Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Santos não é um adversário desprezível

28 de agosto de 2014 22
Marcelo Oliveira/Agência RBS

Marcelo Oliveira/Agência RBS

Arena lotada
Não sei se será tanto. Mas tenho certeza de que teremos um dos maiores públicos da história recente do estádio do Grêmio. A Copa do Brasil está entranhada na cultura do clube como uma competição que é feita ao seu estilo. O treinador também tem a marca de quatro conquistas. Essas duas valências mostram ao torcedor que é por aí que o seu clube pode conquistar um título depois de intermináveis 13 anos.

O Santos não é um adversário desprezível. Robinho pode estar voltando. E como a decisão é na Vila Belmiro, melhor que o Grêmio faça algum escore que leve o time com boas condições de classificar. Vai ser um mar de gremistas, todos esperançosos do sucesso que não enxergam há bastante tempo. Até agora nem Fábio Koff conseguiu devolver as conquistas. Só que agora Koff tem o inestimável reforço de Felipão. Dose dupla para ganhar a cobiçada Copa do Brasil, já que no Brasileirão está muito complicado.

Trocas pontuais
Felipão treinou a maior parte do tempo, ontem, com portões fechados. Ele não queria que os repórteres visualizassem suas alterações. Mas os meninos da reportagem conseguiram ver que ele treinou com Pará e Matheus Biteco.

Matías foi mal na partida contra o Timão. Sua tarefa de marcação é muito ruim. No meio, com ausências importantes, entre Walace e Biteco, ele deve ficar com o último. No final do treinamento, os portões foram abertos, e Matías Rodrigues e Walace estavam no time titular. Mas eles devem ficar no banco. São as alterações para pegar o Santos.

Curso de gestão
Uma bela iniciativa tomada pelo ex-presidente colorado Fernando Carvalho. Ele está lançando em Porto Alegre um curso de gestão sobre futebol. Os maus resultados dos nossos clubes e, principalmente, o fiasco da nossa Seleção, recomendam estas iniciativas. Importantes dirigentes e profissionais serão responsáveis por palestras. Precisamos melhorar a gestão de nossas entidades e os profissionais de todas as áreas do futebol.

Demmmaaaiissss
A iniciativa de Fernando Carvalho tem tudo a ver com o momento do futebol brasileiro. Nossos clubes foram eliminados precocemente da Libertadores. No Mundial, encontramos os fracassos do Inter, do Santos e do Atlético-MG. Da Seleção, nem se fala: 10 a 1 em três dias. A ideia do Fernando servirá para discutirmos estes fracassos, que se sucedem perigosamente.

De menos
Acusações feitas a dirigentes ou colocação de problemas de gestão precisam ser feitos com boa dose de proximidade. Atirar problemas por meras suposições nada contribuem. Como na política, o futebol tem os que governam e os que fazem oposição. É muito bom ter oposição. Fortalece o clube, mas ela precisa ser feita com responsabilidade.

Jogo será de times mistos no Beira-Rio

27 de agosto de 2014 25

Times mistos
As razões são diferentes, Mas tanto Inter quanto Bahia devem entrar em campo, nesta noite, com times mistos. O Inter, oficialmente, alega que muitos de seus jogadores, já acima dos 30 anos, não conseguem suportar as exigências de duas partidas por semana. No entanto, muitos entendem que a prioridade no Beira-Rio é para o Brasileirão, no qual o time está em terceiro e com boas chances de, pelo menos, garantir vaga na Libertadores 2015. A torcida torce o nariz, já que o Inter foi eliminado da Copa do Brasil pelo Ceará, da Série B, e levando cinco gols em dois jogos.
O Bahia tem outras razões. Está no Z4 do Brasileirão e assombrado pelo rebaixamento. Isso faz o técnico Gílson Kleina preservar jogadores nesta noite, visando ao jogo de domingo, contra o Grêmio, na Arena. Esse vale pelo Brasileirão, a prioridade dos baianos. Interessante que os clubes lutam muito para conseguir classificação a outras competições e, quando chega a hora delas, usam reservas. Difícil de entender. Mas é algo que se repete com frequência no Brasil.

