Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Gre-Nal"

Inter mostrou muita superioridade sobre o Grêmio

14 de abril de 2014 33

Em dois jogos, o Inter mostrou grande superioridade sobre o Grêmio. Mostrou que tem jogadores em melhor qualidade, principalmente, no meio de campo. Na Arena, foi no segundo tempo, no Centenário, também. O Grêmio mostrou garra na primeira etapa dos dois jogos, mas, quando precisou maior técnica, só deu Inter. Foram seis gols contra dois, números que justificam plenamente o título de tetracampeão.

Para o Grêmio, sobrou esforço, dignidade e profissionalismo. O Inter teve tudo isso, mas também teve D’Alessandro sendo um grande maestro, Alex recuperando o seu futebol, Rafael Moura fazendo gols ou dando assistências, Aránguiz mostrando que realmente é um grande jogador, e Alan Patrick compondo o quarteto de meio-campo. Poucas vezes, um título foi conquistado com tanta facilidade.

Futuro

Abel Braga ressaltou na sua entrevista coletiva que, nos dois últimos anos, o Inter se fez campeão gaúcho e acumulou fracassos logo adiante, na disputa do Campeonato Brasileiro. Ele quer mais. Muito mais. Tão logo terminada a festa da volta olímpica, ele reuniu seus jogadores no vestiário, deixando claro que o ano não terminou, que isto é apenas o começo. Abel tem claro que o Internacional precisa jogar muito mais do que nos anos anteriores e brigar pela Copa do Brasil e pelo Campeonato Brasileiro no futuro imediato.

Oposto

Será que alguém consegue me explicar como o Grêmio, que tem a melhor defesa da Copa Libertadores (tendo sofrido apenas um gol em seis jogos), levou seis gols em duas partidas contra o Internacional? Talvez, não se consiga explicar no primeiro momento, mas pode-se valorizar o feito colorado.

O Inter fez seis gols no Grêmio e poderia ter feito mais. Esse é mais um ponto de valorização do grande título conseguido pelo Internacional. Nas duas vezes em que enfrentou o Grêmio – o time que tem a segunda melhor campanha da Libertadores até aqui -, fez seis gols, jogou muito mais e justificou plenamente o título.

É demais!

Para os gremistas goleados impiedosamente, resta o consolo da Libertadores. Tem uma semana para descansar. Estreia no Brasileirão no fim de semana, e, dia 23, joga contra o San Lorenzo, na Argentina. Antes, acompanha Cruzeiro e Cerro Porteño, na próxima quarta, no Mineirão. Se passar pelo San Lorenzo, um deles enfrentará o Grêmio. Na Libertadores, o Tricolor vai muito bem, diferente do fracasso nas finais do Gauchão.

Grande decisão: a vantagem é toda do Internacional

12 de abril de 2014 19

Claro que seria melhor se o Gre-Nal fosse no Beira-Rio. Até o Grêmio queria que fosse, o que é estranho porque o Centenário nivela o fator local. Mas, ainda assim, temos uma grande decisão pela frente. Vamos a Caxias onde sempre saboreamos um galeto da melhor qualidade, onde trafegamos por uma estrada de belas paisagens – agora atalhando pela novíssima BR-448 – e tendo contato com uma cidade muito agradável.
A vantagem é toda do Internacional. Tem os 2 a 1 da Arena, ficou treinando durante a semana, enquanto o Grêmio disputava uma partida pela Libertadores contra o Nacional-Uru, e tem todos os titulares. Vantagem. Nada mais do que isto. Nunca a certeza de que já ganhou, porque em Gre-Nais se vê tantas surpresas. É sempre muito bom respeitar o adversário.
O Inter quer o tetra campeonato. Pode parecer pouco ganhar o Gauchão, mas é o que tem aparecido, ultimamente, para a dupla Gre-Nal. Aliás, o Grêmio nem isto tem conseguido e, por esta razão, a direção tratou de dar valor a este campeonato, mesmo estando jogando a Libertadores. Os dois querem muito este título e, por isto, concluo que teremos uma grande decisão.

Estadista
A entrevista coletiva do treinador Abel Braga sexta-feira, no Beira-Rio, foi de estadista. Abelão tratou de minimizar o fato de jogar em Caxias do Sul, falou do Grêmio com muito respeito e reconhecimento de ter uma grande equipe, ser um grande clube e ter uma grande torcida. Não economizou em elogios para o treinador Enderson Moreira.
Uma entrevista civilizada e com muita categoria. Abelão lembrou ainda que não quer seu time jogando com vantagem. Isto pode determinar um recúo desnecessário, uma atitude de já ganhou, etc. Enfim, o treinador colorado sabe que precisa respeitar o adversário e sabe da importância de levantar este caneco.

