Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Pedro Ernesto: racismo e prejuízo

02 de setembro de 2014 34

Conselho Deliberativo
O programa Bate Bola, da TVCOM, no domingo, foi muito esclarecedor. Começou pela entrevista do vice-presidente gremista Romildo Bolzan. Ele afirmou que a direção do Grêmio decidiu combater, duramente, torcedores que provocam atritos dentro da Arena. Terminaram as negociações. Mas pede, também, amplo apoio do Conselho Deliberativo, pois entende que este assunto não é só da direção, mas de todo clube.
Importante lembrar que a gestão Fabio Koff não dá subsídios a torcidas organizadas. Depois foi a vez de Homero Belini, candidato a presidência do clube, falar que, se eleito, não dará dinheiro às torcidas. Disse ainda que dez conselheiros da geral foram colocados por Paulo Odone. Outros cinco, pelo seu grupo e pelo grupo liderado por Marcos Hermann, que faz parte da diretoria atual. Ou seja, situação e oposição, com maior ou menor intensidade, carregam responsabilidades.
Só que a hora não é de achar culpados, se é que eles existem. O Grêmio precisa de todos para resolver este sério problema que só tem acarretado prejuízo.

Time misto

Abel Braga vai levar para a Bahia um time misto. Mesmo com esta decisão e com o placar amplamente favorável para o Bahia, o Inter não está proibido de se classificar para a próxima fase. A qualidade dos jogadores que vão entrar em campo é muito maior do que a do adversário.
Mas está claro que o treinador colorado esta priorizando o Brasileirão. A vitória sobre o Palmeiras devolveu a vice-liderança. Uma vaga no G4 é uma grande possibilidade, mas ganhar o título é sonho neste momento. A menos que o time consiga jogar muito mais do que vem jogando.
Treinadores

Continuam caindo treinadores. Agora, foi a vez do argentino Ricardo Gareca. Ele fracassou no Palmeiras. Foi contratado pelo sucesso que tinha conseguido no Vélez. Parece ter sido engolido pela cultura do futebol brasileiro. Trouxe jogadores da Argentina sem que estes dessem resultado. Perdeu muitos jogos em sequência.
A direção procurou segurá-lo no cargo, mas tem um momento em que as pressões superam o desejo dos dirigentes. E Gareca volta sem ter vindo. O Palmeiras segue em direção à Segunda Divisão, justo no ano do centenário do clube.

Demmmmaaaiisss

Robinho está de volta à Seleção Brasileira. Acho ótimo. Não porque ele seja um jogador diferenciado. Até já foi, mas não é mais. Ainda assim, está muito adiante dos atacantes que têm sido convocados.
Hulk, Fred, Jô e Bernard estão muito abaixo de Robinho. E a própria experiência deste atacante pode resultar numa importante contribuição ao selecionado brasileiro. Jogador rodado, acostumado com as grandes disputas.
De menos

Não irá acontecer o jogo de amanhã entre Grêmio e Santos pela Copa do Brasil. Uma decisão estranha do STJD, pois dificilmente isto acontece. Tenho dificuldade para lembrar fato semelhante. O Grêmio não quer recorrer para que não interpretem que o clube esta ao lado do racismo.
Decisão discutível. O que esta claro é que o momento vivido pelo Tricolor é complicado. Bolzan tem razão: o clube precisa se unir neste momento grave. Depois, os grupos podem se dividir na escolha do presidente.

É preciso repensar a questão das torcidas organizadas

01 de setembro de 2014 46

Deve-se estabelecer diferenças entre opiniões e fatos. Dos fatos, a comprovação direta de que houve na Arena atos de racismo que devem ser duramente condenados. Mas não passa disso. O clube, de posse das imagens, denunciou os faltosos. Que mais poderá fazer uma instituição? Como pode uma direção dar conta e se responsabilizar pelo comportamento de 30 ou 40 mil pessoas? Qual dirigente mandou gritar “macaco” para o goleiro Aranha do Santos? Quem, com responsabilidade, dentro do Grêmio é racista? Li matérias afirmando que o clube é racista. Um absurdo. Racista de onde? Incentivados, oficialmente, por quem?

