Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Jogo do século

29 de junho de 2013 2

A Espanha será campeã de tudo se conseguir o título da Copa das Confederações. O Brasil, com seus cinco títulos mundiais, é a mais respeitada de todas as seleções do mundo. Se fosse amistoso, já seria um acontecimento. Mas é mais do que isso: é decisão de taça com selo da Fifa. Um charme futebolístico para ser acompanhado no mundo inteiro. Com Neymar e Iniesta disputando beleza em um grande clássico do futebol mundial, no maior dos seus palcos.

Destaques

A quase totalidade dos gols marcados pelo Brasil tem uma constante: foram feitos por Neymar ou tiveram participação direta dele. Em um segundo plano, tem Paulinho, que segundo Luiz Felipe Scolari, é o volante do qual a imprensa gosta, se referindo à sua capacidade de marcar gols. São os grandes destaques brasileiros nesta competição.

Espanha

Iniesta e Xavi formam uma dupla de meio-campo que não existe parecida no mundo. Mas a Espanha tem Piqué, o namorado da cantora colombiana Shakira, que defende e ataca muito bem. Contra a Itália, ele teve três oportunidades. Os atacantes espanhóis é que são menores do que o time.

Diferenças

Os espanhóis jogaram na quinta. O Brasil, no dia anterior. A Espanha teve prorrogação e pênaltis. O Brasil ganhou nos 90 minutos. A viagem brasileira, de Belo Horizonte até o Rio, foi muito menor que a dos espanhóis, que saíram de Fortaleza. Nossa Seleção teve um dia para descansar. São diferenças que dão grande vantagem ao Brasil.

Terceiro lugar

Seis horas antes da final, Itália e Uruguai disputam o glorioso terceiro lugar. As duas seleções se equiparam. Estão envelhecidas. Mas, cada uma a seu modo, têm seu valor.

A Celeste mais pela garra e pelo talento dos seus atacantes, e a Azzurra, pelo seu conhecido poder defensivo. Vai ser outro grande jogo.

Fifa

Apesar dos protestos, das manifestações e do vandalismo condenável, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, classifica esta como a melhor do todas as Copas das Confederações.

A media de público ultrapassou 50 mil pagantes por jogo. Do ponto de vista técnico, também foi uma grande competição, cheia de grandes jogos.

É demaaais!

Serão 11 mil agentes de segurança nesta decisão. O futebol brasileiro nunca viu nada igual. A Fifa e o Col, o Comitê Organizador Local, temem as manifestações. Querem um jogo final sem dificuldades no ambiente. Será um agente para cada seis espectadores.

Comentários (2)

  • LAERT diz: 30 de junho de 2013

    Você tem razão. Porque demitiram Luxemburgo exatamente quando ele disputava a única modalidade de campeonato em que ele realmente se deu bem na carreira?
    E porque não foi demitido antes? A explicação é simples: todos os dirigentes e conselheiros acham que sabem mais que um treinador de futebol. E não só eles, mas também os tais comntaristas esportivos que se tornaram especialistas em por lenha na fogueira. A imprensa esportiva sempre tem as soluções mágicas para os times de futebol. Só que, quando um jornalistas esportivo se aventura a ser técnico e põe suas teorias em prática, sempre ocorre um fracasso. Temos vários exemplos disso e o mais recente foi o do ex-comentarista da Globo, o Falcão. O Falcão quando era comentarista esportivo tinha todo as soluções técnicas para os times brasileiros, mas quando assumiu a carreira de treinador no internacional, demonstrou apenas que criticar é fácil e muito cômodo, mas fazer é muito mais difícil. Os comentaristas gaúchos desmoralizaram o Tite, com o episódio das “ovelhinhas do Tite” e ele acabou indo para o Corinthians e ganhando tudo lá, inclusive o campeonato mundial. O Abelão foi mandando embora e se tornou campeão brasileiro, assim como, o Mano Menezes. Mas a culpa não é só da imprensa. Deve ser creditada também aos dirigentes e a parte da torcida, que sempre vai na onda criada pelos mesmos jornalistas e dirigentes que se perpetuam nos cargos. Jornalista e dirigente nunca é demitido quando faz uma reportagem medíocre, porque o corporativismo os protege. Então podem criticar à vontade do trabalho dos outros. Dirigente de clube também não pede demissão quando o clube que dirige, faz má campanha. Tudo recai em cima do treinador. Vários treinadores já cairam neste brasileiro, que mal começou e outros ainda serão demitidos, porque a imprensa esportiva, os dirigentes e a torcida de cada clube, exigem sempre que seu time seja o campeão mesmo sabendo que um campeonato brasileiro tem 20 times em condições de serem campeões. Como é impossível ter 20 campeões, então 19 treinadores, no mínimo, serão demitidos. Alex Fergunson ficou alguns anos sem ganhar nada no Manchester United, mas depois montouu um projeto ganhador e tornou o clube um dos maiores ganhadores de títulos da história mundial.
    Isso jamais acontecerá no Brasil, onde todo mundo se acha técnico. Um exemplo de interferência de jornalistas nos clubes é o caso do renomado Sr. Paulo Santana, que indicou Dida, como exímio pegador de penalis e Barcos, como solução para o ataque gremista. Dida não pegou nenhum dos 17 penaltis e o Barcos não se tornou artilheiro. Isso é culpa do treinador, que nem siquér pediu esses jogadores? Luxemburgo foi embora e o Sr. Paulo Santana só vai esperar o outro treinador chegar para renovar o seu arsenal de críticas. É assim que funciona.

  • Jefferson Luis Trindade de Moura diz: 30 de junho de 2013

    Nao sou leitor do seu blog, mas escuto diariamente o sala de redação, onde por varias vezes te ouvi chamando o Felipão de treinador decadente. Chegou a fezer histórico sobre os ultimos trabalhos, porém sem levar em conta as peculiaridades dos times ..PERGUNTO: AINDA ACHA QUE O FELIPÃO É DECADENTE? NAO ACHA QUE SERIA PROPICIO PEDIR DESCULPA PELA AVALIAÇÃO EQUIVOCADA E COM A MESMA ÊNFASE QUE DEU A CRÍTICA?

Envie seu Comentário