Torcida
Claro que o Estádio Centenário vai lotar. Sou do tempo em que as pessoas assistiam ao Gre-Nal com civilidade e, terminado o jogo, iam para suas casas com a alegria da vitória ou a tristeza da derrota. É do jogo.
Infelizmente, a sociedade regrediu e o que se vê hoje são enfrentamentos de torcedores. E o que é pior: as brigas não só ocorrem entre torcidas de times diferentes. Aliás, não dá para dizer que são torcidas. São bandos de marginais de comportamento tribal que disputam poder e dinheiro que os dirigentes dos clubes teimam em dar. Mas neste Gre-Nal, vou torcer para que nada aconteça.

Márcio Chagas
Ele será o responsável pela arbitragem deste Grenal. Não tenho dúvidas quanto a sua capacidade. Sua escalação, pelo menos antes de começar o jogo, é certeza de que teremos um apitador de grande qualidade.
E esta é uma semana importante para este árbitro. Na quinta feira ele esteve na sala do TJD da Federação Gaucha de Futebol e assistiu a penalização do Esportivo com nove pontos retirados e seu rebaixamento para a Segunda Divisão. Neste domingo, apita o Gre-Nal decisivo do campeonato. São muitas emoções.

Estádio é a grande dúvida do Gre-Nal

09 de abril de 2014 18

Depois de 41 anos de profissão, nunca imaginei que tivesse que passar por isso.

A grande dúvida do Gre-Nal não é jogador. O substituto de Luan será conhecido na quinta-feira e aí teremos o Grêmio escalado para o clássico. O time do Inter será o mesmo do segundo tempo do primeiro Gre-Nal, quando conseguiu a virada. A grande dúvida é o estádio onde o jogo será disputado.

Beira-Rio ou Centenário, em Caxias do Sul. O estádio do Inter ainda não tem seu entorno concluído, há muitos restos de obras e tudo fica nas mãos da Brigada Militar, do Corpo de Bombeiros ou do Ministério Público. Confesso que não acredito em receio do Inter de jogar em seu estádio. Teria toda sua torcida do seu lado e ainda tem a importante vantagem.

Sendo o grande favorito para ganhar o campeonato, por que teria receio de jogar na sua casa?

Alán Ruiz

Não tenho uma opinião definitiva sobre esse jogador. A amostragem ainda é pequena. Mas ele, quando entra, mostra grande capacidade técnica. Ao mesmo tempo, mostra uma certa lentidão. Com a saída de Luan e a impossibilidade de jogar Zé Roberto, ele pode estar ganhando a grande chance amanhã contra o time quase ou reserva do Nacional-Uru. Nesse jogo, poderemos avaliar melhor o seu futebol. O Grêmio o contratou na Argentina como um grande talento que está por explodir.

As oportunidades começam a aparecer.

Atacantes

Mesmo que o jogo contra o time reserva do Peñarol não tenha servido para uma avaliação técnica mais rigorosa, Abel Braga propôs uma situação interessante. No segundo tempo, ele deixou em campo os centroavantes Rafael Moura e Wellington Paulista.Pode-se avaliar que não é uma situação para começar jogo, mas pode muito bem ser uma solução para jogos encrencados.

Rafael Moura fica fixo na área,como sempre,e Paulista mostra uma capacidade de movimentação que pode redundar numa dupla de tacantes muito interessantes.

É demaaaiiisss!!!!

Luiz Felipe Scolari decidiu que os jogadores poderão fazer sexo durante o período de concentração da Copa. Está certo. A atividade sexual é compatível com a necessidade física dos jogadores.

O que não combina são noitadas e bebedeiras. Jogadores que não podem se encontrar com suas
mulheres ou namoradas, quando ganham folga,saem desesperados atrás de festas.

Luigi deve apresentar Beira-Rio como estádio da decisão do Gauchão

07 de abril de 2014 19

Foi um final de semana completo para os colorados. Na sexta-feira, dia do aniversário do clube, o grande banquete numa das casas mais bonitas e charmosas de eventos de Porto Alegre. No sábado, a grande festa. Lembrando uma abertura de Copa do Mundo ou de Olímpiada, na qual foram contadas as últimas quatro décadas que marcam a maioridade do clube, seus grandes títulos, seus grandes ídolos, seus grandes dirigentes.

