Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Pedro Ernesto"

Grêmio x Santos: espíritos desarmados para o jogo de quinta-feira

16 de setembro de 2014 25

Ouvi atentamente a entrevista do presidente do Santos, Odílio Rodrigues, na Rádio Gaúcha. Falou com serenidade e exaltou o Grêmio, sua direção, sua torcida, cumprimentando o clube pelo aniversário de 111 anos. Ele sabe que o Tricolor está sendo vítima de um pequeno grupo de pessoas com comportamento irresponsável e condenável. Rodrigues sabe separar a instituição dos baderneiros. Sendo presidente de clube, ele sabe que nenhum deles está livre destes disparates.

Afirma que seu time virá com toda tranquilidade para o jogo de quinta-feira e que para o goleiro Aranha, os episódios lamentáveis do jogo da Copa do Brasil ficaram no passado. Uma grande entrevista para desarmar espíritos que, por ventura estejam pensando coisas que não podem mais acontecer. Claro que a direção do Grêmio deve estar tomando medidas de cuidado especial para evitar qualquer desatino. Importante lembrar que o jogo ocorre na quinta e o julgamento do recurso do Grêmio deve ser no dia 26 de setembro. Nada seria mais doloroso do que adicionar novos fatos que comprometam um clube tão importante como é o Grêmio.

Arannha

Jorge Henrique
As informações da tarde da última segunda-feira são de que Jorge Henrique, mesmo que tenha saído lesionado no jogo contra o Botafogo, já está recuperado. Imagino que por sua experiência, na primeira fisgada pediu para sair para não agravar a lesão. A sua escalação fica na conta do técnico Abel Braga. A novidade é que Eduardo Sasha participou muito bem da partida contra o Botafogo, inclusive marcando um gol. Tem mais: Abel voltou ao esquema de um volante e quatro meias que deu muitos resultados positivos ao time. Abandonado este esquema, o Inter perdeu o grande rendimento que conseguira, inclusive nos clássicos gaúchos quando destroçou o Grêmio. Sendo assim, como será o Inter amanhã contra o Sport?

Seis Pontos
Nesta quinta-feira começa uma semana importantíssima para o Grêmio. Serão seis pontos em casa. Na quinta, contra o Santos. No domingo será a Chapecoense. Ganhando estes dois jogos, o time do Felipão ganha uma gordura extraordinária para alcançar seu objetivo de chegar no G-4. Com esta colocação, ganha lugar direto na Libertadores. Felipão ainda busca o time titular. Na defesa, as dificuldades foram reduzidas e faz quatro jogos que o time não toma gols. Mais difícil é solucionar os problemas ofensivos. Neles, a qualidade dos jogadores é mais importante do que a presença do treinador. Mas esta é a dura tarefa do técnico do Grêmio. Para ganhar os seis pontos, o desempenho da torcida também pode ajudar bastante.

É Demaaaaaiiiiss!!!!
Dá para entender, com facilidade, as razões do grande crescimento do São Paulo. Muricy conta com três jogadores maravilhosos. Começa por Kaká, que já foi consagrado pela Fifa como o melhor do mundo, e que está recuperando sua forma física e seu futebol. Passa por Paulo Henrique Ganso que parece ter deixado aquela preguiça de lado. E o Pato, que deixando as páginas sociais dos jornais voltou as páginas esportivas. É muita qualidade e, com ela, o São Paulo já se coloca como pretendente ao título. O Cruzeiro arrumou um desafiante.

De Menos
A divisão do dinheiro da TV entre os clubes é muito desigual. E não é de agora com a inexistência do Clube dos 13. Também naquele momento os grandes ganhavam muito e os pequenos algumas migalhas. Por isto é que entra ano e sai ano, os candidatos ao rebaixamento são conhecidos antes de começar a competição. Enquanto os grandes gastam cerca de 10 milhões por mês, tem muito clube pequeno que vai para a Série A e não tem R$ 1 milhão sequer para gastar mensalmente. Uma diferença estúpida que não diminuirá por falta de vontade política.