Cultura
Eliana Camejo é a assessora de imprensa da Arena Porto-Alegrense, a empresa responsável pela administração do estádio do Grêmio. Ela informa que dois setores da Arena já estavam, ontem, com ingressos esgotados. Nada mais do que a confirmação de sólida cultura do clube e do seu técnico. Ambos são tetra nesta competição. Os gremistas sabem que esse é o caminho para buscar um título nacional, ausente há 13 anos. A volta de Felipão reascendeu a esperança numa taça, e o o mata-mata é especialidade dele. É preciso largar com vitória sobre o Santos, de preferência sem levar gols. O torcedor pode ajudar bastante,  como já fez contra o Corinthians.

Fellipe Bastos
Entendo que os volantes são parecidos: fortes, bons marcadores e, quase sempre, deficientes tecnicamente. Em Fellipe Bastos consigo ver algumas virtudes incomuns. Ele tem chute forte e certeiro, ainda que essa qualidade não tenha aparecido no Grêmio. Sua personalidade é marcante. Interfere nos conflitos contra os adversários e mostra liderança. Também é capaz de discutir com companheiros para arrumar o time. O maior exemplo se deu no último domingo quando encarou Barcos, um dos líderes do time. Reclamou, gesticulou, botou o dedo na cara do Pirata e, depois, em gesto de grandeza, abraçou-o na comemoração do gol. Fellipe, por sua luta e personalidade, fará muita falta na Copa do Brasil.

Demmmaaaiiisss
As novas, lindas e modernas arenas da Copa do Mundo são responsáveis pelo aumento de público nos jogos do Brasileirão. Aqui na Capital, na Arena e no Beira Rio, a média tem sido de 30 mil pessoas por partida. Número de Europa. O Flamengo tem levado 50 mil pessoas ao estádio, o São Paulo faz promoções e atinge patamar parecido. Há ainda o Cruzeiro, estimulado pela liderança no Brasileirão. Melhor ainda que os gestores das arenas se deram conta de que os ingressos precisam de preços acessíveis.

De menos
No Brasileirão, os clubes lutam muito pelos prêmios oferecidos. O maior deles, é claro, o título. Mas há as vagas na Libertadores e na Sul-Americana. Quando chega a hora de disputar essa última, eles a esvaziam. A Sul-Americana leva à Libertadores, à Recopa e ainda à Suruga Cup. Inter e Bahia começam nesta noite a menosprezar competição que dá muitos prêmios.

A Copa Sul-Americana não deve ser menosprezada

26 de agosto de 2014 34
Abel Braga/Agência RBS

Abel Braga/Agência RBS

Não quero entender que o Inter esteja menosprezando a Sul-Americana. Logo o Inter, o primeiro brasileiro a ser campeão dela e que tanto festejou a conquista em 2008. Vale ressaltar que não está fácil ser campeão brasileiro pela campanha invejável do Cruzeiro. Tem ainda o crescimento do São Paulo, a afirmação do Corinthians e a retomada do Fluminense depois da crise de seus jogadores com as organizadas e o 4 a 0 no Sport. Não se tem nenhuma certeza de sucesso do Inter no Brasileirão. Nem de classificação no G4 e consequente ida à Libertadores, muito menos de título, que não conquista desde 1979. Faz muito tempo.

A Sul Americana pode ser uma grande conquista e leva à Libertadores, à Recopa e à Copa Suruga. Não é pouco. Abel Braga poupará jogadores por necessidade. São veteranos que não aguentam jogos duas vezes por semana, têm recuperação mais lenta. Mas quero acreditar que o Inter não esteja abrindo mão dessa competição. A torcida não concordaria. Seja qual for o time escalado por Abel, será o melhor possível. É só assim que entendo a postura colorada.

