Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Copa do Mundo: tudo que dependeu do Brasil não funcionou

16 de abril de 2014 3

O Brasil tem muita sorte e muito pouco juízo. Recebemos uma Copa do Mundo na qual estarão presentes todas as seleções campeãs mundiais e outras com bons times. Dá para prever a melhor copa de todos os tempos, do ponto de vista técnico.

O interesse das pessoas é tão grade que, colocados ingressos à venda pela internet, em pouco mais de duas horas estavam todos esgotados. Foi assim da primeira à última remessa, disponibilizada ontem. Teremos uma competição de 64 jogos e todos eles lotados de público. Sucesso absoluto.

O que não funciona é o Brasil. Os aeroportos  deverão se constituir no maior vexame brasileiro. Na África do Sul, eles são muito melhores. A mobilidade urbana, que serve para a Copa e fica como importante legado para nossas congestionadas cidades, acabou quase não acontecendo.

As estruturas temporárias só existem, até agora, em dois dos 12 estádios e, certamente, muita coisa não ficará pronta e cairemos na improvisação. Tivemos sete anos para tomar todas as providências e tem estádios, como da Arena Corinthians, que ainda estão em obras e com grandes chances de não ficarem prontos até o inicio dos jogos. Nesta Copa, tudo que dependeu do Brasil não funcionou.

Xingamentos
Torcedores invadem área restrita do Estádio Olímpico para xingar os jogadores. No domingo, ainda no Estádio Centenário, conselheiros do Grêmio foram agredidos por torcedores “inconformados com a derrota no Gre-Nal”.

Esses absurdos estão sendo importados do centro do país e ganhando corpo nos nossos estádios. Está na hora de as autoridades se darem conta de que isso é como câncer que acaba tendo metástase. Ou se corta na raiz ou, daqui a pouco, ninguém mais segura. Bandos de pseudos torcedores invadem espaços, xingam, agridem, e pouco acontece. Assim não pode continuar.

Cruzeiro
É noite de ver, com muita atenção, o jogo do Cruzeiro contra o Cerro Portenho. Não estou me antecipando, apenas entendendo que o Grêmio tem mais time do que o San Lorenzo e tem tudo para passar para as quartas de final, mesmo entendendo que o adversário é argentino e isto é um complicador para qualquer time. Aposto no Grêmio.

Mas logo ali, se der a lógica, tem o Cruzeiro, sabidamente o melhor time do Brasil. Mesmo tendo a decisão na Arena, contra o time mineiro, o favoritismo não é do Grêmio. O Cruzeiro tem mais bala na agulha. Melhor seria o Cerro passar.

Qualidade
Vejo poucos times com mais qualidade do que o Inter no Campeonato Brasileiro que começa neste final de semana. Isto não quer dizer que está tudo garantido, que o Inter vai chegar lá na frente. Tirando o Cruzeiro, talvez o Atlético Mineiro, na teoria não vejo nada melhor do que o Colorado.

O Inter é, pois, um dos candidatos para ganhar o Brasileiro. Isto não acontece desde o longínquo ano de 1979, quando o time com Falcão e companhia ganhou o título de forma invicta. Os torcedores ficariam muito felizes se a taça voltasse para o Beira-Rio.

Qual é o verdadeiro Grêmio?

15 de abril de 2014 37

Cabe perguntar: qual o verdadeiro Grêmio? Aquele da Libertadores, que entre 32 times da fase de grupos chegou em segundo lugar, venceu quatro e empato duas partidas, jogou nove pontos fora e ganhou sete, levou apenas um gol em seis jogos? Ou é aquele que levou seis gols em dois Gre-Nais, tendo feito apenas dois e levando chocolates do Inter?

Essa é uma questão que ficou sem resposta. Podemos avaliar o Grêmio pelos adversários. Na Libertadores, enfrentou o que se denominou como “Grupo da Morte”. Não eram adversários fáceis, e o time se saiu muito bem. Contra o Inter, enfrentou um time que mostrou ser superior. Mas a dose foi muito alta e dolorosa para os gremistas. O futuro poderá nos responder algo mais próximo. Vêm aí os jogos contra o San Lorenzo, e classificando, provavelmente venha o Cruzeiro. Nesse caso, será outro time brasileiro. Por enquanto, estou sem uma resposta definitiva.