Felipão repete Renato Portaluppi

13 de setembro de 2014 46

Claro que estaremos centrados nos jogos da dupla Gre-Nal neste domingo. São nossos times, os que mais nos interessam. No entanto, o grande jogo deste final de semana será no Morumbi, São Paulo x Cruzeiro. A entre eles distância é de sete pontos. Ganhando, os mineiros abrem dez pontos a 17 rodadas do final. Não digo que o Brasileirão estará decidido, mas dificilmente o Cruzeiro deixará de ser campeão.

O empate também é bom resultado para os mineiros. Mantém a distância considerável. Se o São Paulo vencer, a disputa esquenta, serão quatro pontos de diferença. Por tudo isso, é obrigação espiar esse grande jogo. O Morumbi receberá 60 mil pessoas, recorde do campeonato.

Jogo tenso

O Inter recebe o Botafogo em jogo tenso. O time de Abel Braga vem de rendimentos muito baixos, distantes de sua capacidade e longe da expectativa. É preciso reverter. Claro que nesta hora surgem os marginais prometendo surrar jogadores, o que nada contribui para melhorar o rendimento e a tranquilidade do time. A segurança será reforçada no interior do Beiro-Rio. Esse é mais um absurdo dos tempos modernos do futebol. Espero que o Inter reencontre a vitória e a paz.

Fechadinho

Imagino o Grêmio com toda a cautela defensiva. Felipão repete Renato Portaluppi. Usa três volantes e joga por uma bola. Dependendo do jogo, por três ou quatro. Foi assim contra o Cruzeiro, na melhor atuação do time sob seu comando, apesar da derrota. Foi assim contra o Flamengo, no Maracanã. Creio que não será diferente contra o Atlético-MG neste domingo. As chances de sucesso são grandes. A campanha esta muito boa. Uma vitória lá no Horto ajuda na busca pela vaga na Libertadores.

De menos

Vivemos momentos difíceis e complicados. Quase todos os dias somos confrontados com atitudes de intolerância. Colocaram fogo no CTG que sediaria o casamento entre duas mulheres. Colocaram fogo na casa da torcedora Patrícia Moreira, aquela flagrada pelas câmeras chamando o goleiro Aranha de macaco. Esses episódios incomodam as pessoas de bem. Não importa a nossa opinião sobre esses assuntos, mas atentados com fogo é inconcebível.

Demaaaaiisss

Apesar da fórmula sonolenta, é evidente aumento de público no Brasileirão. Penso que isso não esta relacionado com a qualidade dos clubes, mas com a comodidade das novas Arenas. Dá gosto ir a um estádio com cadeiras e ótima visão do campo. O futebol é jogado em um gramado que parece mesa de sinuca. É o efeito pós-Copa do Mundo.

Grêmio e Inter podem vencer nessa rodada

10 de setembro de 2014 23

Se os adversários de hoje da Dupla estão em queda na tabela, se os investimentos dos nossos times são muito maiores, só posso esperar que consigam esta noite duas vitórias. Para o Grêmio, para chegar a quatro vitórias consecutivas e, quem sabe, dependendo dos outros resultados, ingressar no tão ambicionado e seleto G4. Tem o calor da sua casa e da sua torcida a favor.

O Inter pega o lanterna. Sendo o jogo no Barradão, o grau de dificuldade aumenta. Mas nada que não seja suportável. A diferença técnica é gritante, e a vitória deve ser encarada como natural. Tudo isso que coloquei acima traduz o óbvio, só que futebol não se faz assim. É preciso entrar em campo e confirmar o favoritismo.

Saudade

Tenho saudade daquele Inter que encantava seus torcedores, formado por um volante posicionado, Willians, e à frente dele quatro jogadores à de grande habilidade. Nesse sistema, Aránguiz se posicionava mais atrás e funcionava como surpresa no ataque. Fazia gols, dava assistências e, quase sempre, era o melhor em campo. Alex, D’Alessandro e Alan Patrick infernizavam os adversários. O Inter esqueceu disso, e seu futebol piorou. Uma pena. Talvez em breve Abel Braga lembre desse esquema que ele mesmo montou, e o Inter volte a jogar grande futebol.

Retorno

Felipão retornou ao sistema montado por Renato Portaluppi no ano passado. Eram três volantes, posicionamento defensivo vigoroso e um time em busca da bola do jogo. Em determinadas partidas, conseguia mais do que isso. No Maracanã, sábado, Felipão repetiu a dose e se deu muito bem. São três vitórias consecutivas. Não espero mudanças nesta noite. Time que está ganhando não se troca. A qualidade do momento permite grandes formulações ofensivas.