Estes exageros não podem transcorrer com liberdade. O Grêmio, assim como os clubes brasileiros, são sociedade que congregam milhões de pessoas, onde existe de tudo. O clube só poderá ser punido por algum desatino se der guarida a ele, se facilitar acontecimentos reprováveis. Convenhamos, não foi o caso. Não defendo racistas, não defendo torcidas organizadas. Neste caso, está tudo tão claro que entendo que nada acontecerá ao clube e sim aos racistas flagrados por câmeras do estádio ou das televisões.

 

Jorge Henrique

Abel Braga insiste com este jogador e, quase sempre, a resposta não é positiva. Mas, no sábado, o jogador extrapolou, esmerilhou. Jogou uma partida formidável, com técnica, movimentação. Parece que ter voltado ao Pacaembu lhe fez bem. Foi ali, num ataque formado por ele, Ronaldo Fenômeno e Dentinho, que Jorge Henrique viveu seus melhores momentos profissionais. Voltando a sua origem, ele se soltou e foi o grande personagem de uma vitória importante do Inter. Não importa que esta vitória tenha sido facilitada pelo futebol medíocre do Palmeiras que caminha para o rebaixamento. Foi a vitória que veio depois de duas derrotas consecutivas na competição. Desta vez Abel tentou Jorge Henrique e ele correspondeu. Fez até o gol da vitória colorada.

 

Vitória na Arena

Era tudo que o Grêmio precisava. Nem era necessário jogar bem, como não jogou. Ainda não existe um padrão de jogo, uma forma definida de atuar. O Grêmio é só voluntariedade. E com isso consegue ganhar do Bahia, mas perde para o Inter, para o Santos, etc.

Precisa mais. Faltam jogadores de qualidade. Falta a definição de um time. Mas valeu a vitória. São três pontos para compensar as derrotas. Pouco para o que pensa o torcedor do Grêmio, mas é o que existe para o momento.

 

Demmmmaaaaiiisss!

Neste Brasileirão quem está com toda a bola é o Cruzeiro. Aliás, já foi assim no ano passado. Parece tão melhor do que os outros, ganha com toda naturalidade, marca muito mais gols do que os outros, tem os principais goleadores do campeonato. Recém vai terminar o primeiro turno, mas dificilmente este quadro vai mudar. O Cruzeiro se encaminha para mais um título brasileiro. Ou será que algum time crescerá tanto de produção a ponto de ameaçar esta liderança tranquila que o time mineiro dispõe?

 

 

De menos

O vice presidente Nestor Hein tem razão quando afirma que não vai dar nada, mas o estrago já está feito. O Grêmio vai custar para desmanchar uma imagem que foi criada irresponsavelmente por muita gente, inclusive da imprensa. Entendo que não haverá eliminação da Copa do Brasil e sai o jogo de quarta feira na Vila Belmiro. O jurídico gremista vai cassar esta liminar. Será necessário um amplo trabalho de reconstituição de uma imagem que está arranhada pelos exageros. Puna-se os faltosos. O episódio vai servir, igualmente, para que se repense na questão das torcidas organizadas, notadamente esta Geral. É dela que saem os acontecimentos lamentáveis na Arena do Grêmio.

A polêmica do caso de racismo com Aranha

30 de agosto de 2014 65
 Lauro Alves / Agência RBS

Lauro Alves / Agência RBS

A última sexta-feira foi um dia nervoso. As questões do racismo foram amplamente debatidas. Aranha foi na delegacia prestar queixa, as imagens foram amplamente divulgadas, todo mundo deu opinião. O presidente Fábio Koff prestou longo esclarecimento, deixando claro que o clube não aceita atos de racismo. Ainda deixou clara a proibição de alguns torcedores de frequentarem a Arena, e sócios serão eliminados.

O árbitro Wilton Sampaio fez um adendo na súmula, focando a queixa do goleiro Aranha. A empresa que emprega aquela moça flagrada pelas câmeras da ESPN soletrando furiosamente a palavra macaco, logo a demitiu. Os gremistas de bom senso – felizmente quase a totalidade – repudiaram estes atos que descolorem o futebol. Paulo Schmidt, procurador do STJD, já prometeu denúncia do clube.