Hora do Felipão

Entre as especialidades do técnico do Grêmio está o mata-mata. Felipão foi campeão da Copa do Brasil quatro vezes. O Grêmio, com ou sem ele, também. Temos aí um profissional e um clube com a cultura da competição. O caminho não é fácil. Começa com o Santos. Sorte do Grêmio que Robinho não deverá atuar quinta-feira. Ele faz muita diferença. Sua lesão é muscular e, se voltar, será na Vila Belmiro, dia 3. Felipão tem problemas para escalar volantes. Fellipe Bastos está fora porque já jogou pelo Vasco. Riveros e Edinho estão lesionados. Mas não vejo muito problema nisso. Os volantes se parecem em defeitos e virtudes. Seja quem for, a capacidade do time não se altera. É a hora do Felipão, da competição que ele gosta e na qual teve muito sucesso.

Bom Senso F.C.

Depois de ouvir clubes da elite do Brasileirão, a Rede Globo marcou encontro com os líderes do Bom Senso F.C.. A emissora, que investe R$ 2 bilhões anuais em futebol, pretende ouvir o que pensam os jogadores. Pelo que sei, buscam regionais menores e competições nacionais mais longas. Para jogadores de grandes clubes, uma beleza. Não sei como poderão encontrar trabalho para os dos pequenos, que recebem salários baixos e são a maioria. Há formas de resolver esse impasse. Mas os milionários do futebol brasileiro não podem pensar apenas no seu bem-estar em detrimento da maioria, muito pobre. Quero saudar o encontro. Afinal, é conversando que as pessoas se entendem.

Demmmmaaaiiisss

Marcelo Grohe se consagra, cada vez mais, como um dos grandes goleiros do futebol brasileiro. Não são poucos os jogos em que salva o Grêmio. Suas virtudes são grandes. Começam pela liderança que exerce e pela educação e comportamento. Grohe tem elasticidade e faz defesas que parecem impossíveis, sabe sair do gol. Quase nunca erra. Os gremistas reconhecem sua competência.

De menos

Jogo às 20h é problema sério. Penso ser pior do que às 22h. O torcedor precisa encarar a hora do pico, com ruas congestionadas pelo número de automóveis, que só aumenta. Esse será o horário de Grêmio x Santos quinta-feira. Os gremistas entendem que o melhor caminho está na Copa do Brasil. É importante chegar cedo e evitar atropelos na chegada à Arena.

 

Grande vitória para o time do Grêmio

25 de agosto de 2014 54
Foto: Bruno Alencastro/Agência RBS

Foto: Bruno Alencastro/Agência RBS

 

Não foi fácil. Nem se imaginava diferente. O Corinthians é postulante ao título. O Grêmio fez dois gols relâmpagos. Tudo no segundo tempo. O primeiro com 20 segundos. E o segundo veio logo em seguida, três minutos depois. Ambos com Barcos. Daí em diante, a ordem era segurar. Quem segurou mais foi Marcelo Grohe, que, com Barcos, foi a grande estrela do Grêmio.
O time de Mano Menezes não parou de atacar e tornou dramática a vitória gremista. Mano empilhou atacantes enquanto Felipão empilhava volantes. Estratégias corretas dos dois técnicos. Venceu o Grêmio. Uma vitória importantíssima, que dá permite ao Grêmio respirar muito melhor no Brasileirão. Agora, é se preparar para a empreitada de quinta-feira, contra o Santos, pela Copa do Brasil. A vida segue.

Rafael Moura
Centroavante vive de fazer e errar gols. Existem gols lindos, outros de último toque e os erros graves. Mas, no sábado, Rafael Moura fez o que parecia impossível. Teve dois lances para matar o jogo. No primeiro, Victor fez grande defesa. No segundo, depois de driblar o goleiro, na pequena área, sem nenhum obstáculo, mandou no poste. Ali o Inter começou a perder o jogo para o Galo. Quando a chance foi dos mineiros, Diego Tardeli chutou cruzado e marcou o gol. O Inter jogou para ter resultado melhor. Mas os gols perdidos por Rafael Moura não passaram impunes. O futebol cobra rápido os erros cometidos. O Inter teve essa lição no Independência.

