Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Superclássico

03 de outubro de 2012 1

O nome é pomposo, o histórico das seleções sugere, mas a realidade conspira contra tudo. Brasil e Argentina vão jogar numa quase desconhecida cidade do vizinho país, onde não há bons hotéis e o estádio só tem capacidade para 25 mil pessoas. As duas delegações estão hospedadas no mesmo hotel. É quase várzea. O grande clássico, que já foi um dos maiores do mundo, merece mais. Nada contra as pequenas comunidades, que adoram receber grandes eventos. Mas quem mora em pequena cidade vai até o local do jogo se tem interesse.

Brasil e Argentina precisam de um cenário muito maior, mais amplo. Fora disso é desvalorizar um dos maiores jogos de futebol do mundo. Tomara que, pelo menos, os jogadores saibam dar a este Superclássico a dignidade que ele merece e que não é entendida pelos promotores.

Reforços

Há equilíbrio de pensamento entre as chapas na eleição do Grêmio. Vanderlei Luxemburgo é aceito por todos. Para o time, divulguei dias atrás, Paulo Odone quer contratar quatro reforços. Na segunda feira, na Confraria, Romildo Bolzan, da chapa de Fábio Koff, disse o mesmo. São quatro ou cinco grande reforços pontuais para que o Grêmio entre forte em 2013.

Depois, Alexandre Bugin, representando a chapa de Homero Bellini, teve discurso que levou para esse lado. Isso é positivo para o clube porque não quebra o que de bom existe.

Lateral

Fernandão tem uma batata quente nas mãos. Kleber está recuperado de uma segunda lesão muscular. Na primeira, ele tentou voltar e logo sentiu. Enquanto isso, o reserva Fabrício tomou seu lugar e teve um desempenho muito aceitável.

Só que Kleber tem prestígio, tem passado marcado por passagens pela Seleção Brasileira e busca voltar ao time. Em Varginha, contra o Cruzeiro, Kleber ficou no banco de reservas. No sábado, contra o Santos, na Vila Belmiro, não se sabe quem jogará. Um decisão difícil para o técnico.

Você sabia?

* Que o centroavante Fred reclamou do seu automóvel, que custa R$ 500 mil, e acabou debochado por muita gente?

* Que Gilson Kleina escalou time misto para pegar o Millonarios, de Bogotá, ontem, pela Sul-Americana?

* Que o técnico do Palmeiras sabe que o importante é tirar o time da zona de rebaixamento, já que está garantido na Libertadores na próxima temporada?

Comentários (1)

  • Ricardo Ganso diz: 3 de outubro de 2012

    Pedro, este tal de Kleber já foi bananeira que deu cacho… Não joga duas partidas e volta para o departamento médico. Este daí vive na zona do desconforto muscular. Não quer mais jogar para o Inter. E o pior é que não tem time que pague o que ganha, no Brasil. Por isso não sai e fica no estaleiro, recebendo mais de 200 mil por mês… E o Bolívar, já recuperou a forma técnica e física? Avisa ele que o campeonato está terminando…

Envie seu Comentário