Feridas

Cabe ao Grêmio lamber as feridas e tocar a vida para frente. Se fracassou no Gauchão e levou goleada do Inter, o mesmo não aconteceu na Libertadores. Faltam oito jogos para ser campeão. Penso que o Inter é muito mais time do que o San Lorenzo. Por isso, imagino o Grêmio como favorito para passar de fase. Nas quartas de final, virá Cruzeiro ou Cerro Porteño. Jogar contra os mineiros é muito complicado. Mas para ser campeão da América é preciso pular todos os obstáculos. Não vejo impedimento nisso. Mesmo reconhecendo que é um caminho espinhoso.

Aniversário

D’Alessandro completa hoje 33 anos. Ganhou como presente de aniversário o título gaúcho com sua decisiva participação. Ele é o grande craque do futebol gaúcho na atualidade. Além dele, o Inter achou outros três jogadores que a ele se somam e fazem o time ser competente. Quando D’Alessandro, Aránguiz, Alex e Alan Patrick começam a jogar, tocando bola, pobre do adversário. São muito habilidosos. Abel custou a achar essa formação. Foi no segundo tempo do Gre-Nal da Arena. Com ela, foram duas grandes vitórias sobre o Grêmio e o tetra gaúcho.

É demaaaaiiiss

Começa no final de semana o Brasileirão. O Grêmio vai até Florianópolis jogar contra o Atlético-PR. Será jogo com portões fechados pela punição aos paranaenses pela briga na última rodada de 2013. Não sei se o Grêmio jogará com time reserva. Se isso acontecer, acho um erro. Durante o Gauchão, os jogadores não foram poupados na maioria dos jogos. Por que seriam agora? O Inter joga em casa. Abel Braga deixa claro que deseja ir bem nessa competição. O colorado começa com toda a máquina.

Inter mostrou muita superioridade sobre o Grêmio

14 de abril de 2014 29

Em dois jogos, o Inter mostrou grande superioridade sobre o Grêmio. Mostrou que tem jogadores em melhor qualidade, principalmente, no meio de campo. Na Arena, foi no segundo tempo, no Centenário, também. O Grêmio mostrou garra na primeira etapa dos dois jogos, mas, quando precisou maior técnica, só deu Inter. Foram seis gols contra dois, números que justificam plenamente o título de tetracampeão.

Para o Grêmio, sobrou esforço, dignidade e profissionalismo. O Inter teve tudo isso, mas também teve D’Alessandro sendo um grande maestro, Alex recuperando o seu futebol, Rafael Moura fazendo gols ou dando assistências, Aránguiz mostrando que realmente é um grande jogador, e Alan Patrick compondo o quarteto de meio-campo. Poucas vezes, um título foi conquistado com tanta facilidade.

Futuro

Abel Braga ressaltou na sua entrevista coletiva que, nos dois últimos anos, o Inter se fez campeão gaúcho e acumulou fracassos logo adiante, na disputa do Campeonato Brasileiro. Ele quer mais. Muito mais. Tão logo terminada a festa da volta olímpica, ele reuniu seus jogadores no vestiário, deixando claro que o ano não terminou, que isto é apenas o começo. Abel tem claro que o Internacional precisa jogar muito mais do que nos anos anteriores e brigar pela Copa do Brasil e pelo Campeonato Brasileiro no futuro imediato.

Oposto

Será que alguém consegue me explicar como o Grêmio, que tem a melhor defesa da Copa Libertadores (tendo sofrido apenas um gol em seis jogos), levou seis gols em duas partidas contra o Internacional? Talvez, não se consiga explicar no primeiro momento, mas pode-se valorizar o feito colorado.

O Inter fez seis gols no Grêmio e poderia ter feito mais. Esse é mais um ponto de valorização do grande título conseguido pelo Internacional. Nas duas vezes em que enfrentou o Grêmio – o time que tem a segunda melhor campanha da Libertadores até aqui -, fez seis gols, jogou muito mais e justificou plenamente o título.

É demais!