Reviravolta
Dois técnicos que entraram em meio ao Brasileirão melhoraram a trajetória dos seus times. Vanderlei Luxemburgo acertou o Flamengo e acumula vitórias. O mesmo vale para Argel Fuchs. O Figueirense caminhava para o rebaixamento. Argel mudou essa história. Quem não deslanchou foi Celso Roth. Acabou demitido. Por fim, Muricy Ramalho faz campanha ascendente com o São Paulo. Mesmo com três meses para receber de salário.

Demmmaaaaiiisss
Marcelo Grohe é, inegavelmente, um grande goleiro. Além disso, como os grandes goleiros, tem sorte. Aquela bola chutada de fora da área por Ralf que encontrou defesa no travessão tinha o goleiro vencido. Mas Grohe fez duas ou três defesas de maravilhosas. A torcida adora esse jogador. Que erro cometeu a direção do Grêmio quando trouxe Dida. O atual titular ficou um ano na reserva, resignado. Esperou sua vez e hoje é uma afirmação no clube.

De menos
Celso Roth foi demitido do Coritiba. E demorou. O presidente do Coxa entregou seu time para ele e Paulo Paixão. Não funcionou. Celso vive momento ruim na carreira. Depois de ficar um ano sem clube, recebeu essa chance do Coritiba e não foi bem, apesar da paciência da direção. Mas até ela se esgota. Roth perdeu o emprego e, em baixa, talvez leve algum  tempo para conseguir outro.

A volta de Barcos aumentará a força ofensiva do Grêmio

23 de agosto de 2014 47

Jogadores do Fluminense, liderados por Fred, podem fazer a maior revolução dos últimos tempos no futebol brasileiro. Depois de agredidos no Aeroporto Santos Dumont por 20 raivosos torcedores, decidiram tomar atitude. Fred escreveu nas redes sociais que, se a direção do clube e as autoridades não adotarem postura rígida, vão fazer greve. Os jogadores não entrariam em campo domingo, contra o Sport.

Essa é uma importante tomada de decisão dos jogadores. Não é mais possível que sejam agredidos em aeroportos, treinos e saída dos estádios. A marginalidade prospera geometricamente graças à impunidade irritante de autoridades que dão muitos discursos e agem pouco. Os dirigentes ou se omitem ou ficam com medo dos marginais que os ameaçam. Com essa greve, os jogadores deixarão claro que a culpa passa a ser desses vândalos que tumultuam o ambiente do futebol.

Barcos

O centroavante deve voltar neste domingo, contra o Corinthians. Aumentará a força ofensiva do Grêmio, mas está longe de ser solução definitiva. Neste domingo, a dificuldade será ainda maior, pois o time de Mano Menezes tem a melhor defesa do Brasileirão. A vitória se impõe. O Grêmio fica para trás a cada rodada.
Nem a vinda de Felipão salvou o time, mesmo que o desempenho apresente sensíveis sinais de melhora. Mas faltam vitórias. Com o novo técnico, foram quatro jogos – um deles com o treino à distância – e uma vitória. Precisa mais.

Desafio

As duas vitórias obtidas pelo Inter fora foram contra times menores e com gols estranhos. Valeram pelos pontos. Mas o Inter não consegue ganhar de rivais de primeira linha. O Galo está em crise, mas tem bala na agulha. O desafio colorado será ganhar esse jogo e continuar na perseguição ao Cruzeiro. Abel Braga só não terá Willians. A torcida espera um sábado de vitória expressiva.

Demmmaaaiissss

Fred foi muito mal na Copa e está pior no Fluminense. Neste momento, assume liderança entre seus companheiros e promete greve se dirigentes e autoridades nada fizerem para coibir as agressões de parte de marginais. Ele pode ser o cara que mudará as relações do futebol com os torcedores mafiosos e contribuirá muito para o futebol.