Foi uma noite que emocionou colorados que estavam no Beira-Rio ou mesmo assistindo pela televisão. Uma montagem que superou R$ 20 milhões e que teve em Edson Erdmann, Flávio Steiner, Karina Fernandes, Renata  Germano, Maria Bastos, entre outros, figuras centrais. No domingo foi o jogo. Veio o Peñarol, que, 45 anos atrás, estava no festival de inauguração do Beira-Rio. Vitória colorada por 2 a 1.

Prós e contras

O Beira-Rio lotou. Foram mais de 50 mil colorados que quiseram ver o time voltando, na sua plenitude, ao velho lar. Em campo, um Peñarol todo reserva. Considero um desrespeito ao torcedor que pagou caro para assistir ao jogo. O Inter entrou em campo com todos os titulares e, no segundo tempo, Abel trocou os 11. Também acho um exagero.

Acho que o torcedor colorado merecia mais. Mas como o Inter foi ao Chile inaugurar o Estádio Elias Figueroa e levou só reservas, não pode reclamar de nada.

Definição

Entramos na semana Gre-Nal, mas o Grêmio tem antes um compromisso importante com o Nacional-Uru na quinta-feira, na Arena. Ganhando, o Tricolor termina a fase de grupos entre os primeiros e obtém a vantagem de decidir em
casa. Os exemplos são para os dois lados, mas é inegável que a decisão na frente de seu torcedor sempre é importante.

Neste jogo, Enderson Moreira vai testar o substituto de Luan, que fica 40 dias fora. Pode ser Alán Ruiz, pode ser Zé Roberto que volta de lesão. A quinta-feira vai mostrar o que é melhor para o Gre-Nal decisivo.

É demais!

O Beira-Rio recebeu dois grandes eventos e se saiu muito bem. Não há registro de acontecimentos que se possa lamentar. Sendo assim, na terça-feira, Giovani Luigi deve apresentar o Beira-Rio como o estádio da decisão do Gauchão. Claro que muita coisa pode melhorar no entorno. Mas nada que não possa ser feito num mutirão de  trabalho.

Todo o cuidado é pouco para os políticos em ano de eleições

27 de março de 2014 9

Todo o cuidado é pouco para os políticos em ano de eleições. Isso pegou até na Copa do Mundo. Tarso Genro fugia dela até que se deu conta de que, se o Mundial não desembarcasse em Porto Alegre, o prejuízo seria muito maior do que mandar à Assembleia um projeto de R$ 25 milhões para as estruturas temporárias. Contou com sua bancada e com o PP. Os progressistas entenderam a grandeza da Copa e ainda colocaram um adendo importante: que tudo seja informado – material, custos e etc. – no mesmo dia. Transparência total. Gostei.

O PSDB votou contra. Escutei o deputado Jorge Pozzobom alegando que se está tirando o dinheiro da saúde, da educação e de outros setores. Só lamento que ele não tenha feito esse discurso no governo Yeda Crusius, quando foi dada renúncia fiscal para Inter e Grêmio nos seus estádios. E o PT, que não quis a Ford para não dar incentivos fiscais, agora votou a favor. São as eleições que estão chegando e cada um quer tirar dos fatos o melhor partido.

Na decisão

O Grêmio está na final do Gauchão, depois de dois anos de ausência. Foi com suor e até alguns sustos no final. Mas a fase do time é tão boa e o futebol é de tanta qualidade que nem mesmo o ótimo momento do Brasil-Pel foi suficiente. Enderson Moreira mostra ser um grande técnico e tem em Luan e Dudu expoentes do seu sucesso.

O Xavante exibiu na Arena o porquê da ótima campanha. Marcou forte e não se intimidou. Reclamou de toque de Luan no segundo gol, com razão, conforme o comentarista de arbitragem da Rádio Gaúcha, Diori Vasconcelos.

Finalista

Com uma vitória tranquila sobre o time desfalcado do Caxias, o Inter conseguiu a vaga para a final do Gauchão e tenta o tetra. Wellington Paulista provou, mais uma vez, que é capaz de marcar muitos gols, mesmo não sendo um jogador muito vistoso. Alex, D’Alessandro e Aránguiz armam um meio-campo muito criativo.
Mas a defesa do Inter ainda não foi suficientemente testada num esquema em que só existe um volante de marcação. Os dois Gre-Nais vão provar se Abel Braga tem razão com seu sistema, que para muitos é excessivamente ofensivo.

