca. Ele jogando bem, o Grêmio joga bem. Foi assim desde o Gauchão. Azar do antigo técnico que o jogador perdeu o embalo. Mérito do novo que o fez recuperar, pelo menos por enquanto.

Alerta

Luiz Felipe volta ao Olímpico. Uma baita atração para a noite desta quarta, aniversário gremista.
Certamente exigirá cuidados redobrados de Renato. Ele sabe que o jogo tem jeito daqueles de que Felipão sempre gostou.

O Grêmio aparece com um embalo que ainda não teve no Brasileirão, e o Palmeiras vem numa situação até de já falar em 2011, meio desistente. Alguém acredita? Claro que não. O Verdão entrará em campo como o Grêmio daqueles anos 90, com a falsa humildade de quem tem a faca entre os dentes, pronto para jogar o bolo na cara do aniversariante.

Zé Alberto Andrade (Interino)