De menos

Enquanto jogadores procuram instrumentos de defesa contra os marginais que giram em torno do futebol, o presidente do Fluminense, Peter Siemsen, critica Fred. Da razão a bandidos contra o parecer de seus jogadores. Aí mira o problema. Os dirigentes convivem com a marginalidade e as autoridades nada definem. Nada acontece a quem coloca terror no futebol.

 

Greve no Fluminense

22 de agosto de 2014 40

Depois de perder para a Chapecoense, contabilizando quatro jogos sem ganhar, os jogadores do Fluminense desembarcaram no Rio e foram recebidos por cerca de 20 torcedores. Fred, capitão do time, publicou nas redes sociais que, se nenhuma autoridade ou mesmo a direção do Fluminense não tomar uma atitude contra aqueles que chama de marginais, vagabundos e escória da sociedade, os jogadores farão greve e não entrarão em campo domingo.

 

Contra o G4

Claro que o Inter tem boa colocação no Brasileiro. No entanto, essa campanha precisa ser entendida. O time de Abel cresce contra os adversários que não são candidatos ao título. Mas no confronto contra os maiores clubes, o retrospecto é muito ruim.

O aproveitamento é de apenas 8% quando se fala de Cruzeiro, Fluminense, Corinthians e São Paulo. Esse é o claro sinal de que o treinador precisa fazer mais. O retrospecto contra o G5 é assustador. Sempre lembrando que o objetivo colorado é ser campeão.

 

Insistências

Abel Braga garante titularidade muito discutível para dois jogadores. Começa por Welington Silva. Cláudio Winck tem desempenho muito melhor, repertório de jogadas e faz gols. Além de ser mais jovem. Mas o técnico insiste com o primeiro. O outro é Rafael Moura. Seu desempenho tem sido muito fraco. Ele se defende, diz que joga muito isolado. Só que Welington Paulista entra em campo e consegue muito mais. Rafael Moura foi duramente vaiado pelos torcedores. Mas nada indica que deva ser retirado do time. Talvez essas duas mudanças, se concretizadas, possam melhorar muito o Inter para conseguir enfrentar os adversários mais poderosos.

 

É demaaaiiis!

Fred dá grande lição aos que lideram o Bom Senso F. C. Quando propõe não entrar em campo, manda um recado às autoridades e aos dirigentes que assistem a episódios lamentáveis de tentativas de agressão aos profissionais de futebol. Existe uma paralisia incompreensível dos que deveriam atuar contra os marginais.

 

É de menos

O Inter joga com dez. Culpa do Rafael Moura, que nada acrescenta. Verdade? Meia verdade. A outra metade está na falta de aproximação. O próprio jogador reclamou que é marcado por três jogadores e não encontra parceria. A forma como o Inter foi montado não brinda o centroavante. Esse é um assunto a ser resolvido por Abelão.

Inter perdeu a invencibilidade

21 de agosto de 2014 54

Eram cinco jogos com vitórias seguidas. Neles, nenhum gol sofrido. Porém, o Inter enfrentou ontem um adversário de categoria e veio a derrota. Não foi injusta nem inesperada. O São Paulo tem jogadores de categoria e, com eles, construiu sua vitória. O Inter atacou muito no segundo tempo, e as oportunidades que criou foram escassas.

Rafael Moura não consegue concluir – e não é de hoje. Dá a impressão de que o Inter atua com dez jogadores. Abelão buscou ainda recursos técnicos em JH e fracassou.

 

Tranca de ferro

Ninguém duvida que Grêmio e Cruzeiro sejam forças esportivas semelhantes. Mas ninguém duvida também que o momento do Cruzeiro é muito melhor que o do Grêmio. Mais: ninguém duvida que o grupo de jogadores do Cruzeiro é mais competente. Sendo assim, resta a Luiz Felipe Scolari montar um time com altos cuidados defensivos. Começa pelo retorno de Pará, de apoio deficiente e muito bom na marcação. Passa pela escalação dos três volantes. Eles terão a tarefa de impedir os avanços de Éverton Riberio e Ricardo Goulart, os dos expoentes técnicos dos mineiros. Dudu e Luan deverão ter tarefas ofensivas e defensivas.