Destilando ódio
Mas teve ainda a entrevista de Abel Braga, destilando ódio contra o comentarista Wianey Carlet e o repórter Leandro Behs. O Wianey, porque o criticou. Talvez Abel quisesse ser elogiado por ter perdido três partidas, por seu time não marcar gols nos últimos seis jogos e ainda estar fora da Copa do Brasil e quase fora da Sul Americana. Os treinadores, por vezes, se acham acima do bem e do mal.

“Esclerosado” foi o termo usado por Abel para definir o comentarista. Errado. Ele somente evidenciou em seus comentários que Abel está promovendo alguns vexames . Quanto ao Behs, fez referência a uma notícia de que o técnico tratava com a oposição sua permanência. Mesmo admitindo que a informação esteja errada não é motivo para tanta fúria.

Doze desfalques
O Palmeiras completo já não é grande coisa. Para o jogo deste sábado, o técnico argentino Gareca tem 12 desfalques, entre lesões e suspenções, muitos dos quais titulares. Dificilmente, o Inter vai pegar daqui pra frente uma galinha morta como esta. Só falta não aproveitar, como não aproveitou no meio da semana, quando enfrentou, dentro do Beira Rio, o time misto do Bahia. O Inter deve e precisa jogar mais.

Retomada
Só um milagre salva o Grêmio da eliminação precoce na Copa do Brasil. Um ataque que em 17 partidas marcou apenas 15 gols poderá fazer três gols num só jogo? E ainda na Vila Belmiro? Por isso, o jogo contra o Bahia cresce em importância. Felipão ainda não achou um time. Só garra e força não são suficientes. Cabe ao treinador achar os 11 que ele considera como os melhores e repetir o time.

DEMMMMAAAIIISSS
Gosto muito do tratamento que a direção do Grêmio dá para as torcidas organizadas. Não tem sala, não tem ingressos, não tem passagens de ônibus. Eles têm os mesmos direitos de todos os torcedores. Isto leva os grupos a enfrentarem a direção. Fábio Koff já recebeu palavrões nos jogos, dirigentes já foram insultados e ameaçados. Mesmo assim, a direção do Grêmio não quis negociação. Entra ano e sai ano e o que se vê é que torcedores organizados produzem muito mais problemas do que soluções.

De menos
As atitudes racistas nos estádios de futebol estão muito relacionadas ao fato de que os torcedores se perdem na multidão e, dificilmente, conseguem ser localizados. Desta vez, porém, as câmeras puderam flagrar indivíduos cometendo o desatino do racismo. O que se espera, agora, é que a lei seja cumprida. Que a impunidade não prevaleça. Existem rostos identificados, e a policia tem condições de estabelecer responsabilidades.

Abel não escuta a voz dos jogadores

29 de agosto de 2014 50

Abel Braga se faz de surdo. Parece fingir não escutar os apelos dos seus jogadores. Depois do Gre-Nal, em meio à euforia por mais uma vitória e quase dois anos sem perder para o rival, o chileno Aránguiz disse com clareza: prefere atuar de volante, de frente para o campo, com a visão limpa para se infiltrar e armar o jogo. Pois Abel insiste em mantê-lo na meia. O chileno, é visível, está desenxabido em campo. Depois, foi a vez de Rafael Moura reclamar da sua solidão. Diz que o esquema desfavorece o centroavante, que quase morre de inanição na área. Pois quarta-feira quem reclamou foi Wellington Paulista. Mesmo cuidadoso com as palavras, para não entrar em rota de colisão com o chefe, o centroavante fez coro a Rafael Moura. Amanhã, contra o Palmeiras, talvez seja o dia de Abelão rever seus conceitos e dar ouvidos aos seus jogadores.

