Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Erro grave pode rebaixar Portuguesa e salvar Fluminense

12 de dezembro de 2013 7

O que aconteceu com a Portuguesa é de cabo de esquadra. Por um problema de comunicação, o time perderá quatro pontos e será rebaixado para a Série B. Reabilitará o Fluminense, 17º colocado e que, assim, voltará para a Série A. O erro é tão primário que chega a ser inacreditável. O clube, segundo o que consta, teria um advogado no julgamento.

Ou seja, estava por dentro dos acontecimentos que rolavam no STJD. O jogador Héverton foi punido com dois jogos. Ele já tinha cumprido a automática e deveria cumprir o segundo jogo contra o Grêmio. Não tendo sido informado, o técnico Guto Ferreira o colocou em campo a 14 minutos do fim da partida. Erro grave, que deve ter sido de comunicação e custará muito caro para o simpático clube paulista. Eu nunca tinha assistido a um erro tão primário.

Reposição

A anunciada venda de Leandro Damião para um grupo de investidores não implica, necessariamente, reposição. O Inter tem o argentino Ignacio Scocco, eleito neste ano o melhor jogador da última Libertadores. Ele não conseguiu jogar por aqui. Ou por lesão, ou pela presença de Damião, que o colocava na reserva.

As necessidades do Inter estão em outros setores. Faltam laterais para os dois lados, zagueiros, volantes e um atacante pelo lado. O dinheiro da venda do seu centroavante pode ser usado para essas contratações.

Grupos

É hoje o sorteio dos grupos da Libertadores. O Grêmio não é cabeça de chave, mas isso não altera muito suas chances de avançar para as oitavas de final. A primeira fase é política, com 32 clubes, a maioria sem condições técnicas de enfrentar o Grêmio. Depois, a partir das oitavas de final, é que a cobra fumará.

Foi nessa fase que o Grêmio foi eliminado neste ano pelo modesto Santa Fe, time de segunda linha da Colômbia. Koff quer fazer um bom time gastando pouco. Em outros tempos, conseguiu. Basta repetir agora.

É demaaaais!

Longe de ter o movimento ideal, as obras da Copa vivem um ritmo muito melhor. Claro que os obstáculos seguem grandes, como um sitio arqueológico na Voluntários da Pátria. Vejo que os BRTs estão em bom ritmo. O viaduto da Bento está com suas estacas quase prontas. O da Rodoviária andando com certa rapidez. Torço para que o ritmo de outras obras aumentem.

Comentários (7)

  • Jesus diz: 12 de dezembro de 2013

    Estão falando no Roth para novo Técnico do Grêmio!
    Por favor, informem que se trata apenas de especulação e isenta de qualquer fonte segura e crível… Não para o Grêmio.

    Nesse caso, temos um grupo de técnicos livres no mercado e com título mundial de bagagem: Opção 1. Valdir Espinosa, acaba de revelar sua intenção de voltar ao mercado da bola – Salário alto? Acho que não e mesmo tendo estado um tempo parado, aposto nele no lugar do Roth, que já sei onde vai dar; Opção 2. PC Carpegiani, está precisando de um desafio onde haja um planejamento mínimo. Entende de futebol, e, com o Koff, o planejamento para 2014 aparenta que será uma realidade.

    Sem títulos expressivos e candidatos de aposta: Lisca com história recente no Juventude e no interior do estado; Gilmar Dall Pozzo do Chapecoense (grande figura), seu empresário já declarou que a multa é baixa e ele poderá ser liberado com o aval do Presidente de seu atual clube caso venha a ocorrer o pedido; Cristóvão recém liberado pelo Bahia, fez bom trabalho no vasco e impediu o rebaixamento de seu time no brasileirão. Guto Ferreira da Portuguesa, não se enganem é uma boa aposta e Enderson Moreira do Goiás, mesmo tendo perdido fôlego na última partida do campeonato é um mineiro que sabe muito.

    Existem outras opções, ganhando verdadeiras fortunas e sem ganhar nada expressivo na atualidade. Exemplo? Luxemburgo, Dorival Júnior, Roth (LA de 4 partidas), e tantos outros. Fujam desses, não vai dar em nada!