É demais!

A reinauguração da Granja Comary, nesta quarta-feira, no Rio de Janeiro, serviu para mostrar que a eleição à presidente da CBF, em abril, será sem oposição. Os dirigentes de federações que se organizavam para lançar um candidato se desmobilizaram. Os líderes desse movimento não eram o gaúcho Francisco Novelletto e o carioca Rubens Lopes. Assim, o vice de José Maria Marin, Marco Polo del Nero deve ser eleito. Não se descarta que seja por unanimidade.

Enderson muda o Grêmio para melhor e Abelão não poupa os titulares

08 de fevereiro de 2014 6

Enderson Moreira muda o Grêmio em duas posições. E, para meu gosto, para muito melhor. Achei sempre um disparate dos treinadores gremistas manter Bressan em detrimento de Werley, um jogador mais pronto, mais completo e, ainda por cima, goleador. Se observarmos o desempenho dos atacantes gremistas concluiremos, com facilidade, que um zagueiro que saiba fazer gols pode ajudar muito.

A outra troca é a saída de Kleber e a entrada de Jean Deretti. O Gladiador não anda jogando nada. Não sei se desaprendeu ou se considera aposentado. O que sei, e os gremistas sabem melhor do que eu, é que seu aproveitamento é nulo. Nem para auxiliar Barcos tem servido.

O Grêmio será muito melhor do que tem sido. E mais: o treinador acerta colocando os titulares mesmo que tenha jogo na quinta-feira, pela Libertadores. O time precisa jogar, se entrosar, pegar ritmo de jogo. Jogador de futebol não é para ser guardado no armário.

Abelão

Se Enderson Moreira não tem frescuras de poupar titulares, vale o mesmo para Abel Braga. Ninguém pode criticar o treinador colorado por não ser destemido. Ele é um forte, corajoso e, por vezes, até paga muito caro por isto. Abel vai com seu time ofensivo, com triangulações muito boas pelos lados, com muita força de ataque. O que ele terá de
consertar é a forma de defender.

Contra o Cruzeiro, em Novo Hamburgo, o time atacou muito, mas defendeu pouco. No Gre-Nal não pode dar tanto espaço ao adversário. Willians tem que se fixar na frente da zaga, Alex tem que estar ao seu lado e Aránguiz vai ter que efetuar com mais continuidade as tarefas de marcação. Se conseguir isto, o Inter estará muito bem para o clássico.

Titulares

Tenho certeza que os torcedores de Dupla – e eu me incluo entre eles – agradecem aos dois treinadores por irem com
seus times titulares. Já fazia muito tempo que não se via um Gre-Nal deste jeito no Gauchão. Tivemos até aquele ridículo em Santana do Livramento, quando até os treinadores eram reservas.

Abel e Enderson estão valorizando o futebol, os dois clubes e o nosso campeonato. Finalmente uma medida para ser
saudada e para que todos nós, que gostamos de futebol, possamos dizer a estes dois respeitáveis profissionais muito obrigado. O futebol gaúcho precisava disto.

É demais!

Gosto muito das arbitragens de Leandro Vuaden. E por duas razões prioritárias. A primeira, é que ele deixa o jogo correr, o que faz o espetáculo ficar mais atraente e bonito. A segunda, é que ele não é uma pessoa prepotente. Vale para dentro e fora do campo.

Dentro, ele tem respeito com os jogadores. Fora, é uma pessoa amável, conta com a admiração de seus colegas e amigos. Tomara que ele tenha uma grande atuação. Vou torcer muito para que isto aconteça.

Abel Braga trabalha com tranquilidade para definir time do Gre-Nal

07 de fevereiro de 2014 5

Gostei muito da apresentação de Luan contra o Veranópolis. O guri de 20 anos entrou aos 13 minutos do segundo   tempo, no lugar de Kleber, e mudou o rumo do jogo. O mesmo havia feito Jean Deretti contra o Juventude, algo que repetiu também na quarta-feira.

Mas acho que, neste momento, é hora de Enderson Moreira esperar um pouco para lançar os guris. Gre-Nal não é jogo para apostas. Um clássico como esse, com o peso que tem, exige jogadores tarimbados. É jogo para nomes como Edinho, Riveros, Barcos e até mesmo Kleber, mesmo estando em má fase.