 

Vai ferver

Domingo, entra em sua segunda fase o Gauchão de Várzea, promovido pela Fundergs. O campeonato é um dos maiores Brasil e envolve, desde a primeira fase, clubes das 497 cidades do Estado. Depois da disputa dos municipais, os campeões das suas cidades, mais os finalistas de 2013, começam a disputa da fase microrregional. São 58 equipes na luta pela taça. A rodada de abertura neste fim de semana terá 16 partidas. Nesta fase, os confrontos são eliminatórios e vão até 14 de setembro.

 

Lá também

Nem os históricos escapam. Ontem, o Boca anunciou a queda do técnico Carlos Bianchi. Para você ter uma ideia, Bianchi representa na Bombonera o mesmo que Felipão é para o Grêmio. Mas o “Virrey”, como é chamado pelos argentinos, sucumbiu à falta de resultados. Comandou o time em 74 partidas, venceu 26, empatou 22 e perdeu outras 26. Fez 79 gols e levou 88. Se na outra passagem conquistou dois Mundiais e três Libertadores e quatro Argentinos, agora passou em branco. Seu melhor resultado foi um vice – do River.

 

Outro caso

Mano Menezes é um grande técnico, comandou a Seleção Brasileira e ganhou títulos pelo Grêmio e pelo Corinthians. Mas não sei o que acontece em seus times. Primeiro, foi o meia Petros, que atingiu o árbitro pelas costas no clássico com o Santos, foi punido com 180 dias de suspensão e só está em ação devido ao efeito suspensivo. Quarta-feira, contra o Bragantino, foi a vez de Guerrero acertar o árbitro, também por trás, e derrubá-lo. Levará uma punição dura. Mano Menezes precisa acalmar seu vestiário e ensinar que o árbitro é a autoridade em campo.

Santos não é um adversário desprezível

28 de agosto de 2014 24
Marcelo Oliveira/Agência RBS

Marcelo Oliveira/Agência RBS

Arena lotada
Não sei se será tanto. Mas tenho certeza de que teremos um dos maiores públicos da história recente do estádio do Grêmio. A Copa do Brasil está entranhada na cultura do clube como uma competição que é feita ao seu estilo. O treinador também tem a marca de quatro conquistas. Essas duas valências mostram ao torcedor que é por aí que o seu clube pode conquistar um título depois de intermináveis 13 anos.

O Santos não é um adversário desprezível. Robinho pode estar voltando. E como a decisão é na Vila Belmiro, melhor que o Grêmio faça algum escore que leve o time com boas condições de classificar. Vai ser um mar de gremistas, todos esperançosos do sucesso que não enxergam há bastante tempo. Até agora nem Fábio Koff conseguiu devolver as conquistas. Só que agora Koff tem o inestimável reforço de Felipão. Dose dupla para ganhar a cobiçada Copa do Brasil, já que no Brasileirão está muito complicado.

Trocas pontuais
Felipão treinou a maior parte do tempo, ontem, com portões fechados. Ele não queria que os repórteres visualizassem suas alterações. Mas os meninos da reportagem conseguiram ver que ele treinou com Pará e Matheus Biteco.

Matías foi mal na partida contra o Timão. Sua tarefa de marcação é muito ruim. No meio, com ausências importantes, entre Walace e Biteco, ele deve ficar com o último. No final do treinamento, os portões foram abertos, e Matías Rodrigues e Walace estavam no time titular. Mas eles devem ficar no banco. São as alterações para pegar o Santos.

Curso de gestão
Uma bela iniciativa tomada pelo ex-presidente colorado Fernando Carvalho. Ele está lançando em Porto Alegre um curso de gestão sobre futebol. Os maus resultados dos nossos clubes e, principalmente, o fiasco da nossa Seleção, recomendam estas iniciativas. Importantes dirigentes e profissionais serão responsáveis por palestras. Precisamos melhorar a gestão de nossas entidades e os profissionais de todas as áreas do futebol.

Demmmaaaiissss
A iniciativa de Fernando Carvalho tem tudo a ver com o momento do futebol brasileiro. Nossos clubes foram eliminados precocemente da Libertadores. No Mundial, encontramos os fracassos do Inter, do Santos e do Atlético-MG. Da Seleção, nem se fala: 10 a 1 em três dias. A ideia do Fernando servirá para discutirmos estes fracassos, que se sucedem perigosamente.