    Meu nome e sei que muitos vão concordar: O Lisca, o Valdir Espinosa (vejam seus vídeos sobre tática – Grêmio 83, Fantástico) e o Gilmar da Chapecoense, inclusive já informado por seu empresário que já possui o aval do Presidente da Chapecoense caso surge outra Proposta para ele sair. Esses entendem do riscado, não são assombrados e farão times competitivos.

  • Uirassu diz: 12 de dezembro de 2013

    Bom dia Pedro.

    Torço também que as obras da Copa avance e rápido para não ficar uma imagem ruim para Porto Alegre. Agora como acreditar nisso se a prefeitura não conseguiu arrumar o buraco que se abriu na Julio de Castilhos ontem e causou um grande trastorno para o centro da cidade. Acredito que a prefeitura deveria ter tratado desse assunto com o máximo de urgência, trabalho a madrugada toda se fosse o caso, mas que hoje não tivesse mais o buraco lá. E o pior é que escutei na rádio hoje, umas 8:30, que não tinha ninguém trabalhando ali ainda. Apenas tinha a EPTC desviando o trânsito.

  • CHRIS diz: 12 de dezembro de 2013

    Só um aviso: tem gente falando que é pouco 13 milhões de euros. Mas por quanto seriam vendidos hoje o Barcus furado e o Kléber bundiador juntos? Minha opinião: nem metade disso. Então vão…..

  • LAERT diz: 12 de dezembro de 2013

    Sabe o que mais me impressiona, Sr. Pedro Ernesto.

    É fato de que uma grande parte de torcedores gremistas, com opiniões próprias ou manipulados pela mídia, acredita que se desmontando o time, trocando o treinador, modificando o esquema e elegendo novos jogadores para determinadas posições, será possível ganhar um campeonato tão difícil como é a Libertadores da América.

    A Libertadores por ser um torneio mata-mata, além de time forte é preciso uma boa dose de sorte, como foi o caso recente do Atlético Mineiro que, em algumas partidas, teve a ajuda de todos os santos.

    Então tem torcedor que acredita no milagre de se desmontar uma empresa que estava funcionando, trocar seu presidente e seus empregados e aumentará a produtividade em apenas 2 meses?

    Não é toda hora que um time se classifica para disputar uma Libertadores.
    O título da Libertadores traz inúmeros benefícios para o clube que consegue ganhá-la.

    Então o lógico seria que um clube como o Grêmio, ao conseguir essa oportunidade, fizesse todo o possível para alcançar esse título.

    Mas o que temos visto pela imprensa devidamente apoiada pela opinião de alguns que se julgam muitos entendidos na área futebolística, é a ordem de desmontagem do que deu certo, pela troca por algo novo a ser formado e que deva funcionar em apenas 2 meses, a todo vapor.

    A questão não é apoiar o treinador ou o jogador A ou B. A questão é lógica.

    Só um treinador mágico, com jogadores mágicos, conseguirá montar uma equipe que faça frente a todas as outras que já estão formadas há muito tempo, como Cruzeiro, Botafogo, Atlético Paranaense, Atlético Mineiro e outros estrangeiros, cuja base é mantida há anos. Fazer isso em 2 meses, sendo um de férias, seria magia pura.

    Desmontar a fábrica, trocar os empregados e demitir o presidente, representará sem dúvida, Grêmio fora da Libertadores, ou na fase inicial ou mais adiante.

    Ou será que é melhor reforçar o time quando estiver disputando o fantástico título do campeonato gaúcho?

    Então é isso aí, torcedor gremista, exija que todos os que conseguiram chegar ao segundo lugar no Brasileiro, sejam mandados embora e apoiem a desmontagem do time. Depois tenham também a cara de pau para exigir também aos novos indicados, o título da Libertadores.

    Continuem dizendo que foi apenas “sorte” a classificação direta para a Libertadores e que, “com esse time aí” não ganharemos de ninguém.

    Só com aquele time indicado pelos torcedores e pela mídia, como por exemplo, fez aquele rival do estado ao contratar Forlan, Sccoco, manter Leandro Damião e outras figuras difíceis, jogando bonito e colocando o time na incrível e fantástica colocação de 15(décimo quinto) no Brasileirão.

  • Jonas diz: 12 de dezembro de 2013

    Pedro, sou teu fã!!!

    Na minha opinião achou que tem esquema nessa situação da Portuguesa. Foi tudo muito bem tramado e articulado. Não acredito em erro!!!!
    Como tu mesmo falou, um erro muito primário. Fica difícil de acreditar.