Para os gremistas goleados impiedosamente, resta o consolo da Libertadores. Tem uma semana para descansar. Estreia no Brasileirão no fim de semana, e, dia 23, joga contra o San Lorenzo, na Argentina. Antes, acompanha Cruzeiro e Cerro Porteño, na próxima quarta, no Mineirão. Se passar pelo San Lorenzo, um deles enfrentará o Grêmio. Na Libertadores, o Tricolor vai muito bem, diferente do fracasso nas finais do Gauchão.

Grande decisão: a vantagem é toda do Internacional

12 de abril de 2014 19

Claro que seria melhor se o Gre-Nal fosse no Beira-Rio. Até o Grêmio queria que fosse, o que é estranho porque o Centenário nivela o fator local. Mas, ainda assim, temos uma grande decisão pela frente. Vamos a Caxias onde sempre saboreamos um galeto da melhor qualidade, onde trafegamos por uma estrada de belas paisagens – agora atalhando pela novíssima BR-448 – e tendo contato com uma cidade muito agradável.
A vantagem é toda do Internacional. Tem os 2 a 1 da Arena, ficou treinando durante a semana, enquanto o Grêmio disputava uma partida pela Libertadores contra o Nacional-Uru, e tem todos os titulares. Vantagem. Nada mais do que isto. Nunca a certeza de que já ganhou, porque em Gre-Nais se vê tantas surpresas. É sempre muito bom respeitar o adversário.
O Inter quer o tetra campeonato. Pode parecer pouco ganhar o Gauchão, mas é o que tem aparecido, ultimamente, para a dupla Gre-Nal. Aliás, o Grêmio nem isto tem conseguido e, por esta razão, a direção tratou de dar valor a este campeonato, mesmo estando jogando a Libertadores. Os dois querem muito este título e, por isto, concluo que teremos uma grande decisão.

Estadista
A entrevista coletiva do treinador Abel Braga sexta-feira, no Beira-Rio, foi de estadista. Abelão tratou de minimizar o fato de jogar em Caxias do Sul, falou do Grêmio com muito respeito e reconhecimento de ter uma grande equipe, ser um grande clube e ter uma grande torcida. Não economizou em elogios para o treinador Enderson Moreira.
Uma entrevista civilizada e com muita categoria. Abelão lembrou ainda que não quer seu time jogando com vantagem. Isto pode determinar um recúo desnecessário, uma atitude de já ganhou, etc. Enfim, o treinador colorado sabe que precisa respeitar o adversário e sabe da importância de levantar este caneco.

Torcida
Claro que o Estádio Centenário vai lotar. Sou do tempo em que as pessoas assistiam ao Gre-Nal com civilidade e, terminado o jogo, iam para suas casas com a alegria da vitória ou a tristeza da derrota. É do jogo.
Infelizmente, a sociedade regrediu e o que se vê hoje são enfrentamentos de torcedores. E o que é pior: as brigas não só ocorrem entre torcidas de times diferentes. Aliás, não dá para dizer que são torcidas. São bandos de marginais de comportamento tribal que disputam poder e dinheiro que os dirigentes dos clubes teimam em dar. Mas neste Gre-Nal, vou torcer para que nada aconteça.

Márcio Chagas
Ele será o responsável pela arbitragem deste Grenal. Não tenho dúvidas quanto a sua capacidade. Sua escalação, pelo menos antes de começar o jogo, é certeza de que teremos um apitador de grande qualidade.
E esta é uma semana importante para este árbitro. Na quinta feira ele esteve na sala do TJD da Federação Gaucha de Futebol e assistiu a penalização do Esportivo com nove pontos retirados e seu rebaixamento para a Segunda Divisão. Neste domingo, apita o Gre-Nal decisivo do campeonato. São muitas emoções.

Brasil dá vexame também em atrasos para a Olimpíada de 2016

11 de abril de 2014 8

Como se não bastasse o grande vexame que o Brasil vem dando em relação à Copa – sem aeroportos modernos e mobilidade urbana, com estádios longe de ficarem prontos e tantos outros problemas que estão deixando os dirigentes da Fifa de cabelo branco –, agora há o atraso do Rio para a Olimpíada de 2016. O presidente do Comitê Olímpico Internacional (Coi), Thomas Bach, veio ao Brasil e se apavorou com o estágio das obras. Determinou plano de intervenção e terá, a partir da semana que vem, um emissário que fará relatórios diários. Além disso, Bach contratou consultoria independente para fiscalizar tudo.