De menos
Acusações feitas a dirigentes ou colocação de problemas de gestão precisam ser feitos com boa dose de proximidade. Atirar problemas por meras suposições nada contribuem. Como na política, o futebol tem os que governam e os que fazem oposição. É muito bom ter oposição. Fortalece o clube, mas ela precisa ser feita com responsabilidade.

Jogo será de times mistos no Beira-Rio

27 de agosto de 2014 25

Times mistos
As razões são diferentes, Mas tanto Inter quanto Bahia devem entrar em campo, nesta noite, com times mistos. O Inter, oficialmente, alega que muitos de seus jogadores, já acima dos 30 anos, não conseguem suportar as exigências de duas partidas por semana. No entanto, muitos entendem que a prioridade no Beira-Rio é para o Brasileirão, no qual o time está em terceiro e com boas chances de, pelo menos, garantir vaga na Libertadores 2015. A torcida torce o nariz, já que o Inter foi eliminado da Copa do Brasil pelo Ceará, da Série B, e levando cinco gols em dois jogos.
O Bahia tem outras razões. Está no Z4 do Brasileirão e assombrado pelo rebaixamento. Isso faz o técnico Gílson Kleina preservar jogadores nesta noite, visando ao jogo de domingo, contra o Grêmio, na Arena. Esse vale pelo Brasileirão, a prioridade dos baianos. Interessante que os clubes lutam muito para conseguir classificação a outras competições e, quando chega a hora delas, usam reservas. Difícil de entender. Mas é algo que se repete com frequência no Brasil.

Cultura
Eliana Camejo é a assessora de imprensa da Arena Porto-Alegrense, a empresa responsável pela administração do estádio do Grêmio. Ela informa que dois setores da Arena já estavam, ontem, com ingressos esgotados. Nada mais do que a confirmação de sólida cultura do clube e do seu técnico. Ambos são tetra nesta competição. Os gremistas sabem que esse é o caminho para buscar um título nacional, ausente há 13 anos. A volta de Felipão reascendeu a esperança numa taça, e o o mata-mata é especialidade dele. É preciso largar com vitória sobre o Santos, de preferência sem levar gols. O torcedor pode ajudar bastante,  como já fez contra o Corinthians.

Fellipe Bastos
Entendo que os volantes são parecidos: fortes, bons marcadores e, quase sempre, deficientes tecnicamente. Em Fellipe Bastos consigo ver algumas virtudes incomuns. Ele tem chute forte e certeiro, ainda que essa qualidade não tenha aparecido no Grêmio. Sua personalidade é marcante. Interfere nos conflitos contra os adversários e mostra liderança. Também é capaz de discutir com companheiros para arrumar o time. O maior exemplo se deu no último domingo quando encarou Barcos, um dos líderes do time. Reclamou, gesticulou, botou o dedo na cara do Pirata e, depois, em gesto de grandeza, abraçou-o na comemoração do gol. Fellipe, por sua luta e personalidade, fará muita falta na Copa do Brasil.

Demmmaaaiiisss
As novas, lindas e modernas arenas da Copa do Mundo são responsáveis pelo aumento de público nos jogos do Brasileirão. Aqui na Capital, na Arena e no Beira Rio, a média tem sido de 30 mil pessoas por partida. Número de Europa. O Flamengo tem levado 50 mil pessoas ao estádio, o São Paulo faz promoções e atinge patamar parecido. Há ainda o Cruzeiro, estimulado pela liderança no Brasileirão. Melhor ainda que os gestores das arenas se deram conta de que os ingressos precisam de preços acessíveis.

De menos
No Brasileirão, os clubes lutam muito pelos prêmios oferecidos. O maior deles, é claro, o título. Mas há as vagas na Libertadores e na Sul-Americana. Quando chega a hora de disputar essa última, eles a esvaziam. A Sul-Americana leva à Libertadores, à Recopa e ainda à Suruga Cup. Inter e Bahia começam nesta noite a menosprezar competição que dá muitos prêmios.