    Abraço,

  • emerson diz: 13 de dezembro de 2013

    olha o que foi publicado no site uol…..
    Em 2010, procurador do STJD pediu “moralidade” para manter título do FluComentários 20juliogomes
    13/12/2013 00:50
    O discurso feroz de Paulo Schmitt, procurador-geral do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), tem chamado a atenção. “Não vejo escapatória para a Portuguesa. Seria a falência do STJD”, bradou o procurador, antes mesmo de a denúncia chegar ao tribunal, antes mesmo de o clube apresentar sua defesa.

    Mas, em 2010, não foi assim.

    O STJD, na época, absolveu um jogador do Duque de Caxias, da Série B. Havia levado cartão amarelo por um clube, outros dois por outro, mas só cumpriu suspensão após levar os três com a camisa do Duque. Se a mesma regra fosse aplicada ao Fluminense, que havia vivido situação semelhante com o jogador Tartá, na Série A, o clube carioca poderia perder pontos por escalar o atleta de forma irregular. Com isso, perderia o título conquistado no campo em 2010.

    Não importa o imbroglio jurídico. Estamos falando sobre o posicionamento do procurador-geral.

    Vejam o que falou Paulo Schmitt naquela ocasião, ao Sportv: “Não acredito que haja condição moral, disciplinar, até (de tirar os pontos do Fluminense). Pode ter (condição) técnica. Técnica, jurídica, com base em uma jurisprudência. Mas moralidade… rediscutir o título que foi conquistado no campo de jogo, da forma como foi, agora (ao final do campeonato), abrindo um precedente… Essa decisão poderia ser em algum momento revista, mas isso seria um caos.”

    O vídeo está abaixo.

    STJD absolveu escalação de atleta irregular em 2010

    Muito bem. Em 2010, portanto, levar a lei a ferro e fogo, de acordo com a jurisprudência criada pelo próprio STJD, acabaria tirando pontos e o título do Fluminense. Na época, Paulo Schmitt considerava uma falta de “moralidade” a “rediscussão do título conquistado no campo”.

    Em 2013, o procurador-geral não parece nem um pouco preocupado com o que aconteceu no campo. No campo, a Portuguesa se salvou do rebaixamento. E a escalação irregular de Heverton, em um jogo em que mesmo perdendo a Portuguesa estaria salva, não fez a menor diferença para isso. Em campo, o Fluminense caiu. Mas, para Schmitt, três anos foram suficientes para adotar postura inversa.

    Vamos o que disse Schmitt anteontem e ontem sobre o caso que pode rebaixar a Portuguesa e resgatar o Fluminense para a primeira divisão. : “Se clubes não puderem perder pontos quando culpados, passa a ideia de que se faz julgamento político, e não técnico. Se houver interesses clubísticos em julgamentos e as normas não forem aplicadas de acordo com o Direito, é a falência das nossas instituições.”

    “Essas expressões passam a ideia de canetada na calada da noite. Estamos falando em julgamento, processo. A lei é para todos, e não só para Flamengo (que também pode perder pontos, mas sem consequência para rebaixamento) ou Portuguesa. Se a legislação não for aplicada, é um desrespeito com dezenas de clubes e jogadores que cumprem suas obrigações nos campeonatos.”

    “Atletas são punidos desde os primeiros jogos, isso é critério técnico. Se os atletas não cumprem a punição, isso acaba impactando a isonomia, o tratamento igualitário para aqueles que estão na mesma condição jurídica. Tecnicamente, há uma irregularidade, não tenho dúvida nenhuma. Se você tem uma circunstância evidente sobre a perda de pontos e você vira as costas para isso, aí está assinada a falência de qualquer entidade que cuida dos devidos processos. Estamos todos trabalhando para que o futebol tenha moralidade.”

    Três anos atrás, o critério técnico deveria ser ignorado em nome da moralidade. A moralidade, para Paulo Schmitt, era que o resultado do campo NÃO fosse alterado.

    Hoje, o critério técnico não pode ser ignorado. A moralidade, agora, é outra coisa. É o próprio critério técnico. Ou seja, a moralidade de Schmitt, agora, é, SIM, alterar o resultado do campo.

    E aí, Paulo Schmitt? Quando valem critérios técnicos, afinal? E qual a moralidade que você prefere? Depende do clube envolvido? Perguntar não ofende.