Não acredita nos brasileiros. A julgar pelas providências para a Copa, o homem tem toda razão em ficar desconfiado com os brasileiros.

Plano B

A dois anos dos Jogos Olímpicos do Rio, já se cogita da hipótese de um plano B. Ou seja, que a  ompetição saia do Brasil. Thomas Bach diz que lutará muito para que isso não aconteça. No entanto, a Associação das Federações Internacionais Olímpicas de Verão deixa bem claro que esse deveria ser o caminho a ser tomado pelo Coi.

Tenho certeza de que o exemplo dado na Copa, que ainda nem começou e é uma baderna geral da nossa parte, influencia essas associações que não querem viver ou passar pelo que a Fifa está passando.

Eliminações

Três times brasileiros foram eliminados na fase de grupos da Libertadores: Atlético-PR, Flamengo e Botafogo. Significa dizer que, se não apareceu um grande time, também não tem bobo. Não há jogo ganho nesta Libertadores. Dos brasileiros, o que melhor se apresentou foi o Grêmio.

No começo não se acreditava no Tricolor, mas a montagem do grupo com jovens promissores mesclados com  veteranos deu muita qualidade ao time do técnico Enderson Moreira. A classificação antecipada no chamado Grupo da Morte acabou sendo consequência do bom trabalho.

É demais!

A única coisa que pode irritar Abel Braga nesta semana é o fato de, mais uma vez, não poder jogar no Beira-Rio. O Abelão dá discursos fortes contra essa possibilidade. Terá que subir a Serra para enfrentar o Grêmio na decisão do Gauchão. No que diz respeito à montagem do time, ele está numa felicidade completa, com todos os titulares à  disposição.

Gre-Nal no Centenário já era esperado

10 de abril de 2014 8

Tem algumas coisas que são difíceis de responder. Começa pelo órgãos de segurança, que liberaram o Beira-Rio para uma festa e um jogo, com 50 mil espectadores cada um. Uma semana depois, com muito mais coisas sendo colocadas nos seus lugares, espaços do entorno com mais asfalto e entulhos retirados, não é permitido jogar o Gre-Nal no estádio.

Claro que é um jogo de competição, com duas torcidas e rivalidade. Mas é difícil de entender nossas autoridades nessa decisão. Difícil entender por que o Inter não teve um empenho maior para fazer o jogo no seu estádio, que estaria repleto de colorados e tendo o fator local somado à grande vantagem conseguida na Arena.

Não dá para entender, também, que o Grêmio preferisse jogar no Beira-Rio, um estádio todo colorado, em detrimento de aproveitar a neutralidade do Estádio Centenário. Isso que perde a decisão por 2 a 1. Fala em nome da logística e do seu jogo de Libertadores na próxima semana, cujo local e data ainda desconhece.

Nacional

O time uruguaio está muito mais preocupado com o seu campeonato nacional. Nem poderia ser diferente, já que está eliminado na Copa Libertadores. Bom para o Grêmio, que terá mais facilidade para construir uma vitória e ratificar uma das melhores campanhas da fase de grupos.

O que ainda não se sabe é quem entra no lugar de Luan. Se quiser preservar o meio-campo, Enderson Moreira deve escalar Alán Ruiz. Mas se sua vontade for repetir mais a característica do titular, a escolha recairá sobre Jean Deretti, que chega mais à frente e tem mais velocidade. Ou pode testar os dois e ver quem mais se adapta a este time numa hora tão importante.

Juan

Segundo André Silva, repórter da Rádio Gaúcha, o veterano zagueiro Juan treinou no time titular de Abel Braga na manhã de ontem. Significa que está recuperado e, como é titular, Ernando deve ceder o lugar. Com isso, o técnico contará com todos os titulares para o clássico de domingo. Alex foi preservado contra o Peñarol para estar bem no clássico. Rafael Moura superou suas dores no joelho direito, aturou no domingo e vai para o Gre-Nal. O Inter só não terá seu estádio na decisão.