Não cabe ao Grêmio dar espaços ao Cruzeiro em nenhum setor do campo. O risco que corre é de isolar o centroavante Lucas Coelho e não ter saída ofensiva. Mas isso é um risco calculado. Sendo o jogo contra o líder, na casa dele, a tarefa primordial é defender. A porteira gremista precisa ser fechada com tranca de ferro. Dar espaço ao Cruzeiro será suicídio.

Escalações

Felipão escalou um time no Gre-Nal e disse que o preservaria em 90% no jogo seguinte. Não foi possível por lesões ou definições táticas. Nesta terceira partida, o técnico mantém alguma de suas convicções. Zé Roberto é uma delas. Sua alta técnica justifica a presença em campo, mesmo porque não existe outro jogador competente nessa posição. O combatido Pará volta ao time porque é melhor do que as outras opções para a lateral direita. O trio de volantes indica que Felipão passará o Brasileirão inteiro com ele. Dudu e Luan serão os meias. Felipão não abre mão de centroavante. Se não for Barcos, lesionado, será Lucas Coelho, preponderante no 2 a 0 no Criciúma, domingo.

Novo Hamburgo

O anilado foi eliminado de vez da Copa do Brasil ontem. Não se esperava decisão diferente do Pleno do STJD. Estávamos na torcida para que o Novo Hamburgo ficasse na competição. Os dirigentes do clube erraram ao escalar Preto contra o ABC. Ele estava sem condições de atuar. Uma lástima. O Novo Hamburgo encararia o Vasco na quarta-feira, pelas oitavas da Copa do Brasil. Seus dirigentes sabiam dessa decisão do Pleno. Tanto que trocaram de treinador e desmontaram o time pensando no Gauchão 2015.

Demaaaais

Dunga adotou o caminho de montar esta sua primeira equipe sem um centroavante de ofício, de área. Esse parece ser o caminho da Seleção Brasileira. Não há bons centroavantes à disposição do técnico. Sendo assim, trabalhará com atacantes de movimentação, como Diego Tardelli, Neymar e Hulk. O que já havia sido feito por Mano Menezes e foi abandonado por Felipão.

De menos

Nada poderia ser pior do que a CBF convocar duas seleções ao mesmo tempo. Isso porque os times estão em meio a disputas importantes como Brasileirão, Copa do Sul e Sul-Americana. O Corinthians já berrou, reclamando que pode ficar até sem sete jogadores. Esse é apenas um dos grandes absurdos da CBF, que trata de desqualificar a competição que ela mesmo promove. Se procurarmos uma burrice maior do que essa, teremos grande dificuldade de encontrar.

Inter busca a sexta vitória consecutiva pelo Brasileirão

20 de agosto de 2014 22
Foto Fernando Gomes

Foto Fernando Gomes

 

Obstáculo é grande. Mas o Inter pode sonhar com a sexta vitória seguida no Brasileirão. Joga em casa, terá o apoio de milhares de torcedores e ambiente muito favorável. O problema mesmo está no adversário. O São Paulo é um grande time e vem para confronto direto com o Inter. Abel Braga terá de resolver o problema causado pela ausências dos volantes Willians e Wellington. Para ter esse último, o clube teria de pagar multa de R$ 700 mil para escalá-lo. Ganhando, o Inter dorme, mais uma vez, líder.