Demaaaiissss

Quatro vitórias consecutivas podem colocar o Grêmio no G4. O Inter teve cinco emparelhadas e chegou a liderar a competição. O Flamengo também ganhou cinco vezes seguidas, deixou a lanterna para trás e já sonha mais alto. Por tudo isso, a vitória do Grêmio é muito importante.

De menos

O presidente do STJD, Caio César Rocha, acredita que a pena de exclusão da Copa do Brasil imposta ao Grêmio pode ser mais branda. O caso Arouca, em Mogi Mirim, interior de São Paulo, só rendeu multa ao Mogi. Ele deve ver falta de coerência nesse resultado. Mais, essa punição abre um precedente muito perigoso. Daqui por diante, um cara qualquer grita uma bobagem e provoca a eliminação. Complicado.

Fiasco do ano: os colorados não merecem

08 de setembro de 2014 46

Perder é do jogo. Mas perder para um time mais modesto, com folha de pagamento de, no máximo, 10% e depois de 2 a 0 no primeiro tempo dentro do Beira-Rio caracteriza grande fiasco. Os colorados não merecem isso. Pensar que o Inter desdenhou da Copa do Brasil e da Sul-Americana em nome do Brasileirão.
Foi só sair dessas competições e proporcionar ao torcedor o fiasco do ano.
O que Abel tem para dizer aos torcedores? Poderia ter aproveitado o empate do Cruzeiro para reduzir a seis a diferença de pontos. Inexplicável. Parabéns para Argel Fucks, dono de cinco vitórias e dois empates nos últimos sete jogos com o Figueirense.

Grande vitória
Calar o Maracanã é um feito. Isso fez o Grêmio no sábado, diante de quase 60 mil flamenguistas. No primeiro tempo, o time do Felipão até se atreveu a atacar. Obrigou o goleiro a fazer boas defesas. Na segunda etapa, foi a vez de o Flamengo dominar. O Grêmio se fechou e ainda teve, como sempre, Grohe. Aí surgiu a estrela do técnico. Felipão colocou Luan e Fernandinho. Aos 45, eles fizeram a jogada do gol. O Grêmio acabou com série de cinco vitórias seguidas do Flamengo com Vanderlei Luxemburgo. Agora, o que se pode contar é a série de três vitórias consecutivas do Grêmio.

Grande jogo
Ontem, o Cruzeiro conseguiu fazer mais um jogo espetacular, mesmo que tenha empatado. Foi ao Maracanã enfrentar o bom  Fluminense e saiu com 3 a 3. Além desses seis gols, outros tantos poderiam ser marcados. Um jogo aberto, de alta técnica e muito agradável para quem gosta de futebol. Emocionante. Isso que o time mineiro não contava com quatro jogadores  importantes. São as convocações para a Seleção Brasileira do Dunga e para a seleção olímpica, do Gallo. Esse é o sublime momento em que a CBF esculhamba o próprio campeonato que organiza. Só no Brasil para se conviver com absurdo tão imenso.

É demaaaaaiiis!
Ontem à tarde, fiz show que inaugurou o Galpão da RBS no Acampamento Farroupilha. Milhares de pessoas cantaram comigo os grandes sucessos do Rio Grande. Imagino que mais de 100 mil tenham passado pelo Parque Harmonia no dia de ontem. Os corredores estavam congestionados de gente cultiva a cultura.

É de menos!
Quarta-feira, o Grêmio volta à Arena. Busca a quarta vitória seguida no Brasileirão. Deveria ser uma festa, com estádio lotado e o time lutando por mais três pontos. Só que a preocupação maior da direção está em controlar o comportamento dos marginais que trazem repetidos prejuízos ao clube. A segurança será reforçada.