A Copa Sul-Americana não deve ser menosprezada

26 de agosto de 2014 34
Abel Braga/Agência RBS

Abel Braga/Agência RBS

Não quero entender que o Inter esteja menosprezando a Sul-Americana. Logo o Inter, o primeiro brasileiro a ser campeão dela e que tanto festejou a conquista em 2008. Vale ressaltar que não está fácil ser campeão brasileiro pela campanha invejável do Cruzeiro. Tem ainda o crescimento do São Paulo, a afirmação do Corinthians e a retomada do Fluminense depois da crise de seus jogadores com as organizadas e o 4 a 0 no Sport. Não se tem nenhuma certeza de sucesso do Inter no Brasileirão. Nem de classificação no G4 e consequente ida à Libertadores, muito menos de título, que não conquista desde 1979. Faz muito tempo.

A Sul Americana pode ser uma grande conquista e leva à Libertadores, à Recopa e à Copa Suruga. Não é pouco. Abel Braga poupará jogadores por necessidade. São veteranos que não aguentam jogos duas vezes por semana, têm recuperação mais lenta. Mas quero acreditar que o Inter não esteja abrindo mão dessa competição. A torcida não concordaria. Seja qual for o time escalado por Abel, será o melhor possível. É só assim que entendo a postura colorada.

Hora do Felipão

Entre as especialidades do técnico do Grêmio está o mata-mata. Felipão foi campeão da Copa do Brasil quatro vezes. O Grêmio, com ou sem ele, também. Temos aí um profissional e um clube com a cultura da competição. O caminho não é fácil. Começa com o Santos. Sorte do Grêmio que Robinho não deverá atuar quinta-feira. Ele faz muita diferença. Sua lesão é muscular e, se voltar, será na Vila Belmiro, dia 3. Felipão tem problemas para escalar volantes. Fellipe Bastos está fora porque já jogou pelo Vasco. Riveros e Edinho estão lesionados. Mas não vejo muito problema nisso. Os volantes se parecem em defeitos e virtudes. Seja quem for, a capacidade do time não se altera. É a hora do Felipão, da competição que ele gosta e na qual teve muito sucesso.

Bom Senso F.C.

Depois de ouvir clubes da elite do Brasileirão, a Rede Globo marcou encontro com os líderes do Bom Senso F.C.. A emissora, que investe R$ 2 bilhões anuais em futebol, pretende ouvir o que pensam os jogadores. Pelo que sei, buscam regionais menores e competições nacionais mais longas. Para jogadores de grandes clubes, uma beleza. Não sei como poderão encontrar trabalho para os dos pequenos, que recebem salários baixos e são a maioria. Há formas de resolver esse impasse. Mas os milionários do futebol brasileiro não podem pensar apenas no seu bem-estar em detrimento da maioria, muito pobre. Quero saudar o encontro. Afinal, é conversando que as pessoas se entendem.

Demmmmaaaiiisss

Marcelo Grohe se consagra, cada vez mais, como um dos grandes goleiros do futebol brasileiro. Não são poucos os jogos em que salva o Grêmio. Suas virtudes são grandes. Começam pela liderança que exerce e pela educação e comportamento. Grohe tem elasticidade e faz defesas que parecem impossíveis, sabe sair do gol. Quase nunca erra. Os gremistas reconhecem sua competência.

De menos

Jogo às 20h é problema sério. Penso ser pior do que às 22h. O torcedor precisa encarar a hora do pico, com ruas congestionadas pelo número de automóveis, que só aumenta. Esse será o horário de Grêmio x Santos quinta-feira. Os gremistas entendem que o melhor caminho está na Copa do Brasil. É importante chegar cedo e evitar atropelos na chegada à Arena.