Confronto

O centroavante Fred, do Fluminense e da Seleção Brasileira, resolveu enfrentar torcedores marginais que o esperaram depois de treino nas Laranjeiras. Segundo o jogador, eram cerca de 20, faziam ameaças e gritavam palavrões e ofensas. Fred precisou acelerar seu carro e sair. Lançou nota oficial repudiando as atitudes. Insatisfeitos, os marginais prometem arrumar mais problemas para o jogador.

É verdade que Fred está jogando pouco, preocupa seu time e a Seleção Brasileira. Mas não são essas as maneiras para solucionar isso. É o caos do futebol brasileiro, no qual os vagabundos acham que pode resolver tudo na força.

Estádio é a grande dúvida do Gre-Nal

09 de abril de 2014 18

Depois de 41 anos de profissão, nunca imaginei que tivesse que passar por isso.

A grande dúvida do Gre-Nal não é jogador. O substituto de Luan será conhecido na quinta-feira e aí teremos o Grêmio escalado para o clássico. O time do Inter será o mesmo do segundo tempo do primeiro Gre-Nal, quando conseguiu a virada. A grande dúvida é o estádio onde o jogo será disputado.

Beira-Rio ou Centenário, em Caxias do Sul. O estádio do Inter ainda não tem seu entorno concluído, há muitos restos de obras e tudo fica nas mãos da Brigada Militar, do Corpo de Bombeiros ou do Ministério Público. Confesso que não acredito em receio do Inter de jogar em seu estádio. Teria toda sua torcida do seu lado e ainda tem a importante vantagem.

Sendo o grande favorito para ganhar o campeonato, por que teria receio de jogar na sua casa?

Alán Ruiz

Não tenho uma opinião definitiva sobre esse jogador. A amostragem ainda é pequena. Mas ele, quando entra, mostra grande capacidade técnica. Ao mesmo tempo, mostra uma certa lentidão. Com a saída de Luan e a impossibilidade de jogar Zé Roberto, ele pode estar ganhando a grande chance amanhã contra o time quase ou reserva do Nacional-Uru. Nesse jogo, poderemos avaliar melhor o seu futebol. O Grêmio o contratou na Argentina como um grande talento que está por explodir.

As oportunidades começam a aparecer.

Atacantes

Mesmo que o jogo contra o time reserva do Peñarol não tenha servido para uma avaliação técnica mais rigorosa, Abel Braga propôs uma situação interessante. No segundo tempo, ele deixou em campo os centroavantes Rafael Moura e Wellington Paulista.Pode-se avaliar que não é uma situação para começar jogo, mas pode muito bem ser uma solução para jogos encrencados.

Rafael Moura fica fixo na área,como sempre,e Paulista mostra uma capacidade de movimentação que pode redundar numa dupla de tacantes muito interessantes.

É demaaaiiisss!!!!

Luiz Felipe Scolari decidiu que os jogadores poderão fazer sexo durante o período de concentração da Copa. Está certo. A atividade sexual é compatível com a necessidade física dos jogadores.

O que não combina são noitadas e bebedeiras. Jogadores que não podem se encontrar com suas
mulheres ou namoradas, quando ganham folga,saem desesperados atrás de festas.

Quem for pró-ativo vai lucrar muito com a Copa no Brasil

08 de abril de 2014 15

Segundo dados do Ministério do Turismo, a Copa das Confederações rendeu ao Brasil R$ 9,7 bilhões de dinheiro novo que entraram na economia brasileira. E a Copa das Confederações é apenas um aperitivo da grande Copa do Mundo que se aproxima. Foram cinco sedes, na Copa, teremos 12. Foram oito seleções, na Copa, serão 32.

Vai ser tudo muito maior, com a presença de aproximadamente 800 mil turistas estrangeiros que virão para o Brasil assistir suas seleções. Devemos lembrar que será uma Copa tecnicamente maravilhosa. Aqui estarão todas as seleções que já foram campeãs mundiais, todos os melhores jogadores da atualidade.