Encontro de dois treinadores que trabalham com sabedoria

06 de setembro de 2014 49

Em campo, um clássico com dois dos principais times brasileiros. Fora dele, mas bem ao lado, dois treinadores de longa e exitosa carreira no futebol brasileiro, que somam muitos títulos e estão entre os profissionais que mais ganharam nas duas últimas décadas. Travaram batalhas inesquecíveis.
Luxemburgo está tendo um desempenho fantástico no Flamengo. Tem cinco vitórias consecutivas, tirou o time da última colocação e já sonha com G4. Acaba de conseguir uma classificação fantástica na Copa do Brasil, contra o Coritiba, e é uma das sensações do momento.

Felipão, depois do duro golpe que levou pelo fiasco da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, tenta recuperar seu prestígio no Grêmio. Até agora ainda luta para conseguir um time com padrão de jogo definido. Está encontrando dificuldades, apesar de estar a apenas quatro pontos do G4, mesmo objetivo que tem o Flamengo.

Um encontro de dois treinadores que fazem parte da história recente do futebol brasileiro e que ainda trabalham, com experiência e sabedoria, buscando sempre um lugar de destaque.

Três volantes

O elenco do Grêmio tem carências naturais. Com jogadores punidos ou lesionados, fica ainda mais complicado. Talvez isto tenha feito o técnico Felipão treinar com três zagueiros e três volantes, com centroavante de referência ou sem ele. Vai acabar optando por três volantes, o que pode redundar em proteção defensiva muito boa. E acabou optando pela sua história: sempre ter uma referência no ataque.

Lembram do Jardel? Era exatamente isto. E na Copa, Felipão morreu abraçado a Fred, jogador de referência que afundou completamente. Mas o mais importante no jogo de hoje é tirar o entusiasmo do Flamengo e suas grandes vitórias consecutivas. Por isto, a prudência dos três volantes.

Maracanã lotado

Que bom saber que o Flamengo saiu da lanterna. Grandes clubes, com grandes torcidas, não podem ocupar estas posições finais da tabela de classificação. É ruim para o futebol. Luxemburgo trabalhou nos três ou quatro últimos anos sem sucesso algum, dando a entender que estava completamente superado. No Mengão, pelo menos até agora, acertou a mão. O time joga e ganha.

E vai ter o apoio do torcedor. Os flamenguistas lotam o Maracanã quando seu time vai bem. Eu gosto de jogo com casa cheia. São os torcedores que fazem o grande espetáculo. Grêmio x Flamengo é um clássico que merece casa cheia. Claro que isto se dará pelo momento do Mengão. Os jogadores do Tricolor vão gostar do ambiente. Tudo indica um jogo maravilhoso.

Demmaaiisss

O Grêmio precisa ter muito cuidado no jogo de hoje. O Flamengo está embaladíssimo. Se conseguir ganhar, fica com os mesmo 28 pontos que o Tricolor. Os ingressos estão todos vendidos. Teremos recorde de público e renda no Brasileirão. As cinco vitórias consecutivas fizeram o time do Luxa empatar com o Internacional. Agora, quer a sexta vitória consecutiva, um feito que ninguém tem nesta competição. Por estas e outras, Felipão vai fechadinho, saindo no contra-ataque e no erro do adversário. Não pode ser diferente.

De menos

Patrícia Moreira deu entrevista, pediu desculpa ao goleiro Aranha, afirmou que não é racista e pediu um encontro com o atleta. Aranha disse que não há motivo para encontrá-la. Penso que ele perde uma boa oportunidade de deixar o ambiente do futebol mais respirável. Claro que eu entendo a situação de um jogador que é mal tratado por torcedores. É duro ser discriminado pela cor da pele.

Se Aranha aceitasse o encontro com Patricia, ela pediria desculpa na frente da pessoa que ela atingiu, numa atitude de grandeza dos dois. Penso que, por pior que tenha sido o problema, o goleiro santista poderia ter outra atitude. Compreendo sua posição. Mas precisamos de momentos como a entrevista da menina. Não tira a culpa dela, mas estabelece um arrependimento que deixa o ambiente menos pesado.