São Paulo
Imagine o setor ofensivo do São Paulo: Kaká e Ganso são os meias, à frente deles há Pato e Alan Kardec, que tem vitalidade, é um goleador e preocupa qualquer defesa, principalmente na bola aérea. Pato, depois de muito tempo sem jogar nada, parece reencontrar seu futebol. Marcou gols e quer recuperar terreno. Kaká é outro que busca retomada. Ao seu lado, Ganso tem toques notáveis e lentidão espantosa. No banco, estará Muricy Ramalho, velho conhecido dos colorados. Será um grande jogo, com previsão de 35 mil pessoas no Beira Rio.

Time ideal
Felipão bate cabeça para achar a formação ideal do Grêmio. No meio disso, enfrenta a ausência de jogadores importantes por lesão. No treino de ontem, ficaram de fora Rhodolfo e Barcos. Pará volta à lateral direita. Não é possível enfrentar o Cruzeiro, no Mineirão, com um lateral que não marca, caso de Matías Rodriguez. Zé Roberto permanece na lateral esquerda. Não existe nada melhor, por mais que se diga que não tenha mais perna. Mas sobra-lhe técnica. Protegido, pode acrescentar.

É demaaaaaaissss!
Dunga convocou alguns jogadores que podem dar mais qualidade à Seleção Brasileira depois do fiasco na Copa. Começa pelo zagueiro Miranda e passa por Éverton Ribeiro e Ricardo Goulart. Tem ainda o volante Elias, do Corinthians, que cumpre as três funções do meio. É só a primeira lista. Dunga quer mudar, mas não esquece que existia um time e que parte dele precisa ser preservado. Pelo menos, para os primeiros jogos. Gostei, em geral, da primeira convocação.

É de menos!
O calendário do futebol, vale para o Brasil e para os países sul-americanos, é de doer. No Brasil, quem é eliminado da Copa do Brasil ganha o prêmio de disputar a Sul-Americana. Isso vale para Inter, São Paulo e Fluminense. Aliás, o caso dos cariocas é emblemático. Foi rebaixado, voltou à elite pelo erro da Portuguesa, que usou jogador de forma irregular, levou 5 a 2 do América-RN na Copa do Brasil e ainda assim ganhou o consolo de vaga na Sul-Americana.

 

Inter tem amanhã um confronto direto

19 de agosto de 2014 35

Volantes colorados

Divulgação Inter/ Alexandre Lops

Divulgação Inter/ Alexandre Lops

São cinco vitórias consecutivas no Campeonato Brasileiro. São cinco jogos sem levar gols. E isto se dá quando Abel Braga coloca dois volantes no time colorado. O sistema defensivo mostra alta competência. Acontece que amanhã o treinador não poderá contar com Wilians, que está contundido, e Welington, que pertence ao São Paulo.

Ygor é a primeira solução. Está escalado. O outro volante deve ser Aránguiz. Ele recua, e o treinador pode escolher um dos três jogadores: Alan Patrick, Jorge Henrique ou Valdívia. Tem para todos os gostos. Só o que Abel não pode fazer é abrir mão de uma segurança defensiva que está dando muito certo. E ainda deve se considerar a qualidade do São Paulo, um time que precisa ser cuidado de perto. Este é um confronto direto. Ganhando, o Inter praticamente elimina concorrente poderoso para classificação no G 4.

Modificações

Difícil entrar na cabeça do técnico Felipão para saber o que ele pensa sobre alterações no time para o difícil jogo da quinta-feira contra o Cruzeiro, no Mineirão. O treinador já deixou claro que vai marcar muito. Ele reconhece que o momento do time mineiro é melhor.

Pará deve voltar. O que não se sabe é qual a lateral que ele irá ocupar. Mas suas qualidades de marcador definem sua escalação. Matías Rodrigues e Zé Roberto apoiam com qualidade, mas são deficientes na marcação. E quem ocuparia a lateral esquerda se Zé Roberto não jogar? Difícil responder. Acho que até o Felipão tem muita dúvida. No meio, a quase certeza da presença dos três volantes. Barcos deve voltar por sua experiência, mesmo que Lucas Coelho tenha sido decisivo contra o Criciúma. Felipão ainda pode tirar Dudu do time colocando mais um no meio-campo. Tudo em nome de uma forte marcação no Cruzeiro.