    Atualização:

    Após a divulgação do vídeo, Schmitt se defendeu em sua página no Facebook. “Trata-se de uma fala descontextualizada, mais se assemelhando a algo montado ridículo”. Está claro que não há montagem alguma. E não há nada fora de contexto. Ninguém está julgando a condição correta ou incorreta de Tartá em 2010 mas, sim, a postura completamente diferente do procurador para um caso parecido com o de hoje.

    Em 2010, o STJD nem mesmo apresentou denúncia, para “preservar o resultado de campo”. Em 2013, mostra-se desesperado em busca de uma condenação que apaga o que foi feito em campo. A justificativa, na íntegra, está neste link. Dou meus parabéns para quem conseguir entender.

    Tags : Campeonato Brasileiro Fluminense Portuguesa STJD

  • JONAS HORBACH diz: 13 de dezembro de 2013

    Gostaria de manifestar aqui minha opinião sobre dois jogadores gremistas Pedro. Fico triste e muito chateado quando vejo torcedor nosso xingando, desferindo palavrões, ofendendo mesmo, nosso glorioso tricolor, e alguns jogadores em particular. Isso anos atrás era coisa de colorado. Temos que entender que estamos enfrentando momentos de dificuldades financeiras e que não é fácil montar um bom time com pouco dinheiro e portanto devemos apoiar os atletas que estão ai e que nos colocaram em mais uma libertadores o que não é pouco. Portanto gostaria de falar um pouco sobre o Barcos e o Kleber. Parece que o Barcos é o único culpado por todos esses anos que o Grêmio não ganhou nada, não há no Grêmio jogador mais dedicado que ele, embora tenha feito poucos gols e perdido outros tantos nas escassas oportunidades que o grêmio criava nas partidas, mais pelo sistema de jogo que o Renato adotava, era do pé dele que saia algum lance mais lúcido de nosso time. Sempre cumpriu taticamente o que o treinador determinava sem parecer se importar com as vais, defendia, armava e atacava, um pouco demais para um atleta só. Quando eu falo parecia não se importar com as vaias é só parecia porque isso prejudicou muito seu rendimento não há ser humano que não se importa, pode ser o melhor do mundo que baixa bastante seu rendimento, todos sabem que 50% do rendimento do atleta esta no seu psicológico. Eu fui jogador e jogava de centroavante e nunca esqueço de um treinador que tive, que me disse um dia, se você esta perdendo muitos gols não se preocupe porque uma hora a bola começa entrar, agora se nem gol você perde isso quer disser que nem atacante você é. Lembrem do meu tocaio o Jonas, muitas vezes foi mais criticado que Barcos, sendo chamado até de o pior atacante do mundo por quem depois se rendeu a seu futebol e pagou um bom dinheiro para contar com seus gols. Hoje temos saudades de Jonas assim como teremos do barcos algum dia, assim também como os colorados sentem do jô e certamente sentirão do Damião. Tem gente que chamam o Barcos de perna de pau, que tem que ir embora, deve ser os mesmos que pensam que o Mamute é craque. Pois eu digo, pode por uma perna de pau no pirata que joga muito mais que o Mamute. Também há (agora falando do Kleber ) quem diz que o Kleber é mais jogador que o Barcos, mais brigador, ora, respeito a opinião de todos mas não se luta futebol e sim se joga. E pra ele ( Kleber ) vale a frase aquela de meu treinador, se não faz gols e nem os esta perdendo…
    Gostaria Pedro que colocasse esse desabafo de um gremista de coração, pedindo paciência a nossa torcida e apoio a nosso time durante os jogos, depois se não houver resultados tem que cobrar, mas durante as competições temos que ser como os argentinos torcer para o que temos, vaia só vai atrapalhar mais, ainda mais em um ano que nossa direção já deu indício que praticamente não vai contratar ninguém então não podemos perder o que temos de melhor. Outra opinião minha, falando em centroavante, Lucas Coelho quando tiver uma oportunidade de de verdade, uma sequência, vai estourar. Esperem e verão que tenho razão.
    Sei que me prolonguei demais mas se o Sr puder me atender agradeço. É primeira vez que te escrevo mas leio todo dia sua coluna, sou muito seu fã.
    A propósito, o nome do treinador que falo é Renato Muller de Candelária.

Envie seu Comentário