Punição deve ser festejada no Olímpico

05 de setembro de 2014 65

O repórter Luís Henrique Benfica conseguiu entrevistar ontem o procurador do STJD, Paulo Schmitt, e trouxe informações preciosas a respeito do rumoroso julgamento das ofensas raciais ao goleiro Aranha pela torcida do Grêmio. O procurador disse acreditar na eliminação do clube na Copa do Brasil. Seria o melhor, se confirmado. O Santos, praticamente, eliminou o Grêmio com a vitória obtida de 2 a 0 na Arena, na quarta-feira passada. Considerando o jogo de volta na Vila Belmiro, a ineficiência do ataque gremista e a necessidade de fazer três gols de diferença, dá para dizer que, dificilmente, o clube gaúcho continuaria na competição. Dentro do quadro que se instalou e da repercussão nacional, essa é uma punição que deve ser festejada no Olímpico.
Claro que usou o termo festejada porque está dentro da realidade do time na Copa do Brasil. Nunca é bom ser punido. Mas imaginem se o STJD resolve punir o Grêmio com perda de mando em alguns jogos. O time perde muito tecnicamente, o prejuízo financeiro é enorme e os sócios não podem assistir ao seu time, mesmo pagando as mensalidade. Seria muito pior. Mas aguardemos a decisão do tribunal.

Sem política
O comportamento de torcedores na Arena e nos ambientes do clube não devem passar por grupos políticos. Essa é uma questão do clube. Tanto Adalberto Preis, que faz parte do Conselho de Administração, quanto Homero Belini Júnior, candidato a presidência, deixam isso muito claro. Os distúrbios chegaram a um ponto em que o clube paga preço alto. Nos jogos, os torcedores que não são de organizadas, vaiam as brigas no setor delas. O prejuízo na imagem do clube é muito grande. Como contou o repórter da Rádio Atlântida Duda Garbi, no Bate Bola da TVCOM, amigos foram correr a Maratona do Rio, no último domingo, com camisa do Grêmio e acabaram hostilizados. Ou seja, o orgulho de vestir a camisa do clube passou a ser um problema. Isso tem que mudar.

Time misto
Não há definição oficial de Abel Braga para amanhã, contra o Bahia. D’Alessandro e Aránguiz são ausências certas. No restante do time, atuam titulares ou alguns reclamados como tal. Sendo assim, o problema não está no time que entrará em campo. Problema, mesmo, é o 2 a 0 obtido pelo Bahia no Beira-Rio. Dificilmente será revertido. Para quem tem essa desvantagem no mata-mata trata-se de equação de difícil solução: ou se cuida para evitar mais gols e não faz os três necessários ou ataca, dá espaços para contra-ataques e leva gols.

Demmmaaaiiisss
Não são poucos os gremistas que usam as redes sociais lamentando os episódios de comportamento reprovável na Arena. Isso só nos transfere a ideia de que a esmagadora maioria dos torcedores de futebol são pessoas de qualidade. fazem do jogo momento de lazer. Amam seu clube, querem vitórias e só existem para ajudá-lo. Por isso, a classificação do Grêmio como clube racista é absurda. Não dá para levar isso adiante. Os negros fazem parte da história gremista.

De menos
As duas seleções formadas pela CBF,. a principal e a olímpica, no meio do Brasileirão, representam imerecida punição aos clubes que mais investem e em busca de títulos. Não há razão para fazer jogos nas datas mais importantes de definição do campeonato. A CBF desqualifica a própria competição que organiza.

Pedro Ernesto: Grêmio e a Copa do Brasil

03 de setembro de 2014 47

O repórter Luís Henrique Benfica conseguiu entrevistar ontem o procurador do STJD, Paulo Schmitt, e trouxe informações preciosas a respeito do rumoroso julgamento das ofensas raciais ao goleiro Aranha pela torcida do Grêmio. O procurador disse acreditar na eliminação do clube na Copa do Brasil. Seria o melhor, se confirmado. O Santos, praticamente, eliminou o Grêmio com a vitória obtida de 2 a 0 na Arena, na quarta-feira passada. Considerando o jogo de volta na Vila Belmiro, a ineficiência do ataque gremista e a necessidade de fazer três gols de diferença, dá para dizer que, dificilmente, o clube gaúcho continuaria na competição. Dentro do quadro que se instalou e da repercussão nacional, essa é uma punição que deve ser festejada no Olímpico.

Claro que usou o termo festejada porque está dentro da realidade do time na Copa do Brasil. Nunca é bom ser punido. Mas imaginem se o STJD resolve punir o Grêmio com perda de mando em alguns jogos. O time perde muito tecnicamente, o prejuízo financeiro é enorme e os sócios não podem assistir ao seu time, mesmo pagando as mensalidade. Seria muito pior. Mas aguardemos a decisão do tribunal.