Vai entrar muito dinheiro novo no nosso país e todos vão ganhar com a Copa. Motoristas de táxis, hotéis, restaurantes, boates, lojas, shoppings, todos vão faturar. Quem for pró-ativo e parar com esta choradeira que a Copa não é boa para o Brasil poderá faturar bastante.

Argelinos

A Argélia vai jogar em Porto Alegre. Os argelinos, talvez sabendo da lotação dos hotéis da Capital, ou para conseguirem curtir a nossa belíssima Serra gaúcha, já foram a Gramado marcar hospedagem para esse período. São autoridades daquele país, comerciantes, pessoas de bom poder aquisitivo.

Serão de 800 a mil pessoas que vão ocupar cerca de 20 hotéis da região. Esse é só um exemplo do que nos espera na Copa, sempre lembrando que a seleção da Argélia é das que menos público traz para o Mundial. Fora, claro, os torcedores comuns que vêm por pacotes turísticos ou voos comerciais. Em média ficarão hospedados por 4 dias.

Substituto

A semana será de palpites e opiniões sobre quem será o substituto de Luan. Um já saiu desta corrida. É Zé Roberto, que ainda não está fisicamente pronto depois de longa parada. Restam como possibilidades Alán Ruiz, o mais votado, Jean Deretti e, o menos provável, Éverton.

Entendo que Enderson vá deixar para anunciar só no dia do jogo contra o Nacional. Menos por este adversário, que vem com time misto e dá prioridade ao campeonato uruguaio por já estar fora da Libertadores, mais pelo Gre-Nal de domingo, no qual o Grêmio chega vivo, mas com desvantagem importante por causa da derrota que sofreu na Arena, por 2 a 1.

Beira-Rio

Ainda não é um estádio totalmente pronto. Por dentro, uma beleza, com poucos detalhes que devem ser corrigidos. No entorno, falta tudo. Mas existe uma semana que nos separa do Gre-Nal e muita coisa pode melhorar.

Entulhos podem ser retirados, asfaltamento pode ser feito, bretes para a torcida do Grêmio não se encontrar com colorados – falo daqueles brigões travestidos em torcedores. Há tempo para isso, porque Gre-Nal é jogo de rivalidade e enfrentamentos. E um Gre-Nal no Beira-Rio tem muitos mais sabor para os colorados, que serão quase totalidade das arquibancadas, do que o Estádio Centenário, que serviu muito.

Luigi deve apresentar Beira-Rio como estádio da decisão do Gauchão

07 de abril de 2014 19

Foi um final de semana completo para os colorados. Na sexta-feira, dia do aniversário do clube, o grande banquete numa das casas mais bonitas e charmosas de eventos de Porto Alegre. No sábado, a grande festa. Lembrando uma abertura de Copa do Mundo ou de Olímpiada, na qual foram contadas as últimas quatro décadas que marcam a maioridade do clube, seus grandes títulos, seus grandes ídolos, seus grandes dirigentes.

Foi uma noite que emocionou colorados que estavam no Beira-Rio ou mesmo assistindo pela televisão. Uma montagem que superou R$ 20 milhões e que teve em Edson Erdmann, Flávio Steiner, Karina Fernandes, Renata  Germano, Maria Bastos, entre outros, figuras centrais. No domingo foi o jogo. Veio o Peñarol, que, 45 anos atrás, estava no festival de inauguração do Beira-Rio. Vitória colorada por 2 a 1.

Prós e contras

O Beira-Rio lotou. Foram mais de 50 mil colorados que quiseram ver o time voltando, na sua plenitude, ao velho lar. Em campo, um Peñarol todo reserva. Considero um desrespeito ao torcedor que pagou caro para assistir ao jogo. O Inter entrou em campo com todos os titulares e, no segundo tempo, Abel trocou os 11. Também acho um exagero.

Acho que o torcedor colorado merecia mais. Mas como o Inter foi ao Chile inaugurar o Estádio Elias Figueroa e levou só reservas, não pode reclamar de nada.