Também acredito que Enderson deva fortalecer a defesa, rechear o meio-campo e atuar mais atrás. O Grêmio não pode perder o Gre-Nal, sob pena de chegar sob forte impacto na estreia na Libertadores.

Time pronto

Enquanto no Olímpico o Grêmio se vira para ajeitar a casa, no Beira-Rio, Abel Braga trabalha com calma e faz com toda a tranquilidade os últimos ajustes no time titular. Que ficou descansando durante a semana. Se é que é possível descansar nesse calor digno dos Emirados Árabes que faz nestas duas últimas semanas aqui na Capital.

Acredito que o apetite ofensivo de Abel será um grande ingrediente para apimentar esse clássico. Prevejo um Gre-Nal de altíssima qualidade e com boas disputas no domingo à noite.

Só a pé

Terá que ser assim, como diz o hino, que os gremistas terão que encarar o caminho até a Arena. Quinta, em entrevista ao Diário Gaúcho, o diretor de trânsito da EPTC, Carlos Pires, disse que, além dos lotações da linha Humaitá, as demais, que estiverem de folga, poderão encostar no Largo Glênio Peres para levar torcedores até o clássico.

Uma pena, essa greve dos rodoviários castiga a população, faz o portoalegrense sofrer para manter uma rotina normal de vida. Esse mês de fevereiro começa de forma inesquecível para a cidade. Greve, calor infernal.

É demais!

Alexandre Pato recebe mais uma chance para voltar a ser jogador. Tomara que Muricy Ramalho consiga plugá-lo no mundo da bola outra vez. Pato é um jovem, tem 24 anos apenas. Mas parece empanturrado pelo sucesso, desencantado com a profissão. Era para ele estar, a esta altura, dormindo com a camisa 9 da Seleção e embalando os nossos sonhos do Hexa. Mas algo aconteceu na Europa que o tornou um jogador sem ânimo.

Querer ganhar

19 de outubro de 2013 12

No Gre-Nal do primeiro turno, se viu dois times que pouco atacaram, que mais procuraram se defender. Do Grêmio de Renato Portaluppi, sempre se espera um time fechado, jogando por uma bola. O Inter fez o mesmo. Foi um jogo com poucas chances de gol, sem muitos ataques, quase sonolento.

Espero que, neste domingo, a atitude dos times seja diferente. Que tenhamos uma partida onde as equipes busquem o ataque. O torcedor quer emoções, gosta de jogos onde os lances de área estão presentes. Eu, modestamente, espero um jogo de qualidade e comportamento civilizado nas arquibancadas. Que possamos mostrar para o Brasil e para o mundo um grande espetáculo, com os dois times buscando a vitória.

Sem favorito

Grêmio e Inter têm forças que se equiparam na atual temporada, mesmo que o Tricolor esteja muito à frente na tabela de classificação do Brasileirão. Os colorados têm jogadores expressivos, de renome internacional e com muitos títulos recentes no currículo. Os tricolores, um time mais organizado, mais combativo e cheio de garra.

No campeonato, isso tem dado uma vantagem importante para o Grêmio, tanto que são 11 pontos de diferença. Mas, no Gre-Nal, as forças se equiparam. Não há, claramente, um time muito melhor do que o outro.

Sensibilidade

A direção do Grêmio procurou a Arena Porto-Alegrense para buscar baixar os valores dos ingressos para o jogo da próxima quarta-feira, contra o Corinthians, pela Copa do Brasil. Queria lotar o estádio e fazer grande pressão contra o Timão.

Mas os técnicos da OAS não concordaram. E eles mandam na Arena.

Mas a OAS esquece que não há churrascaria na Arena porque não há grande ocupação. Outros espaços também não são ocupados. O estacionamento poderia render muito mais. Não entendo que uma grande empresa não consiga enxergar essas diferenças. Questão de sensibilidade.

É demaais!

Vou receber, em novembro, a medalha Mérito Farroupilha, iniciativa do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Pedro Westphalen. Não me considero merecedor de prêmio nenhum por ser uma pessoa normal, que não faz nada mais do que sua obrigação.

Narro futebol, escrevo no jornal e apresento programas porque sou um profissional de comunicação. E ganho para isto. Mas confesso que fico honrado com esse acontecimento.