Sem política
O comportamento de torcedores na Arena e nos ambientes do clube não devem passar por grupos políticos. Essa é uma questão do clube. Tanto Adalberto Preis, que faz parte do Conselho de Administração, quanto Homero Belini Júnior, candidato a presidência, deixam isso muito claro. Os distúrbios chegaram a um ponto em que o clube paga preço açlto. Nos jogos, os torcedores que não são de organizadas, vaiam as brigas no setor delas. O prejuízo na imagem do clube é muito grande. Como contou o repórter da Rádio Atlântida Duda Garbi, no Bate Bola da TVCOM, amigos foram correr a Maratona do Rio, no último domingo, com camisa do Grêmio e acabaram hostilizados. Ou seja, o orgulho de vestir a camisa do clube passou a ser um problema. Isso tem que mudar.

Time misto
Não há definição oficial de Abel Braga para amanhã, contra o Bahia. D’Alessandro e Aránguiz são ausências certas. No restante do time, atuam titulares ou alguns reclamados como tal. Sendo assim, o problema não está no time que entrará em campo. Problema, mesmo, é o 2 a 0 obtido pelo Bahia no Beira-Rio. Dificilmente será revertido. Para quem tem essa desvantagem no mata-mata trata-se de equação de difícil solução: ou se cuida para evitar mais gols e não faz os três necessários ou ataca, dá espaços para contra-ataques e leva gols.

Demmmaaaiiisss
Não são poucos os gremistas que usam as redes sociais lamentando os episódios de comportamento reprovável na Arena. Isso só nos transfere a ideia de que a esmagadora maioria dos torcedores de futebol são pessoas de qualidade. fazem do jogo momento de lazer. Amam seu clube, querem vitórias e só existem para ajudá-lo. Por isso, a classificação do Grêmio como clube racista é absurda. Não dá para levar isso adiante. Os negros fazem parte da história gremista.

De menos
As duas seleções formadas pela CBF,. a principal e a olímpica, no meio do Brasileirão, representam imerecida punição aos clubes que mais investem e em busca de títulos. Não há razão para fazer jogos nas datas mais importantes de definição do campeonato. A CBF desqualifica a própria competição que organiza.

A polêmica do caso de racismo com Aranha

30 de agosto de 2014 66
 Lauro Alves / Agência RBS

Lauro Alves / Agência RBS

A última sexta-feira foi um dia nervoso. As questões do racismo foram amplamente debatidas. Aranha foi na delegacia prestar queixa, as imagens foram amplamente divulgadas, todo mundo deu opinião. O presidente Fábio Koff prestou longo esclarecimento, deixando claro que o clube não aceita atos de racismo. Ainda deixou clara a proibição de alguns torcedores de frequentarem a Arena, e sócios serão eliminados.

O árbitro Wilton Sampaio fez um adendo na súmula, focando a queixa do goleiro Aranha. A empresa que emprega aquela moça flagrada pelas câmeras da ESPN soletrando furiosamente a palavra macaco, logo a demitiu. Os gremistas de bom senso – felizmente quase a totalidade – repudiaram estes atos que descolorem o futebol. Paulo Schmidt, procurador do STJD, já prometeu denúncia do clube.

Destilando ódio
Mas teve ainda a entrevista de Abel Braga, destilando ódio contra o comentarista Wianey Carlet e o repórter Leandro Behs. O Wianey, porque o criticou. Talvez Abel quisesse ser elogiado por ter perdido três partidas, por seu time não marcar gols nos últimos seis jogos e ainda estar fora da Copa do Brasil e quase fora da Sul Americana. Os treinadores, por vezes, se acham acima do bem e do mal.

“Esclerosado” foi o termo usado por Abel para definir o comentarista. Errado. Ele somente evidenciou em seus comentários que Abel está promovendo alguns vexames . Quanto ao Behs, fez referência a uma notícia de que o técnico tratava com a oposição sua permanência. Mesmo admitindo que a informação esteja errada não é motivo para tanta fúria.