Definição

Entramos na semana Gre-Nal, mas o Grêmio tem antes um compromisso importante com o Nacional-Uru na quinta-feira, na Arena. Ganhando, o Tricolor termina a fase de grupos entre os primeiros e obtém a vantagem de decidir em
casa. Os exemplos são para os dois lados, mas é inegável que a decisão na frente de seu torcedor sempre é importante.

Neste jogo, Enderson Moreira vai testar o substituto de Luan, que fica 40 dias fora. Pode ser Alán Ruiz, pode ser Zé Roberto que volta de lesão. A quinta-feira vai mostrar o que é melhor para o Gre-Nal decisivo.

É demais!

O Beira-Rio recebeu dois grandes eventos e se saiu muito bem. Não há registro de acontecimentos que se possa lamentar. Sendo assim, na terça-feira, Giovani Luigi deve apresentar o Beira-Rio como o estádio da decisão do Gauchão. Claro que muita coisa pode melhorar no entorno. Mas nada que não possa ser feito num mutirão de  trabalho.

A reinauguração do Gigante da Beira-Rio

05 de abril de 2014 5

Não quero furar o grande diretor Edson Erdmann, o responsável pela grande festa que o  Gigante da Beira-Rio verá neste sábado, em sua reinauguração. Na quinta-feira, por curioso, estive no Beira-Rio assistindo ao último ensaio. Fiquei impressionado com o que vi. Imagine, torcedor, que um imenso barco atravessa o campo, lembrando os tempos em que não havia o aterro, mas o Guaíba onde hoje está o estádio. Vi o Zé Adão Barbosa fazendo uma manifestação sobre um andaime de obra, contando o que foi a grande obra dos colorados, há 45 anos atrás. Vi depoimentos dos mais importantes jogadores das quatro últimas décadas, efeitos sonoros fantásticos e artistas colorados desfilando ou cantando sucessos de época. Serão cerca de 1500 figurantes fazendo grande evoluções pelo campo, relembrando fatos e recontando a história do estádio que depois deste final de semana será, oficialmente, entregue ao seu torcedor. Apesar de todo o brilho, das luzes, o espetáculo, antes de tudo, emocional. Tenho certeza que 50 mil colorados vão se emocionar muito com o que poderão ver neste sábado. Será uma grande festa.
Emoção
No coração de cada torcedores, existe o amor pelo clube. A gente sabe que o cara pode trocar de mulher, mas nunca de clube. Os torcedores colorados, que na sexta-feira viveram o dia do aniversário, e neste sábado viverão a grande festa “Os protagonistas” e no domingo assistirão ao jogo do Inter contra o Peñarol, estão vivendo momentos de grande emoção. É isso que um clube pode colocar no coração de seus torcedores. Alegria e a tristeza vem junto com os resultados, mas a ideia de torcer para o clube é permanente, seja qual fora a situação. Os colorados estão vivendo um momento emocional de grande importância. São três dias de festas, comemoração, recordações e de grande demonstrações de amor pelo Inter.
Zagueiros
O departamento de futebol do Inter vai ter que dar uma olhada na possibilidade de contratar mais um zagueiro, visando a copa do Brasil e o Brasileirão. Paulão é titular absoluto. Mesmo não sendo um jogador tecnicamente importante, ele é jovem e tem saúde. Ernando é outra boa solução encontrada pelo Inter. O problema está nos dois veteranos, Índio e Juan. São jogadores notáveis, mas pela idade, não está seguindo o ritmo que o clube necessita. Eles se lesionam com muita frequência e tiram do treinador a opção de escalá-los. Acho que a direção colorada poderia se preparar e buscar mia sum jogadores para essa posição.

É demaaaiiiiis!!!!!
Os jogadores do Grêmio estão vivendo um momento diferente em suas vidas particulares. Ganharam folga de um final de semana inteiro. Desde quatro de janeiro, quando se apresentaram para a temporada, não tiveram nenhuma folga, pois estavam na disputa do Gauchão e da Libertadores. Foi um período de jogos importantes, decisivos e com grande viagens entre eles. Certamente de muito desgaste físico e, principalmente, emocional. Nada melhor do que passar um final de semana com a família.  Poder relaxar   passear. Enfim, um fim de semana de pessoas comuns. Depois de tanto trabalho, é claro que eles merecem.