Copa do Brasil

Vejam como são as fases. O Grêmio, que anda se arrastando no Brasileirão, vai para o sorteio da Copa do Brasil e tem como o adversário o Santos, e ainda decidindo na Vila Belmiro. Já o Cruzeiro, que vive um momento maravilhoso, pega o Santa Rita-AL.

A diferença de dificuldade chega a ser um abismo. São as fases da vida. Parece que existem épocas que tudo fica dificultado pelo destino. Só resta ao Grêmio chamar sua torcida para a Arena no jogo de ida para tentar a vitória e um escore para ter tranquilidade no jogo de volta. Historicamente, os clubes gaúchos vão mal lá na Vila. Por isso, fazer escore significa a grande saída.

Valeu o resultado

18 de agosto de 2014 43
Mauro Vieira

Mauro Vieira

Não foi um grande jogo do Grêmio. Teve progressos importantes, mas ainda falta muito para ser um time confiável. Porém, ontem, o que importava era o resultado. E este veio com a vitória de 2 a 0 sobre o Criciúma. Lucas Coelho foi o maior de todos os destaques. Foi ele que sofreu o pênalti convertido por Luan e que marcou o segundo gol. Tudo que Barcos não poderia fazer.

Zé Roberto também foi um retorno importante. Mostrou sabedoria na sua colocação como lateral-esquerdo, posição que ele começou sua carreira. Os três volantes deram boa contribuição defensiva, Felipe Bastos foi o melhor. Matías Rodriguez mostrou bom apoio, mas fracassa na marcação. Não deve continuar no time, já que Pará marca muito melhor. São progressos importantes, mas ainda existe um longo caminho. Cabe aos gremistas comemorar o resultado e dar tempo para o treinador construir a equipe eficiente e competitiva.

 

Vitória fora

Mesmo sem jogar um grande futebol, o Inter buscou uma vitória importantíssima no Serra Dourada diante do Goiás. Um gol contra de um zagueiro atrapalhado deu os três pontos. A defesa colorada ganhou Ernando e continua com desempenho exemplar.

Cláudio Winck esta ganhando a lateral direita. São cinco jogos sem tomar gols e são cinco vitórias consecutivas. Retrospecto maravilhoso, mas o time precisa jogar mais fora de casa. No Beira-Rio, o desempenho está muito bom. Agora que venha o São Paulo. Wellington, que tem sido importante no meio-campo, não deve jogar porque seus direitos federativos são do adversário.

 

Liderança

Os colorados festejaram muito a liderança conseguida no sábado. Mas o Cruzeiro renovou a ideia de que segue sendo o grande time desse campeonato. Fez 3 a 0 no Santos no Mineirão. Agora o Cruzeiro, mais uma vez líder, espera pelo Grêmio. Com prudência, Felipão sinaliza três volantes, e o retorno de Pará tentando conter a força ofensiva do Cruzeiro.

 

Demmmaaaiissss

Era o jogo dos desesperados no Couto Pereira. O Coritiba, treinado por Celso Roth, em casa, com o calor da sua torcida contra o Flamengo do Vanderlei Luxemburgo. Deu o Luxa, que sai do Z 4 e subiu para a 14ª posição. Celso Roth continua segurando a lanterna . Quem tem acompanhado os jogos do Coxa afirma que merecia melhor sorte. Só que o futebol só premia quem saber aproveitar oportunidades. Tudo que o Coritiba não soube fazer. Pelo menos até agora.

 

De menos

O minuto de silêncio de ontem lembrou Glênio Reis, que morreu na sexta-feira. Ele foi um dos maiores gremistas que conheci. Assistia treinos de profissionais e categorias de base. Conhecia futebol como poucos. E era muito gremista. Como radialista, foi fantástico. Uma referência do rádio que se foi. Os gremistas aplaudiram Glênio de pé.