Doze desfalques
O Palmeiras completo já não é grande coisa. Para o jogo deste sábado, o técnico argentino Gareca tem 12 desfalques, entre lesões e suspenções, muitos dos quais titulares. Dificilmente, o Inter vai pegar daqui pra frente uma galinha morta como esta. Só falta não aproveitar, como não aproveitou no meio da semana, quando enfrentou, dentro do Beira Rio, o time misto do Bahia. O Inter deve e precisa jogar mais.

Retomada
Só um milagre salva o Grêmio da eliminação precoce na Copa do Brasil. Um ataque que em 17 partidas marcou apenas 15 gols poderá fazer três gols num só jogo? E ainda na Vila Belmiro? Por isso, o jogo contra o Bahia cresce em importância. Felipão ainda não achou um time. Só garra e força não são suficientes. Cabe ao treinador achar os 11 que ele considera como os melhores e repetir o time.

DEMMMMAAAIIISSS
Gosto muito do tratamento que a direção do Grêmio dá para as torcidas organizadas. Não tem sala, não tem ingressos, não tem passagens de ônibus. Eles têm os mesmos direitos de todos os torcedores. Isto leva os grupos a enfrentarem a direção. Fábio Koff já recebeu palavrões nos jogos, dirigentes já foram insultados e ameaçados. Mesmo assim, a direção do Grêmio não quis negociação. Entra ano e sai ano e o que se vê é que torcedores organizados produzem muito mais problemas do que soluções.

De menos
As atitudes racistas nos estádios de futebol estão muito relacionadas ao fato de que os torcedores se perdem na multidão e, dificilmente, conseguem ser localizados. Desta vez, porém, as câmeras puderam flagrar indivíduos cometendo o desatino do racismo. O que se espera, agora, é que a lei seja cumprida. Que a impunidade não prevaleça. Existem rostos identificados, e a policia tem condições de estabelecer responsabilidades.

Santos não é um adversário desprezível

28 de agosto de 2014 24
Marcelo Oliveira/Agência RBS

Marcelo Oliveira/Agência RBS

Arena lotada
Não sei se será tanto. Mas tenho certeza de que teremos um dos maiores públicos da história recente do estádio do Grêmio. A Copa do Brasil está entranhada na cultura do clube como uma competição que é feita ao seu estilo. O treinador também tem a marca de quatro conquistas. Essas duas valências mostram ao torcedor que é por aí que o seu clube pode conquistar um título depois de intermináveis 13 anos.

O Santos não é um adversário desprezível. Robinho pode estar voltando. E como a decisão é na Vila Belmiro, melhor que o Grêmio faça algum escore que leve o time com boas condições de classificar. Vai ser um mar de gremistas, todos esperançosos do sucesso que não enxergam há bastante tempo. Até agora nem Fábio Koff conseguiu devolver as conquistas. Só que agora Koff tem o inestimável reforço de Felipão. Dose dupla para ganhar a cobiçada Copa do Brasil, já que no Brasileirão está muito complicado.

Trocas pontuais
Felipão treinou a maior parte do tempo, ontem, com portões fechados. Ele não queria que os repórteres visualizassem suas alterações. Mas os meninos da reportagem conseguiram ver que ele treinou com Pará e Matheus Biteco.

Matías foi mal na partida contra o Timão. Sua tarefa de marcação é muito ruim. No meio, com ausências importantes, entre Walace e Biteco, ele deve ficar com o último. No final do treinamento, os portões foram abertos, e Matías Rodrigues e Walace estavam no time titular. Mas eles devem ficar no banco. São as alterações para pegar o Santos.

Curso de gestão
Uma bela iniciativa tomada pelo ex-presidente colorado Fernando Carvalho. Ele está lançando em Porto Alegre um curso de gestão sobre futebol. Os maus resultados dos nossos clubes e, principalmente, o fiasco da nossa Seleção, recomendam estas iniciativas. Importantes dirigentes e profissionais serão responsáveis por palestras. Precisamos melhorar a gestão de nossas entidades e os profissionais de todas as áreas do futebol.