 

Grande vitória para o time do Grêmio

25 de agosto de 2014 54
Foto: Bruno Alencastro/Agência RBS

Foto: Bruno Alencastro/Agência RBS

 

Não foi fácil. Nem se imaginava diferente. O Corinthians é postulante ao título. O Grêmio fez dois gols relâmpagos. Tudo no segundo tempo. O primeiro com 20 segundos. E o segundo veio logo em seguida, três minutos depois. Ambos com Barcos. Daí em diante, a ordem era segurar. Quem segurou mais foi Marcelo Grohe, que, com Barcos, foi a grande estrela do Grêmio.
O time de Mano Menezes não parou de atacar e tornou dramática a vitória gremista. Mano empilhou atacantes enquanto Felipão empilhava volantes. Estratégias corretas dos dois técnicos. Venceu o Grêmio. Uma vitória importantíssima, que dá permite ao Grêmio respirar muito melhor no Brasileirão. Agora, é se preparar para a empreitada de quinta-feira, contra o Santos, pela Copa do Brasil. A vida segue.

Rafael Moura
Centroavante vive de fazer e errar gols. Existem gols lindos, outros de último toque e os erros graves. Mas, no sábado, Rafael Moura fez o que parecia impossível. Teve dois lances para matar o jogo. No primeiro, Victor fez grande defesa. No segundo, depois de driblar o goleiro, na pequena área, sem nenhum obstáculo, mandou no poste. Ali o Inter começou a perder o jogo para o Galo. Quando a chance foi dos mineiros, Diego Tardeli chutou cruzado e marcou o gol. O Inter jogou para ter resultado melhor. Mas os gols perdidos por Rafael Moura não passaram impunes. O futebol cobra rápido os erros cometidos. O Inter teve essa lição no Independência.

Reviravolta
Dois técnicos que entraram em meio ao Brasileirão melhoraram a trajetória dos seus times. Vanderlei Luxemburgo acertou o Flamengo e acumula vitórias. O mesmo vale para Argel Fuchs. O Figueirense caminhava para o rebaixamento. Argel mudou essa história. Quem não deslanchou foi Celso Roth. Acabou demitido. Por fim, Muricy Ramalho faz campanha ascendente com o São Paulo. Mesmo com três meses para receber de salário.

Demmmaaaaiiisss
Marcelo Grohe é, inegavelmente, um grande goleiro. Além disso, como os grandes goleiros, tem sorte. Aquela bola chutada de fora da área por Ralf que encontrou defesa no travessão tinha o goleiro vencido. Mas Grohe fez duas ou três defesas de maravilhosas. A torcida adora esse jogador. Que erro cometeu a direção do Grêmio quando trouxe Dida. O atual titular ficou um ano na reserva, resignado. Esperou sua vez e hoje é uma afirmação no clube.

De menos
Celso Roth foi demitido do Coritiba. E demorou. O presidente do Coxa entregou seu time para ele e Paulo Paixão. Não funcionou. Celso vive momento ruim na carreira. Depois de ficar um ano sem clube, recebeu essa chance do Coritiba e não foi bem, apesar da paciência da direção. Mas até ela se esgota. Roth perdeu o emprego e, em baixa, talvez leve algum  tempo para conseguir outro.

A volta de Barcos aumentará a força ofensiva do Grêmio

23 de agosto de 2014 47

Jogadores do Fluminense, liderados por Fred, podem fazer a maior revolução dos últimos tempos no futebol brasileiro. Depois de agredidos no Aeroporto Santos Dumont por 20 raivosos torcedores, decidiram tomar atitude. Fred escreveu nas redes sociais que, se a direção do clube e as autoridades não adotarem postura rígida, vão fazer greve. Os jogadores não entrariam em campo domingo, contra o Sport.

Essa é uma importante tomada de decisão dos jogadores. Não é mais possível que sejam agredidos em aeroportos, treinos e saída dos estádios. A marginalidade prospera geometricamente graças à impunidade irritante de autoridades que dão muitos discursos e agem pouco. Os dirigentes ou se omitem ou ficam com medo dos marginais que os ameaçam. Com essa greve, os jogadores deixarão claro que a culpa passa a ser desses vândalos que tumultuam o ambiente do futebol.