Na medida*

05 de agosto de 2013 12

Por Zé Alberto Andrade (interino)

O empate no Gre-Nal foi justo. O Grêmio até se apresentou melhor, na média, mas a superioridade não chegou a caracterizar uma injustiça. A proposta surpreendente dos três zagueiros usada por Renato se mostrou eficiente, e a opção por uma marcação forte sobre D’Alessandro neutralizou o melhor jogador colorado, contendo o time de Dunga.

Os melhores momentos do Inter acabaram destacando Willians e Leandro Damião e, pelo lado tricolor, ficou evidente que, sem Zé Roberto, Elano ainda é o toque de qualidade do meio-campo, enquanto tem pernas para isto. Alex Telles voltou a jogar muito bem. Dos recém contratados, o gremista Rhodolfo jogou os 90, foi bem e vai permanecer no time. O colorado Scocco teve pouco tempo para atuar e foi prejudicado quando o time ficou com inferioridade numérica.

Menos

A Geni do jogo foi o árbitro, cujo erro mais grave foi o de não ter expulsado Adriano quando este merecia um segundo cartão amarelo, ainda no primeiro tempo. Fabrício Neves Corrêa teve este seu pecado salientado quando minutos depois Renato tirou o volante por medo da expulsão.

Isto perturbou o juiz que acabou desagradando a todos. Houve, contudo, excesso nos discursos. Até a novidade – errada – de dizer que “a regra manda dar cartão a quem comete pênalti” apareceu.

Prioridade

Definitivamente, o Atlético-MG está fora da luta pelo título e pelas primeiras colocações no Brasileirão. É mais um campeão da América que abandonará a competição nacional para se preparar para o mundial interclubes.

Não dá para condenar o Galo, mas sempre é discutível e corre o risco de desmobilização técnico-tática. O Inter tem bem clara esta diferença. Quando manteve-se ligado no Brasileiro, foi vice e ganhou o mundo contra o Barcelona. Já quando esnobou o nacional foi liquidado pelo Mazembe.

É demaais!

A manhã de domingo preocupou com o pau comendo solto entre torcedores no trensurb e os vagões sendo depredados em Sapucaia. À tarde, porém, veio uma compensação.

As estratégias de segurança se mostraram eficientes, o Gre-Nal teve gremistas e colorados convivendo de maneira aceitável e os dirigentes e torcedores do Inter elegantemente elogiando a casa do adversário.

Ídolos*

03 de agosto de 2013 2

Por Zé Alberto Andrade (interino)

Renato Portaluppi de um lado, Dunga do outro. As atrações do Gre-Nal começam nos bancos de reservas.

O gremista já encarou confrontos contra um ídolo do rival nos tempos de Falcão no Beira-Rio. Chegou a vencer um jogo, mas perdeu o Gauchão. O colorado enfrenta seu primeiro clássico diante do adversário com força máxima, já tendo duas vitórias enfrentando times mistos.

A mística do Gre-Nal precisa dessas figuras, profissionais identificados com a história que fizeram como atletas. Quem sabe eles inspirem não só seus comandados, mas os próprios torcedores que precisam saber que, nos tempos de Renato x Dunga dentro do campo, o estádio se dividia num colorido mais bonito e muito mais pacífico.

Prognóstico

Gre-Nal nunca tem favorito. Mesmo quando há tendências, é arriscadíssimo bancar uma previsão.

A favor do Inter, aparecem a semana inteira de trabalho, a volta de D’Alessandro e a qualificação do banco com Scocco e Alex. O Grêmio tem no fator local sua principal força. A apreensão da semana foi muito mais tricolor com as perdas de Zé Roberto e Vargas, por conta das lesões.

Não é nenhum absurdo ver mais tranquilidade para Dunga. Mas é Gre-Nal.

Vexame

Quando valia o título mundial, foi um passeio. No amistoso pela estreia de Neymar, um massacre. A vitória do Barcelona de 8 a 0 sobre o Santos no Camp Nou ficou muito mais como uma vergonha santista do que uma apoteose do Barça.

Nem sequer foi preciso ver a dupla mais esperada do futebol mundial. Messi e Neymar jogaram apenas 16 minutos juntos. A posse de bola, a qualidade de passe, o fantástico entrosamento, tudo era conhecido nos catalães. O que não se esperava e se lastima é a pouquíssima resistência do Peixe, que deixou uma imagem muito ruim do futebol brasileiro.