Demmmaaaiissss
A iniciativa de Fernando Carvalho tem tudo a ver com o momento do futebol brasileiro. Nossos clubes foram eliminados precocemente da Libertadores. No Mundial, encontramos os fracassos do Inter, do Santos e do Atlético-MG. Da Seleção, nem se fala: 10 a 1 em três dias. A ideia do Fernando servirá para discutirmos estes fracassos, que se sucedem perigosamente.

De menos
Acusações feitas a dirigentes ou colocação de problemas de gestão precisam ser feitos com boa dose de proximidade. Atirar problemas por meras suposições nada contribuem. Como na política, o futebol tem os que governam e os que fazem oposição. É muito bom ter oposição. Fortalece o clube, mas ela precisa ser feita com responsabilidade.

Jogo será de times mistos no Beira-Rio

27 de agosto de 2014 25

Times mistos
As razões são diferentes, Mas tanto Inter quanto Bahia devem entrar em campo, nesta noite, com times mistos. O Inter, oficialmente, alega que muitos de seus jogadores, já acima dos 30 anos, não conseguem suportar as exigências de duas partidas por semana. No entanto, muitos entendem que a prioridade no Beira-Rio é para o Brasileirão, no qual o time está em terceiro e com boas chances de, pelo menos, garantir vaga na Libertadores 2015. A torcida torce o nariz, já que o Inter foi eliminado da Copa do Brasil pelo Ceará, da Série B, e levando cinco gols em dois jogos.
O Bahia tem outras razões. Está no Z4 do Brasileirão e assombrado pelo rebaixamento. Isso faz o técnico Gílson Kleina preservar jogadores nesta noite, visando ao jogo de domingo, contra o Grêmio, na Arena. Esse vale pelo Brasileirão, a prioridade dos baianos. Interessante que os clubes lutam muito para conseguir classificação a outras competições e, quando chega a hora delas, usam reservas. Difícil de entender. Mas é algo que se repete com frequência no Brasil.

Cultura
Eliana Camejo é a assessora de imprensa da Arena Porto-Alegrense, a empresa responsável pela administração do estádio do Grêmio. Ela informa que dois setores da Arena já estavam, ontem, com ingressos esgotados. Nada mais do que a confirmação de sólida cultura do clube e do seu técnico. Ambos são tetra nesta competição. Os gremistas sabem que esse é o caminho para buscar um título nacional, ausente há 13 anos. A volta de Felipão reascendeu a esperança numa taça, e o o mata-mata é especialidade dele. É preciso largar com vitória sobre o Santos, de preferência sem levar gols. O torcedor pode ajudar bastante,  como já fez contra o Corinthians.

Fellipe Bastos
Entendo que os volantes são parecidos: fortes, bons marcadores e, quase sempre, deficientes tecnicamente. Em Fellipe Bastos consigo ver algumas virtudes incomuns. Ele tem chute forte e certeiro, ainda que essa qualidade não tenha aparecido no Grêmio. Sua personalidade é marcante. Interfere nos conflitos contra os adversários e mostra liderança. Também é capaz de discutir com companheiros para arrumar o time. O maior exemplo se deu no último domingo quando encarou Barcos, um dos líderes do time. Reclamou, gesticulou, botou o dedo na cara do Pirata e, depois, em gesto de grandeza, abraçou-o na comemoração do gol. Fellipe, por sua luta e personalidade, fará muita falta na Copa do Brasil.

Demmmaaaiiisss
As novas, lindas e modernas arenas da Copa do Mundo são responsáveis pelo aumento de público nos jogos do Brasileirão. Aqui na Capital, na Arena e no Beira Rio, a média tem sido de 30 mil pessoas por partida. Número de Europa. O Flamengo tem levado 50 mil pessoas ao estádio, o São Paulo faz promoções e atinge patamar parecido. Há ainda o Cruzeiro, estimulado pela liderança no Brasileirão. Melhor ainda que os gestores das arenas se deram conta de que os ingressos precisam de preços acessíveis.

De menos
No Brasileirão, os clubes lutam muito pelos prêmios oferecidos. O maior deles, é claro, o título. Mas há as vagas na Libertadores e na Sul-Americana. Quando chega a hora de disputar essa última, eles a esvaziam. A Sul-Americana leva à Libertadores, à Recopa e ainda à Suruga Cup. Inter e Bahia começam nesta noite a menosprezar competição que dá muitos prêmios.