Barcos

O centroavante deve voltar neste domingo, contra o Corinthians. Aumentará a força ofensiva do Grêmio, mas está longe de ser solução definitiva. Neste domingo, a dificuldade será ainda maior, pois o time de Mano Menezes tem a melhor defesa do Brasileirão. A vitória se impõe. O Grêmio fica para trás a cada rodada.
Nem a vinda de Felipão salvou o time, mesmo que o desempenho apresente sensíveis sinais de melhora. Mas faltam vitórias. Com o novo técnico, foram quatro jogos – um deles com o treino à distância – e uma vitória. Precisa mais.

Desafio

As duas vitórias obtidas pelo Inter fora foram contra times menores e com gols estranhos. Valeram pelos pontos. Mas o Inter não consegue ganhar de rivais de primeira linha. O Galo está em crise, mas tem bala na agulha. O desafio colorado será ganhar esse jogo e continuar na perseguição ao Cruzeiro. Abel Braga só não terá Willians. A torcida espera um sábado de vitória expressiva.

Demmmaaaiissss

Fred foi muito mal na Copa e está pior no Fluminense. Neste momento, assume liderança entre seus companheiros e promete greve se dirigentes e autoridades nada fizerem para coibir as agressões de parte de marginais. Ele pode ser o cara que mudará as relações do futebol com os torcedores mafiosos e contribuirá muito para o futebol.

De menos

Enquanto jogadores procuram instrumentos de defesa contra os marginais que giram em torno do futebol, o presidente do Fluminense, Peter Siemsen, critica Fred. Da razão a bandidos contra o parecer de seus jogadores. Aí mira o problema. Os dirigentes convivem com a marginalidade e as autoridades nada definem. Nada acontece a quem coloca terror no futebol.

 

Greve no Fluminense

22 de agosto de 2014 40

Depois de perder para a Chapecoense, contabilizando quatro jogos sem ganhar, os jogadores do Fluminense desembarcaram no Rio e foram recebidos por cerca de 20 torcedores. Fred, capitão do time, publicou nas redes sociais que, se nenhuma autoridade ou mesmo a direção do Fluminense não tomar uma atitude contra aqueles que chama de marginais, vagabundos e escória da sociedade, os jogadores farão greve e não entrarão em campo domingo.

 

Contra o G4

Claro que o Inter tem boa colocação no Brasileiro. No entanto, essa campanha precisa ser entendida. O time de Abel cresce contra os adversários que não são candidatos ao título. Mas no confronto contra os maiores clubes, o retrospecto é muito ruim.

O aproveitamento é de apenas 8% quando se fala de Cruzeiro, Fluminense, Corinthians e São Paulo. Esse é o claro sinal de que o treinador precisa fazer mais. O retrospecto contra o G5 é assustador. Sempre lembrando que o objetivo colorado é ser campeão.

 

Insistências

Abel Braga garante titularidade muito discutível para dois jogadores. Começa por Welington Silva. Cláudio Winck tem desempenho muito melhor, repertório de jogadas e faz gols. Além de ser mais jovem. Mas o técnico insiste com o primeiro. O outro é Rafael Moura. Seu desempenho tem sido muito fraco. Ele se defende, diz que joga muito isolado. Só que Welington Paulista entra em campo e consegue muito mais. Rafael Moura foi duramente vaiado pelos torcedores. Mas nada indica que deva ser retirado do time. Talvez essas duas mudanças, se concretizadas, possam melhorar muito o Inter para conseguir enfrentar os adversários mais poderosos.

 

É demaaaiiis!

Fred dá grande lição aos que lideram o Bom Senso F. C. Quando propõe não entrar em campo, manda um recado às autoridades e aos dirigentes que assistem a episódios lamentáveis de tentativas de agressão aos profissionais de futebol. Existe uma paralisia incompreensível dos que deveriam atuar contra os marginais.

 

É de menos

O Inter joga com dez. Culpa do Rafael Moura, que nada acrescenta. Verdade? Meia verdade. A outra metade está na falta de aproximação. O próprio jogador reclamou que é marcado por três jogadores e não encontra parceria. A forma como o Inter foi montado não brinda o centroavante. Esse é um assunto a ser resolvido por Abelão.